Fight Like a Girl Seguir história

vanychan734 Vany-chan 734

Sakura era uma ninja, Iryō-nin, discípula da Godaime Hokage, jounin, ANBU, mas antes de tudo isso, ela era mulher. E como qualquer outra mulher, se provaria forte o suficiente para calar bocas maldosas.


Fanfiction Para maiores de 18 apenas.

#Naruto #Sakura #Time7 #UN #TimeKakashi #Universo Natural #Luta #Treinamento #Final Alternativo
Conto
11
6974 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único - Fight Like a Girl

N.A:  AINDA NÃO DEU MEIA NOITE! Socorro. Ta valendo. Galera, to participando do desafio do grupo do facebook FNS sobre o dia da mulher e eu espero que tenha sido um dia legal para todas as manas, que vocês sejam respeitadas não só hoje, mas todos os dias. Muita equidade, sororidade e respeito para nós.

Vou deixar o link do grupo nas notas finais pra quem quiser conhecer e entrar. A ideia da one eu já tinha, BASEADA NAS FANARTS DO SURFAÇAGE (reunidas num GIF feito por mim), mas o desafio veio a calhar. Capa editada pela Equinócio e a arte é da Uendy (Deviant). É isso. 

~ A fanfic será postada em todas as minhas contas (Spirit, Nyah, Ink e no futuro no FF.net). Enredo no UN, futuro alternativo (sem guerra, Sasuke matou o Ita e volta pra Vila). ~ 

Espero que gostem.


Fanfic / Fanfiction Fight Like a Girl - Capítulo 1 - Capítulo Único - Fight Like a Girl

“Liberdade para mim é isto: não ter medo”

- by: Nina Simone


Sakura observava Naruto e Sasuke se digladiarem com tudo que eram capazes. Eles nem ao menos se preocupavam com a paisagem, porque não estavam no habitual campo de treinamento do time 7, mas sim numa planície próxima ao Vale do Fim. Aliás, a tinham escolhido exatamente por saberem que causariam destruição e que não seriam punidos por isso estando ali.

Sakura, no entanto, não fazia parte do processo de destruição. Desde que haviam chego ao local, o Uzumaki e o Uchiha começaram a se atacar, a ignorando completamente como em todos os treinos que tinham.

Na última vez, Kakashi estivera presente e a observou se sentar no meio do campo de treinamento para chamar a atenção dos dois, e mesmo assim eles continuaram treinando sem a participação dela, até que a kunoichi saísse do campo acompanhada por Kakashi, os deixando para trás. Porém, ela não queria continuar sendo ignorada pelos amigos, afinal, ela também era uma ninja! Também havia treinando com um sennin lendário e se isso não lhes fosse suficiente, ela também tinha passado nos testes da ANBU! Ou seja, era tão apta quanto os dois idiotas ali. Mas se sentia mal por perceber que eles continuavam a achando uma garotinha indefesa e que não estava párea para os enfrentar.

Abaixou os ombros ao analisar a luta, eram movimentos brutos e ferozes, completamente diferentes daqueles que direcionavam a si.

Quando Naruto lutava consigo, mal a atacava – mais se defendia de seus golpes e se esquivava – e assim que conseguia uma brecha, atacava Sasuke. Este, por sua vez, lhe afastava com golpes a distância ou a colocava em genjutsus poderosos que a detinham por algum tempo – tempo esse suficiente para combater o loiro e abandoná-la no meio do treino.

Sakura suspirou irritada, não aguentaria mais aquele comportamento dos seus companheiros. No começo chegou a pensar que a atitude do Uzumaki era porque ele a considerava sua amiga, e então preferia não lhe machucar; mas depois do dia em que Sasuke e ele se exaltaram e se machucaram gravemente (ficando internados por dois dias), ela reconsiderou o problema e concluiu que a complicação era apenas por sua causa.

Analisando os treinos que tinham, percebeu que este era mesmo o problema. Quando Kakashi estava presente e mandava que lutassem em duplas, sempre acabava sendo “poupada” dos ataques mais brutais deles, e se fossem treinos “livres” era ainda pior, já que a competição infantil entre os meninos os deixava alucinados para começarem uma verdadeira guerra no campo. Foi num desses dias, aliás, que o Rokudaime os proibiu de continuarem utilizando aquela área.

