magali-silva1617647561 Magali Da Silva

No meio do glamour do mundo da música, surge o amor, puro e ingênuo... Mike Bryan amou Mariana, a jovem imigrante, porém, seu orgulho excessivo não permitiu que ele se livrasse da ambição e vaidade de ser um astro pop do rock'n roll.


Romance Contemporâneo Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#fama #astro #infidelidade #celebridade #cantor #amor
0
555 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo I - Encontro

Francesco Parisi, o imigrante italiano, estabeleceu-se com a família no meio rural da capital Cardiff. Ele, que estava cansado da dificuldade invariável em que vivia no país natal , tinha muita curiosidade e o sonho de conhecer o Reino Unido, o local escolhido foi o País de Gales. Também sonhava em casar a única filha Mariana de 17 anos, que era bela e simpática, com certeza haveria de arranjar um bom partido entre os súditos da rainha Elizabeth II.
No final dos anos 1970 não havia muitas oportunidades para os imigrantes, o emprego que conseguiu foi de zelador em uma casa de campo, uma propriedade relativamente grande nos arredores da cidade que era de um cantor em ascensão, famoso no Reino Unido, muito ocupado com sua meteórica carreira. O nome verdadeiro dele era Michael Thomas, porém, no mundo da fama era o Mike Bryan, o controverso musicista, constante nas paradas de sucessos dos anos 1980.

+++

Mariana rapidamente adaptou-se a nova situação já que falava inglês com boa fluência. Ia para a escola todas as tardes, terminava o ensino médio interrompido pela mudança. Era reservada, não se envolvia nas conversas e discussões em sala de aula, por timidez, atenta, apenas observava.

Admirada pelos rapazes, dona de uma beleza realmente diferente e muito sensual; mesmo muito paquerada, não apaixonou-se por ninguém na escola. Era um espírito livre, adorava cantar; o trajeto da escola até a casa ela fazia cantando suas canções italianas favoritas. Adorava o País de Gales, nunca havia sentido-se tão feliz!

A família ocupou uma das casas de criados da propriedade, o pai era uma espécie de "faz tudo" e a mãe era cozinheira e arrumadeira; ela, no entanto, ajudava em tudo; quando os patrões aparecessem, sua incumbência era cuidar de todos os afazeres e a mãe ficava na casa principal para servir os patrões.

Numa manhã de outono, Michael o cantor, voltava de uma série de shows e compromissos em rádio e TV, quando trafegava pela estrada de terra batida em direção à sua casa de campo, disposto a descansar; viu a jovem Mariana voltando da escola.
Ficou impressionado com aquela figura bonita e diminuiu a velocidade e até retirou os óculos escuros para melhor observar. Ela ficou temerosa e torceu para que o desconhecido se afastasse logo. Michael a acompanhou pelo retrovisor e se perguntou, o que fazia aquela linda jovem sozinha na estrada. Pensou em voltar para oferecer uma carona, não que tivesse segundas intenções, apenas quis ser gentil com a moça. Ela quando viu que ele voltava, correu para o bosque e escondeu-se no meio do mato.
Michael achou engraçada a atitude dela mas concluiu que era uma moça sensata. Ficou desapontado, porém, concordou.
Quando chegou na casa , jogou-se no sofá e ficou satisfeito só em pensar que finalmente teria um pouco de descanso, longe dos holofotes.

— Bem vindo senhor!

— Obrigado seu Francesco. Estou precisando muito descansar.

— Eu já vou avisar Marina que o senhor chegou, ela virá imediatamente ver o que o senhor vai querer para o jantar.

— Não tem pressa, vou dormir um pouco. Pode fazer qualquer coisa, não tenho exigências.

Mike Bryan pareceu humilde e acessível, adjetivo que ele definitivamente não tinha e quando Francesco saiu, tomou um banho, deitou-se e se desligou do mundo, somente a jovem da estrada roubou-lhe os pensamentos antes do sono. Lembrou-se dela fugindo exasperada para o mato, dormiu esboçando um sorriso debochado.

***

Mariana ficou espantada quando viu o carro que passou por ela na estrada estacionado em frente à casa principal.

"Meu Deus, será que é o patrão?", pensou.

Não acreditava que tinha fugido do Mike Bryan! Com um sorrisinho irônico, apressou-se em chegar à casa pois sabia que naquela noite teria que fazer o jantar.

— O patrão chegou Mariana, fique por aqui, não quero você circulando por aí aos olhos desse homem. Artistas não prestam!

— Pai, é uma pessoa como outra qualquer.

— Não é não! E não discute comigo, não quero você por aí, entendeu?

