2minpjct 2Min Pjct

O barrigudo iria invadir o congelador especial e iria provar daquele sorvete de menta imperial que tanto ouvira Taehyung comentar, nem que para isso ele tivesse que levar o seu namorado junto. Afinal, quem resistiria a um gatinho barrigudinho com desejos?


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#v #bts #yoonmin #yoongi #vkook #top-jk #top-yoongi #taekook #taehyung #suji #sugamin #spring #Snowtk #primavera #no-lemon #Minyoungsoo #minmin #minimini #kookv #jungkook #jimin #hybrid #fluffly #collab #2minpjct #2min
0
683 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

As aventuras de um gatinho com desejos

Escrito por: MinYoung-soo / @GatinhoMinmin


Parceria com: SnowTK /@SNOWTK_


Notas iniciais: Anjinhos, essa é uma das minhas primeiras tentativas de fluffy com comédia, então por favor peguem leve comigo. Quero dedicar essa fanfic a beta mais maravilhosa desse mundo, a @MisstaeKo/@MissTaeKo, essa mulher é incrível demais para esse universo. Quero agradecer a ela pela betagem que como sempre está maravilhosa e também quero agradecer ao capista do 2min, o @peartae/@peartae, por essa capa adorável, muito obrigada pelo seu trabalho duro, eu amei de coração. Estou muito feliz por ter essa oportunidade de participar dessa collab. Sem mais delongas, boa leitura.


~~


O amanhecer nunca foi tão lindo como naquele dia; o sol brilhava com todo o seu esplendor, mostrando que hoje seria o dia propício para se divertir em uma praia ou tomar um sorvete bem saboroso para espantar as angústias que lhe afligiam ao longo da semana, era um sábado perfeito para tal. Seus raios mornos e acolhedores atravessavam, junto da brisa gélida, a cortina branca da janela entreaberta do quarto do casal de híbridos, estes que descansavam fofamente abraçados um ao outro em sua cama de casal.

Os ronronados altos harmonizavam com a batida dos corações de ambos os felinos. O mais novo — este que possuía um par de orelhinhas brancas com listras alaranjadas — estava deitado em cima do seu namorado, usando-o de travesseiro, enquanto o seu rabo felpudo se agarrava à sua própria barriga, abraçando-a com cuidado, sentindo-a se movimentar por conta dos três filhotinhos abrigados ali dentro.

O híbrido de madeixas negras remexeu suas orelhinhas acinzentadas — que continham manchinhas irregulares da cor dos fios rebeldes que lhe tapavam a visão. Concentrou-se no som dengoso do seu parceiro, ao mesmo tempo que enlaçava protetoramente a cintura delicada do homem belamente adormecido em cima de si. Yoongi moveu sua cauda graciosamente e, envolvendo-a junto das coxas do seu namorado, passou a movimentá-la com doçura, afagando a tez um tanto amorenada — por conta do banho de sol que o mais novo resolveu tomar toda manhã, ele afirmava com toda certeza que o aconchego dos raios mornos deixariam os filhotes dentro de si um pouco mais fortes.

As madeixas claras do baixinho irritadiço estavam sutilmente desalinhadas, deixando-o totalmente adorável enquanto uma vez ou outra suas orelhinhas se remexiam preguiçosamente. O dono das mechas carameladas ressonava tranquilamente, abusando do poder que possuía sobre o de madeixas negras, fazendo-o aquecer sua tez livre de roupas com o seu corpo naturalmente quente, acolhendo-o em seu abraço afetuoso.

O Min raramente se negava a atender os pedidos dengosos vindos do seu adorável namorado, até porque, se o fizesse, teria que aguentar o gravidinho fazendo manha e drama pelo resto do dia, ou até mesmo choramingando e desabafando para Kim Taehyung sobre como Yoongi não o amava mais e que o híbrido de tigre, sendo o seu melhor amigo, teria que ajudá-lo a criar os filhotinhos que ainda demorariam bastante para vir ao mundo.

