Wakaremichi Seguir história

deadpuppet Dead Puppet

"Estou esperando por você meu amor" "Adeus, até algum dia, viva bem Nunca nunca esquecerei Adeus, com certeza irei vê-la novamente, não é? É uma promessa!"


Fanfiction Para maiores de 18 apenas.

#The Gazette
Conto
2
6.8mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único

Tínhamos acabado de sair de um show, já estávamos em um hotel. Não era um hotel de luxo era um 3 estrelas mesmo, até por que nós não estávamos em condições de nos hospedar -mos em um mais “luxuoso” que este. Mas ele também não era ruim.

Meu nome é Shiroyama Yuu. Sou guitarrista de uma banda de rock e namoro um dos integrantes que também é guitarrista. Sou o homem mais feliz do mundo. Desde quando conheci Takashima Kouyou o amor da minha vida.

Assim que saímos do show e chegamos ao hotel Kai estava assinando alguns papéis na recepção e disse que poderíamos ir para os nossos quartos.

Kou e eu ficamos no mesmo quarto por motivos óbvios enquanto Takanori e Akira dividiam outro. Eles diziam que entre eles não rolava nada, mas eu sempre tive minhas dúvidas .

Ao contrário do que acontecia entre Kou e eu que nunca escondemos nada de ninguém desde quando ele me beijou em um show durante uma música por que segundo ele naquele momento eu “parecia fofo” e na frente de todos os fãs ele simplesmente me beijou.

Desde aquele dia eu nunca mais tive olhos para ninguém mais além de Kou. Não demorou muito e começamos a namorar. E hoje eu o pedirei em casamento, estou nervoso por que Kou é muito impulsivo e muito extremo, uma pessoa bem difícil de se prever.

-O que está fazendo parado aí na porta?

-Estou admirando você.

-Não me olhe demais, eu tenho namorado sabia?

-Ah é? E como esse louco deixa você se apresentar assim com esses shorts curtos e essa roupa decotada e essa maquiagem incrível? Ele não fica com ciúmes não?

-Ele não tem por que sentir ciúmes, ele sabe que eu o amo muito.

-Eu também te amo Kou.

Me aproximei dele e o beijei e enquanto nos beijamos íamos em direção a uma das camas que havia naquele quarto, que a gente já sabia que não seria uma cama confortável, mas já tínhamos dormido em lugares piores, como dentro do caminhão onde iam os instrumentos por não ter dinheiro suficiente pra pagar um lugar pra sequer dormir.

Quando deitei Kou naquela cama vi que ele já estava ficando excitado e eu mal tinha começado.

-Yuu eu quero.

-Acabamos de chegar amor, vem vamos tomar um banho primeiro.

-Não Yuu, eu quero agora. Quero sentir seu gosto assim.

-Amor, não faz isso. Vamos tomar um banho você está cansado.

Ele cruzou os braços e ficou emburrado eu achei tão fofo aquela expressão dele que não resisti e dei uma mordida de leve na boca dele.

-Tudo bem, você venceu eu não resisto a essa sua carinha.

Ele sorriu enquanto abria os braços e envolvia meu pescoço com eles. “O que eu não faço para ver esse sorriso?”

Ele beijou meu pescoço e vez ou outra sentia sua língua passar por aquela região me causando alguns arrepios e pensamentos nada puros sobre o que eu faria com ele ali.

Kou não era do tipo “exigente” em se tratando disso. Desde que ele quisesse ele não se importava onde seria. Podia ser inclusive dentro de um carro em um estacionamento ou em um beco escuro. Mas felizmente estávamos em um quarto de hotel em cima de uma cama. Podia não ser confortável, mas era o que tinha ali.

Kou deixou meu pescoço e tirou minha blusa e quando a tirou totalmente me olhou passando a língua nos lábios e me encarando.

-O que foi? Até parece que nunca viu.

-Nunca me canso de ver. Sempre parece ser como a primeira vez que eu vi.

-Ah Kou...

Ele voltou a beijar meu pescoço, mas dessa vez ele foi descendo pelo meu corpo enquanto passava as mãos macias pelo meu peito.

-Yuu como eu te amo.

-Não mais do que eu amo você Kou.

Deitei ele naquela cama e tirei toda a roupa dele, assim que terminei segurei as duas mãos dele acima da cabeça com uma das minhas, mas sem forçar e com a outra eu alisava aquela obra de arte que eu tinha ali ao meu alcance .

-Esse quarto, essa cama. Nada aqui é digno de você meu amor, eu sou o homem mais feliz do mundo por ter você na minha vida sabia?