A médica-nin observou quando vários clones de Naruto foram para cima do moreno e ele os repeliu com um chidori, destruindo todos os bushins e formando uma névoa ao seu redor. Sakura franziu o cenho ao perceber que quase nunca Sasuke usava o chidori contra si, e tal constatação a irritou mais do que poderia imaginar.

Ela queria uma luta séria!

Os dois tratarem-na como fraca só a desvalorizava e a fazia se sentir um estorvo para o time, e jamais se permitiria ser tão menosprezada assim, não depois de todo seu foco e treinamento para melhorar, para se tornar a kunoichi que era atualmente.

Andou a passos firmes até eles, que por estarem concentrados em si mesmos, não perceberam quando ela se aproximou, perto o suficiente para interceptar um soco de Naruto e o lançar para longe com um chute, se virando rapidamente para socar o Uchiha.

Era um soco sem chakra porque, desta vez, ela queria que somente sua força fosse sentida contra o rosto do outro. Uma vez, lembrava-se de Sasuke desdenhar de seu treinamento ao dizer-lhe que não tinha força de verdade, apenas se “escondia por trás do chakra”. Naquele dia ficou quieta, humilhada e ressentida; mas agora sua quietude tinha outro significado e seu rosto esbanjava orgulho, principalmente quando ele virou o rosto lentamente e ela pôde ver um fio de sangue escorrer pelo canto de sua boca.

— Eu também estou aqui.

Sasuke estranhamente sorriu de lado e a atacou.

A combinação de golpes dele era muito mais rápida e precisa que a sua – culpa do doujutsu ativado – mas ainda assim conseguia lidar com aquela sequência. Até, claro, Naruto voltar para perto deles e chamar a atenção do moreno, que correu em direção ao amigo-rival, deixando Sakura para trás com as mãos erguidas em punhos e uma expressão indignada.

Sasuke simplesmente tinha se virado de costas para ela a fim de atacar Naruto! A havia ignorado mais uma vez!

Guinchou com raiva e correu até eles, ensandecida por aquele sentimento ruim que parecia tomar conta de todo seu corpo. O loiro se defendeu da Kusanagi com duas kunais, mantendo a lâmina afastada de seu rosto, e então chutou o tronco do melhor amigo ao ponto de fazê-lo se curvar e trocar de lugar com um tronco, Naruto se virou a tempo de receber uma rasteira e cair no chão; dando à Sakura a oportunidade perfeita para os atacar.

— SHANNAROOOO! – gritou, socando a planície e fazendo o moreno se desequilibrar no terreno vibrante.

Os orbes ônix fixaram seu olhar nela e então ele partiu para cima, e Sakura correu em sua direção também. Não tinha medo de se machucar ou de enfrentá-lo cara a cara, era pra isso mesmo que tinha treinado há anos com Tsunade.

Era uma kunoichi tão habilidosa quanto eles, afinal.

Apesar do Uchiha ser mais rápido, Sakura era mais flexível e sabia se esgueirar dos movimentos certeiros de sua katana, e assim que conseguiu uma brecha, sacou uma kunai do coldre e o feriu no braço que empunhava o metal. Sasuke se afastou rapidamente, com um olhar chocado, mas depois os olhos suavizaram e ele sorriu sádico quando clones de Naruto se aproximaram dela.

Sakura se defendia da combinação de shurikens e kunais lançadas pelos clones enquanto se atentava aos dois homens. Era uma luta livre, ou seja, estavam cada um por si, e pelo que observara, teria que vencê-los pela sua melhor qualidade: a inteligência.

Os clones conseguiram arranhar seus braços e coxas, mas assim que percebeu onde o verdadeiro Naruto estava, foi até ele com um jutsu de teleporte, desfazendo o corpo em pétalas de sakuras, as quais vagaram pelo vento e atingiram o amigo, queimando sua pele.

Não era um justu comum. Kakashi a havia ensinado como fundir duas ou mais técnicas conhecidas, criando um novo jutsu, e no caso: suas pétalas tinham venenos manipulados por ela apenas, então logo o jinchuuriki estaria invalidado.

