Relembrar Seguir história

inial_lekim Inial Lekim

Lee se prendia as lembranças... ele simplesmente não conseguia deixar Neji finalmente ir.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas. © Os personagens mencionados pertencem à Masashi Kishimoto. Essa é apenas uma história feita de fã para fã.

#Drama #Naruto #Yaoi #Songfic #FNS #BregaFNS #Cachecoldobrega #Insinuação de sexo #Homossexualidade #Guerra de angsts #NejiLee #LeeNeji #Neji/Lee
Conto
7
6982 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

A falta que você faz

N/A

"Não vou entrar no desafio", dizia eu, iludida.
Não sei como eu tento acreditar nisso. Pois bem, essa a primeira one do desafio. É uma songfic baseada na música Fio de cabelo, e devo dizer que foi um sinal dos céus para que escrever essa one, porque escutei a música antes mesmo de ela ficar livre \o/
É uma NejiLee que se passa em um momento pós guerra, no qual o Lee tenta lidar com a perda do Neji.
Espero que alguém fique minimamente triste, pois é essa intenção <3


***


Quando a gente ama

Qualquer coisa serve para relembrar

Lee era apenas uma sombra, um vago espectro de seu eu de meses atrás. Não eram necessários os comentários feitos aos sussurros que ouvia nas poucas ocasiões em que se tornava necessário sair de seu apartamento, nem mesmo as frequentes visitas de Gai e Tenten, nas quais tentavam em vão disfarçar a preocupação que sabia sentirem devido ao seu estado. Lee sabia que estava diferente. Ele se sentia afundar cada vez mais em um buraco escuro no qual a dor que sentia aumentava dia após dia, consumindo-o lentamente.

Por mais que tentasse pensar em uma forma de sair dessa situação, não conseguia e, talvez, houvesse uma pequena parte sua que não sabia ao certo se desejava fazer isso. Se sentia completamente dilacerado pelas lembranças que insistiam em surgir em sua mente a cada mínimo estímulo, mas, ainda sim, não queria esquecê-las.

Na verdade, não poderia.

Carregava o medo de um dia acabar por esquecer. Haviam poucas fotografias, além das que tiraram quando eram mais novos, logo após se tornarem genins. Um leve sorriso surgiu em seu rosto ao se lembrar de como Neji detestava tirar fotos, quase ao mesmo tempo em que seus olhos lacrimejaram ao relembrar de um dos raros sorrisos que Neji lhe ofertava quando estavam sozinhos, enquanto lhe explicava o porquê de não gostar de fotografias.

ᅳ Aproveitar o momento e o que sentimos é bem mais importante, teremos sempre as lembranças desses momentos. ᅳ Lembrava-se de que ele estava deitado em sua cama. Estava deitado com a cabeça apoiada em seu peito, então se moveu para conseguir olhar em seus olhos enquanto ele lhe falava. Eram como lindas pérolas que brilhavam ao olhar para ele. Os dedos se entrelaçaram aos seus. ᅳ Esse momento, por exemplo, é algo do qual sempre me lembrarei.

Ao abrir os olhos, que sequer havia percebido terem sido fechados, Lee olhou ao redor de seu quarto, percebendo o quanto o local parecia diferente de sua lembrança, embora nenhum único móvel tenha sido mudado.

Tenten havia lhe dito em sua última visita que seu pequeno apartamento estava parecendo quase como um santuário e que isso não estava lhe fazendo qualquer bem. Sabia que ela poderia estar certa, mas não conseguia se desfazer de qualquer item que tenha pertencido a Neji.

Uma pequena e velha caixinha de madeira chamou sua atenção. Pegou-a e abriu-a. Lá dentro, brilhando pela pouca iluminação do quarto, estava uma pequena pedra com um incomum tom perolado, assim como a cor dos olhos de Neji. Havia sido o primeiro presente que havia ganhado de Neji, algo tão singelo que ele havia encontrado enquanto voltavam de uma missão, mas que tinha tanto significado para si, que não sabia o que faria se um dia a perdesse.