Sem contar a carinha de gatinho abandonado que ele fazia sempre que era ignorado sem querer pelo mais velho. Suas orelhinhas se escolhiam, seus olhos brilhavam, sua boca formava um pequeno biquinho triste e seu rabinho se enrolava em suas próprias pernas. Era, de fato, de cortar o coração — sua carta final para ter Min Yoongi em suas mãos.

O corpo delicado do Park se mostrou ficar ainda mais bonito quando a barriga de cinco meses se tornou mais evidente. O namorado do híbrido, sendo um pai muito babão, adorava enchê-la de beijinhos enquanto o ouvia dar risadinhas contidas, ambos estavam em uma bolha afetuosa onde aqueles momentos preciosos marcariam o início de uma nova fase na relação dos dois; cada vez mais o de madeixas castanhas se via sendo paparicado pelos moradores da confortável casa, esta que ficava acima de um sorveteria gerenciada pelos quatro amigos.

A residência era ocupada por três híbridos felinos e um canino. Apesar de todas as contradições, os que mais brigavam, por incrível que pareça, era dois dos felinos, sendo um destes um híbrido legítimo de tigre albino e o outro de gato rajado.

Taehyung e Jimin, embora fossem melhores amigos, sempre estavam brigando "carinhosamente" por toda a casa enquanto seus parceiros apenas ficavam olhando-os de longe, até porque nenhum dos dois queriam que a bomba explodisse para o lado deles.

Assim como o casal Minimini, os Taekook possuíam lá os seus momentos de diabetes. A interação de ambos os rapazes era fofa ao ponto de quem os visse namorando pela sorveteria desejasse ter um relacionamento tão maravilhoso quanto o deles.

O mais velho entre os dois amava quando o Jeon o tratava como um príncipe e este, no que lhe concerne, adorava tratar o Kim como o seu bem mais precioso e, apesar de ambos serem de espécies completamente diferentes, isso não parecia afetá-los verdadeiramente, já que eles não ligavam nem um pouco para as diferenças que os rodeavam diariamente.

Muitas vezes era possível ver Jungkook, o híbrido de labrador que normalmente era intimidador e sério demais, derreter-se todinho e abanar o rabo todo felizinho cada vez que o tigre lhe dirigia o olhar. Era normal também ver o felino de madeixas cinzas grudado no mais novo, mordendo-o e o arranhando de amor enquanto esse se remexia todo pomposo e contente com a presença do seu namorado.

Os quatro amigos possuíam um laço familiar forte entre eles. Todos se conheciam desde a infância e, com o passar do tempo, o afeto só cresceu ainda mais, até que fora surgindo novos sentimentos e, por fim, novas experiências entre os integrantes do outrora apenas grupo de amigos. Os casais foram se formando de maneira singela, mas mesmo assim a ternura em cada demonstração de carinho já deixava evidente o que logo aconteceria; abriram um negócio em sociedade e, por fim, acabaram por morarem juntos. A casa não era tão grande, mas viver entre amores e amigos a tornava um lar extremamente agradável.

Jimin, por estar grávido, recebia muita atenção dos amigos, sem contar o quanto seu namorado o tratava como um bebê crescido. O de madeixas castanhas estava tão mimado ao ponto de fazer manha para que o Min parasse o que estivesse fazendo para o encher de beijinhos e carinhos, mesmo que isso significasse deixar o balcão de atendimento da sorveteria sozinho para agradar o barrigudo.

Yoongi poderia ser um tanto ranzinza com outras pessoas que não faziam parte do seu círculo de amigos, o qual ele considerava parte da sua família. Às vezes, até mesmo com estes mais próximos ele demonstrava seu mau humor — essas pessoas sendo Taehyung, o melhor amigo do Jimin, e o Jungkook, o seu melhor amigo. Mas quando se tratava do Park, o moreno se transformava em um amor de híbrido, mansinho, protetor e totalmente apaixonado pelo seu barrigudinho.

Já passava das seis da manhã e o moreno foi o primeiro a despertar do mundo dos sonhos. Seus olhos felinos mal se abriram e já estavam focados na barriguinha do seu companheiro, os filhotes se movimentavam singelamente, trazendo um sentimento gostosinho para o pai babão. Eles aparentavam estar mais calminhos nesta manhã.

