lslauri Liura Sanchez Lauri

Se são ou não os hormônios, quem se importa?! O importante seria ser capaz de agir, mas ainda não sou, então a escrita é uma ferramenta poderosa para dizer o quanto eu desejo toda felicidade do mundo a você! Mesmo não sendo capaz de dizer isso pessoalmente...


Conto Todo o público.

#desabafo
Conto
0
1.1mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Cap. único

Pode ser pelo momento hormonal, pode ser por real conexão, eu nunca saberei, mas preciso dar vazão aos pensamentos, pra não dizer que não vivi...

Passei o dia inteiro relembrando como nos conhecemos, seu primeiro e-mail endereçado ao grupo do Yahoo! "Wolverine sem limites", onde passamos a nos escrever quase diariamente, sobre nossos anseios e rotinas. Quando descobri que você era casado isso me "tirou do chão", mas a distância que nos separava e separa era uma coisa segura entre nós, não?

E ela foi, durante alguns meses, até aquele momento fatídico onde você escreveu que "achava estar apaixonado por mim" e, depois, discorreu como isso te fazia sofrer e o quanto deixaria de me escrever, se eu assim o desejasse.

Passei um dia inteiro tentando pôr nas linhas do PC o que me vinha no coração. Confrontar essa declaração com uma aceitação inconteste seria algo impossível para mim, pois eu não gostaria que alguém – se eu fosse casada contigo – fizesse isso comigo e o pensamento de sua esposa pairou como algo que não devia: um mau agouro.

Deixei claro que independente dos meus sentimentos, não queria mais te ouvir falar sobre os seus "enquanto estivesse casado", me lembro dessa frase, como se fosse hoje. Talvez ela não tenha sido tão importante para você, mas para mim era uma aceitação velada de também estar apaixonada por você, mas não ter coragem de dizer, por você estar casado.

Foi durante a semana passada, quando assisti um filme onde duas pessoas, sobrevivendo à vida ao invés de viver, ambas com os dias contados, por conta de uma doença terminal e que passam a viver de verdade quando se abrem, sem medos... Fiquei pensando: mas o que é a vida, senão um dia contado atrás do outro? Não sabemos quanto tempo temos e isso não deve fazer cada momento tão especial, como se soubéssemos não durar mais do que queremos?

E o dia todo de hoje se passou, relutando entre o desejo de escrever pro seu WhatsApp e dizer o quanto te amo, e não fazer isso, passando mais um dia entre os tantos dias passados, vivendo entre os que eu amo também, mas que não parecem abrilhantar o vazio dentro de mim tanto quanto você, V...

Num arroubo de ansiedade, me utilizo da única arma disponível: a imaginação! Pra pensar em mim, escrevendo essa declaração pra você e tendo uma resposta tão ardente quanto desejada, algo parecido com o que me escreveu no passado: "Ah, há muito tempo havia algo que estava me incomodando e eu não sabia exatamente o que; hoje descobri que era saudade sufocada, tentando se manifestar...". Ou até mesmo, uma nova declaração de paixão; mas entendo que em alguns momentos, esses sentimentos não se mantém. A vida vai nos levando em outras direções, mas em minha mente, sempre existirá um fio que nos liga e, espero, ele seja capaz de nos reaproximar no futuro.

Tem dias que meu coração aperta de um jeito! Só as lágrimas podem desapertar e eu fico me perguntando como você está, depois me recriminando por isso e desejando que, somente, seja feliz! Esse é todo meu desejo para você, do fundo do coração! Que os momentos de felicidade estejam mais presentes que seus opostos, porque você merece! E, aí, minha mente novamente viaja, imaginando como não seria ótimo poder juntar nossas (in)felicidades, esperando uma complementar o oposto da outra, pra manter o maior tempo possível esse estado na Terra... Porque aprendi uma coisa recentemente: a sociedade atual exportou a felicidade pra algo chamado "Céu", mas eu também tenho bem cimentado em mim o quanto o céu e o inferno estão aqui na Terra mesmo! E, com isso, me permito até na imensa saudade que sinto das nossas conversas, ver beleza e ter algo próximo dessa emoção...

Eu, nesses anos, só posso responder por mim, pelos meus sentimentos e ter a certeza do quanto eles são dinâmicos. Sua dinamicidade não impede uma certa constância... A única que importa, aquela que tende ao lado positivo do sentimento, tendo crescido sem exacerbação e se fixado com razões fortes. Isso ainda persiste, em todos esses anos! E é essa persistência a responsável por essas linhas, senão não haveria motivo para escrever.

Então, agora, às vésperas da madrugada, gostaria de pegar o celular, te escrever um "oi, como você está?" e esperar por uma resposta sua. Uma resposta que não tenho o direito de ter, pois fui eu a idiota a enviar um texto, dizendo o quanto somos um "fogo de palha", por não sustentarmos um diálogo à distância por mais de alguns dias. Justo agora, com essa modernidade e tecnologia, tão diferentes de quando nos conhecemos, me sentia invadindo seu espaço, por querer uma resposta rápida diante das minhas linhas...

Encerrei o que não queria e não tenho mais condições e nem subterfúgios para retomar qualquer conversação. Como sempre, eu pareço a pessoa que insiste em nós, e vai ver, eu seja mesmo. Inclusive quando esse "nós" nunca existiu, não além do meu desejo, da minha cabeça e de alguns e-mails.

22 de Janeiro de 2022 às 23:01 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Liura Sanchez Lauri Gosto do universo dos quadrinhos. Em especial aquele onde está inserido o Wolverine. Apesar de ter gostado de alguns filmes, os quadrinhos são mais ;)

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~