Between Secrets and Lies Seguir história

linriggs Lin Riggs

"Como podemos esperar que os outros guardem os nossos segredos se nós mesmos não conseguirmos guardar?" Após quatro anos viajando, Marie finalmente decide voltar a sua cidade natal, disposta a esquecer o passado e voltar a viver ao lado de sua mãe e irmã. Tudo parecia dar certo por algum tempo, mas após a vinda de novos alunos a escola, as coisas começam a mudar de uma forma inexplicável. Segredos vão sendo revelados aos poucos, ninguém está a salvo desses Posts misteriosos. Uma onda de terror cibernético começa a tomar conta de Sweet Amoris, e todos tem em mente um único objetivo: Descobrir quem é que está por trás dessas postagens.



Fanfiction Para maiores de 18 apenas.

#Linguagem Imprópria #Insinuações #Transssexualidade #Homossexualidade #Crossover #Segredos #Criminal Case #Português #Amour Sucré #Suspense #Universo Alternativo #AU #Mistério #Colegial #CyberBulliyng #Bullying #Blog #Anonimous #Fanfic #Amor Doce
0
7103 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

De volta ao Lar


|| Quatro anos atrás… ||


O local era tomado por risadas, que ecoava pelos quatros cantos do ginásio e fora dele.


O líquido pegajoso com algumas penas de travesseiro escorria pelo rosto do casal que estava no centro de toda a confusão, enquanto as pessoas apontavam seus dedos e riam feito hienas. A garota de cabelos alaranjados agarrava o amigo fortemente, chorando enquanto ouvia a zoação dos colegas, querendo sair correndo dali. O rapaz que usava lentes enormes, ao contrário da ruiva, olhava às pessoas ao seu redor com raiva, abraçando sua amiga de forma protetora e seu olhar se dirige a uma pessoa em particular.


No meio das pessoas, Marie olhava a cena sem falar nada. Ela era uma dos poucos “telespectadores” que não ria e tirava sarro da situação que eles estavam. A morena continuava imóvel, suplicando com olhar, mas como resposta recebeu um olhar triste, abalado. Aquilo fez com que ela se sentisse ainda pior, era como se ela recebesse uma facada em seu peito. Realmente, ela não queria fazer aquilo. Não estava nos planos. Era para ser uma brincadeira inocente, não uma humilhação pública. Se tivessem falado a verdade, com certeza Marie teria pulado fora muito antes.

Antes mesmo que percebesse, duas garotas a abraçam, caçoando do casal. Ela olha para a loira de cabelos cacheados e a encara por repulsa. Não acreditava que um dia pode tê-la achado uma pessoa boa e amigável, que faziam mal juízo dela. Doce ilusão. Ela olha para o outro lado e olha tristemente para a morena de olhos esverdeados do seu lado e não sabia o que sentia por ela no momento. Ela, sua amiga de anos, amiga DELES, agindo de modo fútil e rindo da humilhação do casal só para ser igual a loira.


Como ela se deixou levar tão facilmente? Para ela fazer parte da turma popular? Para agradar a vontade de suas novas “amigas”? Qual sentido faria agradar algumas pessoas de um lado e magoar profundamente outras ?


Ela volta a olhar para seus amigos, ou no caso, ex-amigos, murmurando um “Desculpe”, torcendo que eles a perdoasse um dia por isso e se desvincula das duas garotas e tenta sair do meio da multidão, indo para fora do ginásio da escola, se escondendo do peso de sua consciência. Marie foi para seu lugar preferido da escola - a biblioteca - e foi para o fundo dela, se sentando perto de um montes de livros e ficou ali por um tempo. Naquela altura a diretora já tinham visto o que havia acontecido no ginásio e estava procurando o, ou no caso, os autores daquela brincadeira. Com certeza Ambre daria um jeito de tirar o dela da reta e das suas amiguinhas, mas e Marie? A morena não sabia se a loira faria o mesmo por ela.


A dúvida ficou pairando em sua cabeça até sentir seu celular vibrando insistentemente em seu bolso e com um pouco de medo ela o pega e lê a mensagem.


Precisamos conversar

é MUITO sério. Envolve nossos pais

Ainda tá na escola? Irei te pegar para termos uma conversa melhor…

Kimy

Marie olhou para a mensagem que sua irmã a enviou com um pouco de medo. Algo dentro dela já estava prevendo o pior. Mal sabia ela a notícia que a esperava quando se encontrasse com sua irmã...



|| Dias Atuais - Aeroporto de Paradise Falls ||


O avião havia acabado de pousar na pista. Os passageiros iam saindo em fileiras, pegando suas bagagens e indo em direção a saída. Uma das aeromoças percebe que uma passageira continuava em sua poltrona, adormecida, e vai até ela, a chamando calmamente.


— Senhorita… ? Senhorita acorde - dizia a aeromoça de cabelos ruivos e a morena acorda sobressaltada olhando para os lados e em seguida olha para a aeromoça — O avião já pousou.

— Já pousou? — disse a morena bocejando e novamente a aeromoça confirma.


Marie acaba se levantando e pega sua bolsa, agradecendo a aeromoça por tê-la acordado e acaba saindo do avião e indo para o saguão de desembarque. O morena olha para o relógio em seu pulso - já era quase 20:00 horas da noite. Sua carona iria vir buscá-la a qualquer momento, então ela se dirigiu até a saída. Ela se sentou em um dos bancos perto do ponto de táxi e esperou pacientemente por quase meia hora até ouvir uma voz ao longe muito conhecida.


— Pequena Ann? - Marie acaba se virando para a direção da voz e sorri largamente — A quanto tempo não te via caçulinha!

— Kimy! — a garota se levanta num pulo e vai correndo abraçar a irmã mais velha que corresponde ao abraço.


Kim era a mais velha por apenas um ano e meio de diferença de Marie, uma garota bem alta para a idade, de cabelos chanel e olhos esverdeados. Apesar de terem o mesmo sangue, as duas não tinham quase nada em comum na aparência. Kimberly havia puxado mais a mãe, enquanto Marie, seu pai.


— É tão bom tê-la de volta pequena. O que achou da França? — disse Kim ao recuar um pouco enquanto ajudava a caçula com a sua segunda mala e elas vão em direção aonde a morena havia estacionado o carro.

— É… um lugar legal - respondeu a morena colocando uma mexa do seu cabelo para trás — Tinha muitas coisas legais, conheci pessoas bacanas e pude me aproximar mais da vovó, mas estava com saudade de vocês… E a mamãe? Ela está bem?


A mais velha ficou em silêncio por longos minutos e quando chegaram ao carro, ela abriu o porta-malas e guardou as duas malas de Marie.


— A nossa mãe está do mesmo jeito pequena Ann… — fala Kim em um tom soturno e quando olha para Marie, ela dá um sorriso meio forçado enquanto fechava o porta-malas — Mas talvez ela tenha alguma reação positiva quando te ver novamente.


Marie não respondeu, apenas balançou a cabeça positivamente enquanto entrava no carro com Kim, que dá partida logo em seguida. A viagem foi longa e silenciosa. Marie ora ou outra puxava algum assunto com Kim, mas não durava muitos minutos. Fazia muito tempo que ela não contato com a irmã mais velha, então não sabia como iniciar direito uma conversa com ela. No final ela optou por ligar o som, que tocava a música Alone enquanto olhava pela janela a rua em movimento.


Lar, doce lar...

26 de Fevereiro de 2018 às 16:27 0 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo Welcome back, Dear

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 31 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!