Seus ouvidos, apesar de estarem sensíveis por conta do recém-despertar, logo captaram o ronronar dengoso do mais novo, este que fez com que o mais velho sorrisse em felicidade, ele amava ter a presença do bravinho ao seu lado.

Sua mão quentinha tocou a barriga do acastanhado com carinho, traçando desenhos imaginários na tez amorenada, fazendo com que os bebês relaxassem instantaneamente. Visando deixar tanto o acastanhado quanto os trigêmeos mais confortáveis com a sua presença, o moreno deixou com que o seu cheirinho de menta saísse, ao mesmo tempo que ronronava, totalmente entregue aos encantos das suas preciosidades.

O ambiente tornou-se cada vez mais favorável ao híbrido que, mesmo adormecido, não deixou de esconder seu rosto delicado no pescoço do mais velho, aproveitando para aspirar do aroma que o trazia uma tranquilidade sem igual.

— Jiminie, meu amor, está na hora de acordar — murmurou o Min carinhoso para o seu gravidinho, recebendo um barulhinho fofo como resposta. Não querendo desistir da sua difícil missão — o seu namorado preguiçoso —, o felino começou a pôr em prática a sua cartada final. — Ei, bebês do papai Yoon, seu papai Minie não quer acordar. Será que devo comer aquele pudim de pêssego estranho que ele me pediu para comprar? — resmungou brincalhão e viu as orelhinhas delicadas do mais novo se mexerem rapidamente.

O Park se moveu com preguiça e, agarrando-se ao outro híbrido com manha, abriu seus olhos, suas íris castanhas brilharam assim que se encontraram com os orbes acinzentados do de madeixas negras, ao mesmo tempo que um sorriso apaixonado se desenhou em seus lábios carnudos. Seu rabo alaranjado se movia lentamente de um lado para o outro. Ele já havia acordado totalmente manhoso e dependente do híbrido mais velho.

O Min mal piscava enquanto admirava o quanto o seu Jiminie era perfeito quando acordava. Seu corpo nu era delicadamente banhado pela luz solar, suas madeixas de um tom de castanho-claro brilhavam junto aos feixes de luz, ao mesmo tempo que os seus olhinhos sonolentos observavam Yoongi com carinho, brilhando puramente em direção ao dono do seu coração.

Sorrindo bobo, o Min acariciou o rosto delicado, vendo o mais novo inclinar-se em sua direção, desejando mais daquela carícia amorosa, quase dormindo por causa da mão quentinha que lhe mimava. O castanho, aproveitando-se do quão distraído estava o parceiro, moveu-se lentamente, ficando parcialmente deitado, e deixou um pequeno beijinho nos lábios mornos do de cabelos negros, vendo um sorriso gengival ser direcionado para si.

— Bom dia, Yoonie — falou baixinho, quase como um miado manhoso.

— Bom dia, meu neném. Está se sentindo bem? Tem alguma vontade? — indagou o outro, beijando com cuidado cada uma das orelhinhas alaranjadas e recebendo um som manhoso vindo do mais baixo.

— Estou ótimo, nossos bebês estão bem quietinhos hoje. — Pegou a mão do mais velho e a direcionou para aonde seus filhotes estavam descansando, quase ronronando ao sentir a mão do seu namorado em contato com a sua barriga. — Viu? Estão quietinhos. Quero aproveitar essa oportunidade para te pedir uma coisa que estou com muita vontade, Yoonie.

— Pode pedir, eu não me importo de ter que procurar por Seul inteira o que o meu gatinho deseja. — Sorriu fofamente.

— Yoonie, o que quero é muito fácil de achar — murmurou sedutoramente, passando seu rabinho alaranjado pelo corpo do mais velho, deixando-o arrepiado. — É gostoso demais, só de imaginar me dá água na boca. É cremoso quando entra em contato com a minha língua e, quando acaba, eu sempre quero mais. Você vai me dar mais se acabar, né, hyung? O seu gatinho merece, não merece? — Sentou-se em cima das coxas do acinzentado e ronronou dengoso, olhando-o com um desejo arrebatador.

