Querida Estrela Cadente Seguir história

jadeanne Jadeanne (Sammy5)

Depois de sonhar com Naruto, Sakura começa a perceber que seus sentimentos podem ir alem de amizade para com o loiro. E o fato dele aparecer todos os dias em sua casa pare ajuda-la com a ceia de Natal, não facilita os sentimentos dela.


Fanfiction Todo o público.

#Romace #Drama #Haruno #NaruSaku #Sakura #Sonho #Naruto #Amor #Natal
2
7164 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capitulo Único

Querida estrela cadente,

Eu não sei exatamente como tudo isso foi acontecer, não sei em que momento eu comecei a ver o Naruto como alguém que eu queria acordar todas as manhãs. Tudo que eu sei é que ele é exatamente quem eu quero. É com ele que eu me vejo envelhecendo. Com aquele loiro irritante que sempre me arrancou risadas, mesmo em meio as lagrimas.

Eu acho que tudo começou em uma noite de natal.

___________________________________________________________________

Dois anos após a guerra

- Eu amo uma garota chamada Sakura. Bem, na verdade é um amor meio platônico. A Sakura é totalmente apaixonada por um cara chamado Sasuke. Ela se esforça tanto para conquistar o amor dele… Quando faz isso, seu sorriso é a coisa mais linda do mundo. Não tem explicação. Quando me dei conta, estava apaixonado por ela.. Eu nunca tentaria força-la a me amar. Então eu me decidi, da mesma forma que a Sakura se esforça para conquistar o amor do Sasuke, eu vou me esforçar para conquistar o dela.

- Quando você voltar para a sua vila, você vai contar para aquela pessoa que a ama?

- Bom, eu não posso fazer isso agora. Por enquanto, vou só continuar cuidando dela.

- Está satisfeito com isso?

- Claro que nada vai me deixar mais feliz se ela me escolher um dia, mas está tudo bem. Contanto que Sakura esteja feliz, é o que importa.

Acordei sobressaltada com meu sonho, me sentia vazia. Não parecia um sonho, era mais como uma lembrança de alguém e eu fosse a intrusa telespectadora. Isso as vezes acontecia, sonhar com algo que aconteceu. Mas eu não conseguia entender. Era uma memória do Naruto com uma garota, falando sobre mim. Sobre o seu amor por mim.

Meu coração se aqueceu, não deveria, mas aqueceu. Eu me senti feliz e ao mesmo tempo culpada. Naruto a todo o momento sufocou o amor que sentia por mim no intuito de que eu fosse feliz, mesmo que isso significasse me ver com outro, com seu melhor amigo.

Era a cara daquele idiota ser tão altruísta, eu queria soca-lo e beijá-lo ao mesmo tempo.

Beija-lo? Sakura bobinha, de onde veio tais pensamentos?

Tranquei o sonho em um canto obscuro da minha mente e joguei minhas pernas pra fora da cama. Ao olhar para fora me surpreendi, estava nevando. Sorri de orelha a orelha, eu amava a neve.

Depois de agasalhada decidi montar a minha decoração de natal. Tem umas duas semanas que me mudei da casa de meus pais para um pequeno apartamento perto do hospital, e com todos os meus incansáveis turnos eu mal tive tempo de preparar a decoração de natal, afinal, quando não estava trabalhando eu estava desfazendo as caixas de mudança.

Dia 23 e eu nem desenrolei os malditos pisca-pisca. E toda a turma vem passar o natal em casa, é como uma festa para comemorar minha mudança.. Sento no chão frustrada, eu nunca vou conseguir fazer tudo a tempo. Decoração, comida, bebida, presentes e eu ainda tenho que comprar a roupa que vou usar.

O único presente que eu tinha era o do meu amigo secreto, este eu não podia fazer feio e fiquei super empolgada. Eu não poderia ter tirado nome melhor. Estava anciosa. Isso se eu conseguisse fazer tudo, comecei a sentir lágrimas de frustração se acumular em meus olhos. Onde estava com a cabeça em assumir tamanho compromisso?

Ouvi batidas contidas na minha porta, rapidamente me prontifiquei a abrir para me livrar rapidamente de quem quer que seja, nada de distrações. Mas a cabeleira loura me impediu de completar a tarefa de enxotar.

- Sakura-Chan, oie… - ele tinha um mão coçando atrás da cabeça acanhado. Não pude deixar de sorrir. - Eu vim ver se precisava de ajuda.

- Naruto, chegou na hora certa. - O puxei pelo braço até a sala.

