Atualize agora! Temos um NOVO aplicativo para Android! Baixe-o na Google Play Store. Leia mais.
2minpjct 2Min Pjct

A coisa mais preciosa para um dragão é o seu tesouro. Para Jimin essa foi a sua verdade por muito tempo, como um dragão alfa tudo que importava para ele eram as preciosidades que ele acumulava em sua caverna. Isso até ele conhecer um ômega opinioso, com um coração nada fácil de se derreter e que iria lhe ensinar que nem todo ouro do mundo é mais valioso do que o amor.


Fanfiction Bandas/Cantores Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#fantasia #violencia #bts #yoongi #jimin #mpreg #dragões #sugamin #minimini #2min #minmin #sujim #2minpjct
4
1.1mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo único

Escrito por: rahmuharara3 /Rahmuharara3


Notas iniciais: Olá Amores (◍•ᴗ•◍)♡ ✧*。 Boatos de que tinham pessoinhas esperando por essa fic 🤭 Quero agradecer ao Erami (@Erami)/Erami4 por suas ótimas dicas e betagem, a Rafa (@Yoonieres)/Yoonieres por todas as capas e banners maravilhosos que ela fez. E também agradecer a Vic e todos que participaram das oficinas de escrita do 2min (inclusive saudades) e que me incentivaram a escrever a história dos dragõezinhos 💜 Espero que gostem!! Boa Leitura!


~~~~



Melting Your Heart

Era um dia particularmente normal quando Jimin viu o seu amado pela primeira vez. Foi em uma quarta ou talvez quinta-feira bem no fim do verão, quando os ventos frios já começavam a soprar e as folhas começavam a amarelar, e o Park só se sentiu tentado a se manter enrolado em seu ninho de cobertores e não levantar, um dia daqueles que você imagina que nada de interessante aconteceria.

Exceto que estava prestes a acontecer.

Jimin devia ter tomado como aviso a beleza da noite estrelada que tomou o lugar daquele dia simplório. Elas estavam particularmente brilhantes naquele dia, apesar de que algumas nuvens esparsas estivessem tentando obscurece-las.

Jimin gostava de sair de sua toca para observar as estrelas, e naquela noite não seria diferente, exceto que acabou por se tornar, pois naquela noite que ele outrora considerou comum, Park Jimin conheceu o seu amor.

Dragões não costumam ser seres muito românticos. Sua espécie não busca parceiros ou forma famílias com frequência. Seus instintos os levam a serem individualistas e gananciosos, acumulando tesouros e não os compartilhando com ninguém.

A mãe de Jimin foi uma ômega sem par, que educou sua cria para ser independente e livre, e o próprio Jimin saiu de seu ninho muito cedo, ávido por explorar o mundo e acumular as mais belas e preciosas coisas.

Então ele quase não acreditou na sensação avassaladora que experimentou quando avistou o dragão negro sob o fundo estrelado. Um instinto primitivo se apoderou dele e transformou sua pele em escamas e asas sem que ele ao menos tivesse controle, e quando viu estava se içando ao céu em sua forma de dragão para perseguir o outro.

Um omêga, o Park identificou quando suas asas o impulsionaram com força suficiente para alcançar a linha das nuvens.

O vento lhe trazia às narinas o cheiro de tangerinas e brasas de carvalho que fizeram seu instinto de dragão se agitar em contentamento feliz e impulsionar suas asas mais rápido em direção à forma escura e esguia à frente.

O ômega só percebeu a presença de Jimin quando esse deu uma cambalhota em pleno ar bem em sua frente. Seu objetivo era impressionar o dragão negro, e chamar sua atenção, mas esse apenas bufou antes de sair pela tangente para longe dele. O Park se sentiu frustrado, mas ele era um alfa persistente e não demorou a se recuperar da recusa para voltar a acompanhar o outro dragão.

Dessa vez foi menos incisivo. Voando perto, mas respeitando o espaço do outro. Sem acrobacias ou coisas espalhafatosas, só contente em voar e admirar o ômega, que não pareceu se opor muito a isso, apesar de não enviar a Jimin não mais que alguns olhares antes de seguir voando por entre as nuvens.

E quando o ômega resolveu descer em um rasante para pousar num planalto, Jimin o seguiu. O dragão negro pousou com graça felina e se empoleirou sobre uma pedra para observar o Park de longe com seus olhos afiados, avaliando se o alfa seria uma ameaça.

