Amigo Locutor Seguir história

srta09 Thaís Resende

Tudo parecia bem com o relacionamento do casal, até uma mulher armar uma cena. Naruto tentará provar seu amor para a amada, fazendo a sua declaração. Será que Hinata irá perdoar o seu amor?


Fanfiction Impróprio para crianças menores de 13 anos. © Os personagens não pertencem a mim. Pertencem a Masashi kishimoto

#amor #fanfiction #songfic #naruto #naruhina #hinata #clichê
Conto
6
6337 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Minha Declaração

Desesperado eu estava, bêbado também, porém muito consciente do meu amor por Hinata. Nunca fui o cara mais inteligente, e sabia que era um homem de muita sorte por ter uma namorada como ela, minha Hinata.

Ela adorava um programa chamado: “Amigo Locutor”. Hinata sempre ligava o seu aparelho de rádio de noitinha no mesmo horário e dizia todas as vezes :

-Adoro as declarações dos apaixonados, são lindas e verdadeiras.

Sempre que podia, escutava as declarações ao seu lado, fazendo daquele momento no sofá parte da minha, beijando e abraçando-a, sentindo seu delicioso perfume de rosas brancas. Compreensiva e amorosa, era o definia aquela formosa mulher.

Faltava pouco para completarmos três anos de namoro, o melhor de todos que já tive. Com ela era realmente Amor.

Trabalhava como mestre de obras em uma construção que era perto da casa dela. Mesmo eu não tendo feito uma faculdade, minha morena sempre me apoiava em tudo e isso sempre me dava força para crescer e ir para frente.

Estava saindo da obra, sujo de cimento da cabeça aos pés, iria em direção a casa dela, mas fui parado por aquela mulher. Uma conhecida de tempos atrás, essa chegou a estudar comigo no colégio e nos reencontramos em um cursinho que Hinata sugeriu. Matsuri havia se declarado para mim no tempo em que eu fazia o curso, e mesmo com a maior paciência do mundo, a dispensei. Hinata já estava na minha vida e me completava. Não tinha olhos para mais ninguém. Contudo, parece que o recado não tinha sido entendido.

Matsuri simplesmente, sem dizer nenhuma palavra, puxou-me para perto, agarrando-me e beijou minha boca sem nem pudor. Na mesma hora desfiz-me daquela mulher. O perfume dela me enjoava e o gosto da boca? Amargo como fel. Contudo era tarde. O meu amor estava do outro lado da rua, seus olhos violetas estavam arregalados e ela estava com uma das mãos a boca.


- Hinata! Hinataaa!


Ela corria e não respondia ao meu chamado. Olhei para aquela mulher com raiva e sai correndo para casa da Hinata, porém ela trancou a porta deixando-me do lado de fora. Bati feito louco, quase quebrando o vidro branco da porta.


Novamente desesperado! Fiquei mais de dois dias ligando para o fixo da casa, batendo em sua porta, implorando para ela que me atendesse. Ignorado.

Depois de quatro dias, saí em busca de alívio. Fui em busca do BAR! Parei numa bitaca bem arrumada. Estava mal vestido e descabelado, como quando saia da obra. Cada copo de cerveja que descia pela garganta deixava-me bêbado e em nada tirava aquela maldita aflição do meu peito… Completamente chapado não só pela bebida como também pela dor.


Só pensava nela, no gosto doce dos seus lábios, no cheiro que sua pele exalava, em como era feliz ao lado dela, e veio uma pessoa estragar minha felicidade. Lembrei-me de todos os nossos momentos, principalmente os que tínhamos enroscados no sofá lilás da sua casa. Foi então que olhei para o relógio, a visão embaçada, todavia consegui decifrar os números 21h50min. Faltava apenas dez minutos para começar o programa, aquele programa que ela amava, aquele que ela fazia questão que eu escutasse ao seu lado. Não pensei duas vezes, liguei e então sem saber o que dizer… Fui atendido:

- Boa noite, caro apaixonado. Qual a sua declaração?


- “Tô no celular, falando de um bar, bebi todas pra poder ligar! Perdi um grande amor não sei o que fazer. Amigo locutor liguei pra te dizer….."


A cada vez que tentava falar quase chorava. Sentia-me tonto de tão encachaçado. Foda-se se chorar não era coisa de homem, afinal como qualquer pessoa eu tinha meus sentimentos. Meu amor por aquela mulher levava-me a fazer loucuras.

Não tinha muita certeza se ainda estava na linha, e desesperado fui falando:


- "Manda um recado e um beijo meu, sei que ela não perde um programa seu. Ela não abre a porta e não tem celular, então só tem um jeito dela me escutar”


Era agora ou nunca. Essa é a minha declaração:

- "Vai locutor, diz que eu tô Completamente apaixonado, louco de amor.

Diga por favor, fala aí no ar, não sei viver sem ela.

Que tem um cara aqui, com saudade dela, cheio de desejos, diga a ela locutor só quero mais um beijo…."


- Essa foi a declaração de Naruto Uzumaki para Hinata Hyuga! É minha jovem, aproveite o amor! Viva e seja feliz com quem se ama, dê a ele só mais uma chance de provar o seu amor. Esse foi mais um “Amigo Locutor”


_____________________________________________________

Me arrumava ansiosa para ver o meu amor. Passei o perfume de rosas brancas que ele adorava, parece bobeira eu sei, mas só com ele que sentia-me realizada.

