I Need You, Akashi-kun... Seguir história

ampersand Ampersand .

Olá, Vossa Graça. Fico feliz que tenha aceitado meu humilde pedido. Minhas crianças ficarão felizes em tê-los como ouvintes de sua história. Ah, minhas pobres crianças... Tão pequenas na época, não poderiam adivinhar o futuro não tão distante. Não sabiam que seus destinos nunca deveriam ter se cruzado. Peço-lhes que me ouçam até o fim, Vossa Graça. Essa história não será comprida. Tenho certeza que Tetsuya e Seijuurou sorrirão ao saber que você lhes prestou tamanha honra. Ah, meus pequenos...


Fanfiction Para maiores de 18 apenas. © Tadatoshi Fujimaki, pelo universo e personagens com quem eu brinco de casinha

#tetsu-chan #sei-kun #nijihai #murahimu #midotaka #kuroko tetsuya #knb #incesto #doença #coitadinho do kuroko #basquete #akashi seijuurou #aokise #kuroko x akashi #akakuro
15
7.1mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 10 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo

Kuroko Tetsuya e Akashi Seijuurou se conheceram em um dia de primavera, enquanto folhas de sakura iam ao chão.

Eles eram apenas crianças, não poderiam adivinhar o que aconteceria no futuro. Não sabiam que seus destinos nunca deveriam ter se cruzado.

Mas eu estou adiantando demais a história. Peço que me perdoem. É apenas triste pra mim, que conheço ambos os jovens desde que nasceram, ver sua história terminar de modo tão trágico, pobres crianças.

Novamente, não foi minha intenção.

Por favor, sentem-se e ouçam o que tenho para dizer. Sei que meus pequenos ficarão contentes em tê-lo como espectador, Vossa Graça.

Apenas tenha em mente que tudo pode acontecer, e certas coisas vão embora mais rápido do que queremos.

***

Uma criança ruiva estava sentada em um banco qualquer em um parque que não interessa, um livro adulto demais* para sua tenra idade sendo lido com total atenção, os olhos heterocromáticos, um vermelho como as chamas e um dourado como ouro líquido, captando cada palavra.

Seu nome era Akashi Seijuurou.

Estava tão concentrado que não percebeu quando outro jovenzinho sentou ao seu lado. Ele era idêntico ao primeiro. Mesma altura e mesmos traços. Apenas duas coisas os diferenciavam: os olhos e os cabelos.

Enquanto o primeiro era ruivo de olhos ímpares, esse tinha fios tão azuis quanto o céu e olhos azul celeste, que brilhavam com o reflexo do sol. Era uma criança bonita, que provavelmente se tornaria um belo rapaz na maioridade.

O nome deste era Kuroko Tetsuya.

Manteve-se sentado, quietinho, não querendo atrapalhar a leitura do outro.

Mas ele teve mais um ataque com os quais já estava tão habituado.

Akashi pulou ao ouvir alguém tossir tão perto de si, sendo que não havia alguém ali até aquele momento. Encarou o garoto por alguns segundos, recuperando-se do susto, até vê-lo curvar-se e colocar a mão na boca, e sangue sair dela.

Desesperou-se, abandonando o livro de lado e virou-se para o desconhecido.

- Ei, você está bem?

Certo, fora uma pergunta estúpida. Ele não estava bem.

Akashi estava prestes a gritar por ajuda, ou a sair correndo, quando o azulado fez um sinal para que esperasse e apontou para uma mochila acomodada ao seu lado.

Seijuurou a pegou, e o outro garotinho mostrou um fecho na frente, onde havia um potinho de remédios.

Tetsuya tossiu novamente, o sangue em suas mãos pingando no chão lentamente, e o ar começou a faltar-lhe os pulmões. Precisava se apressar.

O azulado mostrou dois dedos, e logo Seijuurou deu-lhe dois dos comprimidos arroxeados que haviam dentro do pote. Kuroko os engoliu a seco mesmo, e depois de mais alguns acessos de tosse, ele finalmente inspirou e expirou normalmente.

Akashi soltou o ar que sem sabia que estava prendendo, e o menor olhou-lhe agradecido.

- Arigato, Estranho-san - disse curvando a cabeça brevemente.

Akashi surpreendeu-se por um momento antes de engolir um seco.

- Você está bem? - perguntou olhando para as mãos ensanguentadas do garotinho antes dele começar a limpá-las com um lenço umedecido - Quer que eu chame alguém?

Tetsuya olhou-o com um sorriso pequeno sem mostrar os dentes.

- Não, está tudo bem - assegurou - Eu já estou acostumado com isso.

Acho que você já entendeu onde isso vai dar, não, Vossa Graça? Esta não é uma história feliz. Seu final não consiste em príncipes e princesas vivendo felizes para sempre.

Essa é uma história triste, mas peço que continuem escutando-a. Minhas crianças ficarão felizes se vocês a ouvirem até o fim. Ela não será comprida, prometo-lhes.

Akashi olhou para o garotinho intrigado. Ele parecia calmo, inabalável, com o rosto sem emoções.

- Qual seu nome? - perguntou o ruivo antes que pudesse se conter, surpreendendo a si mesmo. Ele nunca costumava se aproximar das pessoas. Eram sempre elas que precisavam ralar para ter sua atenção.

O menor olhou-o de canto de olho enquanto guardava o lenço ensanguentado em uma sacola na mochila. Akashi ergueu uma sobrancelha internamente sobre isso.

- Kuroko Tetsuya -respondeu virando-se para o maior - E você? - perguntou gentilmente.

O ruivo empertigou-se com orgulho, sua postura imperativa já ativa mesmo tão jovem como era.

- Akashi Seijuurou.

Kuroko riu e estendeu a mão pequena.

- É um prazer conhecê-lo, Akashi-kun.

Akashi pegou-a com calma, forçando-se a não parecer afobado demais. Estava fazendo um amigo! Pela primeira vez!

- O prazer é meu, Tetsuya.

E ali, Vossa Graça, realmente nasceu uma grande amizade, a mais pura e bela, entre duas crianças de realidades distintas, mas mais iguais do que se espera.

Ouçam-me até o fim, Vossa Graça. Não irão arrepender-se, prometo-lhes. Minhas pequenas crianças, tão pequenas naquela época, não podiam adivinhar o futuro nem tão distante. Não sabiam que seus destinos nunca deveriam ter se cruzado, embora teriam sempre estado entrelaçados.

Minhas pobres crianças...

27 de Fevereiro de 2018 às 00:06 0 Denunciar Insira 2
Leia o próximo capítulo Capítulo 1

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 3 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!