Jimin queria se aproximar, estar perto, estabelecer um vínculo com aquele dragão para poder lhe apresentar sua forma humana e poder dizer a ele que tinha boas intenções — apesar de ele mesmo não saber muito bem ainda quais seriam realmente essas intenções — e o queria bem, porém respeitou o espaço do outro e se manteve com as asas encolhidas em sinal de respeito amigável, já ciente de que pelo ar que emanava aquele seria um ômega opinioso.

As formas humanas eram vulneráveis, mesmo que ainda detivessem o controle do fogo em mãos, era sempre muito mais fácil matar um corpo humano do que um corpo draconiano, com escamas que produziam um escudo quase impenetrável e asas que poderiam transportá-los para longe em segundos com sua força. Tanto que alguns dragões nunca tomavam sua forma humana.

Os dragões só a apresentavam em sua vulnerabilidade após o estabelecimento de um vínculo em suas formas draconianas, uma espécie de tratado de paz, uma promessa de que não seriam ameaça um para o outro. Só assim ambos entenderiam que estariam seguros para se transformar.

E Jimin estava certo sobre a personalidade opiniosa do outro. O dragão negro demorou mais do que a maioria teria feito antes de permitir com um aceno de cabeça que Jimin se aproximasse mais.

O Park saltitou eufórico para perto do ômega, não podendo se conter, quase abanando sua cauda em ansiedade pelo contato, enquanto o outro dragão descia elegantemente do alto de sua pedra.

Os olhos dourados do dragão negro encontraram os olhos cinzentos de Jimin e os dois se olharam nos olhos pela primeira vez. Naquele momento ele já se sentia totalmente rendido, mas quando o ômega inclinou a cabeça em um convite para o vínculo, teve total certeza. O Park também inclinou sua cabeça para tocar a do dragão negro, sentindo a textura quente de suas escamas juntas e um arrepio elétrico que fez seu coração bater mais rápido, que Jimin sabia não ser efeito do vínculo.

Eles se separaram não muito tempo depois e o Park se apressou a trocar suas escamas azuis por sua pele humana, a tempo de ver o dragão negro se transformar em um homem de cabelos também negros e rosto delicado e forte.

— Quem é você e por que está me seguindo? — Não era a saudação que Jimin esperava, mas isso não o desanimou em nada.

— Sou Park Jimin, e não estava… — Jimin é cortado.

— Então Park Jimin, por que estava voando atrás de mim? — O Park é pego de surpresa. Como ele poderia explicar que o seu eu dragão tomou conta dos seus instintos e o comandou a voar para perto do ômega? Aquilo soava muito estranho até mesmo para ele, e um tanto quanto perturbador. Em geral, o único instinto que dragões tinham em demasia era a atração por coisas brilhantes e a necessidade de proteger seus tesouros.

— Bem, eu… — Ele começou, mas foi novamente interrompido pelo outro dragão.

— Você quer acasalar comigo! — O ômega exclama com os olhos estreitos em um tom de acusação.

— Não, não eu… — Jimin se apressa a se defender, mas então dá uma olhada no belo rosto do dragão a sua frente que parece um tanto ofendido com a recusa e que é certamente atraente, e reconsidera. — Quer dizer, eu totalmente gostaria disso, mas não foi por esse motivo que saí atrás de você.

— Então por que? — O ômega insiste, e Jimin é obrigado a dizer a verdade.

— Eu não sei, tudo bem? Eu só vi você e quando vi estava voando ao seu encontro.

— Então você é um perseguidor? — O ômega dá um passo atrás e Jimin suspira frustrado.

— Não sou um perseguidor. Juro que nunca fiz isso na vida. Eu só senti que deveria ir atrás de você.

— Você sentiu? — O dragão negro arqueia as sobrancelhas.

— Sim.

— E simplesmente veio atrás de mim?

— Sim.

— Então você é um perseguidor! — Jimin sente vontade de gritar de frustração, mas então ele se dá conta do sorriso nos lábios do outro e vê que isso foi uma provocação. Em um dia normal ele teria se irritado por terem tirado sarro dele, mas nem se tentasse ele conseguiria ficar chateado frente ao sorriso gatuno daquele ômega.

