Muito Bem Acompanhada Seguir história

sakuu-chan Sakuu-chan Oficial

Haruno Sakura se via numa sinuca de bico: seria madrinha do casamento de sua prima com seu ex-namorado, para piorar tudo, tinha que levar seu namorado como acompanhante, mas a questão era: Que namorado. Estava perdida, e a unica pessoa que poderia salva-la era ele, seu melhor amigo, Uchiha Sasuke. Será que ele embarcaria nessa loucura? Pensando bem, ela estava ferrada.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas. © Sakuu-chan

#naruto #sasusaku #258
19
6913 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Um

CAPÍTULO UM.

***

– Por favor, Sasuke-kun! – A mulher de madeixas longas e em uma tonalidade rosada lhe implorava.

– Não, Sakura. – Negou mais uma vez, por suas contas já era a milésima vez aquele dia. – Isto é loucura. – Afirmou bufando.

Já estavam presos dentro de seu escritório há mais de duas horas discutindo aquela maldita ideia da rosada. Haruno Sakura era sua melhor amiga, mas aquela ideia era loucura, uma ideia sem pé nem cabeça, ela só podia ter cheirado muito aguardente durante o seu plantão, era a única justificativa.

– E por que não? Sou tão feia assim? – Ouviu ela lhe perguntar fazendo beicinho e cruzando os braços abaixo dos seios.

Instantaneamente seus olhos seguiram para o corpo da mulher a sua frente, a saia social cinza de cintura alta realçava o quadril avantajado, as coxas grossas e a cintura fina da mulher, enquanto a blusa social branca feminina com os dois primeiros botões aberto realçava os seios mediados da Haruno. Após percorrer todo o corpo esbelto e curvilíneo da melhor amiga, subiu os olhos para o rosto.

Em seus lábios carnudos pintados de vermelhos escondia um enorme sorriso, com os dentes brancos e retos, o nariz era fino e combinava perfeitamente com o rosto redondo e delicado, mas o que o atraia mesmo naquela mulher era aqueles olhos grandes e verdes esmeraldas que combinavam perfeitamente com o conjunto do corpo e das madeixas longas rosadas. Sakura era linda, isso era fato, mas custava da mulher de vinte e sete anos entende isso.

– Você não é feia. – Retrucou bagunçando mais os cabelos e relaxando sobre a cadeira estofada de seu escritório. – É apenas louca.

– Qual é Sasuke-kun, quantas vezes eu já te livrei da louca da sua ex, Karin? Sem contar das outras. – Ela retrucou lhe olhando feio enquanto batia as mãos em sua mesa de mogno, ela sabia onde atingir seu ego, e o atacou. – Estou te pedindo algo simples.

Suspirou e a olhou nos olhos, Sakura não lhe pedia nada de simples. Aquilo era loucura em sua humilde opinião séria e centrada.

– Seu pedido não tem nada de simples. – Soltou afrouxando a gravata pelo calor da discussão.

– Você realmente vai negar? – Sakura lhe perguntou se endireitando e lhe olhando nos olhos. Confirmou levemente com a cabeça e fechou os olhos para ouvir o furacão rosado lhe xingar até a quinta geração. – Ótimo, que belo amigo você, Uchiha.

A voz suave da rosada lhe fez abrir os olhos rapidamente, quando deu por si a rosada já saia de sua sala batendo a porta com força. Às vezes tinha medo da rosada, mas naquele instante via-se perdido, não sabia o que pensar. Suspirou e puxou os fios negros após pensar um pouco.

Sabia muito bem que iria se arrepender daquilo, mas o que poderia fazer se não conseguia negar um pedido daquela mulher?

***

Qual era o problema daquele homem? Já havia enfrentado várias coisas por ele, e quando ela pedia algo simples, ele simplesmente negava? Não conhecia este lado mesquinho de Uchiha Sasuke, para falar a verdade conhecia sim, e muito bem. Suspirou alto e apertou o botão do elevador.

Pensando melhor, seu plano era completamente louco, isso a fez sorrir. Mas o que ela poderia fazer? Era sua única alternativa. Entrou na caixa de aço e começou a pensar.

Não estava em seu plano de vida sua prima vadia Yamanaka Ino casar-se com seu ex-namorado da época de escola, Sabaku No Gaara e ela ter que ser madrinha e ter que voltar para Konoha após oito anos longe, assim como não estava em seus planos pegar seu imprestável namorado na cama com outra há mais de seis meses. Estava muito ferrada.

