J
Juny Nt


Vocês já devem ter ouvido falar dos contos de fadas. Aqueles que começam com... Era uma vez... e bla bla bla. Lembram do sapatinho de cristal??? Esta história até poderia ser deste tipo. Mas não é. Ate parece um conto de fadas, mas é apenas baseada em uma história real. A história de alguém muito especial que se foi e dentro de toda dor da sua partida, um certo anjo, fez mudar muita coisa. Um anjo lindo que chegou para alegrar e dar um novo sentido a minha vida.


Histórias da vida Todo o público.

#amordepai #felicidade #felix #amorinfinito #realidadecruel #anjolindodaminhavida
3
4.0mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Todos nós temos dias fáceis e dias difíceis. A única coisa que não devemos fazer é  perder a fé. 

Todos nós temos dias fáceis e difíceis. A única coisa que não devemos, é perder a fé.

Sabe aquele dia que a gente desejaria nunca ter existido? Então, este foi um daqueles.

Eu me chamo Alexia, tenho 45 anos, 1,50m de altura, meu peso fica entre 49kg e 53kg, cabelos longos castanhos, olhos castanhos e como todos dizem, um sorriso que encanta a todos. Cada sorriso diferente um do outro. Dias radiante e outros nem tanto. Mas sempre sorrindo.

Pena que este sorriso se desfez, estou passando por momentos de difícil superação. Se não fosse o Ser Maior Do Mundo, Meu Deus, eu não conseguiria passar por tudo isso. Vou contar o que aconteceu.

Meu pai sempre foi meu maior tesouro. Quando ficou doente, com a idade já ficando avançada e a sua surdez, passei a acompanhá-lo aos médicos.

Antes, ele não aceitava que ninguém fosse com ele. Mas entre idas e vindas aos médicos, fazendo acompanhamento diários e todo cuidado que podíamos, ele passou mal e foi levado para o hospital.

Internações, voltas para casa, novas Internações e diversos exames estavam sendo feitos para saber o que ele tinha. Mas dependia de um exame especial, o qual não conseguíamos fazer com facilidade, nem particular era possível.

Depois de dois anos aguardando este exame, vendo meu pai se enfraquecendo dia após dia, o coração foi ficando apertado por não poder fazer nada para ajudá-lo.

Foi no mês de outubro que tivemos um parecer dos médico, o qual ele foi diagnosticado com um possível câncer no fígado. Nada com exatidão, mas um pré diagnóstico.

Foi como se meu chão tivesse se aberto quando tive a notícia. Aí que começaram as tormentas em nossas vidas.

Lembro que fiquei desnorteada, chorei muito, mas o pior ainda não tinha chegado. Precisava dar a notícia a minha mãe e ao restante da família. Começou ai nosso sofrimento, concretizar este diagnóstico ou descartá-lo.

Mandamos o pré diagnóstico para secretária de saúde para que marcasse um especialista. A demora estava enorme, mas, confesso que a esperança também.

Mês de novembro já estava batendo na porta.

Neste momento estava sentindo-me fraca, então, decidi fazer um pedido a Aquele que tudo sabe, tudo conhece.

Fui a um encontro na igreja, uma época festiva, semana chamada cerco de Jericó.

Durante as celebrações aconteceu um momento em que parecia que Deus estava falando diretamente comigo.

O celebrante, que na ocasião era um padre o qual não me recordo o nome. Durante sua pregação usou algumas palavras que foram diretas e tocaram meu coração.

Ele disse que havia uma pessoa a qual estava passando por dificuldades e tinha um desejo muito grande e um pedido especial a fazer por seu pai, ele pediu para que esta pessoa dissesse em voz alta o nome do pai.

Não pensei duas vezes, tomei posse como se fosse para mim e falei o nome do meu pai. Senti como se ele estivesse falando comigo mesmo, no fundo do meu coração.

No dia seguinte fui a adoração com uma sobrinha, ela levou a neném dela. Vocês já ouviram contos de fada? Em especial o do sapatinho de cristal?

Então, a diferença é que, quem perdeu o sapatinho foi a neném.

Antes de iniciar a adoração, notei que ela havia perdido um pé de seu sapatinho. Então avisei a minha sobrinha e ela disse que não era para me preocupar, pois sempre aparecia.

Assim, tirou o outro pé e eu guardei na bolsa e seguimos em nosso momento de oração.

Durante a adoração ao Santíssimo fiz novamente meu pedido. Pedi para que tivesse um sinal qualquer, que teríamos uma boa notícia sobre o problema de saúde do meu pai.

Passando alguns minutos, foi anunciado que tinham encontrado o sapatinho da neném. Ao final, então peguei o outro pé que estava na minha bolsa e fui buscar o que estava faltando.

Chegando lá, olhei para um lado e para outro, então pude ver uma pessoa a qual eu já conhecia, um homem que sempre estava na igreja.

A maneira como ele fazia suas orações, a maneira como demonstrava seu amor a Deus, sua fé parecia que era maior que a de qualquer um que estivesse naquele lugar, isso chamava muito minha atenção.

O sapatinho, foi um ótimo motivo para me aproximar dele. Então o chamei e perguntei-lhe se podia fazer um favor e buscar o sapatinho para mim.

Lembro-me que veio sorrindo em minha direção e disse prontamente que já voltava.

Assim o fez, buscou o sapatinho, porém antes de me entregar, sorrindo me perguntou, onde estava meu terço?

Eu então respondi, que não havia trazido, que ficava em casa.

Ele levou a mão no bolso, me entregou um e disse que não era para sair mais sem.

Eu agradeci, peguei o sapatinho e saí. Mas a imagem daquele sorriso me acompanhou, não saiu da minha cabeça.

Ele então voltou ao que estava fazendo antes de interrompê-lo.

O terço é lindo. Todo de madeira, tem a imagem de Jesus Misericordioso.

Meu coração se alegrou naquele momento, senti como se fosse Deus me dizendo que não era para perder a fé. Que tudo ia dar certo.


29 de Junho de 2022 às 17:30 0 Denunciar Insira Seguir história
2
Leia o próximo capítulo A luz que pedi a Deus em minhas orações. Nada acontece por acaso.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 6 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!