Presente de Natal Seguir história

jujulindama Juju Marques

Naruto encontra na sua porta em meio ao frio habitual de dezembro um presente, um presente inusitado, seu melhor amigo. Sasuke estava muito diferente do que ele lembrava mas ainda assim era ele ali, choroso, com frio e chamando por si. História publicada originalmente por mim no SpiritFanfic Att:Jujulindam


Fanfiction Para maiores de 18 apenas.

#DramaPsicológico #cenas de sexo #Drama Psicológico #NaruSasu #Naruto/Sasuke #abuso #Naruto #yaoi
Conto
3
6865 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Presente de Natal

Naruto não entendia muito bem como ele tinha chegado naquele ponto da vida dele, ele deu até uma leve fungada enquanto a água espirrou para o lado de fora, Sasuke era muito fofo e ficava ainda mais fofo durante o banho, continuou lavando os fios negros como se o outro fosse alguma criança que necessitasse de cuidados especiais, ele ria desse pensamento, era assim de fato que ele o via uma criança, riu de leve esperando que o outro finalmente se levantasse da banheira, o que ocasionou em mais água no chão, Naruto riu ainda mais do bico emburrado de Sasuke ao perceber o riso do outro.

_Desculpa – ele conhecia aquele olhar baixo, tratou de se levantar e o encarar com um sorriso tão sorrateiro quanto, roubou-lhe um beijo e bagunçou os cabelos para logo apertar o nariz vermelho.

_OWN! Quem sair por último vai limpar tudoooooo? – Naruto adorava ver aquela cara surpresa enquanto o encarava, mal percebeu quando saiu correndo e molhando ainda mais o chão, acabou praticamente escorregando até a cama enquanto ouvia um sonoro _Bakaaaaaaaa isso não valeu.

Mais alguns risos até a voz de Naruto finalmente se fazer presente enquanto via Sasuke aparecer enrolado em uma toalha o encarando ruborizado. _Ok, bebe chorão eu te ajudo – Naruto fez um bico de forma debochada enquanto via Sasuke torcer os lábios e virar de lado, em parte Naruto sabia que era por que ele não gostava de ser chamado de “Bebe chorão” e a outra por conta de sua Nudez, não que nunca tivessem tido nada, mas era uma relação muito complexa.

_Senta aí na cama que eu vou vestir uma roupa e já te ajudo. – Naruto adquiriu um tom de seriedade e viu Sasuke concordando ainda calado. _Sasu o que aconteceu?

Mordeu o canto do lábio inferior e se jogou na cama ainda enrolado na toalha, encolheu suas pernas e Naruto riu da cena, a toalha havia subido consideravelmente, e não Naruto de fato não ligava para isso, ligava mais para o fato de Sasuke não responder sua pergunta e evitar encarar seus olhos, resolveu se vestir e ir secar o banheiro, quando voltou Sasuke ainda estava da mesma forma, um pouco mais choroso e amuado entre os lençóis e a toalha de banho.

_O que aconteceu? – Naruto se sentou ao lado dele, na altura do rosto, tirou a franja que caiam nos olhos negros e que ainda evitavam o olhar, viu quando ele piscou aturdido e quando ele se negou a falar, os olhos encheram d’agua e as mãos apertaram os lençóis. _Você não quer ir é isso?

Sasuke o encarou meio atônito e mais uma vez negou apressado, seu coração disparou e Naruto sabia que por mais que ele negasse ele realmente não queria sair de casa.

_Tá tudo bem, minha mãe vai entender se não formos hoje, fica calmo. – Piscou os olhos negros na direção dos olhos azuis, ele mal conseguia falar e não sabia o motivo para isso, o choro se intensificou enquanto seu corpo quase que de forma automática abraçou Naruto de forma a pedir proteção. _Calma, calma, vai passar... – e como sempre a voz de Naruto aos poucos o acalmava, Sasuke detestava as crises de pânico, ele ficava ainda mais vulnerável do que já era.

_Desculpa, me desculpa, por favor me desculpa, nós podemos ir, você pode ir, não tem problema – Naruto o apertou ainda mais diante as palavras enquanto acarinhava os fios negros ainda molhados, só agora percebia a toalha ali. _Não precisa se desculpar, eu não vou a nenhum lugar sem você, você precisa de uma roupa quentinha. – Naruto se afastou um pouco dele enquanto deu um leve selinho no nariz arrebitado. _Senta aí que vamos procurar uma roupa quentinha para você.

_Pode ser uma sua? – a voz saiu bem baixinha entre os engasgos e os soluços, Naruto acabou rindo enquanto abria sua parte do armário.

_Mas as cuecas são as suas ok? – acabou fazendo uma piada para descontrair

_Dobeeeeeeee – Sasuke franziu o cenho e virou o rosto com um pequeno bico de lado. _Eu não quero usar suas cuecas furadas ou com temas infantis.

_Ei!!! Elas são confortáveis – Naruto tentava segurar o riso enquanto Sasuke mantinha a pose de durão, viu quando os olhos atentos voltaram na sua direção e os pés descalços pousaram no chão, Sasuke caminhou devagarzinho até si, como se pisasse em ovos, parou de frente para Naruto e pousou as mãos no suéter vermelho e na calça cinza de moletom, realmente eram bem quentes, pegou uma cueca em sua gaveta, deu língua para Naruto e foi até o banheiro ainda emburrado para se vestir.

Quando Sasuke finalmente saiu do banheiro Naruto não estava mais lá, caminhou até a sala e o encontrou sentado no chão com o celular na mão.

