canis_latran Canis Latran

Fanfic de Helluva Boss. Stella x Striker. Erótico. Comédia. 18 anos. Ou como gostei de chamar; "pornochanchada hardcore de quinta categoria com vilões de desenho animado". 


Fanfiction Desenhos animados Para maiores de 18 apenas.

#pwp #maluquice #striker #helluvaboss #stella #nonsense #porno #fanfic
Conto
0
507 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Patroa e Peão

Stella está impaciente. Bufa, abana com raiva seu lequinho cafona, anda em círculos fazendo ploc-ploc dentro do jardim de inverno, isolado e quase esquecido nos fundos do seu palácio.

- Inferno! Raios, raios múltiplos! Onde aquela lagartixa mirolha está?!? Ninguém me faz esperar assim e fica por isso mesmo!

- Madame? - Striker surge entre as sombras das plantas carnívoras da entrada, com um ar sério de raiva contida.

- Ah, finalmente! Está atrasado, peão. Não podemos perder tempo nem mais essa oportunidade!

- A senhora me chamou de lagartixa mirolha? Olha, patroa, eu lhe tenho respeito desde o início, mas eu não...

- Xiu, para de falar agora e vamos agir. Não se importe com o que eu disse. Lembre-se que você está sendo muito bem pago e até agora não apresentou serviço. Stolas foi mais uma vez ao mundo dos humanos junto daquele maldito diabrete e seus amiguinhos. Temos que aproveitar que lá durante o dia, longe da lua, ele não poderá assumir sua forma original para se defender melhor e nem nos pressentir a presença, pegá-lo de surpresa. Acredito que ele já suspeite de mim, mas como é um frouxo que tem medo de brigar, prefere fingir ignorância! Se nos atrasarmos e anoitecer lá, e você não conseguir atirar, uma briga entre eu ele em nossas formas originais deve causar muito barulho, sujeira e mídia, e minha imagem vai por água abaixo!

Striker engole em seco, rosnando baixo com os dentes à mostra e os olhos brilhando verde. Stella abre um pergaminho com escritos em hebraico primitivo, herança de sua família, e com uma luz púrpura começa a tracejar símbolos no ar enquanto continua a falar:

- Então, peão, você tem um disfarce humano, né? Não quero ter que ficar carregando uma espécie exótica de pet pra cima e pra baixo. Só estou perguntando porque sei que muitos da sua raça não sabem...

- É claro que tenho! A senhora não está falando com "qualquer um" desde que me conheceu! Vamos ver só uma coisa...

O portal se abre entre os símbolos tracejados e eles atravessam rumo à uma encruzilhada na beira da estrada, numa porteira, com um despacho de macumba ali com meia galinha preta carcomida e duas garrafinhas de Corote.

- Ahrgh! Canibalismo! - Stella aponta assustada e enojada pra carcaça de galinha preta no meio da farofa.

- Isso é macumba, patroa. Humanos comem aves dos 2 lados da vida, mas não são canibais, não se preocupe.

- Uhrgh, você só fala isso porque não deve conhecer aquele overlordezinho bizarro do rádio do outro lado do anel... Humanos me dão arrepios!

- Se troca aí que eu vou ali atrás da árvore.

- Não tente me espiar, hein!

Stella encolhe os ombros, com os olhos arregalados espia de um lado pro outro, solta um sorrisinho e vai na ponta do pé pra trás de um monte de feno.

- Desde menina eu queria fazer isso sem ninguém por perto, hehe. Lá vai: PELO PODER DO PRISMA LUNAR! Pom-pom-pom! Tchu-tchu-tchu-ru-ru-ru... Hummm-huh-hum... Sailar Moon... - Enquanto ela cantarola sussurando, fecha os olhos e faz tipo uma dancinha girando na ponta dos pés e levantando os braços. Em meio a muito glitter cor de rosa, voam as penas e ela encolhe, se transformando numa espécie de versão pálida da Gisele Bundchen com cabelos loiros escorridos bem longos, relativamente alta, magra, com seios redondos de silicone, lábios e olhos sedutores, uma pele perfeita, usando um vestido chique-praiano, daqueles com cara de festa de fim de ano em Copacabana. Ela pega um espelho para arrumar a maquiagem e se admira, pensando alto: - Hum, eu podia criar um Instagram com dicas sobre como continuar sendo linda e gostosa aos 40 mil anos... [obs: Se fosse humana teria 40, sim ela é imatura, assim como Stolas e Blitzo nessa faixa também, e Striker 35, mas isso já é uma outra conversa.]

- Pronto, peão! Carregue sua arma, partiremos daqui. Ei, cadê voc?...GASP!