Saí de casa puxando a cortina branca e trancando a porta. Estava indo em busca do “meu homem”, meu lindo mestre de obras, meu e só meu.


Pertinho da obra estava para atravessar a rua, quando me deparo com uma mulher puxando ele e o beijando, ela tocou nos lábios dele... Do meu Naruto! Ele se afastou dela e foi quando olhou para mim na rua.

Sem reação, a única coisa que fiz foi tapar minha boca para não gritar. Corri e corri bastante.

- Hinata! HINATA!

Ele me gritava, corri ainda mais quando percebi que ele viria. Tranquei a porta, no mesmo momento ele batia desesperado. Pedia-me para abrir, que precisava conversar, não abri.

Deitei na minha cama chorando sem acreditar no que tinha visto. Ela o tocando e mesmo vendo ele se afastar seus lábios se tocavam.

Fiquei deitada escutando sua voz desesperada, só não mais que a do meu peito que gritava. Era uma tortura.

As batidas diminuíram e então ele se foi, fazendo assim com que eu pudesse dormir.

Olhos inchados e vermelhos, olhei no espelho o reflexo de uma pessoa devastada.

Arrasada!


Como ele pode deixar isso acontecer? Será que tinham um caso? Faz quanto tempo? Só conseguia pensar nessas coisas horríveis.

Mais um dia e ele batia na porta. E por mais vontade que meu coração tinha de vê-lo, não a abriria.

Sempre que ele cessava com as batidas, eu derretia em lágrimas e passava a lembrar-me dos nossos momentos, sempre juntos naquela famosa “bolha de amor”.

Meu sofá lilás, sempre ficava amassado depois das brincadeiras, dos beijos e amassos picantes. O olhar dele, meu refúgio esconderijo. Aquela boca minha casa… Eu sempre fazia dela minha morada. O toque… A cada vez que lembrava-me de nós dois, ficava arrepiada. Angústia!

Era muito difícil esquecer dele, o qual eu considerava que era o “Amor verdadeiro”, pelo visto só para mim.

Depois de exatos quatro dias, ainda estava estilhaçada, comendo o bombom que o “próprio” tinha me dado.

Quase dez horas, só o locutor para me fazer esquecer, ou pior, lembrar-me que tinha sido traída. E daí, ainda acreditava no amor então liguei o rádio e deitei-me no sofá .


“Tô no celular, falando de um bar,bebi todas pra poder ligar! Perdi um grande amor não sei o que fazer. Amigo locutor, liguei pra te dizer… Manda um recado e um beijo meu, sei que ela não perde um programa seu. Ela não abre a porta e não tem celular, então só tem um jeito dela me escutar”


Aquela voz! Eu conheço essa… voz.

Levantei-me sem conseguir respirar direito,pois mesmo com toda minha raiva, ele mexia muito comigo. A voz que sempre dizia coisas ao meu ouvido, a mesma que disse que ...Amava-me.


" Vai locutor, diz que eu tô Completamente apaixonado, louco de amor. Diga por favor, fala aí no ar, não sei viver sem ela. Que tem um cara aqui, com saudade dela, cheio de desejos,diga a ela locutor só quero mais um beijo…."


- Essa foi a declaração de Naruto Uzumaki para Hinata Hyuga! É minha jovem, aproveite o amor! Viva e seja feliz com quem se ama, dê a ele só mais uma chance de provar o seu amor. Esse foi mais um “Amigo Locutor”


Chorei, chorei muito. Na verdade a noite toda. A voz dele estava embargada. Será que estava bêbado? Possivelmente.

Ele se declarou! Pra mim e no rádio! Dizem que se mesmo depois de tudo, o carinha te ligar de porre, sinta-se lisonjeada porque o amor dele é seu.

Meu coração estava acelerado, quase que dando murros na minha caixa torácica. Ao tempo que estava feliz, sentia-me nervosa, apavorada.

Chance… Eu poderia... Não! Sim! Ahhhh...

Mente confusa, coração sempre decidido. Dormi pensando no amanhã.


No entardecer, bateram na minha porta e já suspeitava que pudesse ser ele.

Abri a porta, ele estava sóbrio? Talvez…. Surpreso estava, desconcertado. Sentamos no sofá, e ele tentava explicar tudo, respirei e o deixei dizer.


- Hinata, acredita em mim, eu te amo tanto!


- Eu… Não sei o que estou pensando,ou melhor, se estou fazendo o certo.


- Só peço que acredite no amor que ainda temos.


Olhei para ele pensando em como dizer que sim. Que eu acreditava na gente, que o amor não acaba em uma semana….


- O locutor…. Estava sintonizada na rádio... Então… Só mais um beijo.


- Completamente apaixonado, louco de amor, não se esqueça .


E com um beijo cheio de ternura eu e Hinata nos despedimos para brincar no sofá

10 de Março de 2018 às 19:42 0 Denunciar Insira 1
Fim

Conheça o autor

Thaís Resende Uma simples leitora que arrisca escrever coisas simples. Adoro tomar chá Matte e claro, ler bastante. Pequena com grande coração.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~