_Minha mãe ficou preocupada com você – levantou a mão na direção de Sasuke e o trouxe para seu colo. _Ela disse que entende e que é para eu cuidar muito bem do “filhotinho” dela. – Naruto riu enquanto viu Sasuke assentir engolindo a seco, encostou seu queixo nos fios negros e trouxe aquela cabeça para repousar em seu peito, acabou sentindo os primeiros soluços e a força que eles tinham naquele pequeno corpo que se balançava a cada segundo. _Calma, não precisa chorar dessa forma, vão ter outras reuniões de família.

_Mas era a... – Sasuke se engasgou enquanto se aninhava mais a Naruto. _Era a Ceia, sua mãe deve tá brava comigo....

_Claro que não, minha mãe falou que quando você for ela vai fazer uma torta de tomate só para você. – Naruto riu de como Sasuke o encarou e parecia assimilar aquelas palavras, esticou as pernas e foi descendo o corpo de Sasuke até que ele finalmente estivesse deitado ali. _Feliz Natal Sasu – Naruto sorriu de leve enquanto acarinhava o corpo alheio, sorriu se lembrando de como tudo aquilo começou a se tornar isso.

_Você vai ter um bom “Feliz Natal” Sasuke – Naruto riu beijando o nariz arrebitado

3 anos antes...

24 de dezembro

A campainha tocou as seis da tarde, ele já estava atrasado para chegar na casa de sua mãe, correu ao mesmo tempo em que colocava o tênis, abriu a porta sem nem ver quem era, quase caiu para trás quando um corpo febril e um tanto quanto molhado caia em sua direção, por instinto segurou o corpo, xingou alguns palavrões, e lamentou que a blusa branca tivesse agora uma mancha de algo não identificado.

_Naruto – a voz baixa vinda do corpo frágil ainda em seus braços o fez acordar, arqueou uma das sobrancelhas enquanto sua mente trabalhava para tentar se lembrar de onde conhecia o estranho em seus braços, virou o corpo e ouviu um pequeno “ai” do corpo franzino de olhos apertados que insistentemente chamava por ti, forçou um pouco a vista e no momento em que os olhos negros finalmente se abriram ele soube quem era.

_Sasuke... – Ficou sem reação, e só quando ouviu os resmungos de dores ele conseguiu sair do lugar e caminhar até o sofá o colocou ali sentado, olhando para todos os cantos, perdido, buscou algumas coisas para fazer um curativo e se sentou ali perto dele, não fez nenhuma pergunta quanto a ausência de sapatos e os pés machucados, quanto as mãos cortadas ou os machucados estranhos porém quase curados no corpo menor que o seu, mas Naruto não poderia evitar todas as perguntas, não, algumas eram realmente necessárias.

_Ei carinha onde você estava todo esse tempo? – A mente de Naruto dava um nó muito grande, sempre que pensava em Sasuke, o rapaz havia se mudado com os pais quando tinha 13 anos, desde esse dia o que soube dele e de sua família era que eles haviam sofrido um acidente muito grave em que só restará Sasuke.

_Naruto... – Sasuke não conseguia responder, tudo que saia de seus lábios era o nome de Naruto. _Naruto – ele começou a fungar forte enquanto via tudo ficar escuro a sua volta, o corpo caiu novamente, Naruto o segurou o deitando no sofá, deu um antitérmico encarou o outro suspirando quase em conformismo de que não teria ceia com a família e que a mancha na blusa branca nova não iria sair, se levantou calmo e olhou em seu guarda roupa alguma peça que pudesse esquentar Sasuke acabou optando pela confortável calça de moletom preta e uma camisa do mesmo material branca.

Tirou toda aquela roupa molhada com calma, Sasuke não acordou, parecia estar dopado, algumas vezes seu sono agitava, o arrumou na sua cama embaixo de suas cobertas e ligou para sua mãe, não contou sobre a visita inesperada, só disse que um amigo precisava dele, ouviu alguns gritos e alguns sermões, e que para o bem dele ele deveria aparecer para o almoço do dia 25, Naruto desligou ainda rindo e acabou encontrando os olhos confusos o encarando, as mãos seguravam de forma apertada as cobertas e o corpo se encolheu, os olhos quase não se abriam, mas sabia-se que ele estava “quase” acordado.

_Oi? – Naruto falou baixo, mas não obteve resposta, tudo que viu foi uma sequencia de piscadas e logo depois os olhos se fecharam.

Na manhã do dia 25 Naruto acordou primeiro que si, fez o café da manhã e falou novamente com a mãe ao telefone, podia ouvir o pai falando para que ela o deixasse em paz um pouco, ele riu da discussão dos dois e mal percebeu quando os pés descalços de passos serenos atravessaram a cozinha e ficaram ali encarando o chão, quando desligou o telefone chegou a se assustar Sasuke parecia ainda mais uma criança naquelas roupas, Naruto não era tão mais alto assim que Sasuke, mas as roupas ficaram consideravelmente grandes por conta do corpo franzino.

_Naruto. – Apenas uma palavra e as mãos tremulas alcançaram sua camisa de uma banda qualquer para formar um abraço apertado. _Naruto

_Tá tudo bem Sasuke... – ele acarinhou os fios negros enquanto lentamente acompanhava ele levantando aquelas grandes perolas negras e o encarar.

_Mesmo cheiro... – ele apertou ainda mais Naruto enquanto o loiro ria acabando por o deixar encabulado. _Bakaaaaa

_Eiii você continua bem esquentadinho – Naruto continuo rindo enquanto se afastava um pouco dele para o encarar, olhos ainda estavam baixos e tinha certeza que os machucados nos pés deveriam estar doendo, pegou a mãos que praticamente estava envolvida pelo casaco e o puxou até a cadeira. _Acho melhor você comer, unh... – Sasuke assentiu e esperou que Naruto o servisse o que demorou a ser compreendido pelo outro, colocou um pouco de cada coisa para que Sasuke comesse e admirou a forma como ele devorava as coisas.