— Já que decidimos que eu estava perseguindo você, posso ao menos saber o nome da minha presa? — O ômega sorri mais amplamente e bufa revirando os olhos, porém Jimin vê que ele não está com tanta raiva como quer aparentar com o gesto.

— Meu nome é Min Yoongi, e não sou sua presa, nem nunca serei. Vocês alfas são tão cheios de si. Na verdade, seria bem mais fácil que você fosse a minha presa. — O tom de voz rouco e sedutor de Yoongi faz a pele de Jimin se arrepiar por inteiro e a chama do desafio se acender em seu peito. Ele dá um passo à frente para se aproximar do ômega, quase o encurralando na pedra que esse ocupava antes. Só agora ele percebe que os dois têm a mesma altura e adora esse fato, assim ele tem a visão perfeita dos olhos escuros do Min.

— Eu não reclamaria de ser. — Jimin dá seu melhor sorriso sedutor e por um momento ele acredita que deu certo, os lábios de Yoongi se partem em um ofego e ele cora lindamente, mas então o ômega desvia dele, passando por baixo de seu braço para longe.

— Eu tenho que ir agora. — Yoongi cantarola, aproximando da borda do planalto. Os músculos já tensos prontos para a transformação, mas Jimin não pode deixar que ele vá assim.

— Espere, por favor, não vá, não quis intimidar você, juro que tenho as melhores intenções — O alfa se apressa para alcançá-lo. — Você tem mesmo que ir?

— Sim, sou um dragão muito ocupado. — O Min responde sem olhá-lo ainda, muito perto da borda para o gosto de Jimin. Ele quer estender a mão e alcançar o ômega, mas não sabe se seu toque seria bem-vindo.

— Então me deixe te ver em outro momento, por favor. — Jimin se sente nervoso. Ele nunca suplicou nada a ninguém, afinal ele é um dragão, mas está totalmente disposto a ignorar esse instinto para ver Yoongi de novo. A resposta demora a chegar e faz o Park temer que o ômega não aceite, entretanto antes que sua esperança murche, felizmente o Min lhe responde:

— Você pode me encontrar aqui amanhã ao pôr do sol, mas vai ter que fazer valer o meu tempo se quiser que eu fique.

Não é o que Jimin esperava, porém ele aceita o desafio com animação e seu melhor sorriso no rosto.

— Juro que vou fazer valer o seu precioso tempo.

— Vamos ver. — Yoongi sorri ladino, espiando Jimin por cima do ombro. — Não se atrase.

Ele está pulando do morro, sua pele se transformando em escamas e asas para alçar voo. E novamente o dragão negro se torna somente um borrão sob as estrelas.


🔥


Apesar de ter dito a Yoongi que faria valer o seu tempo, Jimin não faz ideia do que fazer para convencer o ômega a passar um tempo com ele. Dragões não costumam fazer grandes atos para cortejar. A maioria dos acordos de acasalamento eram só mais uma troca de benefícios puramente para saciar desejos ou para procriação. Ainda assim haviam protocolos a ser seguidos para mostrar sua boa intenção: o alfa deveria oferecer um presente ao seu pretendente, ao qual esse agregaria ao seu tesouro.

E Jimin pretendia dar o melhor presente de todos a Yoongi para mostrar suas boas intenções. Não queria que o Min pensasse que ele era só mais um alfa procurando um ômega para acasalar. Ele não quer que seja assim com Yoongi e não acha que o outro dragão queira algo assim também.

O Park ainda não entende esse instinto dentro dele. Entende que se sente atraído pelo ômega, mais do que isso, ele está deslumbrado. Parece diferente de qualquer instinto de acasalamento. Ele quer a atenção de Yoongi e quer mimar e cuidar dele, apesar de saber que o Min não é alguém que deixaria um alfa qualquer fazer isso por ele. Por isso, Jimin precisa ser mais, precisa mostrar que tem algo de especial.

E a prova de sua boa intenção é um bracelete de puro ouro incrustado de opalas e ônix que faziam um desenho em espiral ao redor de um grande diamante negro. Era brilhante, opulento e ostentoso.

Tudo o que um dragão mais amava, e Jimin achou que a força e beleza da joia combinaria perfeitamente com Yoongi.

Assim, antes mesmo de o céu começar a se pintar nas cores do crepúsculo, ele tomou sua forma de dragão e voou a toda velocidade para o planalto que se encontrou com o ômega, com medo de chegar atrasado e o Min não o esperar.

