nieleebloom Daniele Claudino

Após romper com Olga, graças a um mal entendido provocado por Tracy, Elizabeth tenta seguir em frente e sorrir mesmo sangrando por dentro. Quando conhece sua nova colega de quarto, a misteriosa e atenciosa Zoe, Elizabeth se encanta por ela, porém, terá de lidar com a paranoia de Olga que simplesmente cismou que Zoe não é quem diz ser. Já, Zoe, em sua defesa, alega que é Olga que não é verdadeira. Será que Olga está apenas com ciúmes ou tem mesmo algo errado com a nova colega de quarto de Elizabeth?


#21 em Romance #11 em Romance adulto jovem Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#nieleebloom #amor #lésbicas #faculdade #mistério #insegurança #obsessão
26
7.4mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Amigas

Olga Jensen:


Já faz três meses que “Lisa” e eu rompemos, mas ainda sofro com a nossa separação porque ela parece mais contente do que nunca. A vejo sempre sorrindo e soube por Tracy Burton que ela aparece ao lado de uma garota diferente a cada festa. Como me sinto a respeito? Arrasada.
Confesso que tinha esperanças que ela me procurasse e me pedisse desculpas, mas isso nunca acontecerá porque Elisabeth Bowman prefere morrer a engolir seu maldito orgulho e me procurar. Então, talvez, eu devesse procurá-la, certo? Nem pensar. Também tenho o meu orgulho e não vou mais me humilhar. Se Lisa sentir minha falta, ela me procurará. Vou seguir o conselho de Tracy e fingir que não estou nem aí.

† † †


Olga viu Elizabeth se aproximando e suspirou. Por Deus! Ela estava linda aquela manhã.

“Não. O que você pensa que está fazendo, Olga?”, ela pensou com raiva de si mesma e pegou seu celular, disfarçando rápido. Onde estava Tracy? Já era para ela estar ali. Olga enviou uma mensagem pra ela, perguntando onde ela estava. Tracy respondeu que estava a caminho. Olga sorriu, aliviada.


Elisabeth Bowman:


Três meses… Mas parece que foi ontem.
Pelo visto, Olga seguiu mesmo em frente. Tracy não mentiu. Olga não sente mais nada por mim e a prova é que ela escolhe me ignorar. Não vou negar que isso dói, mas não darei o prazer a ela de me ver sofrendo. Continuarei fingindo que sua indiferença não me afeta nem um pouco.


† † †


Elisabeth se sentou a quatro mesas de distância de Olga e fez de conta que não a viu, almoçando.

Tracy parou na entrada do refeitório e alternou olhares entre Olga e Elisabeth. Era evidente que as duas ainda se gostavam. Tracy suspirou chateada.


Tracy Burton:


Tudo o que eu queria era que Olga e Lisa deixassem de se gostar, pois assim, eu finalmente teria uma chance de conquistar o coração de Olga.

Não é verdade que Lisa sai com outras garotas, bem… Mais ou menos… Ela sai, mas não é nada demais. Lisa se mantêm fiel a Olga, mesmo, elas tendo rompido, e Olga, por sua vez, também se mantêm fiel a ela. Por isso, conto essas “mentirinhas” para ver se elas desistem uma da outra. Não me leve a mal. Não tenho nada contra a Lisa. Ela é minha amiga, mas tirou de mim a Olga. Também, fui muito estúpida em apresentá-las. Nunca deveria ter feito isso, mas achava que Lisa tinha uma queda por mim e, que, se Olga percebesse isso, ficaria com ciúmes e tomaria a iniciativa de sair comigo. É… Não saiu como eu pensei. Sofri vendo as duas juntas. O pior é que tive de esconder os meus sentimentos e atuar como confidente das duas. Me cansei disso! Agora, tenho uma chance de retomar o que é meu… Olga. Minha Olga.

— Ei? Tracy? Aqui! — Olga acenou sorrindo ao vê-la parada na entrada do refeitório.

Tracy acenou de volta e como se não tivesse visto Elizabeth, passou por ela sem cumprimentá-la, indo ao encontro de Olga. Elisabeth se sentiu um caco ao ser ignorada daquela forma, mas se manteve firme, fingindo que não se afetara.


† † †


Uma nova aluna acabava de chegar a universidade e foi encaminhada até o dormitório pela inspetora onde recebeu a cópia da chave de seu quarto e deixou suas malas. Em seguida, foi guiada em um breve tour pelo campus e então liberada. Voltou para o quarto que dividiria com alguém e enfim pode observá-lo com calma. Havia duas camas de solteiro, a do lado esquerdo tinha lençóis vermelhos e umas almofadas fofinhas. Tinha um closet grande, uma escrivaninha, dois criados-mudos, uma estante com alguns livros, uma televisão, um rádio, etc. E uma pilha de caixas lacradas com etiquetas com o nome “Olga”. O que será que tinha naquelas caixas? Curiosa, ela se aproximou para dar uma espiada, mas recuou depressa ao ouvir alguém mexendo na porta. Pegou sua mala e a jogou na cama, a abrindo. Uma loira passou pela porta e ao encostá-la, se voltou a sua nova colega de quarto, encarando-a com curiosidade.