_Ei Sasuke..., eu vou almoçar com meus pais, você quer vir? – a resposta veio com um rápido e repetitivo ascendo de cabeça dizendo que não, ele não queria. _Você pode ficar aqui, eu não vou demorar e faço alguma coisa para você não ficar com fome, tudo bem? – Sasuke o abraçou apertado e Naruto obteve finalmente a certeza de que havia algo de errado com seu amigo.

De fato Naruto só obteve a magnitude de como Sasuke estava emocionalmente na semana seguinte, havia se passado uma semana, e Sasuke poucas vezes saia do quarto de Naruto, poucas vezes se desgrudava dele e poucas vezes falava outra coisa senão seu nome, não, Naruto não fez as tais perguntas difíceis que ele deveria ter feito, achou que seria dolorido demais, de fato seria, naquele dia 31, ele teria mais uma ceia para ir.

_Eu volto amanhã a noite... – Sasuke se agarrou em si enquanto chorava desesperadamente como se pedisse que ele não o abandonasse. _Você quer vir junto, pode vir.

_Por favor... – Sasuke soluçou desesperado, enquanto se agarrava a Naruto. _Por favor...

_Ei, do que você tá com medo?

_De tudo – as palavras foram ditas como se quem as falasse corresse, surpreenderam Naruto. _não me deixa sozinho...

_Vem comigo para casa dos meus pais então... – Naruto tentou o compreender, mas o problema realmente era muito maior Sasuke tinha medo de tudo.

_Eu tenho medo de sair...

_Você vai ficar comigo o tempo todo, você não se perder ou algo assim... – Naruto falou baixinho, como se tentasse convencer uma criança.

_Mas...., mas vai ter muita gente – Sasuke mordeu os lábios e votou a olhar para baixo. _Eu tenho medo.

_Só vai ter minha mãe, meu pai, vovó e vovô e nós dois – Naruto sorriu o vendo o encarar ainda amedrontado _Só

_Só?

_Sim, só nós seis.

_Mas eu não tenho roupa

_Eu te empresto – Naruto bagunçou os fios negros enquanto o encarava esperando pela resposta que não veio em forma de palavras e sim de aceno.

Naruto acabou percebendo naqueles poucos minutos que se arrumaram outras coisas sobre Sasuke, ele tinha dificuldades de se vestir sozinho e precisou de sua ajuda mais de uma vez, ele não sabia dar nó no sapato e sempre andava um passo atrás, e por não olhar pra frente e sim para baixo acabava tropeçando em si.

_Coloca o cinto – Naruto o entregava um travesseiro e um cobertor. _Pode dormir confortavelmente se quiser – reclinou o banco do carona de forma que ele pudesse praticamente deitar ali. _Agora pé na estrada.

A viagem foi bem tranquila, quando chegaram Sasuke não soltou sua mão ou soltou o travesseiro que praticamente escondia seu rosto, Kushina os esperava na porta, Naruto fez uma breve ligação sobre o amigo com alguns comportamentos peculiares, abraçou primeiro Naruto e depois tentou falar com o rapaz atrás de seu filho, a interação não deu muito certo, mas ela não desistiu, o pai de Naruto era bem mais tranquilo, Minato abraçou apertado o filho e se conformou em falar de longe com Sasuke, ele era psicólogo conseguia compreender quando uma pessoa não queria ficar com ninguém mas ao mesmo tempo não conseguia ficar sozinha.

_Quer sentar aqui? – Naruto puxou uma cadeira para Sasuke pacientemente esperou que ele se sentasse ao seu lado, seus avós haviam ligado avisando que chegariam mais tarde, o hospital estava uma bagunça segundo os mesmos. _Vem Sasu... – o segurou pela mão e o colocou sentado.

_Tem bichinhos... – Sasuke falou baixinho, Minato o encarou curioso e Naruto concordou.

_Não precisa comer os bichinhos... – Naruto bagunçou os cabelos dele quando o sorriso quase micro surgia nos lábios de Sasuke.

_Tem torta de Tomate Sasuke, Naruto falou que você gosta. – Kushina falou na outra ponta da mesa e ele o olhou surpreso como uma criança que ganhava o primeiro presente de Natal.

_Viu? Tem um monte de coisa que não tem bichinho. – Naruto sorriu de canto enquanto olhava o pai pelo canto dos olhos, ele sabia que estava sendo observado.

_Serve o menino Naruto? – Minato quebrou o clima enquanto pegava um prato de doces e colocava na mesa. _Ei Sasuke depois prove um doce, é gostoso. – ele viu quando os olhos medrosos encararam seu filho como se pedisse permissão, Naruto pegou alguns bombons sorrindo e os entregou ao amigo.

_Come Sasu, foi o meu pai que fez. – Sasuke encarou surpreso enquanto Naruto servia sua comida “sem bichinhos”, o entregou a colher e serviu a si próprio, quando a avó e o avô finalmente chegaram Sasuke já havia dormido no sofá da sala e Minato, Kushina e Naruto conversavam sobre o rapaz.

_Esse menino é o...? – Tsunade uma senhora de quase 60 anos encarou surpresa o menino deitado no sofá de sua sobrinha e seu genro, levou as mãos a boca enquanto puxava o marido para que confirmasse quem era o garoto.

_Sasuke – ele falou quase caindo, Jiraya se aproximou e encarou Naruto. _O que ele faz aqui?