E nesse momento eu me levantei, fui até a minha mala e peguei um pequeno embrulho e o levei até ele.

Me ajoelhei na frente dele e enquanto o abria vi que ele me encarava assustado.

-O que é isso Yuu?

Assim que tirei a caixinha de um veludo azul escuro peguei uma das mãos dele e o olhei nos olhos enquanto dizia.

-Desde que saí de Mie eu nunca pensei que fosse ser feliz com alguém. Até o momento que você me beijou durante aquela música. Se essa história de “Akai Ito” for verdade mesmo eu estou conectado a você amor. E quero saber de você.

Nesse momento eu respirei fundo tentando criar coragem por que eu estava bastante nervoso ali e depois de alguns segundos eu voltei a falar

-Takashima Kouyou, você pode me dar à honra de ser casar comigo?

Eu não esperava aquela reação dele. Kou pulou no meu pescoço em prantos enquanto gritava

-SIIIIIIIMMMM. Seu bobo é claro que sim. Ah Yuu é o que eu mais quero.

-Obrigado amor, eu estava preocupado. Pensei que você fosse achar isso brega sei lá?

-Ah Yuu, mas foi mesmo, foi muito brega, mas quem se importa? Eu amei. Eu amo você Yuu, eu diria sim não importa a forma que você fosse pedir, seja brega ou não.

Cocei a cabeça envergonhado e sorri de lado pra ele.

-Você vai ficar aí de joelhos até quando?

Ele disse sorrindo e esticou a mão esquerda para mim

-Anda logo meu braço está doendo já.

Coloquei a aliança em seu dedo e beijei como se fosse para selar definitivamente nosso compromisso ali e ele passou a olhar a aliança com bastante interesse.

-Deve ter sido caro.

Ele constatou depois de analisar clinicamente aquele objeto em seu dedo.

-Foi um pouquinho. Mas eu queria te dar algo que estivesse no seu nível meu amor, me perdoe, mas só consegui isso.

-Yuu, você podia ter me dado até esses anéis de plástico eu não me importaria. Eu só me importo com seus sentimentos. Isso pra mim é o que tem mais valor.

Ele me beijou e eu me levantei da posição que estava indo me posicionar sobre ele naquela cama. Ele se deitou entre minhas pernas e eu comecei a passar as mãos pelo corpo dele novamente. Kou era lindo, não importa como o vissem ele sempre foi lindo e sempre será.

Comecei a beijar seu pescoço e morder levemente enquanto ele gemia meu nome

-Ah Yuu...

Passei a atacar agora os mamilos dele enquanto ia apertando com força aquelas coxas que me enlouqueciam desde quando o conheci.

-Kou...Eu te amo.

-Ahhhh...

Senti Kou ficando excitado à medida que ia mordendo e lambendo aquela área sensível dele e apertando as coxas ao mesmo tempo e quando chegou em um ponto que eu pensei que já era tortura o bastante para nós dois eu me abaixei entre as pernas dele e passei a língua por todo o membro de Kou. Ele arqueou as costas e gemeu alto e com isso comecei a chupá -lo com vontade enquanto ele dizia meu nome e algumas coisas sem sentido.

-Yuu...ma-mais...Por favor...

Coloquei meu dedo na boca sem parar de chupá-lo e quando vi que estava bem úmido o coloquei dentro dele e Kou gemeu ainda mais alto

-YUUUU...

Ouvir Kou dizer meu nome enquanto fazia aquelas expressões e gemia daquele jeito era a melhor visão do mundo pra mim. Algumas vezes em casa eu gozava só com isso, mas eu queria ver ele pedir mais...implorar se fosse o caso.

E foi o que ele fez

-Yuu...amorzinho...Por favor...Me fode...

-Por que eu faria isso amor?

-Eu não aguento mais... Eu preciso... Agora...

E eu tirei o restante das roupas que faltava e o penetrei. Não foi preciso muita força, pois ele já estava pronto e Kou não gosta que eu seja muito “gentil” demais e nem “bruto” demais.

E naquele movimento de vai e vem ele apertava e me arranhava e nossas respirações foram ficando cada vez mais pesadas até o momento em que o ouvi dizer

-Isso... Aí... ahh... Yuu

-É aqui não é?

-Uhum...

Ele gemeu enquanto mordida os lábios com força e eu atingi aquela região algumas vezes até que chegamos juntos no clímax e eu cai sobre ele o abraçando e exausto.

Ele beijou minha testa como sempre fazia e disse

-Obrigado amor, eu quero me casar com você assim que chegarmos em Tokyo.

Eu sorri com aquilo e disse

-Se dependesse de mim amor, a gente se casava agora mesmo.