— Oi? — Disse a garota nova sorrindo. — Sou Zoe! Sua nova colega de quarto!

— Oi. Seja bem-vinda. Sou Elisabeth. — Ela sorriu.



Zoe Frank:


Foi o sorriso mais lindo e ao mesmo tempo mais triste que já vi em toda a minha vida. Que linda! Acho que finalmente me dei bem nessa vida!


— Me desculpe pela bagunça? — Elisabeth disse, encarando as caixas de Olga. — Minha antiga colega ainda não pode levá-las, mas em breve, elas não estarão mais aí, eu prometo.

— Ah, tudo bem. Isso não é nada. — Falou Zoe sorrindo enquanto retirava suas roupas da mala.

— Gostaria de ajuda? — Elisabeth ofereceu.

— Se não for incomodar… — Falou Zoe.

Elisabeth ajudou Zoe a guardar suas roupas no closet e depois enquanto Zoe ajeitava seus outros pertences onde conseguia espaço – na estante, nas gavetas do criado-mudo e no closet – elas conversaram um pouco. Elisabeth acabou falando demais de sua vida enquanto Zoe, de menos – ela só disse que morava com a mãe, que era filha única e que não tinha amigos, depois disse que não tinha mais nada para falar sobre si mesma e que preferia conhecer melhor Elisabeth -.

Elisabeth estava carente e simpatizou rápido por Zoe. Decidiu convidá-la para ir a um pub aquela noite. Zoe aceitou. As duas beberam, dançaram e se divertiram. Elisabeth acabou exagerando na bebida e Zoe teve de ajudá-la a caminhar de volta para o dormitório. Enquanto levava Elisabeth até a cama, Zoe se desequilibrou e as duas caíram.

— Opa! — Zoe disse.

Elisabeth riu, fazendo Zoe rir também. Elisabeth reparou melhor em Zoe que ainda estava em cima dela e em um impulso, a beijou. Zoe a correspondeu. As coisas esquentaram e elas logo trocaram carícias ousadas. Zoe foi quem tomou a iniciativa, deslizando as mãos por baixo da blusa de Elisabeth e apertando seus seios. Zoe, por sua vez, deslizou as mãos por baixo da saia de Elizabeth.

— Eu percebi que desde que coloquei essa saia, você queria tirá-la. Ou estou enganada? — Zoe disse sorrindo maliciosa.

— Sim, eu queria. — Falou Elisabeth olhando para o corpo de Zoe com desejo. — E sabe o que mais?

— O que? — Zoe perguntou de um jeito dengoso.

— Essa blusa… Tire? — Falou Elisabeth deslizando a mão por ela.

— Hmm… Está bem. — Disse Zoe desabotoando a camiseta branca de mangas longas que usava.

Elisabeth encarou os seios desnudos de Zoe antes de tocá-los e puxá-la para si, beijando-a outra vez. Então, rolou, ficando por cima de Zoe. Se beijaram mais um pouco e Elisabeth saiu de cima dela.

— Não. Aonde você vai? — Zoe fez biquinho.

— Lugar nenhum. — Elisabeth disse rindo, achando ela muito fofa.

Elisabeth recuou antes de voltar engatinhando de forma sexy e parar onde queria, um pouco abaixo da cintura da morena.

— Vamos descobrir que gosto você tem agora… — Falou Elisabeth antes de tirar a calcinha dela.


† † †


Olga se levantou um pouco mais cedo que o normal e chamou Tracy para lhe ajudar a carregar as caixas do quarto de Elisabeth até o delas. Tracy aceitou.

Olga ainda mantinha uma cópia da chave de seu antigo quarto, por isso, foi entrando sem antes prevenir Elisabeth. Não deveria ter feito isso porque encontrou Elisabeth dormindo com uma garota abraçada a seu corpo. As duas nem estavam vestidas. Olga sabia que deveria sair dali e fingir que não vira nada, mas não pode se conter. Apertou o interruptor, acendendo a luz e se aproximou da cama, puxando o cobertor.

— O que significa isso?

Elisabeth e Zoe despertaram sobressaltadas. Elizabeth sentiu uma pontada na cabeça e seu estômago revirou. Alternou olhares entre as garotas e custou a se lembrar o que acontecera, permanecendo calada enquanto a confusão rolava.

— Ei? Sua maluca! Quem é você? Como vai entrando assim no quarto dos outros? — Zoe disse a Olga.

— A Elisabeth não te falou sobre mim?! — Olga disse antes de recuar, se sentindo humilhada.

— Não. — Zoe disse e se voltou a Elizabeth. — Quem é ela, Lisa?

Elisabeth não conseguiu responder e encarou Olga. Não sabia como explicar a ela o que acontecera. Sabia que não lhe devia nenhuma explicação e que Olga estava errada de entrar assim em seu quarto, mas… O amor era um sentimento estranho.

— Pensei que você ainda me amasse… — Olga disse a Elisabeth, com lágrimas rolando por suas faces. — Que imbecil eu sou. E pensar que tinha decidido falar com você, tentar uma reconciliação… Mas para quê?