— Muito bem, Sakura-chan! – o loiro sorriu, mas sem a doçura no olhar, na verdade, ele esbanjava determinação pelos orbes azuis.

E então o manto vermelho do chakra da Raposa surgiu como uma camada protetora para o amigo, que sorriu devasso.

— Kurama disse que tem veneno nessas coisinhas – ele pegou uma das pétalas e sorriu sagaz, a apertando até que desmanchasse num líquido roxo escuro — Boa tentativa, ‘ttebayo.

Os olhos verdes se arregalaram, mas antes que pudesse contradizê-lo, ela sentiu o ambiente mudar e saiu do campo de senbons de Sasuke. O moreno as tinha revestido com chidori para que fossem capazes de causar um dano maior no alvo, que nesse caso foi Naruto, embora o manto de chakra o protegesse perfeitamente.

Assim que percebeu Sasuke avançar em direção ao colega, ela lançou uma de suas kunais explosivas para que estourasse entre eles, fazendo com que voassem pelo impacto da explosão, e depois correu até o loiro. Sabia ser capaz de causar algum dano grave em Naruto, era só ter uma bela oportunidade, afinal, o amigo continuava relapso para muitas coisas.

Quando o loiro atingiu o chão, a Haruno o prendeu com um jutsu doton, no qual seus membros ficavam detidos por carapaças de pedras, o deixando à sua mercê. A jovem sorriu com superioridade e então acumulou chakra no punho direito.

— Boa noite, idiota.

— SAKURA-CHAN! NÃO!

Entretanto, mesmo com seu pedido, Sakura o acertou na barriga, com força suficiente para ultrapassar a barreira de chakra e acertar o símbolo de seu selamento, o levando automaticamente ao sono. Assim que ela se virou para trás, observou Sasuke parado com um sorriso cruel, demonstrando que tinha gostado de vê-la nocautear o amigo sem arrependimento aparente.

— Somos só nós dois agora – ele disse com deboche, embainhando a kusanagi.

Sakura pegou sua última kunai do coldre e girou entre seus dedos, se posicionando em defesa. Sasuke ativou o Sharingan e correu em sua direção, ela esperou pelos ataques e quando finalmente chegaram, se defendeu com perfeição, usando jutsus de substituição e contra-ataques perfeitamente encaixados.

Seu punho atingiu as costelas de Sasuke, o fazendo se curvar, e em seguida ela o puxou pela gola da blusa, acertando uma joelhada em seu rosto, o deixando aturdido ao ponto de cambalear para trás e deixar a katana cair.

Ela aproveitou sua desorientação para criar duas clones e partir para cima dele, jogou sua kunai para a clone da direita, que o acertou no rosto, mas logo foi pega pelo seu genjutsu, a paralisando. Enquanto isso, a outra clone se aproximou e quando estava prestes a chutá-lo, ele desviou e agarrou o calcanhar dela, a jogando contra a outra clone para longe. A verdadeira Haruno, nesse meio tempo, pegou uma das grandes pedras do local e a atirou contra o companheiro, a qual foi eletrocutada no ar pelo seu chidori nagashi.

A médica-nin se afastou alguns metros e planejou seus próximos passos. Sabia que ele era tão analítico quando ela e – diferente de Naruto – não baixava a guarda facilmente, por isso olhou ao redor da planície destruída e pensou em distraí-lo com alguma daquelas pedras, por tempo suficiente para preparar uma armadilha.

Seus olhares se cruzaram mais uma vez, até que ele corresse em sua direção e ela refizesse o mesmo jutsu que detivera Naruto. Por um momento, Sasuke ficou preso ao chão por uma crosta de pedra que o segurava até a cintura enquanto ela começava a atirar-lhe os destroços do lugar. Ele continuava se defendendo com o chidori nagashi, mas assim que conseguiu se livrar da prisão, as pedras deixaram de vir e Sakura tinha desaparecido.

O vingador fechou os olhos para se concentrar no chakra da kunoichi a fim de descobrir sua localização, que se encontrava atrás de uma vala no fim da planície, e mesmo estranhando a distância, ele foi até ela, dessa vez mais cauteloso. Quando se aproximou o suficiente, conseguiu reconhecer que a tal vala era um genjutsu e nesse exato instante Sakura se materializou ao seu lado. Mas ele já estava preparado para o contra-ataque.

