(2018) Meu amor queima Seguir história

alicealamo Alice Alamo

Depois de longos meses tentando se aproximar do demônio que o acompanhava há anos, Harry não acredita quando um pequeno mal-entendido quase acaba com suas esperanças e... com um demônio se auto incendiando.


Fanfiction Livros Todo o público. © Todos os direitos reservados

#ua #harrypotter #HP #Harry-Draco #drarry #yaoi
Conto
21
7.0mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único


Harry não acreditava no que estava ouvindo, ainda assim, ergueu a mão e pediu:

— Malfoy, vamos conversar, ok?

— Conversar, Potter? — o tom veio áspero, e Harry viu a arrogância do demônio com quem tinha feito um trato para vingar sua família assassinada ficar ainda mais pontuada. — Você nem nega!

Ah, céus...

Harry engoliu em seco e ajeitou os óculos num gesto nervoso. À sua frente, Draco Malfoy, um demônio poderoso, o encarava com seus olhos cinzas parecendo lâminas afiadas. Apesar disso, conseguia também identificar a mágoa na face delicada.

— Não é o que você está pensando — falou e sentiu-se um idiota quando Draco respirou fundo diante da frase clichê. — Não, Draco, não é mesmo! Você ouviu errado!

— Mas é claro que sim... — Draco debochou. — Você disse para aquela sua amiga que estava apaixonado! Eu ouvi, não negue!

Harry sentiu o coração apertar, descrente, como tudo podia dar errado logo agora quando, depois de meses de insistência, havia conseguido iniciar um "relacionamento" com o demônio? Ok, ok, vamos abrir um breve parênteses: o caso era que tinha feito o pacto com Draco quando era um adolescente, e o demônio o havia ajudado a se vingar de quase todos os que lhe fizeram mal (uma extensa lista de empresários famosos aliás e até a máfia, mas irrelevante agora), contudo, nos últimos meses, depois de seu aniversário de vinte e três anos, percebeu que não queria terminar sua vingança. Não que houvesse desistido, longe disso!, mas finalizar sua vingança significaria que nunca mais veria Draco novamente (óbvio já que teria que dar sua alma em pagamento, mas novamente essa é uma observação irrelevante). E, bem, tudo piorou quando percebeu que não se importava em perder a alma, mas perder Draco para sempre... doía, doía muito...

Apaixonado... Não foi nem mesmo para ele, e sua lerdeza, difícil concluir isso e, então, começou a se aproximar mais, a fazer com que Draco o quisesse, notasse, cedesse ao sentimento que via ser recíproco apesar de toda a postura indiferente e superior do demônio.

E quando tinha conseguido, quando havia finalmente experimentado os lábios, o corpo, o coração que nem sabia que existia em um demônio, tudo entrava em pane por causa de uma conversa boba.

— Draco, escute...

— Não! — Draco bufou, o orgulho ferido. — Eu deveria botar fogo nessa pessoa, assim você aprenderia a não me enganar, Potter!

— O quê? — Harry arregalou os olhos, incrédulo. Piscou, confuso, e segurou o riso, Draco estava com ciúmes? — Ah, não acho uma boa ideia...

Draco estreitou o olhar e encarou Harry em desafio.

— Irei queimar quem você tanto ama! Acha que não cumpro o que digo, Potter?

— Acho. — Harry cruzou os braços, decidido a ver até onde o outro iria.

Draco arqueou a sobrancelha e ergueu a mão direta. Harry não moveu um músculo, e Draco então sorriu maldoso ao estralar os dedos.

— Puta que pariu, Malfoy! — Harry gritou quando, de repente, sua sala de estar se iluminou com as chamas que agora envolviam o demônio por completo. Draco assustou-se, o fogo em volta do seu corpo não o queimava, óbvio que não, era um demônio! Mas, enquanto via Harry retirar a jaqueta e correr em seu auxílio para apagar o fogo, sentiu seu rosto quente. Piscou confuso, controlando o poder para apagar o fogo e retirar da face do outro a expressão de desespero.

Harry o segurou pelos ombros quando o fogo se foi e o inspecionou por completo, buscando queimaduras em um Draco inerte, ainda surpreso demais para fazer qualquer coisa que não fosse olhar derretido para Harry. Quando Harry terminou, xingando baixo e prometendo nunca mais duvidar de uma promessa do demônio, Draco perguntou:

— Sério...?

Harry suspirou, balançando a cabeça de forma afirmativa antes de rir e olhar para Draco. Segurou-lhe a face e a acariciou antes de se aproximar e selar de leve os lábios.

— Você é um idiota, Malfoy, mas, sim, é você... agora, me prometa não sair queimando as pessoas por aí, por favor...



Notas Finais: fic inspirada na tirinha: https://scontent.fgig4-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/27654395_1728162047241032_425888938080496764_n.jpg?oh=27e16b68def9a6d4fb1b27a5a19d9a0f&oe=5B188030

3 de Março de 2018 às 15:30 5 Denunciar Insira 15
Fim

Conheça o autor

Alice Alamo 23 anos, escritora de tudo aquilo em que puder me arriscar <3

Comentar algo

Publique!
Dunew/ ina Dunew/ ina
Que amooor, apesar que se trata de uma pessoa vingativa e um demônio, achei bem fofo a crise de ciúmes do Draco HAUAUA <3
10 de Julho de 2019 às 20:30
Anne Liberton Anne Liberton
Queria ver a tirinha, porque não dá pra selecionar, mas achei a história um amor ♥
18 de Junho de 2019 às 00:26
RS Rochely Shistermon
25 de Outubro de 2018 às 21:05
Paola Britto Paola Britto
Ahhhhh eu sempre achei essa tirinha fofa e sendo desenvolvida com Drarry então *-* como não amar?
27 de Março de 2018 às 21:19

  • Alice Alamo Alice Alamo
    Eu amo essa tirinha!! Achei a coisa mais fofa quando vi pela primeira, segunda, milésima vez hahahaha Não sei por que, mas eu vi muito Drarry nela Obrigada pelo comentário beijoss 28 de Março de 2018 às 16:00
~