Seu adiantamento, porém, se tornou uma prova de fogo. A ansiedade fazendo suas mãos suarem e tremerem de nervosismo. Ele precisou repetir muitas vezes a si mesmo que Yoongi viria e um tanto mais de repetições de “se acalme Jimin” para se manter focado.

Mas quando ele avistou as asas negras iluminadas pelo sol, seu coração não foi capaz de se conter ao acelerar. Naquela luz, a forma de dragão de Yoongi era ainda mais impressionante. Com a luz da lua, Jimin não pôde contemplar como suas escamas ondulavam em reflexos de um azul quase negro e como os seus olhos dourados pareciam poças de ouro derretido. E quando ele graciosamente se transformou em humano bem no momento de seu pouso com os cabelos negros ondulando com o vento e os olhos felinos se focando nele, Jimin temeu que o seu pobre coração não fosse aguentar.

— E então, como você vai fazer valer meu tempo? — Yoongi não perde tempo em perguntar, com um sorriso maroto nos lábios. Jimin não esperava que ele fosse tão diretamente ao ponto, então demora um pouco para que seu cérebro possa voltar a funcionar e ele tenha finalmente a reação de estender ao ômega seu presente. — Um bracelete? — O Min pergunta em um tom que soa para Jimin quase como um deboche e causa uma pontada em seu coração.

— Sim… eu pensei que ele com… — Ele gagueja antes de Yoongi interrompê-lo no meio da frase.

— Que combinava com o meu lindo cabelo? Com minhas lindas escamas brilhantes? — Jimin acena com a cabeça um tanto sem jeito e Yoongi ri — Isso é tão clichê alfa da sua parte. Eu esperava um pouco mais de você, senhor perseguidor. — O Park murcha de frustração.

— Então você não quer o bracelete? — O alfa pergunta, e sabe que está fazendo um biquinho um tanto indigno com seus lábios e provavelmente parece um cachorrinho chutado, mas não pode fingir que está meio triste pela recusa.

— Eu não disse isso. — Yoongi pega o bracelete de suas mãos e desliza por seu próprio braço. — Só disse que acho que você poderia fazer melhor, mas é claro que eu vou ficar com ele.

O ômega analisa a joia na luz e sorri brilhantemente. Jimin sente a fagulha de esperança crescer de novo, mas então Yoongi vira-se de volta para a beirada do monte, prestes a se transformar novamente.

— Vou estar aqui amanhã no mesmo horário para o meu novo presente. Me surpreenda, Jiminie. Se o presente for bom de verdade, talvez eu até te recompense. — Yoongi pisca e então toma sua forma de dragão e sai voando à luz do poente, deixando um Jimin totalmente embasbacado para trás.


🔥


Obviamente a primeira “derrota” não desanimou Jimin, só fez com que seu espírito competitivo se acendesse com força total e deu motivação para ele trabalhar para conseguir o melhor presente de todos para Yoongi.

Ele vasculhou seu tesouro em busca da melhor peça, e decidiu por uma escultura de dragão trabalhada em ouro e jade que ele havia tomado de um templo japonês. A coisa toda pesava uns vinte quilos facilmente e era a peça de tesouro mais preciosa e brilhante que Jimin possuía até aquela altura. O alfa estava convencido de que dessa vez conquistaria Yoongi, mas quando apresentou a escultura para o ômega, esse apenas torceu o nariz e disse “bonitinha”. Depois deu um beijo na bochecha de Jimin e foi embora, o deixando boquiaberto e com o coração acelerado (e claro o ômega levou a bendita estátua).

Então apesar de não ter conseguido exatamente o que queria, o alfa considerou aquilo uma vitória, e a partir daí fez de sua missão pessoal cobrir o ômega de riquezas.

No terceiro encontro, Jimin preparou uma “armadilha” para Yoongi, seria um movimento ousado, mas ele estava pronto para tentar o que fosse.

Ele foi ao ponto de encontro muito mais cedo aquele dia, e passou o dia preparando tudo para que fosse perfeito. Quando Yoongi chegou ao monte deles e estendeu a mão para receber seu presente, Jimin negou com a cabeça.

— Só entregarei seu presente depois que você me acompanhar no jantar — O alfa gesticula para a toalha de piquenique que estendeu ao lado da pedra onde Yoongi se empoleirou para lhe avaliar quando se conheceram.