E depois disso nós dormimos, ali mesmo um por cima do outro bem como estávamos. Os dois pelados naquela cama de solteiro.

Assim que acordamos nos reunimos na recepção enquanto Kou exibia orgulhoso a aliança e os outros vinham me dar os parabéns. Eu sorri sem conseguir esconder a minha felicidade pelo simples motivo que Kou estava feliz e isso pra mim era mais que o suficiente.

Entramos na van e fomos em direção a Tokyo. Ficaríamos alguns dias de folga e durante esse tempo nos casaríamos... Esse era o plano.

Dormi no caminho de volta com Kou abraçado a mim e os outros membros nos bancos de trás.

Quando acordei estava em um quarto todo branco com alguns aparelhos e fios ligados no meu braço uma sonda no meu nariz e um barulho infernal. Um maldito “bip”, mas o que me assustou quando acordei era que Kou não estava ao meu lado. E sim Takanori e ele estava chorando. Quando o vi a primeira coisa que eu disse foi

-Kou...

Takanori levantou a cabeça e disse

-Yuu... Eu sinto muito

E saiu me deixando ali sem entender o que estava acontecendo e por que Kou não estava ali comigo. Quando Reita entrou ele estava com os olhos vermelhos o braço engessado e uma faixa na cabeça fora a que ele usa sempre. Ele se aproximou e disse

-Yuu... houve um acidente com a van e todos nós machucamos alguns mais outros menos. Você e Kou foram os mais atingidos por que estavam nos bancos da frente.

-Como ele está Akira? Ele está bem? Posso ir ver ele?

Tentei me levantar e Akira me segurou com a mão livre e disse

-Yuu... Já faz 20 dias, sinto muito amigo. Kou morreu no local.

Senti algo dentro de mim se despedaçar naquele momento e eu só queria gritar, mas nem forças para isso eu tive então desmaiei.

O que pra mim foi pouco depois eu acordei e Akira já estava sem o gesso, mas eu ainda estava no mesmo lugar.

-Yuu... cara você voltou.

-Akira... Kou, o que você me disse é...

Não consegui terminar a frase e Akira não precisou responder. Eu me calei e por um bom tempo nenhum dos dois disse nada.

Me levantei da cama e disse

-Chame o médico

-Certo

Um tempo depois o médico veio até aquele quarto e eu disse

-Não vou ficar nesse hospital mais nem um segundo eu EXIJO que você me libere agora e se você se recusar eu quebro esse hospital.

Eu devo ter parecido assustador, pois na mesma hora ele me liberou e assim que eu sai de lá pedi a Akira para me levar até ele e o de faixa me levou .

Ele foi comigo até perto do túmulo de e Kou, mas me deixou sozinho lá a uma distância considerável.

-Bom dia amor.

Eu disse enquanto lágrimas corriam pelo meu rosto

-Como você pôde me deixar aqui Kou? A gente ia se casar.

Ouvi o sorriso baixo dele e senti uma mão sobre meu ombro e ao levantar o rosto eu o vi. Sorri pra ele e disse

-Não vou mais tocar amor, me desculpe.

“Ele” abaixou a cabeça e sacudiu negando

-Não posso fazer isso. Não quero mais viver sem você, não quero mais tocar, eu nunca mais vou tocar. Se os meninos quiserem continuar eles encontrem outro guitarrista.

“Ele” me encarou e o vi se aproximando de mim e nesse momento fechei meus olhos enquanto senti o “beijo” dele em meu rosto e o ouvi dizer “adeus amor, viva bem estarei cuidando de você. Eu vou te esperar.”

Eu já não conseguia controlar minhas lágrimas nesse momento e com o choro alto Reita se aproximou e disse

-Nós não vamos te deixar sozinho irmão. E também não queremos outros membros. O Gazette acabou. Vai ser nosso último show e uma homenagem a ele.

Passou alguns dias depois e iríamos tocar novamente. Pela última vez.

A guitarra de Kou estava exposta e a imagem dele sorrindo refletida em um painel atrás de nós. Os fãs choravam e eu também enquanto Ruki dizia.