O Min se viu totalmente hipnotizado, ele se sentia quente. Tanto suas orelhinhas quanto o seu rabo felpudo estavam arrepiados, remexendo-se inquietos, o moreno estava ansioso e, quando menos notou, logo a sua cauda se movia sedutoramente pelo corpo acima do seu. Estava realmente quente demais para o pobre Yoongi.

— Me conte o que você deseja, meu gatinho. O hyung vai te dar tudo o que você pedir e na intensidade que você desejar — falou rouco, sentando-se na cama, puxando o mais novo para perto de si e abraçando a cintura delicada com as suas mãos quentes. Yoongi mordiscou a orelhinha delicada do acastanhado, vendo-o ficar todo arrepiado e molinho em seus braços. — O que o meu gatinho quer dessa vez, uh? — indagou e recebeu um gemido manhoso.

— Yoon, o seu gatinho quer muito um leitinho especial — disse ronronando abraçado ao pescoço do mais velho, recebendo um olhar flamejante do híbrido, este que acariciava seu rabinho, ronronando com um sorriso malicioso em seus lábios e parando somente para apertar a bunda redondinha com desejo e para deixar beijos molhados em seu pescoço.

— Que leitinho especial, Minie? — perguntou, selando de leve os lábios carnudos.

— Vigor grego — respondeu calmamente e recebeu um olhar indignado. — Daqueles com gostinho de maracujá, sou viciado neles e, sempre quando acaba, quero de novo — falou e foi possível ver as orelhas do mais velho se abaixarem e o seu rabinho parar de envolver o corpo do mais novo. Ele estava chateadíssimo.

— Eu não estou acreditando nisso, você fez todo esse charme para pedir a porra de um vigor grego? — perguntou bravo.

— É claro, né. Você pensou que eu ia pedir o quê?

— Minha nossa, Park Jimin! Não tinha outra forma de pedir, não?

— Ué? Mas pensei que você tinha entendido, eu até falei o bordão da Vigor grego. “Gostoso, cremoso; quando acaba, a gente sempre quer de novo” — cantarolou o mais baixo, recebendo um olhar raivoso do seu namorado.

— Não acredito.

— Yoonie não fica bravo... Compra para mim, sim? Nossos filhotinhos estão com vontade desde ontem. — Selou os lábios do namorado.

— Tá! E o que estou com vontade? — resmungou com os olhinhos brilhantes e com as orelhas abaixadas.

— O que você está com vontade, Yoon? — perguntou o Park inocente, não entendendo o porquê do mais alto estar emburrado.

— Esquece, vou me arrumar para ir buscar o que me pediu. E você, enquanto isso, se vista e vai tomar o café da manhã com o Tae, ele anda se esforçando muito para prepará-lo para nós todos os dias. — Tirou o híbrido do seu colo com muito esforço e foi tomar um banho gelado, ele precisava acalmar os ânimos.

O café da manhã já estava na mesa quando o acastanhado apareceu na cozinha espaçosa. Os cabelos estavam adoravelmente bagunçados, trajava um macacão amarelinho, por baixo deste uma das blusas soltinhas que ele havia pegado do namorado lhe tapava a barriga fofinha.

O cheirinho de tutti frutti se espalhou suavemente pelo local, entrando em conflito com aroma adocicado de frutas vermelhas que emanava do híbrido de tigre. O gatinho moveu seus pés inchados e descalços em direção ao mais alto e, aproximando-se do acinzentado que estava de costas — cuidadosamente cortando alguns morangos para o seu hyung —, o Park fez alguns barulhinhos fofos e mordeu com vontade o ombro exposto do mais novo; ele estava com vontade de comer doce de frutas vermelhas, por isso não viu mal algum em morder o seu melhor amigo.

— Ahhh! — gritou o Kim assustado, fazendo que um híbrido de labrador logo entrasse no cômodo, em alerta, deixando o seu cheiro natural de cookies se espalhar pelo local. — Por que você me mordeu, hyung? — perguntou o tigre, estranhando o amigo enquanto cobria o ombro com um biquinho nos lábios.