_De onde vocês conhecem ele? – Naruto perguntou confuso, os pais esperaram a respostas ainda sentados em seus lugares e os avós suspiraram se sentando no outro sofá, Tsunade agarrou a mão de marido enquanto fechava os olhos para se lembrar do que aconteceu a alguns dias atrás.

_Sasuke, foi encontrado a alguns dias em péssimo estado na casa do tio, aparentemente ele vinha o mantendo em cativeiro desde que os pais morreram, em resumo a polícia o encontrou, nós soubemos do caso e como o nosso hospital era o mais próximo, nós oferecemos o tratamento grátis. A alguns dias enquanto eu cuidava dele ele viu uma foto sua Naruto, provavelmente vocês se conheciam antes, porque tudo que ele passou a falar depois desse dia era o seu nome, até que ele fugiu.

_Ele foi parar na minha casa, estava com os pés e o corpo machucado, por isso não vim semana passada.

_Ele provavelmente deveria se lembrar de onde era a sua casa, então ele foi para onde se sentia seguro. – Jiraya concluiu entre um suspiro

_Unhum...

A noite passou rápida Sasuke dormiu com Naruto no antigo quarto do loiro, na manhã seguinte ninguém comentou nada, mas Naruto sabia que teria que falar com Minato, o olhar do pai em si dizia muito, principalmente quando o mesmo entregou a Sasuke um pedaço de torta de amendoim e chocolate, parecia que estava analisando o mais novo e isso de fato irritou Kushina que o tirou de perto do seu novo “filhotinho”.

A tarde, depois da tradicional comilança do dia primeiro, Sasuke estava com todos os machucados sendo checados por Tsunade enquanto Kushina carinhosamente ficava ao seu lado, terminou agarrado a ela, pois ela também tinha cheiro de passado.

Passou-se longos seis meses, se estão achando que Naruto e Sasuke estavam juntos amorosamente, estão enganados, na verdade Naruto havia realmente aprendido a amar Sasuke, tinha compreendido bastante sobre ele para entender os medos e os motivos dele não falar do passado, dormiam na mesma cama, com Naruto acarinhando os fios negros e revoltados, Sasuke sempre se agarrava a ele em meio a algum pesadelo, acordava com os braços envolta de si, de forma protetora, os sorrisos nos lábios e os olhos fechados.

Sasuke não era namorado, amigo ou irmão, Sasuke tinha se tornado algo muito além de todos esses rótulos, amava beijar a pontinha do nariz arrebitado quando ele chorava, gostava de ver o bico de lado se forma quando o irritava de propósito, gostava até mesmo da forma manhosa como ele ficava quando estava com preguiça. Sasuke sempre tentava o agradar, e isso geralmente arrancava risos de Naruto, Sasuke era esforçado, fazia as coisas geralmente certo, mas era estabanado que só.

Confortou o corpo não tão franzino assim nos braços, ele realmente estava cansado pensou, Sasuke havia o esperado a noite inteira sentado no sofá, se bem o conhecia não havia desgrudado os olhos da porta, provavelmente ficou com fome até que ele chegasse, Naruto bufou porque essa era a parte que ele não gostava em Sasuke, se emburrou e não conseguiu evitar a bronca, resultando em lágrimas e soluços, mal percebeu quando ele o abraçou desesperadamente.

Sasuke era intenso, verdadeiramente intenso, sorriu quando viu que ele havia dormido, tinha que terminar o último capítulo do livro e enviar para a editora, fora que o roteiro dos episódios em que trabalhava ainda precisavam de um ajuste, a emissora começava a cobrar os prazos, ele sabia que desde que Sasuke voltou para sua vida as coisas estavam completamente bagunçadas, tinha noção disso, ele era roteirista e escritor, necessitava de prazos e metas e ele no momento estava sem nenhum dos dois, estava perdido.

No dia seguinte ele se enfiou no escritório, Sasuke estava sentado em uma poltrona no cantinho do lugar, estava com os olhos grudados em algum livro que Naruto não identificou, focou sua atenção nos roteiros inacabados, e os corrigiu, não viu a hora passar, não viu Sasuke sair, não o viu voltar com uma bandeja de bolo e chá.

_Sasuke eu não quero nada agora... – Naruto bufou estava irritado, havia escrito algo que não fazia sentido, Sasuke se encolheu e quando iria sair acabou tropeçando no fio que ligava o computador, tudo se desligou, Naruto o olhou em fúria, o bolo, a xícara, o chá e Sasuke estavam no chão e tudo que ele conseguia enxergar era seu trabalho de horas acabado, não conseguia se lembrar de ter salvo, ele raramente salvava, isso era castigo pensou, ligou tudo e ignorou o choro de Sasuke, xingou algum palavrão enquanto esperava o computador iniciar.

Quando o editor de texto foi aberto quase teve um treco, havia sido salvo, não tudo, mas boa parte, Sasuke continuou ali, amuado, triste e sujo de chá e bolo, Naruto continuou o trabalho e só parou quando sua barriga tremeu, seus olhos foram para o chão e encontraram Sasuke, acabou se lembrando de quando Sasuke acidentalmente desligou o computador e ele brigou com si, o abraçou forte se arrependendo enquanto o colocava sentado na poltrona, ainda estava dormindo, foi na cozinha e encontrou o bolo de chocolate feito de forma tão carinhosa por Sasuke se bateu internamente.

Sasuke mal falou com si depois daquele dia, mal saiu do quarto, seu pai falou que ele estava chateado, ele entendia, mas um dia em meio a todo o caos que era a revisão do último capítulo do livro e a felicidade de entregar todos os roteiros da série ele encontrou Sasuke, encontrou Sasuke choroso no chão, ele estava nu, ajoelhado, Naruto se engasgou, não por Sasuke está nu, até porque ele muitas vezes deu banho em Sasuke, mas pela posição completamente submissa, se sentou ali de frente a ele e esperou que Sasuke falasse algo.