Neji havia lhe dado aquela pedra logo após se beijarem pela primeira vez. Tocando-a agora, conseguia lembrar perfeitamente das sensações que o inundaram logo que sentiu os lábios de Neji tocarem os seus. Estavam um pouco ressecados e havia uma leve camada de poeira sobre eles, mas, ainda sim, foi uma das sensações mais intensas que havia sentido na vida. Entre a surpresa e o prazer proveniente daquele toque, Lee havia se perdido entre as sensações do corpo de Neji tão próximo ao seu, o gosto de sua boca, a língua úmida tocando a sua sem qualquer hesitação. Se fechasse seus olhos e se concentrasse, poderia sentir perfeitamente a sensação do toque firme em sua cintura, a mão levemente calosa acariciando seu rosto, sentir a mistura do cheiro de seu suor com o cheiro da floresta, a respiração descompassada.

E hoje o que encontrei me deixou mais triste

Um pedacinho dela que existe

Essas lembranças o atormentavam ao mesmo tempo em que lhe davam o consolo que precisava e o ajudavam a seguir dia após dia, apesar da dor. Era como viver continuamente em um limiar de dor e prazer.

Apesar do tempo, haviam momentos em que ainda conseguia sentir seu cheiro pelo apartamento, como se ele houvesse acabado de sair de lá. Sabia bem que poderia ser apenas fruto de sua imaginação, uma forma de sua mente lhe dar o que tanto ansiava ter de volta. E aquilo, mesmo o frustrando, fazia-o ficar à espera de que pudesse ocorrer novamente.

Era apenas migalhas, se comparadas a tudo que possuía antes, mas ele as aceitava e acolhia cada pequeno momento em que pudesse se sentir mais perto de Neji... porque mesmo isso era melhor que nada.

Guardou sua preciosa pedra e, antes que pudesse sequer pensar que não deveria fazer aquilo, dedicou toda sua atenção a cada mínimo objeto que pudesse fazê-lo se lembrar de Neji. Haviam os vários presentes que foram recebidos no decorrer dos anos, as poucas cartas trocadas, nas quais Neji lhe demonstrava uma certa veia poética que jamais imaginou ele possuísse.

Entre os envelopes brancos, haviam os tons de verde. Suas cartas para ele. Hinata havia sido gentil o bastante para devolvê-las a ele logo que as encontrou, antes que qualquer outra pessoa pudesse descobrir sobre a existência delas.

Hinata havia sido um anjo e um demônio em sua vida. Lee se lembrava da primeira visita que ela lhe fez, dias após o final da guerra. Konoha ainda estava se recuperando da destruição, das perdas sofridas, dos feridos e dos desaparecidos. Hinata apareceu em sua porta, assim que ele voltou para casa logo após Gai acordar no hospital e ele se assegurar que ele ficaria bem. Ela tinha com uma caixa e doces palavras de consolo.

O apoio que ela lhe ofereceu poderia ser comparado ao de Gai e Tenten.

Eles conversaram pelo que pareceram horas. Relembraram os tempos antes da guerra, de como Neji havia mudado no decorrer dos anos... e, sobretudo, da falta que ele fazia. Hinata lhe falou sobre como os Hyuugas haviam sentido a perda de Neji, e como seu próprio pai foi fortemente afetado pela morte do sobrinho.

Havia um tom de culpa em suas palavras, embora Lee não a culpasse de nada. Ele entendia que a guerra era a real culpada de tudo que acontecerá;

ᅳ Eu sinto muito. ᅳ Ela não olhava em seus olhos, encarando suas mãos que estavam entrelaçadas. Seus olhos perolados, tão iguais aos dele, estavam lacrimejantes.

E Lee chorou.

Chorou por Hinata, por ele... por Neji. Fora a primeira vez que chorava por sua perda após todo o inferno ter um fim.

Hinata apareceu outras vezes, acalentando-o com sua presença e o perturbando com seus olhos. E todas as vezes ela a deixava entrar.

Percorreu seus dedos pelo tecido macio da yukata que Neji havia comprado para lhe fazer uma surpresa, meses antes da guerra finalmente explodir sobre suas cabeças. Agradecia todos os dias por Hinata ter lhe trazido ela, mesmo sem saber da importância ou do significado que tinha para si.

Neji havia ficado lindo vestido com os tons verdes daquela yukata. Os longos cabelos castanhos estavam soltos, a pele clara e quase imaculada corada, os olhos perolados analisavam atentamente cada reação sua, enquanto lhe dava um olhar lascivo que só via em seu rosto nos momentos em que estavam sozinhos.