— É melhor nós irmos, Olga. — Falou Tracy se aproximando dela e a pegando pelo braço.

— Olga… Eu… — Falou Elisabeth com a voz falha.

— Pelo menos agora, eu tenho certeza que acabou. — Falou Olga, antes de balançar a cabeça chateada e ir com Tracy.

— Meu Deus! O que foi que eu fiz? — Elisabeth disse chorando.

— Ela é sua namorada? — Zoe perguntou.

— Minha ex, mas… Ainda gosto dela. — Elisabeth disse.

— Eu sinto muito por isso. — Zoe disse tocando o ombro de Elisabeth. — Não fazia ideia que já tinha outra pessoa em seu coração, senão, eu… Foi minha culpa. Você estava bêbada.

— Não. Eu estava consciente, só… Me deixei levar e… — Elisabeth disse sem coragem para encarar Zoe.

— Está tudo bem. Não precisa ficar um clima estranho entre nós. De minha parte, podemos ser amigas, sem problemas. — Zoe disse e abraçou Elisabeth.

— Você está falando sério? — Elisabeth perguntou.

— Claro que estou, querida. — Falou Zoe.

— Obrigada. — Elisabeth disse. — Preciso muito de uma amiga nesse instante.

— Imagino… — Zoe sorriu e mordeu o lábio inferior.

“Seremos mais que amigas, eu juro”, pensou Zoe, segura.

26 de Novembro de 2021 às 23:28 2 Denunciar Insira Seguir história
8
Leia o próximo capítulo Ainda Dói

Comente algo

Publique!
Hillary La Roque Hillary La Roque
Olá! Faço parte da Embaixada brasileira do Inkspired e estou aqui para lhe parabenizar pela Verificação da sua história. Achei tão lindo o jeito que você organizou seus capítulos, com aqueles separadores super bonitinhos. E a forma como você escreve também é muito agradável. A história tem um ar tão misterioso, ao mesmo tempo em que não se demora em revelar aos poucos sobre a verdadeira natureza e passado de cada personagem. Uma rede de tramas, envolvendo três amigas e uma recém chegada. Tracy, querendo pegar de volta aquela que acredita ter sido roubada dela, enquanto Zoe, a aluna nova, deseja tomar espaço no coração de Elizabeth, aproveitando-se do momento de fragilidade na vida da jovem loira que, devido a uma manipulação cruel por parte daquela que acreditava ser sua amiga, acabou se separando do seu grande amor, Olga. Um casal de garotas apaixonadas sofre, sem saber, com a manipulação pérfida de duas jovens que, indiretamente, trabalham juntas para separá-las e tomar cada uma delas, Elisabeth e Olga, para si próprias, satisfazendo assim seus desejos mais secretos e sentimentos egoístas. Tracy guarda o obscuro segredo de ter separado duas pessoas que se amam, em um plano cuidadosamente planejando. Zoe, aparentemente amigável e gentil, mas com um caráter duvidoso, também guarda um segredo, um ainda mais complexo pelo que se pode perceber através das pequenas peças do grande quebra-cabeças, que são deixadas no decorrer dos capítulos. Agora, Olga está na cola de Zoe, após ouvir acidentalmente uma conversa da morena com alguém, ficando assim desconfiada do verdadeiro caráter e intenções da novata, que pouco é de seu agrado. A narrativa é muito bem elaborada e, a escrita, cuidadosa e bem feita. Os parágrafos são fluídos e de leitura macia. As descrições são na medida, bem detalhadas, sem exageros, tornando possível visualizar os cenários e emoções de um jeito confortável e bom de se acompanhar. Bom trabalho. Gostaria de fazer alguns apontamentos, para ajudar a tornar a sua narrativa ainda mais prazerosa. No capítulo 1: "Zoe foi quem tomou a iniciativa, deslizando as mãos por baixo da blusa de Elizabeth e apertando seus seios. Zoe, por sua vez, deslizou as mãos por baixo da saia de Zoe." - Esse trecho ficou confuso, então seria muito legal se você desse uma olhadinha para que assim a ideia que quis passar possa ser melhor compreendida. O mesmo ocorreu no capítulo 3: "Olga suspirou aliviada ao perceber pela voz de Olga que ela se afastara...", enquanto no capítulo 2: "Acorda Olga?"- é preciso ter cuidado na orar de pontuar os vocativos, então, o aconselhável seria: "Acorda, Olga?". Esses são meus três apontamentos. Espero poder ter ajudado. No mais, sua história é realmente intrigante e ótima de se ler, além de ser bem organizada. Seus capítulos são curtos, porém muito completos, o que também é ótimo! Meus parabéns! Vou ficando por aqui. Desejo-lhe sucesso com este e com seus próximos projetos, e que continue evoluindo tão bem como já está. Você tem talento. Um beijo no coração e, até mais!
December 08, 2021, 19:43

  • Daniele Claudino Daniele Claudino
    Olá, muito obrigada por analisar minha história e obrigada pelas dicas, já corrigi os erros. January 09, 2022, 20:10
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 11 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas