hiraethnanab nanny b

Enzo está perdido e não tem motivos para seguir em frente, porque o motivo dele ter forças para aguentar estavam mortos há anos. Em uma de suas noites de bebedeiras, Enzo acaba ofendendo os criadores do universo, e talvez, como punição ou benção, ele acaba transmigrando para uma realidade que ele pensava que não fosse capaz de existir. Mas assim que coloca os pés no reino de Kamal, ele é capturado por sua majestade. Sob as garras do poderoso elfo mestiço, Enzo nem sonhava que após o rei salvar sua vida compartilhando a magia dele, eles estariam automaticamente noivos.


Romance Romance adulto jovem Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#romance #melodrama #magia #fantasia # #elfos #drama #boyxboy #Boyslove
0
346 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 15 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

|01: introdução|

não revisado


☁︎︎ INTRODUÇÃO ☁︎



A vida de Enzo parecia a mesma coisa há anos e isso estara deixando o homem em uma depressão decadente. Acordar, comer, se arrumar, trabalhar, ler, comer e dormir. Era um ciclo que estava se repetindo a quase três anos, mesmo ele tendo tentado pavimentar a sua vida parecia que ele estava empacado no mesmo lugar por uma mão divina que queria a sua desgraça ou a sua solidão, aparentemente.


Como em todos os sábados, Enzo não trabalhava, então ele iria para um boteco, encheria a cara e voltaria para casa satisfeito. Bem, isso também havia se tornado um hábito natural para a vida de Enzo. A bebida fazia o vazio sumir por poucas horas, e naquelas poucas horas Enzo se sentia como Labrinth em Mount Everest. Intocável, o melhor do mundo, o homem que poderia fazer um mundo próprio e que não precisava de ninguém para preencher o vazio que se estabeleceu nele. Era uma pena que aquilo era somente o efeito da bebida em seu corpo.


Já passava das três da manhã e Enzo andava cambaleante pelas ruas.


— Você aí, que está olhando para a gente, os meros mortais – gritou ele enquanto olhava para o céu estrelado. — Está se divertindo vendo a minha desgraça? Os humanos têm muitas versões de você, senhor, senhora, criador ou criadora do universo, mas depois de um tempo vivendo esse inferno repetidamente, decidi que não acredito em você.


Os olhos verdes escuros brilhantes do homem se encheram de lágrimas.


— Eu tinha tudo, eu estava no topo. Mas você me tirou isso, seus miseráveis e sádicos – continuou Enzo gritando para o céu azul escuro, cheio de estrelas brilhantes.


Ele se sentia como se estivesse em um cubo mágico, às vezes ele se sentia sufocado e passava por maus bocados.


— Primeiro foi minha mãe, logo depois a minha irmã e meu cunhado. O meu sobrinho.... Você é tão cruel quanto os demônios que as pessoas julgam como maus. O meu sobrinho não tinha nascido....


As lágrimas saiam de seus olhos de forma torrencial, fazendo ele soluçar a procura de ar para seus pulmões. O mundo parecia girar ao seu redor. Os joelhos de Enzo batem como um baque no chão de concreto, fazendo seu corpo todo latejar.


— Eu quero a minha felicidade, eu preciso de algo para me motivar porque eu não vou conseguir sem um único motivo – confessou Enzo entre o choro, a voz saia desesperada e entrecortada. — Se você me der um motivo, eu prometo que agarrei com tanta força e farei de tudo.... Ao meu alcance para não deixar ela escapar das minhas mãos. Só, por favor, sejam misericordiosos.


Aquela noite estava mais fria que o comum, então, Enzo se encolheu quando uma rajada de vento bateu contra o seu corpo. Ele se sentia mais do que cansado. Ele estava nas últimas, Enzo podia sentir. Seu corpo poderia estar saudável, mas sua mente estava apodrecendo e seu coração estava tão frágil a ponto de quebrar.


Quando a nossa mente não está em sincronização com o nosso corpo, a gente tende a quebrar e cair. A queda nos despedaça e nos deixa marcas que não podem ser curadas, mas sim tratadas. É como um corte profundo, a gente trata e faz o necessário para aquilo não nos matar, e a consequência disso é uma cicatriz horrenda. Nos lembrando diariamente daquilo que tentamos esquecer.


Enzo se sentia tonto e a ânsia fazia seu estômago girar, mas ele já havia colocado tudo para fora, talvez fosse a ansiedade querendo deixar o momento o pior possível. Se é que aquilo podia acontecer.


Enzo poderia estar bêbado, mas ele sentiu quando praticamente seu corpo colidiu com alguma coisa mole e molhada. Não tão rapidamente quanto ele gostaria, ele limpou os olhos mesmo que as lágrimas insistissem em cair.


Neve. Enzo estava coberto de neve, cercado por neve. Talvez ele estivesse tendo uma alucinação depois de uma bebedeira das boas.


Em meio ao frio e uma tristeza que fazia seu coração doer, Enzo riu. Não, ele gargalhou em meio ao caos e à solidão. Aquela alucinação patética. Não seria tão patética, se ele visse sua mãe, sua irmã, seu genro e seu sobrinho nos braços. Todos saudáveis, felizes e... vivos. O coração de Enzo ansiava por aquilo, mesmo sendo uma perca de tempo. Aquilo só o faria sangrar mais, contudo, isso não faria diferença porque ele já estara manchado, banhando de sangue.


Enzo se levantou quase caindo no processo.


— Que porra, a minha bunda está congelando – resmungou enquanto massageava a bunda.


O céu já não estava estrelado. O frio estava um pouco mais intenso e alguma coisa parecia ter mudado, mas Enzo estava muito bêbado para perceber de qualquer maneira. E para seu azar, havia começado a nevar.


— Eu devo me apressar, não posso pegar uma gripe. Meu patrão idiota me faria trabalhar dez vezes mais se eu tirasse uns dias de folga – reclamou Enzo, enquanto se abraçava para abranger o frio.


O loiro deu um passo e afundou, com o susto pela neve estar tão funda, Enzo soltou um grito.


— Que merda? Por que a neve está tão funda?


A mente de Enzo rodou e tudo ficou claro. No Brasil não neva. O Brasil é conhecido por ser um País de verão e suas praias belíssimas. Então por que diabos tinha neve ali? Enzo deu mais um passo vacilante e afundou mais na neve, que não deveria estar ali. Mais da metade da sua cintura estava coberta de neve. O pânico tomou conta dele.


— Alguém? Por favor, estou um pouco atolado em meio a uma neve que não deveria estar aqui, talvez eu esteja alucinando. Então por favor, me ajude – gritou enquanto pedia socorro.


Os lábios do loiro começaram a bater, tremendo de frio, assim como o seu corpo.


Enzo não soube quanto tempo ficou lá, quando alguém veio ao seu socorro sua visão já estava turva. Entretanto, parecia que a pessoa vestia roupas com cores preta, branco e cinza. Talvez devesse ser a mente de Enzo pregando peças.


— Um humano....? – Questionou o desconhecido.


"Não, eu sou um elfo seu idiota. Não está claro que sou um humano? Aliás, existe alguém nesse planeta que não seja humano?" Era o que Enzo queria responder, contudo ele desmaiou antes das palavras saírem da sua boca.



27 de Novembro de 2021 às 21:14 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Continua… Novo capítulo A cada 15 dias.

Conheça o autor

nanny b ♒🌈🌻

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~