Seu plano não era tão louco assim, pelo menos era o que achava, Sasuke só precisaria fingir por quinze ou vinte dias que era seu namorado e ser padrinho do casamento da Yamanaka ao seu lado. Pensando bem, era bem louco aquele plano. Mas não poderia voltar e simplesmente falar: “Voltei, e estou solteira.”, se fizesse isso, seus pais a deserdaria, com toda certeza.

Então quem melhor do que seu melhor amigo, e empresário poderoso que Uchiha Sasuke para ser seu namorado? Não exista pessoa melhor para tal papel a não ser o moreno, bastava ele entender isso. Sorriu amigavelmente para um rapaz que lhe sorria e rumou para a saída do grande edifício com um letreiro enorme escrito: Uchiha Company.

– Sakura.

Ouviu seu nome ser chamado e virou-se lentamente para a direção, arregalou os olhos quando viu o moreno parar em sua frente ofegante e levemente suado, arqueou as sobrancelhas e ficou o encarando enquanto o mesmo voltava a postura habitual: Ereto, carrancudo e olhos sérios.

– Pois não, Senhor Uchiha? – Perguntou olhando para o moreno lhe encarando, estava chateada com ele e não fazia questão de esconder.

– Você venceu Haruno, eu topo. – Sasuke falou colocando as mãos no bolso da calça social.

O sorriso tomou conta de seus lábios, quando deu por si já abraçava o moreno que lhe segurava, levantando-a do chão alguns centímetros, a felicidade da rosada era contagiante fazendo o moreno dar-lhe um sorriso raro de canto.

– Obrigada Sasuke-kun. – Distribuía vários beijos pela face do moreno.

– Eu vou me arrepender disso. – Resmungou soltando a rosada.

– Ah, vai sim. – Riu dando um selinho no melhor amigo, para depois de afastar.

Sabia bem que tanto ela quanto ele iriam se arrepender do que estavam fazendo, mas eram melhores amigos, estavam ali para isso. Sakura pegou seu carro e rumou para o hospital para dar seu último plantão antes de viajar no dia seguinte, tinha aproveitado para tirar umas férias, já que Tsunade – chefe do hospital – vivia alegando que a rosada trabalhava demais.

***

– Passageiros do Voo 736, com destino a Konoha, por favor, se dirigem ao portão de embarque número Quatro.

A voz eletrônica do anúncio de voos penetrou seus ouvidos com tudo, não sabia mais se queria seguir adiante com aquele plano, no dia anterior parecia uma boa ideia e sua única solução, mas ali no aeroporto ela pode perceber que loucura seria aquilo, sua vontade era pegar suas malas – que já haviam sido embarcadas – e correr para o refúgio de seu apartamento.

– Nervosa? – Sasuke perguntou ao seu lado puxando-a para o portão de embarque.

– Acho que não foi uma boa ideia. – Confessou apertando a mão do Uchiha com força, mostrando sua total insegurança. – Não acha melhor voltarmos pra casa?

– Haruno Sakura, você ficou enchendo meu saco para aceitar isso, então você não vai desistir, entendeu? – Sasuke falou sério, parado em frente ao portão de embarque.

– Entendi. – Falou respirando fundo e engolindo seco.

Ficou observando o sorriso raro de canto do moreno a sua frente surgir, talvez fosse engraçado viajar com seu melhor amigo para uma cidade que havia fugido para seus pais não controlar sua vida. E ele finalmente conheceria sua família louca. Abraçando forte o Uchiha, deixou-se ser guiada para dentro do portão de embarque.

Não soube de onde conseguiu forças para encorajar a rosada, mas estava calmo, ou, pelo menos, tentando se parecer calmo, até porque não conhecia a família Haruno, mas pelo que conhecia de Sakura, tinha medo do que lhe aguardava em Konoha.

Respirou fundo e se concentrou em sua missão, passar a sua família que ela e Sasuke eram namorados e todos deveria cair nesta, principalmente seus pais. Seus olhos seguiram para o homem sério e pensativo ao seu lado enquanto caminhavam para o avião, quando chegou a Tóquio a primeira pessoa que conheceu foi Sasuke.

O atendeu no hospital, onde fazia estagio, todo arranhado e cortado por unhas, então começaram a conversar enquanto a rosada fazia os curativos, foi quando descobriu que os ferimentos haviam sido causados pela ex-noiva do rapaz após o mesmo romper tudo entre eles, no início ficou assustada, mas depois começou a rir do moreno, um homem daquele tamanho ter apanhado de uma mulher, era muito engraçado.