_O que aconteceu? – Naruto suspirou fundo vendo o corpo se encolher só ao ouvir o som da sua voz, torceu os lábios. _Vem aqui... – o chamou e foi prontamente atendido, não entendeu o que estava acontecendo, Sasuke estava nu ali a sua frente, e estava tremulo também, o abraçou enquanto o corpo se encolhia nos seus braços.

_Você vai me abandonar?? – a pergunta fez o coração de Naruto travar, nem por um minuto ele pensou em algo parecido, estranhou tal pergunta e o encarou ainda de lado.

_De onde você tirou isso?

_Brigou comigo... Sasuke não serve mais... – logo os soluços vieram, enquanto ele se amuava ainda mais no colo de Naruto.

_O QUE??? – Naruto acabou se assustando com aquelas palavras. _Eu só estava estressado com o trabalho, me desculpa Sasuke, por favor me desculpa.

_Unh..., não quer que eu vá embora, nem quer machucar o Sasuke? – “Machucar o Sasuke”, Naruto bem sabia o que aquilo significava, Sasuke havia sido abusado, Tsunade fez questão de deixar isso muito claro quando ele falou que se responsabilizaria por Sasuke _Eu posso ser um cachorrinho bonzinho

_Sasuke não precisa ser nada disso, você é meu amigo e isso basta – Ele viu o outro negando, sabia o quão difícil seria tirar aquela ideia da cabeça alheia, imaginava o quão difícil teria sido a vida daquela criança, que aprendeu que nada vem de graça, talvez por isso ele tentasse tanto o agradar.

_Sasu é bonzinho... – ele fechou os olhos e Naruto ficou com raiva, com muita raiva das pessoas que fizeram aquilo a Sasuke, dos desconhecidos que podiam ver algum prazer naquele tipo de cena e de si próprio por não conseguir compreender Sasuke

_Sasuke, você não é um cãozinho...

E foi nesse momento em que as fichas de Naruto caíram, o comportamento condicionado de Sasuke indicavam que ele era sim o cãozinho, mordeu os lábios quando o choro alto surgiu e ele começou a implorar, aquilo era angustiante.

_Você já viu um cãozinho né? – Sasuke assentiu ainda choroso quase que se desesperando. _Você não se parece com ele, você é mais fofinho, não tem orelhinhas, nem patinhas, você é um ser humano.

_Não, não é.... – ele falou baixinho olhando para as mãos. _Eles falaram que era cãozinho imundo.

_Você acredita em mim não é? Então você é um ser humano lindo, eles eram monstros, você não é um cãozinho, muito menos imundo.

Sasuke fungou forte entre todos os medos o que mais o assombrava era ficar sozinho novamente. _Por favor deixar Sasuke tentar...

_E o que você quer que eu faça? O que um dono precisa fazer para um cãozinho que eu já não faça por você? – Naruto fungou forte, ele também estava chorando, e estava com uma dor de cabeça alucinante.

_não sabe...

_Como você não sabe? O que você quer que eu faça? – outra vez o silencio, Naruto perguntou novamente _O que quer que eu faça?

_Cuida do Sasuke para sempre... – Naruto piscou aturdido sem entender, era aquilo que ele estava fazendo esse tempo todo, sorriu fraco compreendendo e assentiu selando tudo com um beijo na testa dele.

_Eu vou sempre cuidar de você, mas você não é um cãozinho.

_Vai?

_É claro que sim, Sasuke? – ele o chamou de leve e esperou ser encarado para enfim falar _O que eles faziam quando você estava lá?

Ele viu o rapaz morder os lábios e fechar os olhos com força ele negou umas três vezes com a cabeça como se para afastar as más lembranças. _Não precisa falar, mas porque você quer tanto que eu te trate assim?

_Num quer, Mas Sasuke é cãozinho...

_Se eles te machucavam por qual motivo você quer que eu trate assim?

_Só quer que Naru cuide dele...

Naruto pensou por alguns instantes, sabia que se arrependeria do que iria fazer mas ele precisava tentar...

_Podemos tentar durante uma semana tudo bem? Apenas uma semana, só isso, depois você volta ser o menininho Sasuke.

_Anham...

_O que você precisa pra se sentir um cachorrinho?

Sasuke ficou vermelho e mordeu os lábios tomando coragem para enfim falar. _coleira, rabinho, orelhinha...

_Rabo? Onde você vai colocar esse rabo?

Sasuke ficou vermelho e apontou pra baixo. _Lá....

_Não machuca? – Naruto perguntou com cada palavra arranhando sua garganta.

_Machuca..., mas Sasuke é um bom cachorrinho - Naruto engoliu a seco. _Naruto, Sasu pode vestir uma roupa?

_Claro que sim, vou pegar algo quentinho pra você. – Naruto acabou pegando uma blusa um tanto quanto grande e uma calça bem larga, estava atordoado, não prestou atenção em cores ou matéria, apenas vestiu em Sasuke e o deitou na cama, ele tinha que dar um jeito de fazer Sasuke entender que ele era um ser humano e não um animal, o cobriu com calma e passou o resto daquele dia lendo sobre esse tipo de comportamento traumático, misturado a compulsão e ao obsessão que se utiliza de determinados traumas para se auto mutilar, Sasuke estava se punindo, e ele precisava da ajuda de seu pai.