Mais alguns minutos se seguiram por golpes que envolviam apenas taijutsu. A rosada não evitou sorrir quando conseguiu torcer o pulso dele e roubou a katana de suas mãos, pegando o objeto para si.

Ela se afastou com um sorriso vitorioso, observando os olhos negros se inflarem com ódio, deixando seu controle de chakra minimamente desregulado. Sakura era quase uma ninja sensorial e conseguiria perceber vacilações como essa, então com essa informação em mente, traçou um plano para detê-lo.

— Vamos, Sasuke-kun – ela sinalizou com a mão livre que ele viesse buscar a katana.

Mas ele se manteve parado, esperando que ela o atacasse dessa vez, e então a médica-nin deu de ombros. Ela cravou a katana no chão, porque não era uma espadachin tão boa quanto ele e provavelmente perderia o objeto se ousasse se aproximar com ele em mãos. Correu até o companheiro fazendo clones, Sasuke bufou ao revirar os olhos e se defendeu deles.

No entanto, diferente da outra abordagem, a jovem continuava fazendo mais e mais clones, mantendo uma distância segura dele e o atacando apenas quando havia algum espaço aberto com socos pouco potentes, apenas para irritá-lo. E de fato conseguiu. O Uchiha carregou seu próprio corpo com raiton e quando as clones tocaram em si, todas explodiram deixando a fumaça da invocação no ar.

Sakura ficou cega por alguns instantes, o suficiente para ele lhe atacar. Uma sequência de socos, chutes e chaves com torsões dolorosas.

— Ah! – ela exalou ar, quando o sentiu atingir seu diafragma.

Seus pulmões arderam, implorando por ar, mas o moreno não descansou. Ele a puxou pelo cabelo róseo e a fez endireitar a postura, apenas para continuar com uma sequência de socos, a atordoando.

A visão dela embaçou, sua mente zunia, mas mesmo assim conseguiu relembrar de momentos em que não soube se defender sozinha e teve que ser amparada pelos amigos e sensei. Fechou os olhos, decidida a nunca mais deixar tais ocasiões ocorrerem, principalmente agora que sabia se defender sozinha, assim, concentrou suas forças nos membros superiores e ergueu a mão esquerda de modo que interrompesse a trajetória do último soco de Sasuke.

Foi rápida. Em segundos ela tinha torcido seu pulso bom e se posicionou às costas dele, passou a perna direita por seu braço e jogou o corpo para trás, caindo ao chão e o levando junto por uma chave de braço.

Seu agarre era firme e forte, ele se debatia, mas ela não o largaria tão fácil, não com a força que colocava em seus membros.

— Desista!

— Não – ele grunhiu, antes de morder sua panturrilha.

Sasuke foi baixo e ela gritou pela dor afligida, mas ainda assim o manteve preso. Ela puxou ainda mais o braço dele, estava prestes a quebrá-lo daquele jeito e a única coisa que queria era que ele a reconhecesse.

No entanto, ele não o fez. O moreno era orgulhoso o suficiente para não reconhecer tal coisa, e Sakura viu que aquela era uma luta falida. Não adiantaria quebrar seu braço, seria ela mesma a consertá-lo depois, e ainda prejudicaria seu time como um todo. Então, soltou-o e se levantou rapidamente, escapando da bola de fogo expelida em sua direção.

— Droga, Sasuke! – exclamou — Era só desistir! Eu praticamente ganhei, shannaro! – argumentou, furiosa pela péssima característica dele.

— Ainda não, Sakura-chan – a voz mantinha-se rouca, mas ao mesmo tempo era doce.

Porém, o que mais lhe chamou atenção foi o sufixo imposto ali. Ele nunca a chamava assim, e por um momento se viu confusa; momento esse que Sasuke aproveitou e se aproximou com um chidori reluzindo no braço esquerdo. Por pouco ela não teria desviado dele, mas então seu erro foi não ter percebido que aquele era um clone e que o verdadeiro a esperava por trás.