Depois disso, começaram a sair apenas para conversar, desde então eram amigos, inseparáveis em sua opinião. Sasuke era o melhor amigo que uma mulher poderia ter, ou melhor, que Haruno Sakura poderia ter.

***

Assim que sentou na poltrona do avião, fez questão de pegar um dos remédios para dormir de Sakura – já que a rosada morria de medo de voar – e tomou, só queria acordar quando o avião pousasse em Konoha, necessitava estar psicologicamente descansado. Seriam longas quatro horas de voo.

Viu Sasuke apagado ao seu lado e suspirou. Já havia tomado um comprimido para dormir durante o voo, porém, ele ainda não estava fazendo efeito, já que estava a vinte minutos tentando dormir, se tornando uma missão impossível. Ergueu a mão e chamou uma das três aeromoças – comissárias de bordo – que atendiam a primeira classe.

– Poderia, por favor, me trazer uma garrafinha de tequila? – Pediu em sussurro.

– Claro.

Viu a mulher de corpo esbelto e magro coberto pelo vestido da cor da companhia aérea sumir atrás de uma cortina cinza para depois voltar com três vidros de bebidas alcoólicas, uma de tequila branca, outra de uísque ouro e outra de absolut, abriu rapidamente a de tequila e a tomou rapidamente. Minutos depois dormia profundamente com a cabeça escorada no ombro de Sasuke.

Sonhava com algo sem nexo, lá estava ele no lugar do noivo na frente de uma igreja lotada de pessoas desconhecidas, a marcha nupcial começou a tocar e pela porta aberta passou Sakura, linda em um vestido de noiva tomara que caia, em seus lábios um sorriso grande brincava, seus cabelos estavam nos ombros, mas os olhos verdes que tanto amava estavam lá, brilhando como sempre.

Acordou assustado, estava ofegante e levemente suado, pegou o lenço de papel a sua frente e secou as pequenas gotas de água que escorria por seu pescoço e testa. Não havia entendido nada daquele maldito sonho. Suspirou e tentou se mover, porém um corpo o impediu, quando abaixou o olhar, viu Sakura o abraçando pela cintura enquanto seu rosto estava escondido na curva de seu pescoço.

***

– Sakura… Sakura… – Chacoalhava sem parar a rosada, mas parecia que a mesma havia morrido, suspirando alto chacoalhou-a mais forte. – Que merda Sakura, acorda.

Acordou assustada, sonhava que Ino dava em cima de Sasuke na sua frente, na maior cara dura. Olhou para os lados e constatou que ainda estava dentro do avião com Sasuke ao seu lado, lhe olhando emburrado.

– Já chegamos? – Perguntou bocejando.

– Há dez minutos. – Sasuke respondeu carrancudo, eram os únicos dentro daquele trambolho de aço com asas.

– Desculpa. – Se desculpou olhando o moreno nos olhos.

– Vamos logo. – Sasuke falou e se afastou.

Sakura apenas suspirou antes de pegar a bolsa e seguir o moreno.

***

Esperavam as malas em silêncio, Sasuke ainda estava emburrado e Sakura segurava o riso ao seu lado. Tinha que confessar que quando o moreno ficava emburrado, ele fazia um pequeno bico, era sexy e bonito, mais ainda. Mordeu o lábio inferior e o viu se abaixar para pegar suas malas e as dele, com isso, passou a admirá-lo melhor.

Sasuke tinha 1,85 cm de altura, seus ombros eram largos, braços definidos assim como o resto do corpo, os cabelos eram negros rebeldes atrás e comportados na frente, os olhos eram negros e sérios, seu nariz e sua boca eram finos, a pele clara realçava mais a beleza do jovem Uchiha, as pernas cobertas pela calça jeans eram definidas e malhadas, aquela camisa social branca dobrada ate os cotovelos e com os botões abertos o deixavam mais sexy ainda. Sasuke era um homem e tanto.

– Poderia, por favor, parar de me tarar? – A voz de Sasuke chamou sua atenção.

Ah! A voz! A voz daquele homem era de outro mundo, era rouca, forte e grave, quando a ouviu pela primeira vez quase teve um orgasmo, mordeu levemente o lábio inferior ao imaginar o moreno falar coisas obscenas em seu ouvido na cama, realmente deveria ser delicioso.

– Impossível meu amigo, você é gostoso demais para resistir. – Brincou puxando sua mala para a saída.

Sorriu de canto ao observar o rebolado de Sakura coberto pelo tecido leve do short que trajava. Ainda se perguntava por que nunca havia transado com Sakura? Ah sim, ela nunca quis. Desde que a conheceu ficava imaginando como a rosada era na cama. Comportada, selvagem, bruta ou passiva? Duvida cruel.