No dia seguinte Minato estava ali ao lado de Naruto encarando Sasuke sentado no sofá, Minato ficaria ali, conversando e analisando Sasuke enquanto Naruto comprava as tais coisas, era meio óbvio que Minato discordaria daquela ideia idiota, mas conhecia bem seu filho, pra saber o quão idiota ele realmente era, preferiu ficar ali com Sasuke tentando estabelecer uma conversa com aquele rapaz confuso, como ele vinha tentando durante meses.

Quando Naruto enfim chegou Sasuke estava no colo de seu contando alguma história confusa que ele mal conseguia entender, a coberta estava quase até seu pescoço e os braços agarrados a um travesseiro, Naruto riu da figura e Sasuke quase caiu.

_Que bom que chegou filho... – Minato sorriu enquanto via Sasuke se sentar e encarar Naruto. _Falei que ele não iria demorar – Minato riu enquanto bagunçava os fios negros e se levantava. _Eu já vou tudo bem?

_Já?? – Sasuke perguntou amuado

_Ué, Já. – Minato riu _Fizemos um monte de coisas, agora você tem que descansar.

Caminhou até o filho e fez sinal para Naruto.

_Você sabe o que eu penso disso né? Me chamar quando ele entra em crise não irá o ajudar, ele tem que ter um acompanhamento contínuo – Minato suspirou

_Eu sei pai, mas ele não gosta, não quer, eu não entendo. Talvez você esteja certo e tudo que ele precise é de um tratamento... Quem sabe depois dessa semana louca que tivermos ele aceita o tratamento ou quem sabe passar uns dias com você e a mamãe, tudo que eu mais quero é que ele se sinta bem.

O pai foi embora e Sasuke teimava em olhar para si com aqueles olhos ansiosos, se sentou no chão de frente para ele e mordeu os lábios.

_Sasu você quer realmente isso? – ele viu o outro assentindo. _Pode desistir quando quiser tudo bem? – Naruto sabia que ele não desistiria, ele entraria no personagem, ele reviveria os momentos, sentiria uma dor imensurável, seu pai já o havia advertido sobre isso, a única coisa que aquela semana acarretaria era em Naruto conhecendo um pouco mais do passado de Sasuke .

_Vamos pro quarto então... – Eles seguiram para o quarto e Naruto parecia carregar uma tonelada dentro daquele saco, Sasuke tomou banho e Naruto o esperou sentado na cama, saiu enrolado na toalha florida, esse era um dos fatos que ele sabia, Sasuke tinha vergonha do corpo, tinha medo das pessoas o tocarem e não gostava de estar nu, talvez com Naruto fosse um pouco diferente, já que ele não o olhava nem tocava com malícia, mais ainda assim existia vergonha.

_Posso tirar a toalha? – Naruto perguntou calmamente e o outro assentia _Calma, vamos secar esses cabelos antes de qualquer coisa. – Naruto estava obviamente enrolando. _Me dê sua mão aqui – Sasuke a deu, estava tremulo, com medo e fechou os olhos com medo de alguma dor, aquilo tudo era muito insano para Naruto se ele sabia que doeria porque fazia? Colocou uma luva protetora que ao mesmo tempo que impedia o movimento da mão a protegia do atrito com o chão _Assim você não se machuca. – pegou a outra mão e a vestiu na outra luva.

Com uma calma admirável colocou um protetor do mesmo material nos joelhos, penteou os fios negros e os bagunçou, colocou um arco negro com orelhas e as misturou ali, pegou o rabo também negro e mais uma estrutura de plástico, colocou o que parecia ser um cinto em Sasuke e depois puxou uma tira dali, onde possuía um buraco, a parte difícil estava por vir, pegou um tubo e passou um gel na mão, ele tinha noção do quanto aquilo machucaria, fez carinho, pediu desculpa, e enfiou o primeiro dedo, doeu nele, doeu ainda mais quando forçou o terceiro e se viu obrigado a movimenta-los dentro de Sasuke em meio a ambas as lágrimas.

_Eu posso continuar? – perguntou já sabendo a resposta

_Unhum...

Naruto praticamente emplastou o plug anal na forma de calda de lubrificante, tentou fazer de forma que não doesse, mas era inútil, colocou ali dentro encaixou a tira que sobrou no plug para que não saísse e passou por entre as suas pernas até chegar no membro flácido de Sasuke, a correia foi encaixada em uma estrutura que lembrava uma cueca de ferro, só que na forma de plástico um pouco mais confortável.

_Vai me dizer quando estiver querendo ir no banheiro?

_Unhum...

A mão tremeu quando alcançou a coleira a pegou e colocou, encaixou a corrente e a amarrou no pé da cama, estava perdido, ele não sabia se tratava bem Sasuke ou não, ele estava morrendo de medo, pegou os potes que comprou e os colocou do lado, pegou água e comida e os encheu.

_`Não tem animalzinho, pode comer tranquilo... – Sorriu ao o ver concordar e comer a comida arrumou um montinho de cobertas ali perto para que ele não sentisse frio.

_Que tal você mimi um pocadinho, unh?

_Unhum...

Aquela rotina era sem dúvida dez vezes pior do que a de quando Sasuke estava normal, sem ser um bichinho, agora Naruto tinha uma rotina estressante preocupando-se se ele estava bem, se estava comendo, bebendo, com vontade de ir no banheiro ou assado, aquilo era frustrante, mas ele preferia mil vezes o menino estabanado que corria atrás de si tropeçando nos próprios pés do que o bichinho apático e dependente de si.

No terceiro dia em que aquela rotina maluca surgiu ele teve que sair, deixou Sasuke sem a corrente, não conseguiu tirar a coleira, deixou uma muda de roupa e o telefone dos pais caso acontecesse alguma coisa e ele precisasse de ajuda, arrumou uns lanches, esperou eles fazer suas necessidades e saiu.