Jungkook, que observava a cena de longe com uma carranca no rosto, não esperou mais um segundo sequer para ir ao encontro do namorado, abraçando-o possessivamente enquanto rosnava baixinho para o híbrido de gato. Ora, onde já se viu?! O meio metro havia tentado comer o seu tigrinho!

— Eu queria ver se você tinha gostinho de frutas vermelhas mesmo. — Deu de ombros recebendo um olhar incrédulo dos seus dongsaengs.

Para o Jeon, era um absurdo que outra pessoa além dele mordesse a pele macia e docemente perfumada do belo híbrido de tigre que tinha como parceiro. A amizade dos dois felinos o deixava inquieto, até porque a gravidez do anão buchudo só fortaleceu a força dos Vmin, fazendo com que o moreno competisse pela atenção do seu namorado.

— Ei. Só porque você está grávido não significa que você tem que se agarrar ou morder o meu homem! — exclamou o Jeon, com ciúmes, rosnando baixinho quando o felino se aproximou para beijar o machucado do Kim.

A dose de diversão do gravidinho já estava garantida, e como Jimin estava proibido de se divertir como antes fazia, resolveu divertir-se nas custas do seu amigo canino. Como um belo ator, o acastanhado usou a sua carta na manga para ter o melhor amigo ao seu lado.

— Taetae, o seu cachorro está rosnando para mim. Briga com ele! Jiminie não fez nada de mais, você sabe, não sabe? — O acastanhado olhou tristonho para o melhor amigo com as orelhinhas abaixadas.

E foi bem nessa cena que o labrador perdeu para o gatinho travesso. O Kim, sentindo-se envergonhado pelas atitudes do namorado, virou-se para o Jeon para o repreender, já o Park apenas encarava um Jeon cabisbaixo com um sorriso debochado nos lábios e as mãos alisando a barriga. O gestante havia ganhado a guerra contra o cachorro possessivo.

— Jeon Jungkook, se você rosnar para ele de novo, eu te coloco de castigo! — disse o acinzentado, balançando sua cauda, ele não havia gostado da atitude do mais novo. — Você já é um adulto, sabe muito bem que é feio rosnar para as pessoas.

— Tae! Foi ele que começou — murmurou o labrador com as orelhas caídas, olhando triste para o namorado enquanto seu rabo peludo encolhia.

— Se continuar assim, você vai ficar sem Taetae por duas semanas — disse o mais velho com as mãos na cintura, recebendo um olhar apavorado do mais novo. — Pede desculpas para o Jiminie!

— Desculpa, meio m… — O olhar afiado do Kim estava cravado no Jeon, ele observava o namorado atentamente esperando que a sua ordem fosse cumprida sem qualquer erro. Aquela aura assustadora do tigre estava fazendo com que o mais novo engolisse em seco, ao mesmo tempo que se remexia inquieto. — Jimin hyung, fui um garoto mal. Me desculpa, não vai se repetir. — O labrador encarou o acastanhado emburrado enquanto balbuciava as palavras com um desânimo.

— Tudo bem, não foi nada. — O Park sorriu fofo, sentando-se na cadeira próxima à mesa farta que o Kim havia preparado, ele estava faminto.

Não demorou muito até que todos estivessem reunidos na mesa; Yoongi já havia chegado com o vigor grego do seu barrigudo, este que não esperou um segundo sequer para devorar tudo à sua frente — estava comendo por quatro, então nenhum dos meninos ousou falar alguma coisa.

O acinzentado sentia-se feliz ao ver que Jimin possuía seus olhinhos brilhantes em alegria ao provar daquela comida maravilhosa que tanto se esforçou para preparar. Após o café da manhã, não demorou muito até que o gato gravidinho fosse de encontro com o tigre, abraçando-o com cuidado e enchendo-o com elogios enquanto um cachorro bravo e impaciente os rodeava.