Observava os padrões de verde esmeralda, quando notou uma longa linha fina presa ao tecido. Lágrimas verteram por seus olhos ao perceber do que de fato se tratava.

Um longo fio de cabelo. Longo, num tom castanho já tão conhecido. Um pequenino pedaço de Neji.

Lee amava os cabelos de Neji. Desde seu balançar enquanto ele lutava, até a forma como se espalhavam por seus travesseiros sempre que se movia sobre seu corpo, descendo lentamente em seu colo, sentindo-o dentro de si ao mesmo tempo em que suas mãos acariciavam seu corpo sem se importar com as várias cicatrizes que o marcavam.

Amava quando ele o abraçava forte, prendia seu corpo em seus braços, e o cheiro suave de seus cabelos o inebriavam. O tom de voz rouco com o qual Neji gemia seu nome, enquanto lhe acariciava os longos fios e beijava seu pescoço.

Abraçando a fria yukata contra seu corpo, Lee fechou os olhos. Podia lembrar-se exatamente de cada expressão no rosto de Neji, dos sons que ele fazia, o gosto de seus lábios, o calor de seu corpo, a forma como suas unhas o arranhavam, as leves mordidas que distribuía por seu corpo...

Eram lembranças repletas de desejo e nostalgia, mas, acima de tudo, havia o sofrimento por não o ter mais ao seu lado.

Em passos lentos, caminhou até sua cama, deitando nos travesseiros que insistiam em manter o cheiro de Neji. Mantinha a yukata em seus braços, sentindo como se de certa forma o estivesse abraçando. Fechou os olhos, permitindo-se ser envolto em um mar de lembranças porque, ao menos em seus sonhos, Neji voltaria a qualquer momento e deitaria ao seu lado, como se nunca o tivesse deixado.

Assim, entre seus sonhos doces e a impiedosa realidade, esperava que um dia conseguisse relembrar seus momentos com Neji apenas com o amor que sentia, sem a dor que lentamente o invadia.

Apagam-se as luzes ao chegar a hora

De ir para a cama

A gente começa a esperar por quem ama

Na impressão que ela venha se deitar


***


Espero que tenham gostado.
Aqui estão os links:

Vídeo da música que quase todo mundo já deve ter ouvido:

https://www.youtube.com/watch?v=0G_ihu8bqGI

Grupo amorzíneo que organizou o desafio:

https://www.facebook.com/groups/122359598449326/

Página amorzíneo do FNS: 

https://www.facebook.com/FanficsNS

28 de Fevereiro de 2018 às 01:01 6 Denunciar Insira 2
Fim

Conheça o autor

Inial Lekim 22 anos. Pisciana. Escritora. Sonhadora. Fotógrafa e Desenhista quando surge inspiração. Vocês já ouviram a palavra de KakaGai hoje?

Comentar algo

Publique!
Boo Alouca Boo Alouca
Mas é uma rainha arrombada mesmo essa minha esposa, que me faz sofrer e trair o OTP ao mesmo tempo... PELA SEGUNDA VEZ, porque óbvio, migramos do SS... Como vou seguir existindo depois de tanto ser massacrada nesse perfil, Google pesquisar...
10 de Julho de 2018 às 15:53

  • Inial Lekim Inial Lekim
    Dessa vez não me defendo. Nem posso. Sempre que releio essa fic fico triste... 31 de Agosto de 2018 às 17:47
Tatu Albuquerque Tatu Albuquerque
Eu ainda tô chorando, AAAAAAAAAAAAA MEU LEEZINHO SOFREDOR
27 de Fevereiro de 2018 às 19:35

  • Inial Lekim Inial Lekim
    Ah, Ju. Deixa as coisas se normalizarem e a guerra voltar, que você vai ver o que é Lee sofredor <3 28 de Fevereiro de 2018 às 09:39
  • Inial Lekim Inial Lekim
    Ah, Ju. Deixa as coisas se normalizarem e a guerra voltar, que você vai ver o que é Lee sofredor <3 28 de Fevereiro de 2018 às 09:40
  • Inial Lekim Inial Lekim
    Ah, Ju. Deixa as coisas se normalizarem e a guerra voltar, que você vai ver o que é Lee sofredor <3 28 de Fevereiro de 2018 às 09:42
~