Quando voltou Sasuke estava no mesmo lugar, não havia comido nada, estava com febre e com sede. O banho gelado mais parecia um castigo a ambos, o corpo tremulo, os olhos sonolentos, Naruto desabou ali agarrado a si, quando Sasuke finalmente despertou Naruto gritou, gritou tanto que o abraçou como quem abraça um viajante milenar.

_Não conseguia levantar, desculpa

_NÃO TEM DESCULPA, QUASE SE MATOU, ARGH – ele estava realmente nervoso _Amanhã vai ser o último dia dessa palhaçada, você quer ser um cãozinho, que seja, amanhã vai ser o primeiro e o último dia dessa sua ideia de merda

Sasuke engoliu o choro, mas os soluços ainda surgiram esperou o abraço de Naruto a noite quase inteira e isso não aconteceu, quando acordou chorou alto porque Naruto não estava ao seu lado, logo os olhos azuis surgiam, como no primeiro dia o loiro vestiu cada parte daquela estúpida fantasia de cachorro, com a diferença que agora ele vestia uma camisa de mangas longas e quente, era o mesmo cuidado, a mesma calma, mas Sasuke tinha medo, estava com medo principalmente quando Naruto o arrastou para fora de casa, o quintal.

O quintal era vazio, não tinha casas em volta, nem nada disso, as paredes grandes impediam qualquer um de ver qualquer coisa, Naruto jogou uma bolinha _PEGA! – Acabou assustando Sasuke. _Você queria isso, vamos lá PEGA!!!

Sasuke correu e pegou, foi uma sequência exaustiva, perdeu as contas de quantas vezes foi e voltou. Logo depois Naruto o amarrou em uma coluna na parede e foi fazer seus afazeres, o deixou ali, um bom tempo, choroso, sozinho, com fome, sim com muita fome, Naruto apareceu e jogou um pedaço de pão duro no chão e sumiu novamente, comeu, chorou e dormiu um choro soluçante, acordou horas depois, estava limpo, na cama de Naruto com uma roupa um tanto colorida, olhou as mãos e não tinha mais a luva, passou nos cabelos e não encontrou o arco, sorriu de leve, principalmente quando percebeu não sentir o maldito plug.

_Já acordou! – Naruto sorriu ao sentar-se na cama e ter-se abraçado por Sasuke. _Não vai querer ser mais bichinho né? – ele riu de leve o vendo negar. _Tudo bem, vou trazer sua comida quentinha.

Sasuke comeu a sopa em silencio, um silencio alto que se misturava a respiração de Naruto.

_Naruto gosta de Sasuke mesmo Sasuke não sendo bichinho? – ele perguntou baixinho, colocando a colher divagar no prato, com os olhos baixos.

_Eu gosto de você porque você é o Sasuke, eu sempre vou cuidar de você, me desculpa se eu te machuquei, se eu gritei com você, se eu te fiz sofrer, se eu tive uns dias estressado...

_Sasuke entente... Naruto pode abraçar?

Naruto riu um pouco e colocou o prato de lado enquanto abraçava Sasuke de forma protetora, eles passaram a noite assim agarrados.

Os meses que se seguiram foram tranquilos, Sasuke passou a entender quem ele era, e que ele era uma pessoa, um sujeito, aos poucos suas frases deixaram de ter a terceira pessoa e passaram a incorporar a primeira pessoa, Minato e Kushina passaram a visita-los regulamente, Minato para a terapia, Kushina por ter se apegado.

Naruto não era uma pessoa que se atraísse por sexo como puderam perceber, na verdade, o sexo era apenas uma consequência, ele se sentia atraído por ambos os sexos, e tinha certeza sobre amar Sasuke, fora algumas ereções matinais corriqueiras a ideia de fazer algo com Sasuke não passava por sua cabeça. Sasuke dormia como sempre quase por cima de si, agarrado, ele dava banho nele, cuidava dele quando se machucava ou estava triste, Naruto estava em um relacionamento sério e tinha jurado amor eterno sabia disso.

Certa vez no meio desses meses Sasuke acordou chorando, tremulo, estava se machucando, chorou tanto em seus braços que quando acordou afogou-se nos seus lábios, Sasuke tinha o beijado ele demorou muito para corresponder, mas correspondeu, eles passaram a se comunicar assim com beijos curtos, longos e intensos.

_Naruto porque você faz aquilo comigo? – a pergunta pegou Naruto de surpresa, tinha quase dois anos que eles conviviam.

_Qual o motivo da pergunta?

_Seu pai me explicou que aquilo é feito por namorados – ele ficou vermelho explicando confuso _ele falou que namorados se amam e se beijam. – encarou Naruto ainda mais vermelho _nós somos namorados?

Naruto riu um pouco e beijou o nariz de Sasuke o puxando para si. _Nós somos mais que namorados Sasu, mas só vamos fazer aquilo quando estivermos prontos, os dois.

Sasuke o encarou triste _E se eu nunca estiver pronto?

_Nós não precisamos fazer isso para nos amar – Naruto riu. _Você vai saber se um dia estiver pronto, se nunca acontecer isso não nos impedirá de sermos felizes.

Naquela noite ambos dormiram agarrados e sorrindo.

Sasuke realmente soube quando estava pronto, uma vez enquanto estava muito feliz, ele beijou Naruto com um pouco mais de intensidade, suas mãos tremulas foram por dentro da blusa dele e deslizaram por cada canto, levantou um pouco e beijou ali, beijos cálidos, úmidos e um tanto quanto quentes, Naruto deixou o comandar, mas pela primeira vez sentiu-se quente e mais quente ainda quando Sasuke calmamente abaixou sua calça de dormir, ele riu da forma como o outro encarava sua cueca de bichinhos e deu mais um beijinho no nariz dele que se sentou de forma cansada na cama e colocou as mãos de Naruto na sua blusa.