-Foi um prazer para todos nós termos esse tempo com vocês. Nós nos divertimos muito e vocês estarão sempre nos nossos corações. Nunca esqueceremos vocês, mas infelizmente depois do que aconteceu com nosso “patinho” não podemos deixar o Yuu sozinho e ele disse que não pretende mais tocar. Sentimos muito mas o Gazette é antes de tudo uma família, sei que vocês vão entender por que nos amam e nós também amamos vocês e por isso eu fiz uma música de despedida. O nome dela é “Wakaremichi”

E nesse momento Ruki começou a cantar e todos choraram e choraram muito

“Daisuki datta no ni owakare desu
Kenka bakari no mainichi deshita.
Korekara wa hitori de ikinakucha
Mou nakanai yo…

Hontou wa saiwakute kurushikute sabishii yo
Dake do ne kimi ni wa tsuyogatte itai kara
Gomen ne saigo kurai egao de i you nante
Baka da yo ne hontou wa
Jibun ga nukitai dake na no ni

Iroiro na kao o mite kita kara
Sugu ni wakatta yo. tsumeteru wake ja nain dake do
Otagai ni mi ushinatte ikiteku yori
'ganbatte ne' tte betsu no michi o aruku hou ga …
(namida) ii no kanaa?

Sayonara mata ne genki da ite ne
Zutto zutto wasurenai kara
Sayonara kitto mata aeru yo ne?
Yakusoku da yo! yubikiri genman

Shichigatsu hakka sankagetsu kinenbi
Oboeteru kanaa?
Hajimete atta hi no koto o
Utsumuku kimi wa terekusa sou ni
Naiteta…

Tanoshikute shikata ga nakatta mainichi deshita
Mijikatta keredo shiawase deshita shiawase na no ni
Sugu ni wakatta yo. tsumeteru wake ja nain dake do
Otagai ni mi ushinatte ikiteku yori

Iroiro na kao o mite kita kara
Sugu ni wakatta yo. tsumeteru wake ja nain dake do
Otagai ni mi ushinatte ikiteku yori
'ganbatte ne' tte betsu no michi o aruku hou ga …
(namida) ii no kanaa?

Yubi kiri genman tsunagu koyubi ga a
To sukoshi dake tokenai de to
Itsuka mata waraeru hi ga kitara
Sure chigau koto no nai futari de…

Itsuka mata waraeru hi ga kitara
Furimukeba namida o kimi ni miseru kara
Se o mukete o futta
Zutto wasurenai yo. kawaranai de ita ne
Daisuki da hi no mama de…

Sayonara mata ne genki de ite ne
Sayonara kitto mata aeru yo nee?
Daisuki na kimi wa totemo taisetsu na omoida ni kawaru
Sabishikutte shini sou na kurai
Kimi no koe ga atama kara hanarenai!”

(É um adeus à quem amei
Foi apenas brigas de todos os dias
Desde já, não irei mais sozinho
não chorarei mais...

A verdade é que cruel, triste e dolorosa
Mas para você, um choro amargo dói
Desculpe, o último sorriso se aproxima, disse algo assim
Idiota, não é? Na verdade queria apenas chorar para mim mesmo

Logo que vi muitos rostos, entendi
Porque você não estava fria
Mas agora nós vamos nos perder de vista e viver
"Se esforce", andando por caminhos e direções diferentes...

Adeus, até algum dia, viva bem
Nunca nunca esquecerei
Adeus, com certeza irei vê-la novamente, não é?
É uma promessa! Não quebre o firmamento

Dia 8 de julho, aniversário de 3 meses
Será que se lembra?
No primeiro dia que nos encontramos
Você abaixou a cabeça envergonhada, e começou à chorar..

Todos os dias divertidos, não teve jeito
Foi curta a felicidade mas foi feliz... Foi muito feliz...

Logo que vi muitos rostos, entendi
Porque você não estava fria
Mas agora nós vamos nos perder de vista e viver
"Se esforce", andando por caminhos e direções diferentes... Será que foi bem assim?

Não quebre o firmamento, o nó de nossa pequena promessa falta pouco para se desatar
Um dia que irá sorrir ainda virá, não há algo que nós descordemos
Um dia que irá sorrir, ainda virá

Adeus, até algum dia, viva bem
Nunca nunca esquecerei
Adeus, com certeza irei vê-la novamente, não é?
É um promessa! Não quebre o firmamento

Adeus, até algum dia, viva bem...
Adeus, com certeza irei vê-la novamente, não é?

Vou mudar você que tanto amo por um pensamento importante
Triste como se eu fosse morrer... Sua voz não sai da minha cabeça.)

Assim que saímos do palco Ruki me abraçou e disse

-Estamos juntos até o fim irmão. Somos uma família nunca vamos te abandonar

Foi quando ouvi a voz de Kou sorrindo me dizer “estou te esperando amor. Eu te amo.”

E eu respondi

“Eu também te amo” 

4 de Março de 2018 às 00:00 1 Denunciar Insira 1
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
shaura suzumura shaura suzumura
~nem chorei litros~
13 de Março de 2019 às 15:25
~