- Ah… - ele deixou escapar ao ver a bagunça gigantesca de enfeites e caixas pelo cômodo, mal tinha espaço para andar. - Você nem decorou a árvore ainda. Aliás, aquilo é uma árvore de verdade?

- Bom, eu queria causar uma boa impressão. - me expliquei sem graça e fui recompensada com o sorriso mais bonito que já vi em toda a minha vida.

- Certo, por onde a gente começa? Quer que eu faça alguns clones? Poderíamos acabar tudo isso em um instante, tebayo!

Tremo só de cogitar a ideia, um Naruto já é um desastre, imagine vários. Eu iria enlouquecer.

- Nem nos meus pesadelos, eu iria ter que arrumar outro apartamento já que seus clones iriam colocar fogo nesse aqui.

- Você poderia ir morar comigo - ele soltou sem pensar e corou, eu queria bater nele pela idiotice, mas ao invés disso eu sorri. Um sorriso sincero, algo estava errado comigo.

Começamos embrulhando os presentes de nossos amigos, Naruto era um desastre, ele conseguiu prender a própria mão no laço que fazia. Ele ficava uma graça emburrado enquanto eu gargalhava, no fim ele também riu. Ficou me enchendo o saco pergunto qual daqueles presentes era o dele e quando eu disse que era a lingerie de oncinha ele obviamente não ficou feliz, mas desistiu.

Depois de embrulharmos os presentes decidimos começar a decoração na árvore.

- Eu sempre amei o natal - comento enquanto pendurou uma bola cor de rosa brilhante entre a folhagem verde musgo. - O significado por trás. A união, família reunida, todo mundo que se ama junto. Nunca foi sobre presentes para mim, sempre foi por gratidão e união. A união daqueles que eu jamais poderia viver sem. Natal é sobre esperança de um amanhã melhor, sabe?! - Olho Naruto para ver se ele concordava, mas tudo que ele faz é encarar o enfeite de papai noel que está em sua mão, a visão desfocada, como se estivesse bem longe daqui.

- Eu nunca comemorei o Natal, nunca tive tradições familiares. Você me disse que assava biscoitos de canela com a sua mãe enquanto seu pai ficava sentado conversando com vocês. Eu nunca tive isso. Eu me lembro de todo natal escrever para o papai noel implorando para que ele me desse uma família, tudo que eu queria era uma família para compartilhar, amar ou apenas brigar. Mas claro que esse pedido nunca foi atendido.

O encarei com os olhos marejados dei dois passos a frente e o envolvi em meus braços deixando algumas lágrimas teimosas rolarem.

- Você tem uma família agora Naruto, e eu nunca vou te abandonar. É uma promessa para toda a vida. - sussuro em seu ouvido como conforto e o coração apertado. Eu nunca mais queria que ele se sentisse sozinho.

Quando a árvore estava quase pronta, Naruto decidiu que sentia fome, já era por volta de meio dia e ainda não havíamos comido nada. Ele insistiu em preparar algo para comermos e enquanto ele estava na cozinha fazendo nosso almoço eu terminava de decorar a árvore pensando em porque isso parecia algo que eu queria fazer o resto da minha vida. Fazer decorações natalinas com meu melhor amigo.

Pensar em Naruto me aquecia o coração, me obriguei a pensar no Sasuke e notei com certo espanto que não me sentia assim.

Quer dizer, me aquecia por dentro pensar nele, mas não como Naruto. Era diferente um sentimento do outro.

Naruto me fazia querer que chegasse logo o natal seguinte para que ele batesse novamente na minha porta às sete da manhã para me ajudar com a decoração, mesmo sendo péssimo nisso.

Sasuke me faz querer que ele viesse passar o natal conosco, mas somente na hora da ceia e caso ele viesse acompanhado, faríamos um brinde, afinal, ele estaria feliz ao lado dela.

Me pergunto se seria capaz de brindar para a felicidade de Naruto caso ele decidisse vir acompanhado.

- Sakura-chan, a comida está pronta! - Naruto gritou da cozinha, que era literalmente grudada na sala, uma vez que era conceito aberto. Reviro os olhos e me levanto para me sentar ao lado dele na ilha da cozinha.

- Lamen? Por que não estou surpresa? - murmuro para mim mesma ao olhar o prato que ele colocava na minha frente.

- Minha especialidade, espero que goste.

Estava realmente delicioso, não exito em repetir a tigela e não meço elogios sobre o prato, mesmo suspeitando que ele comprou enquanto eu não estava olhando.