Quando a viu pela primeira vez naquele hospital, sua maior tara virou ver mulheres de jalecos, eles realmente davam um gosto de quero mais as mulheres, ou era só por causa de Sakura? Não fazia a mínima ideia, a única coisa que sabia era que a rosada era gostosa e que ele sofreria nestes dias.

Gemeu de desgosto ao ver seus pais lhe acenando como dois retardados no meio do aeroporto. Haruno Kizashi e Mebuki lhe rachavam a cara de vergonha. Com um sorriso forçado acenou para os mais velhos.

– São meus pais. – Falou para Sasuke quando o mesmo lhe tocou a cintura.

– Vamos encenar. – Sasuke falou puxando a Haruno em direção ao casal

Andavam sorridentes de mãos dadas até o casal Haruno quando Sakura travou no lugar, fazendo Sasuke voltar com tudo.

– Puta que pariu! – Xingou ao notar a figura ruiva ao lado da loira.

O que foi? – Sasuke perguntou virando-se para a “namorada”. Não estava entendo mais nada.

– A loira, é a vadia da minha prima. – Falou de uma vez agarrando a camisa de Sasuke e o puxando.

– Respira. – Falou sem se virar, viu a rosada respirar e lhe olhar nos olhos pedindo ajuda.

– Sakura querida. – A voz parecida com a da rosada invadiu os seus tímpanos.

Sakura arregalou os olhos enquanto apertava mais a camisa do Uchiha, estava perdida. Tentava respirar, mas parecia impossível quando sua mãe se aproximava cada vez mais.

– Haja naturalmente. – Sasuke sussurrou enquanto abraçava a rosada.

Sasuke ficou fazendo carinho na nuca da rosada até a mãe da mulher se aproximar o suficiente para presenciar a cena, respirou fundo e separou-se do abraço segurando o rosto da rosada.

– Você confia em mim? – Perguntou baixo vendo a rosada confirma com a cabeça. – Então, vamos resolver isso.

Quando ia falar algo, os lábios de Sasuke cobriram os seus em um selinho demorado, fechou os olhos e aproximou mais os corpos, para se manter firme, após se separarem, sentiu seu rosto arder de vergonha. Sasuke apenas sorriu de canto, era a primeira vez que a rosada corava na sua frente.

– Você está bem querida? – A voz do patriarca dos Haruno surgiu ao lado do casal.

– S-Sim. – Gaguejou ainda encarando Sasuke. – Só esquecia algo. – Falou para depois sorrir.

Sasuke nada falou, apenas ficou observando a rosada abraçar os familiares e sorrir.

– Mãe, pai, este é meu namorado, Sasuke. – Apresentou enquanto abraçava o moreno pela cintura.

– Senhora Haruno… – Beijou a mão da loira de olhos verdes para depois apertar a mão de Kizashi. – Senhor Haruno.

– Testa de marquise. – A voz estridente atrás do casal, chamou a atenção de alguns ali.

– Porca. – Sakura retrucou o apelido infantil, dando um sorriso falso. – Vadia. – finalizou em pensamento.

Sentiu a loira de cabelos longos, de olhos azuis-claros e corpo esbelto lhe abraçar fortemente. Retribuiu mesmo que sua vontade fosse de arrastar a cara da loira no chão do aeroporto. O falso sorriso mantinha-se intacto em seus lábios. Sasuke olhava a loira com os olhos levemente arregalados, Deus, era agora que estava ferrado nas mãos de Sakura. Separaram-se e ficaram se olhando.

– Sakura. – O ruivo falou apenas dando uma balançada de cabeça.

– Olá Gaara. – Retribuiu dando um sorriso indo para o lado de Sasuke. – Ino e Gaara, este é Sasuke, meu namorado.

– Oh meu Deus.

Ino falou com os olhos arregalados e com as mãos sobre os lábios para conter o espanto, Sakura e Gaara olhavam de um para o outro, sem entender nada, Sasuke mantinha-se impassível, apenas encarando a loira com um olhar gélido. Estava mais que ferrado, estava lindamente fodido.

26 de Fevereiro de 2018 às 13:20 2 Denunciar Insira 1
Leia o próximo capítulo Capítulo Dois

Comentar algo

Publique!
jungdae jungdae
não acredito que encontrei essa fanfic kadjah chorando muito
11 de Julho de 2018 às 19:15

~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 21 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!