Se virou a tempo de sentir o choque queimando sua pele. Seu grito reverberou pela planície, assim como o som dos mil pássaros do jutsu. O cheiro de carne queimada pairou no ar, os olhos lacrimejaram e as pernas perderam a força, a obrigando a se ajoelhar, rendida.

Sasuke, por sua vez, se afastou com um sorriso cruel. Observou a kunoichi deixar as lágrimas escorrerem pela bochecha vermelha, mordendo o lábio inferior enquanto provavelmente se segurava para não gritar consigo.

Ela manteve a mão segurando a blusa rasgada enquanto sentia a dor se alastrar cada vez mais. A cada segundo parecia ficar pior, e ela se perguntou se aquilo era efeito especial do jutsu ou se era apenas seu corpo reagindo a ele pela primeira vez. Respirou profundamente e olhou adiante, vendo o brilho azul sumir do braço esquerdo de Sasuke, enquanto o sorriso perfeito continuava emoldurando seus lábios.

— Você é sempre uma garota quando se trata de mim, Sakura. *

Ele sabia que seus sentimentos eram uma fraqueza. Ela jamais o machucaria para valer, mas a ardência em seu ombro demonstrava que no campo de treinamento, ele não se importava com isso, e pior: tirava vantagem de sua fraqueza, zombando de si.

A dor era pungente. Nunca tinha sido acertada pelo golpe antes, afinal, Sasuke nunca nem sequer tinha lutado dignamente consigo, mas agora que ele demonstrava seu interesse em fazê-la retroceder, e ela sentia raiva por isso.

Desde o momento que treinara com Tsunade aprendeu a deixar seus sentimentos de lado, aprendeu a lidar com eles no campo de batalha ou numa mesa de cirurgia. Ela não deixaria que eles fossem sua fraqueza novamente; muito menos deixaria que alguém zombasse de si por conta deles.

Seu amor era puro, sem ódio e cobranças, e Sasuke sabia disso. Aliás, se aproveitava disso em diversas situações. No entanto, Sakura jamais seria taxada como fraca novamente, jamais deixaria que ele – ou qualquer um – a rebaixasse por isso.

Muito menos por ser mulher.

— Há algo de errado em ser uma garota? * – sua voz soou baixa e séria, transparecendo a cólera inflada.

Seu corpo tremia pela indignação transformada em raiva e assim que ela canalizou chakra na região ferida, seu machucado foi cicatrizando aos poucos, e em segundos estava completamente curada. Observou o sorriso de Sasuke diminuir até a habitual linha reta em seus lábios tornar a aparecer, e sob seu olhar intenso, Sakura arrancou os farrapos da blusa vermelha, deixando o tronco nu à mostra, vendo o espanto se propagar pelo belo rosto à frente.

— Sakura...

Normalmente, ela teria muita vergonha por ele vê-la daquela forma, mas na atual circunstância, com o sentimento de revanche, não.

Ela o espancaria tanto que ele se sentiria obrigado a pedir desculpas.

— Você vai apanhar de uma mulher agora.

Sasuke ainda estava aturdido pela visão e por isso não se preparou para defender o soco potente que foi dado em sua bochecha esquerda. E antes mesmo que conseguisse raciocinar, outro soco veio, desta vez na bochecha direita. Depois um chute nas costelas, seguido por uma joelhada no diafragma.

Sakura passou a perna esquerda por trás da dele, e empurrou seu ombro para baixo, o fazendo cair para que se sentasse sobre ele e continuasse com os golpes. Socou seu rosto na lateral esquerda, depois na direita, depois na esquerda... e assim por diante, só parou quando o viu com os dois olhos roxos, o nariz quebrado e sangrento, além de um corte profundo no supercílio que sujava seu rosto inteiro de sangue.

— Nunca – ela disse num ofego exasperado — Nunca mais fale isso pra mim. Eu sou uma mulher, e eu venci você. Sozinha. Sem doujutsu. Sem Clã. Sem nada além do meu esforço e inteligência.

Sasuke resmungou algumas palavras, semi-consciente do que acontecia.

— E eu não vou te curar dessa vez – ela avisou, saindo de cima dele para caminhar até Naruto.