- Sakura-chan, antes do almoço você estava me olhando com uma cara estranha.

- Não estava não! - entro na defensiva, garoto intrometido!

- Estava sim, estava cogitando vir morar comigo?

- Baka! - dei um soco no ombro dele. - Nem tudo gira ao seu redor “herói”. - ironizei com o novo título que recebeu após a guerra.

- Olha só quem fala. - retrucou emburrado.

Depois de decorar toda a casa eu me vi em cima de uma escada pendurando um visco em cima da porta, Naruto segurava a escada para que não caísse. Apesar de ser absurdamente desnecessário porque 1 - eu não ia cair; 2 - se eu caísse, a queda seria ridícula de pequena e 3 - eu sou uma ninja médica.

- Sabe, dizem que quando duas pessoas estão embaixo de um visco, elas devem se beijar. É tradição.

Não pude deixar de gargalhar com isso, Naruto não desiste nunca. Confesso que me senti tentada a isso. Mas fingi que não, eu ainda tinha coisas para resolver com Sasuke-kun. Precisava tirar um peso do meu coração.

- O que acha dessa? - Perguntei ao sair do provador

- Você está linda - Naruto afirmou babando

- Você disse isso nas últimas sete, Naruto! - reclamei frustrada.

- É porque é verdade, você fica linda de qualquer jeito.

Entrei de volta no provador para que ele não visse meu sorriso. A vendedora logo entrou me trazendo mais roupas. Assim que provei a próxima eu sabia que não podia sair daquele provador e mostrar para Naruto, eu queria surpreende-lo na ceia.

- Sakura-chan, por que está com sua roupa?

- Porque já escolhi a que vou usar.

- O QUE? Mas… mas….

- Relaxa, Naruto. É surpresa. - brinquei enquanto ia em direção ao caixa.

Depois de sair da loja, passei em frente a uma loja que eu soube que precisava entrar. Pedi que Naruto me esperasse lá fora e ele esperou curioso e confuso, mas de bom grado. Quando voltei fomos para casa, já era noite e eu me sentia exausta. Naruto insistiu em ficar comigo em casa, não proibi. Enquanto tomava um banho relaxante ele fazia a janta. Coloquei meu pijama de inverno de patinhos cor de rosa e fui até Naruto que desatou a rir de mim.

- Naruto! - repreendi - patinhos são fofos! - fiz o típico bico do drama enquanto ele segurava a barriga e secava lágrimas.

- Você está linda, desculpe.

Suspirei cansada, mas me sentei na ilha apoiando a cabeça nas mãos enquanto o observava cozinhar. O sonho me voltou na cabeça e eu não resisti ao impulso de perguntar.

- Naruto… - comecei.

- Sim? - perguntou distraído enquanto picava mussarela em cubinhos e colocava na panela..

- Eu tive um sonho e era com você. Você sabe que depois da guerra, quando suas memórias mais importantes se tornaram públicas as vezes eu acabo sonhando com algumas que ninguém mais viu. Acho que é porque nossa ligação era mais forte do que a de qualquer outro. Sasuke-kun também sonha as vezes com suas memórias. - Isso chamou a atenção dele, notei porque os músculos ficaram tensos e ele parou de mexer a colher de pau.

- E o que você viu? - ele tentou soar relaxado, como se não se importasse.

- Eu vi você e uma garota. Falavam sobre mim.

- E…? - me instigou a continuar

- E dizia que me amava, e jamais forçaria meu amor. Mas que continuaria a cuidar de mim e que…

- E que nada me deixaria mais feliz que me escolhesse. - Ele agora estava de braços cruzados de frente para mim, me encarando acusador. - E o que quer saber?

- Se, bom, eu… - suspirei e fechei os olhos tentando parar de gaguejar. - Ainda se sente assim?

- Que diferença faz? Você ama o Sasuke, foi assim por anos. Você sempre soube que eu te amava, nunca foi segredo. Então porque quer saber disso agora? Que diferença faz, Sakura? - Ele agora tinha lágrimas nos olhos e eu me arrependi de perguntar - Se nunca vai me escolher, por que faz essas perguntas e me dá falsas esperanças? De quantas maneiras ainda vai partir meu coração?

Ele desligou o fogo e virou as costas indo em direção a porta, ele ia embora e eu tive a sensação de que se ele passasse por aquela porta, seria para sempre, ele já havia pegado o casaco e eu ainda estava paralisada em meu lugar. Ele abriu a porta.