A menção dos bebês dentro do Park trazia um brilho sonhador aos olhos do Kim, já Jungkook se sentia motivado a acasalar com namorado. Ele também queria os seus filhotes, gostaria de ter a experiência de ver a barriga fofinha do namorado crescer — não por estar cheia das comidas que o moreno adorava dar para o seu tigrinho se empanturrar, e sim por estar carregando os seus filhos.

— Taetae, seu bumbum tá enorme — disse o gatinho levado, apalpando o melhor amigo sem se importar com o olhar perigoso que recebia do Jeon. O Kim sentia suas bochechas se colorirem a cada apertadinha que recebia do amigo. — Também percebi que a sua barriga cresceu... Você está esperando filhotinhos também? — perguntou o acastanhado inocentemente.

Taehyung se sentia constrangido, não era nada daquilo que todos estavam pensando, ele não estava carregando bebê algum. O acinzentado apenas estava comendo mais que o normal por causa do estresse que ele estava passando por seu cio estar bem próximo. O híbrido de tigre não via mal algum em manter a sua adorável pancinha, mas mesmo assim não deixou de se sentir envergonhado. Querendo se esconder, o Kim se afastou do felino à sua frente e levou os braços até a sua barriga, protegendo-a dos olhares curiosos ao mesmo tempo que baixava as orelhinhas com listras pretas.

As íris negras do labrador brilharam em expectativa enquanto seu rabo se mexia animadamente, ele não conseguia controlar, estava eufórico.

— É verdade, Tae? — questionou o mais novo, aproximando-se do namorado para enchê-lo de beijinhos. — Eu jurava que as suas gordurinhas que eu tanto amo eram apenas por conta do seu temperamento — murmurou todo derretido.

— Eu não estou grávido, okay? — falou o tigre amuado, afastando o Jeon de perto de si.

— Mas e a sua pancinha? Reparei que ela estava mais redonda e.... — O mais novo mal teve tempo de terminar a frase, Taehyung o encarava irritado e magoado.

O gatinho ranzinza, que olhava a cena de longe, apenas abaixou a cabeça em negação, havia sido muito bom viver com o Jungkook, foi um bravo soldado, com certeza.

— Vocês estão insinuando que estou gordo? — O acinzentado rosnou e encarou ambos os garotos com uma fúria enorme, os meninos por sua vez apenas se encolheram.

— Taetae, não fo-

— Fica quieto, bola de boliche que tá prestes a dar à luz! Eu só vou falar uma vez e espero que fique bem claro, eu não estou grávido e isso aqui que tá na minha barriga é apenas gases. Não quero ouvir mais nenhum comentário vindo dos dois, passar bem. — O tigre saiu da casa rebolando graciosamente a bunda um tanto avantajada, ao mesmo tempo que a sua cauda se movimentava rapidamente, dando a entender que ele estava muito bravo.

Como um furacão, Taehyung havia deixando os dois garotos para trás com uma cara de espanto, ele estava irritado demais.

Jungkook quis ir implorar pelo perdão do namorado, até porque ele não fez por mal, mas de nada que fizesse iria adiantar. Ele conhecia a ferinha brava e impiedosa que era o Kim, o mais velho só ficaria mais calmo depois de pelo menos quatro horas sozinho pensando em formas de torturar o pobre híbrido de labrador e de como dar um gelo no melhor amigo. Infelizmente seria uma longa semana sem os chamegos do tigre para o Jeon e sem os docinhos maravilhosos para o Park.

— Satisfeitos? Eu só queria uma manhã calma, só uma, meu Deus. Mas não, vamos cutucar o tigre com a vara curta. Vocês que lutem para acalmar a fera, vou é abrir a sorveteria — disse o Min ao remexer as orelhinhas após terminar de tomar o seu café.


(...)


A sorveteria Goyangi Ice Cream era muito bem cuidada e maravilhosamente gerenciada pelos híbridos, estes que trabalharam duro desde o início para que o estabelecimento fosse reconhecido pela vizinhança exigente que os rodeava. Foram longos e trabalhosos dias até que os primeiros clientes resolvessem dar uma pequena chance aos quatro amigos. Contudo, não demorou muito até que jeitinho adorável e esforçado dos garotos conquistasse os fregueses, fazendo-os se tornarem clientes regulares.