_Você tem certeza?

_Unhum – Naruto tirou calmamente aquela blusa, o deitou sem presa enquanto arriava a calça, deixou que dali em diante Sasuke desse as ordens e foi o que ele fez, deu um pequeno sorriso sorrateiro enquanto tracejava a virilha de Naruto, retirou a cueca com calma e fechou os olhos afastando os pensamentos ruins, beijou, e praticamente engoliu de forma calma o pênis de Naruto, iniciou um movimento de vai e vem suave que foi se intensificando, Naruto arqueou o corpo e tentou o afastar quando sentiu que estava quase no ápice, mas Sasuke continuou ali, engoliu o líquido e sorriu, foi a vez de Naruto sorrir e lhe beijar, o deitou com o mesmo carinho de sempre e graciosamente tracejou com as mãos o corpo de Sasuke fez algumas pequenas cócegas, se divertiu o vendo rir, beijou cada cicatriz e caminhou até o pênis, ele fez os mesmos movimentos e assim como Sasuke engoliu o líquido viscoso.

_O que você quer fazer? – Naruto perguntou ao pé do seu ouvido enquanto o envolvia em mais alguns beijos.

_Posso tentar? – Naruto sorriu não tinha como dizer não, o viu se posicionando de cada lado do seu corpo, e lhe encarando com certa dúvida, pegou a mão de Sasuke e sugou de forma tentadora os dedos.

_Devagar Sasu – Naruto mordeu os lábios, Sasuke enfiou aos poucos, podia sentir a tremedeira do corpo alheio _Faz o movimento de tesoura – Naruto estava envergonhado demais, aquilo era muito constrangedor. _Pronto agora tira e enfia o seu pênis aqui dentro. – Naruto riu da cara confusa de Sasuke era quase como se ele fosse quebrar, na verdade Naruto estava bem dolorido e tentava ao máximo não transparecer aquilo, aos poucos Sasuke foi adentrando seu pênis no corpo de Naruto e quando finalmente movimentou começou a chorar desesperado, viu umas lágrimas no canto do olho de Naruto e se lembrou de si mesmo.

_Calma, calma... – Ele saiu de si e se agarrou a Naruto como um pequeno coala, passou-se dias até finalmente Sasuke agir tranquilamente com Naruto, em meio aos beijos Sasuke pediu que Naruto fizesse amor com ele, ele tinha aprendido o que eles tinham feito mesmo que de forma desastrosa.

Naruto foi paciente, amoroso, e acolhedor, Sasuke se sentiu amado e um pouco dolorido, no fim eles dormiram ainda mais agarrados e a manhã fria foi recompensada com um belo café da manhã. Naruto havia sido um bom professor, vez ou outra eles faziam amor, trocavam as posições, era sempre Sasuke que decidia, outras muitas vezes eles se amavam de outra forma, com outros gestos de outras maneiras, nada realmente havia mudado.

Aquele era o 3 Natal deles juntos, depois de tanto tempo Naruto ainda estranhava o ver sentado sorrateiramente durante horas apenas com uma caneca de chocolate quente o vendo escrever, seu trabalho realmente tinha prosperado, ele havia criado uma rotina e Sasuke mais do que fazer parte dela ajudava-o a manter aquela rotina, um cuidava do outro, cada um tinha suas especialidades, Sasuke era bom com comida, com horários principalmente com os de Naruto, e amava fotografia, Naruto era bom em cuidar do Sasuke e não deixa-lo se machucar enquanto se aventurava na cozinha ou em alguma coisa perigosa, ele também passou a ser bom em descrever as fotografias de Sasuke.

_Mas era a... – Sasuke se engasgou enquanto se aninhava mais a Naruto. _Era a Ceia, sua mãe deve tá brava comigo....

_Claro que não, minha mãe falou que quando você for ela vai fazer uma torta de tomate só para você. – Naruto riu de como Sasuke o encarou e parecia assimilar aquelas palavras, esticou as pernas e foi descendo o corpo de Sasuke até que ele finalmente estivesse deitado ali.

_Você vai ter um bom “Feliz Natal” Sasuke – Naruto riu beijando o nariz arrebitado

Aninhou aquele corpo no seu e o deitou no sofá, ele ainda tinha suas crises, não gostava de sair, as vezes sentia um medo irracional de lugares fechados e pessoas estranhas, por vezes não conseguia nem sair do quarto, mas outras vezes ele era feliz, tinha o sorriso largo e vivia seguindo Naruto, correndo para seus braços, querendo fugir para a casa dos pais, dos pais de Naruto que o adotaram. Talvez por esse fato Naruto entendesse o que mãe o falou no telefone, eles estavam vindo.

Arrumou a mesa e cobriu Sasuke no sofá, seus pais chegaram sem fazer barulho, seus avós logo depois, Naruto acordou Sasuke delicadamente, com todo cuidado, os olhos não acreditaram quando viram tudo aquilo, estavam ali suas 5 pessoas preferidas no mundo inteiro, ele abraçou Naruto tão forte que arrancou-lhe o ar, riu de leve quando Kushina e Minato o abraçaram e quando Jiraya o pegou desajeitadamente no colo dizendo que “mesmo para um velho esse menino continua muito leve” Naruto riu e Tsunade se irritou com o marido, Sasuke estava feliz, todos estavam felizes.

3 de Março de 2018 às 23:32 0 Denunciar Insira 2
Fim

Conheça o autor

Juju Marques AH... vocês me conhecem do Spirit Fanfic

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~