Quando eu vi, já estava o abraçando por trás chorando. Surpreso ele virou para me encarar e eu não pude não fazer aquilo. Eu não pude não beija-lo.

Beijar Naruto foi como se eu finalmente retornasse para casa depois de uma longa viagem fora. Foi como respirar após se afogar. Como o céu cheio de estrelas brilhantes depois de inúmeras noites de chuva. Foi como ver a lua pela primeira vez.

Beijar o Naruto foi como encontrar uma parte de mim a muito tempo perdida. Eu tive medo, de que quando nossos lábios de separassem, ela fosse embora novamente.

Ele me encarou como se tivesse vendo o sol pela primeira vez e eu não pude deixar de sorri.

Sabe, dizem que quando duas pessoas estão embaixo de um visco, elas devem se beijar. É tradição. - brinquei repetindo as palavras dele e logo um sorriso maior que a cara se formou em seu rosto. Ele me segurou pela cintura me rodopiando, me deu um selinho e simplesmente foi embora. Assim, como se eu não tivesse acabado de fazer a ultima coisa que ele esperaria.

No dia seguinte acordei sentindo cheiro de queimado vindo da cozinha. Franzi o nariz enquanto me levantava dando encontrões na parede meio desnorteada pelo sono. Me deparei com Naruto jogando biscoitos no lixo.

- Bom dia Sakura-chan! - disse com a maior naturalidade, como se não tivesse acabado de invadir a minha casa e começado a cozinhar, ou pelo menos tentar.

- Naruto, o que faz aqui? - Perguntei bocejando.

- Você disse que sempre fazia biscoitos de canela com sua mãe e eu quis fazer isso por você, mas não deu muito certo. - Deixei escapar uma gargalhada e lhe respondi em meio aos risos.

- Baka! Eu disse que fazia COM ela, e não que ela fazia sozinha. Me deixe te ajudar.

Ele coçou a nunca envergonhado enquanto eu ia ajuda-lo com os biscoitos. Não falamos sobre o beijo de ontem.

Em algum ponto da receita começamos uma guerra de farinha de trigo e agora a cozinha estava uma bagunça. Suspirei cansada e decidi que comprar a ceia pronta seria muito mais produtivo.

Enquanto Naruto mandava seus clones pela vila com a lista que fiz, eu comecei a limpar a casa com a ajuda dele.

- Sakura-chan, por que eu tenho que limpar a cozinha? - perguntou de bico

- Porque ela está suja por culpa sua! - joguei o pano de prato na cara dele e fui arrumar a cama..

Depois da casa limpa e a ceia toda no jeito. Naruto foi embora se arrumar e me deixou sozinha, enquanto eu vestia minha roupa me perguntava como seria essa ceia de natal.

O vestido que eu usava tinha um tom de vermelho bem vivo, mangas longas e ia sua altura cobria a metade da coxa. Colado em cima e rodado em baixo, ele tinha uma abertura nos seios coberto por um tecido preto e um cinto em formato de laço da mesma cor, preto.

A campainha tocou e quando abri era o Sasuke-kun, sempre pontual.

- Sasuke-kun! Fico feliz que tenha vindo.

- Está linda...

- Obrigada - Agradeci corada e agradecendo a Kami quando a campainha tocou novamente.

Na hora do amigo secreto foi um turbilhao de emoções

- Eu começo! - Gritei me levantando enquanto colocava minha taça de vinho em cima da mesa de centro da sala.

- Por que você? - Ino murmurou contrariada.

- Ora essa, porque a casa é minha - respondi enquanto pegava dois presentes de baixo da árvore.

- Meu amigo secreto jamais seria secreto em nada. Ele é barulhento, idiota e muito estabanado. Mas é leal, engraçado e o meu melhor amigo. Eu não seria ninguém sem ele. - falei emocionada enquanto todo mundo encarava o Naruto que parecia empurrado.

- Hm, e quem é esse Sakura-chan? - Perguntou rude

- IDIOTA! - Soquei a cabeça dele com raiva, ele estava com ciúmes dele mesmo. Baka! Tão lerdo que nem notou que era ele. Suspirei fundo e me ajoelhei na sua frente segurando a sua mão - É você, Naruto.

Ele me olhou surpreso mas pegou os dois presentes e abriu um só. Pois quando abriu seus olhos se encheram de lágrimas.

- Ontem você me disse que tudo que queria de Natal era a sua família, eu jamais poderia trazê-los de volta, mas eu podia fazer isso por você. Venha Naruto, coloque a estrela na árvore, deixe-a iluminar nossa ceia e nossos corações, porque o mundo nunca viu estrela mais amorosa e bondosa que essa. - Eu disse já de pé enquanto o puxava pela mão, mas ele me surpreendeu e me abraçou com força chorando, chorei junto.