O ômega ficou evidentemente surpreso com o gesto, mas nem em um milhão de anos ele daria a Jimin o prazer de ver isso, então fez bico e reclamou de como o alfa era atrevido, mas concordou mesmo assim.

Jimin preparou praticamente um banquete. Ele não sabia do que o outro gostava, então acabou por encher uma cesta com tudo que ele considerava ser mais gostoso.

Durante todo o jantar, o Park tomou o cuidado de observar tudo que o Min comia e o que parecia o agradar mais, tomando nota mentais para nos encontros futuros providenciar mais e talvez assim aumentar suas chances ao conquistar o dragão negro pelo estomago.

Ele ficou exultante ao ver que Yoongi gostou da surpresa, mesmo que fosse muito orgulhoso para lhe dizer em voz alta. Eles conversaram muito e o alfa até mesmo teve o prazer de fazer o Min rir, então realmente teve esperança de que dessa vez conseguiria derreter o coração do ômega. Mas quando apresentou o seu presente (um colar de rubi com uma pedra do tamanho de um ovo de pato), Yoongi só pôs o colar no pescoço, se inclinou para lhe dar um beijinho na bochecha — porém mais longo e intenso que os anteriores — e novamente voou para longe.

E assim se sucederam mais encontros. Jimin preparava surpresas e comida para Yoongi e eles jantavam, conversavam e se divertiam juntos, e então o alfa presenteava o ômega e esse ia embora deixando Jimin com um beijo na bochecha, ou uma leve caricia.

Com o tempo os beijos se tornaram mais longos, mas a resposta de Yoongi aos presentes sempre era a mesma: “ acho que você pode fazer melhor do que isso”, mas isso nunca desanimou Jimin, ao contrário, o fez tomar como um desafio. E ele adorava desafios.

O dragão alfa tentou todas as pedras e metais preciosos existentes, até mesmo tentou outras preciosidades: perfumes, sedas, obras de arte; nenhuma delas impressionou Yoongi. Dragões deveriam gostar de tais coisas. Eram a essas preciosidades e coisas brilhantes que eles davam valor na vida.

Ele demorou a perceber porém que não era seu instinto ou o sentimento instigante do desafio que o movia a sempre querer fazer mais pelo Min.

Tudo o que Jimin dava valor agora e tudo o que ele queria na vida era Yoongi, mas não entendia o motivo do ômega não “aceitar” seus presentes como um cortejo adequado. Ele queria juntar sua chama à do ômega e construir um lar com ele.

Pensando nisso, ele foi novamente encontrar o Min. Dessa vez não levando nada. O que tinha a oferecer dessa vez era seu coração. Se o dragão negro não o aceitasse, Jimin finalmente iria reconhecer sua derrota e não o incomodaria mais.

Ele convenceu Yoongi a voar com ele para outro lugar, apesar de esse resmungar— falsamente— não relutou em o seguir, e os dois logo estavam voando para longe do seu ponto de encontro usual, para um lindo vale, o lugar mais bonito que Jimin conhecia. Eles voaram lado a lado pelo pôr do sol, até a lua e as estrelas aparecerem, para pousar numa clareira cercada de ameixeiras em flor, e só isso em si já valeu como alegria líquida que bombeava no ritmo acelerado de seus corações enquanto planava juntos.

Jimin ficou feliz quando viu Yoongi admirando o lugar com olhos brilhantes de fascinação. Ele estava nervoso, mas naquele momento pensou que se tudo desse errado ele pelo menos tinha tido um tempo para conhecer e admirar o Min.

— Yoongi — ele chamou o ômega, que demorou um certo tempo para desprender seus olhos da bela paisagem para lhe dar atenção. — Eu gostaria de dizer algo.

— E o que seria, Jiminie? — O ômega se aproxima e Jimin estende as mãos para ele, que prontamente pega as do alfa nas suas como que em um gesto automático. Não mais tão esquivo quantoa ntes.

— Eu não tenho um presente para te dar hoje. — As sobrancelhas de Yoongi se franzem em confusão, mas ele não se afasta e não diz nada, e Jimin vê isso como um incentivo para continuar. — Desde que eu te vi, soube que havia algo diferente em você. Quase não pude te enxergar. Você estava quase imperceptível, todo asas negras sob um fundo de estrelas. — Jimin diz enquanto acaricia as mãos de Yoongi nas suas. Sorrisos já se desenhando em seu rosto. — Não sei o que me deu quando imediatamente me transformei para voar atrás de você.