Tampou os seios com os braços com medo de que o colega de time acordasse antes da hora e a visse nua, e quando chegou até o Uzumaki, roubou sua jaqueta – já que a própria blusa estava rasgada – e a vestiu rapidamente. Acordou o loiro injetando chakra pelas têmporas e o observou se levantar num pulo, ofegante, com as mãos em punhos, pronto para continuar a batalha de minutas atrás.

— Naruto – chamou, ainda agachada no chão — Estou aqui.

Ele olhou para baixo e riu constrangido, coçando a nuca com uma das mãos.

— Você está com a minha jaqueta, ‘ttebayo!

— Eu sei. Leve Sasuke para a Vila. Ele vai precisar de um médico.

— O quê?! – ele se assustou, passando os olhos pelo local destruído e então viu o amigo jogado à alguns metros dali – O aconteceu com ele?

Sakura olhou para as próprias mãos sujas de sangue e então voltou os orbes verdes para o companheiro de time, com um mínimo e aliviado sorriso nos lábios.

— Uma mulher aconteceu. 


----------------------------------------------------X------------------------------------------------


N.F: * Frases oficiais do Surfaçage escritas nas fanarts.


Grupo FNS: https://www.facebook.com/groups/122359598449326/

GIF DAS FANARTS NA MINHA PAG: https://www.facebook.com/226158861201248/videos/368030810347385/ 


E ai? Muito ódio do Sasuke-kun? Haha! Aqui eles não são um casal, então sem hate ok? Sasuke é só mais um que foi criado numa sociedade machista, além de ser um ótimo shinobi que abusa das fraquezas dos outros. É isso. 


Espero que tenham gostado <3 

9 de Março de 2018 às 02:07 3 Denunciar Insira 5
Fim

Conheça o autor

Vany-chan 734 Fada do Fluffy e maluca dos angst. Luto pelo fim dos leitores fantasmas, por SasuSaku e por ShiIta, meus OTPs! "KakaSaku - Uma Chance para Nós" não será repostada aqui até ter sido devidamente betada, assim como "O Caminho que Trilhamos".

Comentar algo

Publique!
Sr.  Artie Sr. Artie
TÔ GRITANDO MUITOOOOO AAAAAAAAA EU AMO A SAKURA DEMAIS MDS DO CÉU PQ VC NÃO FEZ ISSO KISHIMOTO? EU TE ODEIO SEU MACHO ESCROTOOO Eu entrei no seu perfil para ler O Elo Perdido porque né preciso ler essa fic, mas vi essa e decidi ler. Tava lendo só pela empolgação da luta, mas não teve nada que me fez gritar. Até que a Sakura perguntou ao Sasuke se havia algo de errado em ser uma garota, viado eu berrei aqui no meu quarto scrr Tô muito apaixonado nessa fic e eu amo a sua escrita e lerei O Elo Perdido outro dia, eu juro. É isso Obrigado
9 de Março de 2018 às 19:14

  • Vany-chan 734 Vany-chan 734
    10 de Março de 2018 às 13:14
  • Vany-chan 734 Vany-chan 734
    Ai, esse aplicativo é louco, mandou a resposta sem ter nada UHASUSHAHAS MEU DEUS. AGORA DÁ PRA DAR ESPAÇO. MUAHAHA. Bom, eu juro que não estava esperando seu coment por aqui, HAHAAHA mas eu fico muito feliz que vc tenha gostado dessa one <3 Sobre, a luta: eu amo o UN e vou defendê-lo para sempre! Minhas kunais precisam voar e eu achei a ideia de abordar as habilidades ninjas, uma boa para valorizar ela (que meu deus! Só tem super soco, cura e inteligencia, nem um jutsuzinho criaram pqp!). Sobre a fala ter te feito gritar: eu te entendo, elas são do Surfaçage, mas eu até arrepio quando fico vendo as fanarts UHSAUASHA Agradeço pelo elogio à escrita, eu sempre fico meio besta quando falam isso, pq eu não acho ela tão boa UHSUAHSA Vai me entender. OBRIGADA DIGO EU, MONAMOUR! Coments são o paraíso pra mim, principalmente com tanto carinho e emoção hahahaha <3 Estarei te esperando em Elo algum dia! P.S: Kishimoto é um macho escroto mesmo. 10 de Março de 2018 às 19:32
~