A decoração do espaço — muito bem falado pelos consumidores assíduos — apesar de ser simples, era bem bonita e criativa. A loja era toda em tons pastéis, possuía nas paredes alguns desenhos e itens decorativos feitos à mão pelos donos do lugar, colorindo docemente o ambiente, dando-o um fragmento da personalidade dos donos. O piso branco de madeira clara brilhava junto de pequenos floquinhos coloridos pintados à mão e as mesas que também eram fofamente personalizadas, junto das cadeiras acolchoadas e das famosas cadeiras giratórias — as quais dois felinos em especial fizeram birra para tê-las no Goyangi —, causavam admiração em todos; o conforto e a tranquilidade que o pequeno estabelecimento oferecia de bom grado para todos os clientes os faziam sempre voltar, sem contar que o atendimento era o melhor de todo o bairro, junto do sabor delicioso do doce gelado. Sem dúvida, o Goyangi Ice Cream era um ótimo lugar para relaxar.

A semana havia passado como o bater de asas de um beija-flor, as tardes dos sócios foram regadas de momentos divertidos enquanto todos os meninos trabalhavam graciosamente no estabelecimento. Trajados com o uniforme fofo da loja, causavam um ataque de açúcar em cada cliente ao remexerem as orelhinhas, balançarem a cauda e, claro, interagirem fofamente entre eles. Os híbridos, que não eram bobos, usavam da sua aparência encantadora para lucrar com a própria natureza, afinal quem resistiria àqueles olhinhos brilhantes e àquelas orelhinhas peludas? A sorveteria dos quatro amigos com certeza fazia sucesso nas redondezas.

A lua já brilhava do lado de fora quando os Taekook saíram para resolver alguns assuntos sobre o pequeno comércio que gerenciavam com muito amor e sabedoria, deixando que o casal Minimini fechasse a sorveteria assim que o último turno acabasse, já que infelizmente os mais novos teriam que resolver sobre a demanda de novos sabores de sorvete que estava demorando muito para sair.

Não demorou muito até que a loja estivesse praticamente vazia. As horas passaram muito rápido para o gatinho moreno, este que teve que ignorar o seu barrigudinho para ter um desempenho melhor no atendimento. Jimin o deixava bobo demais, por isso ele teve que ficar firme para resistir ao seu namorado. Não importava quantas vezes o seu amorzinho fizesse aquela carinha de gatinho abandonado, Yoongi teria que ser forte pelo bem do estabelecimento.

O gatinho malhado remexia suas orelhinhas branquinhas com algumas listras alaranjadas, estava impaciente. Seu rabinho também se recusava a ficar parado, Jimin estava com um desejo enorme e para si era uma tentação estar no mesmo lugar onde havia aquilo que mais desejava no momento. O gravidinho tentou deixar isso para lá, porque era muito sensível e poderia facilmente ficar resfriado por causa do doce gelado, mas logo mudou de ideia. Recusando-se a deixar seus filhotes nascerem com cara de sorvete de menta, resolveu fazer o Min invadir o armazém dos sorvetes com ele.

O acastanhado estava sentado na cadeira giratória, ele observava apaixonadamente o Min trabalhar enquanto seus pezinhos gordinhos estavam suspensos no ar, porque os mesmos não alcançavam o chão. O macacão que ele vestia dessa vez era rosa, enquanto a blusa do uniforme azul da sorveteria abraçava seu corpo por baixo do macacão confortável, deixando-o ainda mais adorável aos olhos de todos.

Mais um tempo havia se passado quando felino de madeixas negras se livrou do avental rosa bebê que estava em seu pescoço, ficando somente com o uniforme azul pastel da casa do doce gelado. O Min já havia fechado a loja quando resolveu se aproximar do namorado emburrado e, com um sorriso bobo nos lábios, selou a bochecha gordinha, fazendo-o rir todo dengosinho.