A jovem não concordava mas respeitava a vontade do pai, nunca questionava nada. No entanto, ficou curiosíssima em ver de perto o tão famoso astropop, sabia que era bonito e tinha lindos olhos azuis. Quando chegou ao Reino Unido virou sua admiradora, sabia de cor todas as suas canções e como toda fã, sonhava em conhece-lo.
Típico da idade, Mariana estava na fase das descobertas, hormônios em ebulição, sonhos em construção, ficou aborrecida em não poder aproximar-se do cantor ,contudo, submissamente obedeceu o pai.

Na tarde do dia seguinte encontrou-o de novo na estrada, só que dessa vez ele estava a pé, propositadamente, na mesma hora do dia anterior. Era intenção dele encontra-la.

— Olá moça, aonde vai?

Ela estremeceu dos pés à cabeça e paralisou.

— O que faz uma jovem como você, andando por aí sozinha?

Mariana tentou , balbuciou algumas palavras mas não conseguiu pronunciar uma frase completa...

— Posso te acompanhar?

Sua única alternativa foi encara-lo, Michael mergulhou naqueles impressionantes olhos verdes e pensou que nunca havia visto uma garota tão bonita!

— Desculpe mas tenho que ir pra casa...

— Eu sei, só quero te acompanhar pra você chegar em segurança. Onde mora?

— Eu moro numa das casas da sua propriedade.

— Ah sim! Você sabe quem eu sou?

— Todo mundo sabe. O senhor é o patrão do meu pai.

— Não precisa me chamar de senhor. Você é filha de quem? Do seu Francesco, o italiano ? A família do seu Francesco não conheço ainda.

— Sim.

— Não sabia que ele tinha uma filha tão linda!

Desviando o olhar, Mariana ruborizou e teve medo que seu pai a visse falando com o cantor...mas o Mike Bryan , alí, parecia uma pessoa tão normal, tão de carne e osso que ela desejou estender a conversa.

— Você é italiana também?

— Sim.

Naquele momento, ele não queria ser o cantor famoso, mas somente o Michael e desfrutar da companhia daquela bela jovem e convidou-a para uma visita ao lago próximo.
Mariana foi, mesmo reticente, não era todo dia que era possível caminhar ao lado de um ser tão inatingível como o Mike Bryan. Era um convite irrecusável.
Ele gentilmente a conduziu pela trilha que levava às margens do lago.

— Você vem de onde a essa hora?

— Da escola.

— Você fala inglês muito bem, já seus pais tem bastante sotaque. Gostei da comida da sua mãe. Muito boa!

— Que bom, ela vai ficar feliz.

— Quantos anos você tem?

— Dezessete.

Michael ficava mais curioso a cada pergunta. Mais curiosamente ainda, Mariana não perguntava nada.

— E tem namorado?

— Não... nunca tive namorado.

Com aquela resposta, Michael conjecturou que ela fosse virgem e imaginou como era possível uma moça tão bonita, ser virgem.

— E por que nunca teve? Seu pai não permite?

— É, meu pai é meio exagerado em cuidados... só tive um flerte que não deu em nada, em Merano.

— E aqui, não?

— Não...

Intencionalmente, o cantor passou a contar tudo sobre a sua vida glamourosa de famoso, dos shows, dos projetos, da fama, do sucesso financeiro, esperando que ela fosse deslumbrar-se, mas surpreendentemente isso não aconteceu.
Mariana não sentia-se atraída por aquela vida de gente famosa. Era simples, pura, essa coisas em nada faziam o seu coração palpitar . Gostava dele e das suas músicas e só, não da vida agitada dele.
O cantor percebeu que nada do que relatou impressionou a garota.
Pelo contrário, ela não fez uma pergunta sequer. Tratou-o como um homem comum, não um astro da música, paparicado e endeusado, e isso ao invés de decepcionar, encantou-o.

— Preciso ir pra casa, senão meu pai vai ficar bravo comigo. — disse ela, meio inibida. — Por favor, queria chegar sozinha se não se importa...

Michael compreendeu que era orientação do pai que não andasse com estranhos, era comprometedor, sorriu e divertiu-se com a aflição dela.

— Artistas não prestam não é?

— Me desculpa, não é nada disso...

Naquele noite, Michael demorou para dormir pensando na jovem filha do caseiro.
Como alguém nesse mundo poderia não dar importância à fama e dinheiro? Como alguém nesse mundo poderia ser indiferente a ele, logo ele, tão famoso e importante? Há muito tempo não se relacionava com alguém sem o mínimo de interesse em sua posição de celebridade bem sucedida, alguém tão autêntica e verdadeira.

17 de Maio de 2022 às 10:55 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Capítulo II - Apaixonando-se

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 9 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!