— Eu sei o que foi! — Yoongi diz com uma expressão séria. — Foi o meu rabão que te atraiu, e fez você me seguir como um perseguidor. — Ele brinca, e recebe tapas de Jimin pela ousadia.

— Eu estou tentando ser romântico e poético aqui!

— Tudo bem, tudo bem… continue. — O Min sorri, e observa o alfa bufar antes de continuar:

— Enfim, como eu dizia, não sei que instinto primitivo me comandou a ir ao seu encontro, mas não me arrependo de o ter seguido. Porque desde que te conheci, tudo mudou para mim. Eu finalmente entendi que nenhuma pedra ou joia tem o valor que você tem para mim. Por você eu jogaria fora todo o meu tesouro. — Jimin declara já com lágrimas nos olhos. — Eu te daria qualquer coisa para fazê-lo feliz. Te daria a lua e todas essas estrelas no céu se você pedisse, porque nada na terra é mais precioso para mim do que você. — A essa altura o Park já nem mesmo consegue encarar o Min nos olhos, nervoso demais quanto a sua reação.

— Quero que você aceite o meu amor. Quero encontrar a melhor de todas as montanhas e juntar minhas chamas às suas para construir nossa morada. Quero que o nosso tesouro seja um só.

O Alfa termina com um sorriso sonhador e grande expectativa. Ele fica nervoso quando Yoongi não o responde imediatamente, agitado e com medo de ser rejeitado.

— Jiminie — o Min começa quase com um sussurro, erguendo o queixo de Jimin para que esse olhe em seus olhos. — Não preciso juntar o meu tesouro ao seu.

O coração de Jimin cai e ele o sente despedaçar, morrendo em uma batida dolorosa. Mas então Yoongi continua:

— Não preciso de tesouro, porque já tenho você, e é essa é toda a preciosidade da qual necessito. Eu não precisava que você me trouxesse joias, eu queria que você visse o que realmente importa.

As lágrimas de emoção finalmente irrompem e o Park sente o alívio e o amor consertando seu coração.

— Então você me aceita como seu alfa? — Em resposta, Yoongi se aproxima de Jimin e o beija ternamente nos lábios.

— Sabe, Jimin — o ômega sussurra com a testa colada à do alfa e seus lábios adejando sobre os dele enquanto proferia as palavras. — Depois do sétimo presente eu já estava pronto para aceitar se me pedisse. Só não queria ferir o seu orgulho alfa ao quebrar o seu desafio pessoal, já que estava tão empenhado em me agradar, dizendo que na verdade eu já estava rendido a você.

Jimin se afasta para olhá-lo pasmo, mas o sorriso amplo ofusca qualquer indignação que ele possa ter tido por ter esperado por tanto tempo para ter aquele que ama em seus braços. O alfa não consegue conter sua euforia por finalmente ter derretido o coração de Yoongi e abraça o ômega quase o derrubando no chão.

— Yoon, eu realmente amo o seu rabão!

E assim os dois finalmente se beijam a luz das estrelas, os corações derretido em amor.


🔥❤️


Anos depois


O tesouro de um dragão é a coisa mais importante em sua vida. Algo em seu instinto mágico que os induz a pilhar e guardar coisas brilhantes e belas com a própria vida. É seu prazer e sua sina.

Mas desde que Yoongi e Jimin se conheceram e juntaram suas chamas para forjar seu lar sob a montanha, o maior tesouro passou a ser sua preciosa família.

Muitos eram que vinham em busca do tesouro contido em sua morada, mas poucos sabiam o que ele realmente era.

Não eram as brancas estátuas de mármore de belas mulheres e ídolos caídos, não eram as pilhas de ouro e pedras preciosas que abarrotavam as paredes negras da caverna, e não eram as delicadas e exóticas sedas multicolores que naquele lar formavam o confortável ninho; sim o bebê que o ômega carregava, um símbolo de seu amor e o grande tesouro para aqueles dragões, coisa por qual eles dariam a vida e que logo teria de ser defendido.


28 de Novembro de 2021 às 00:53 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo Epílogo

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!