O Park, vendo o quanto o namorado estava amolecido por sua causa, sorriu travesso e o encheu de beijinhos ao mesmo tempo que ronronava. Abraçando o corpo forte do seu gatinho ranzinza, Jimin começou a soltar gradualmente o seu cheirinho de tutti frutti, fazendo com que o moreno se derretesse de amor enquanto o mimava cada vez mais. Não demorou muito tempo até que Yoongi já estivesse nas mãos do acastanhado e, tendo o controle sobre o mais velho, o gatinho travesso pôs o seu plano em prática.

O barrigudo tinha em mente invadir o congelador especial para provar daquele sorvete de menta imperial que tanto ouvira Taehyung comentar ao longo da semana. Infelizmente, no dia de provar uma amostra do doce gelado, o Park tinha ido ao médico, por isso perdeu a oportunidade, já que agora só havia potes enormes do doce, lacrados. O acastanhado estava decidido, ele provaria daquele sorvete nem que para isso tivesse que levar o seu namorado junto. Afinal, quem resistiria a um gatinho grávido com desejos?

Muito chamego depois, lá estavam os Yoonmin, entrando no congelador, após digitarem a senha e abrirem a porta pesada que guardava o armazém frio, ambos trajados devidamente para que um inoportuno resfriado não os atingisse.

Yoongi resmungava baixinho, ele não sabia como acabou por entrar nessa loucura junto do namorado. Taehyung, com certeza, brigaria com o casal mais tarde, já que os dois gatinhos estavam sendo irresponsáveis. Primeiramente por ser uma péssima ideia tomar sorvete à noite, e, em segundo lugar, eles não deveriam abrir um pote enorme de sorvete sem consultar os outros dois amigos, uma vez que todos eles estavam nessa juntos.

O gravidinho andava pelo congelador todo saltitante, suas orelhinhas fofas tremelicavam em expectativa, finalmente iria matar a sua vontade arrebatadora de comer o doce gelado. Assim que o grande recipiente lacrado foi encontrado, o moreno logo se pôs a abrir para que o namorado pudesse se empanturrar com o bendito sorvete para que depois ambos saíssem dali rapidamente.

O Min colocou o pote no chão e, com muito cuidado, ajudou o seu companheiro a se sentar em cima de uma almofadinha que ele insistiu em trazer junto com um cobertor quentinho — o Park queria ter uma experiência completa para provar do sorvete, por isso convenceu o mais velho a aceitar aquela péssima ideia. Eles teriam que ficar ali até que o gatinho levado se desse por satisfeito.

Cobrindo o corpo do namorado, o Min circulou o mais novo, acolhendo-o em seus braços enquanto o escutava fazer barulhinhos de alegria. Deu-lhe a colher e em poucos segundos já pode vê-lo abraçado ao grande pote, comendo enquanto ronronava.

A cena de ambos abraçadinhos, parecendo duas bolinhas por conta do cobertor e Yoongi admirando namorado todo sujo de sorvete enquanto beijava os fios acastanhados do seu barrigudo era fofa demais, porém eles haviam esquecido de uma coisa importante: a porta do armazém só abria por fora e os Taekook demorariam para voltar para casa naquela noite.

— Yoongi, você prendeu a porta? Você sabe que ela só fica aberta por alguns minutos, né? Por isso que eu pedi para você colocar a travinha para segurá-la — falou o gatinho levado e sujo de sorvete, encarando o namorado seriamente.

— Que porta? — indagou o mais velho, bobo, mexendo as orelhinhas enquanto ronronava dengoso. Logo um ‘bip’ característico se fez presente no local. Eles estavam presos ali dentro e não demoraria muito até que eles estivessem mais congelados do que o sorvetinho de menta.

~~


Notas finais: Até a próxima.

16 de Outubro de 2021 às 20:59 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Fim

Conheça o autor

2Min Pjct Projeto de fanfics do shipp Yoonmin (Yoongi & Jimin) do grupo sul coreano BTS. Nos encontre também no Wattpad (https://www.wattpad.com/user/2MinPjct), Spirit (https://www.spiritfanfiction.com/perfil/suji05), ao3 (https://archiveofourown.org/users/2minpjct) e twitter.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~