- Obrigado, Sakura-chan… - agradeceu com a voz rouca enquanto colocava a estrela cadente na árvore, com uma foto de seus pais gravado nela. Sorri vendo aquilo.

Sasuke que observava tudo se levantou da cadeira no canto da sala e saiu em direção a varanda. Olhei Naruto e entramos em um acordo silencioso, eu iria.

- Sasuke-kun? - Me aproximei e me encostei naquela coisa da varanda que nunca lembro o nome.

- Não estou surpreso, Naruto veio me procurar ontem a noite. - ao notar minha surpresa ele só deu de ombros. - Eu quero que vocês dois sejam felizes, Sakura. Mas não posso negar que dói, sou humano.Ontem a noite sonhei com meu Itachi e uma garotinha, ela tinha cabelos e olhos negros, mas era idêntica a você. Eles se abraçavam meio de lado rindo. Algo que jamais terei.

- Eu sinto muito, Sasuke…

- Não sinta, a culpa é minha. Mas eu estou feliz por vocês, estou mesmo. Só preciso de um tempo.

Concordei com a cabeça e me retirei de la, Sasuke voltou 5 minutos depois e Naruto ficou nos encarando, até que eu disse que era a vez dele na brincadeira.

Quando todo mundo foi embora Naruto ficou e me ajudou com a bagunça, mas pude perceber que estava emburrado com algo. Nos sentamos na varanda e o encarei.

- Desembucha, Naruto.

- Como foi a conversa com o Teme?

- Naruto, eu…

- Está tudo bem Sakura-chan, podemos esquecer aquele beijo se você quiser. Eu prometo que vou continuar sendo seu amigo.

- Não seja idiota, Naruto. - ralhei - Eu posso estar confusa sobre meus sentidos em relação a você, mas sei o lugar do Sasuke em minha vida. Eu o amo sim, mas como meu amigo. Acho que amei sozinha por muito tempo. Quando estou com você eu me sinto completa, não explicar isso que eu sinto, eu só sei que preciso de você como respirar, se não mais que isso. Eu… - Não consegui terminar meu discurso tendo em vista que Naruto me beijou.

- Olha lá Sakura-chan, uma estrela-cadente! - Fechei meus olhos com força e ele fez o mesmo.

- O que pediu?

- Para que ficássemos juntos pra sempre.

- Idiota! - Soquei a cabeça dele - Agora não vai se realizar!

- Mas você perguntou - Disse indignado enquanto passava a mão na cabeça. Não pude deixar de sorrir e beija-lo afinal, eu havia desejado o mesmo que ele.

______________________________________________________

Esta carta estrelinha, é para agradecer. Eu não sei se foi o nosso pedido naquela noite ou simplesmente amor. Mas estamos juntos até hoje e eu sinto em meu coração que vamos continuar assim. Meu marido é um homem incrível e nossos filhos são adoráveis. Hoje é mais um natal que passamos juntos e as crianças amam.

Sasuke encontrou alguém, mais especificamente a Ino, não posso dizer que estou surpresa. Hinata e Kiba formaram um casal adorável e Neji continua fazendo falta. Kushina e Minato preenchem a casa todo ano em cima de nossa árvore.

Mas todos os anos nos reunimos no Natal com nossos filhos e contamos nossas historia, o barulho de crianças correndo pela casa é algo reconfortante e poder dividir isso com todos os nossos amigos sem mágoas é melhor ainda.

Então eu lhe agradeço estrela-cadente, por tudo que fez. Espero que sua magia continue por muito tempo ainda.

26 de Fevereiro de 2018 às 22:17 3 Denunciar Insira 2
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Karimy Karimy
A história é muito gostosa de se ler, com uma escrita leve e cativante. Notei algumas falhas que podem ser reparadas em uma revisão, mas nada que atrapalhe a leitura. Foi a primeira one desses dois que li e amei, já quero mais desse casal! BJs!
4 de Março de 2018 às 06:46
Alice Alamo Alice Alamo
Olá! Notei que sua história é uma fanfic e, portanto, está na categoria errada do site. Fanfics devem ser postadas na categoria Fanfiction e os gêneros como romance, poesia, lgbt, etc, devem ser postados nas tags ;) Para alterar, basta ir em Editar configurações da história, ok?
1 de Março de 2018 às 18:44

~