- Já estou a 2 passos à sua frente, madame. Ele se revela soturnamente, com sua voz rascante, grave e sussurrante saindo de trás da sombra da árvore, topando quase em cima de Stella, assustada e surpresa com a aparição. Striker aparentava um homem no seu auge, daquele jeito que a testosterona já escalou tudo o que devia e estabilizou antes de chegar a hora de descer. Com a experiência do chão rodado da estrada da vida, mas ainda com energia de sobra pra gastar. Devia ter 1,90m ou um pouco mais, saradão mas ainda longelíneo, a pele queimada de sol pela lida, o cabelo loiro jogado pra trás, os olhos verdes intensos, maliciosos e brilhantes, seu bigode fino junto com seus traços ao mesmo tempo longos e másculos, pareciam ser do próprio diabo na Terra à caça de moças para seduzir e corromper suas almas.

- Nossa. Ehrm, Striker...

- Hum?! Me chamou pelo nome agora, heh? A que devo a "honra"... ..."Madame"!?! - Enquanto falava a última palavra com ironia, jogava suas mãos contra o tronco da árvore, deixando Stella quase imprensada ali entre ele e o tronco; uma forma que ele já gostava de fazer para intimidar as pessoas. Ela repara que o peito dele está ficando ofegante, sente seu cheiro de uma fragrância forte, penetrante, picante e amadeirada, e o coração dela passa a pulsar na garganta. - Meus olhos estão aqui em cima... Stella! - Ele levanta delicadamente o queixo dela até que seus olhos se encontrem. Ela se lembra de quem é e se esforça para se recompor.

- Sabe... Acho que esse trage completo de cowboy vai chamar muita atenção nos dias de hoje e nesse país tropical, não? Que tal se você tirasse o chapéu... E a jaqueta... O lenço... - Ela mesma ia tirando, apreciando e ele curtindo. - Realmente, você dizia que mesmo dentre os diabretes, estava acima da média deles... Me perdoe se em algum momento fui rude com você.

- Está falando isso agora só por causa da minha aparência?

- Não. Estou falando pelas histórias que essas marcas com certeza contam. - Ela aponta para o tórax dele parcialmente aparente por uns botões abertos da camisa. - Aposto que você é o tipo de assassino que já colecionou muitas aventuras por aí, colocando seu couro no fio da navalha de muitos e vencendo, só guardando de cada batalha uma lembrança no próprio corpo... Elas não doem?

- As cicatrizes? - Ele sorri malicioso, mostrando que mesmo como humano seus dentes ainda são afiados. Tira a camisa, pega as mãos dela e as coloca sobre seu coração. Sussurra no ouvido dela com uma língua reptiliana dançando entre os dentes: - Só doem por dentro. E só tem uma cura pra essa dor: Paixão de uma dama. Beijos. Tesão. Muito carinho nelas.

- Hummm, aahhh... Mas primeiro carinho nessa língua louca de cobra, me envenenando, seu peçonhento!

Se beijam loucamente como se quisessem matar toda a sede de um deserto na saliva um do outro. As mãos firmes de Striker agarram a cintura fina de Stella, a pressionando contra sua pelve, movimentando de forma sinuosa e intensa, a envolvendo toda cada vez mais, como uma cobra píton domina e possui a sua presa e a prepara para ser devorada inteira, abrindo seu vestido por trás, descendo o seu decote. Como em um jogo, o predador suaviza seu agarre, para que respirem ofegantes, transpirando. Stella lambe cuidadosamente o suor de todo o tronco dele, de cima pra baixo. Nos ombros, também morde. Nas costas, também arranha. Nos mamilos, passa a pontinha da língua em círculos, caprichosa, arrepiando ele. Striker já está tremendo de ansiedade e excitação, não aguenta mais ficar sem penetrar aquela vadia esnobe e gostosa! Mas antes de dar o bote fatal, quer algo mais. Com a braguilha aberta, leva as mãos dela até seu pênis pulsando e saltando pra fora. Ao ver e sentir, no início ela tenta disfarçar a surpresa de algo maior e mais quente do que esperava, além de bem mais grosso e intenso do que estava acostumada no casamento. Striker a conduzia:

- Não tenha medo de fazer carinho nele... Isso... Agora beija ele. Beija, beija mais. Mais... Ah, mais. MAIS, PORRA, CHUPA!!! Ssshhhh, aaahhhrrr, isso, "madame", isso! Hmmm... Parou? Que cara é essa, doçura? Não sabe que agora somos mamíferos e mamíferos produzem leite?

- Rá, rá, "engraçadinho". Só as fêmeas deveriam fazer isso, não? - Ela responde sem muita raiva na verdade, limpando seu rosto do sêmen dele.

- Então vem aqui que eu também quero curtir assim essa vida de mamífero sangue quente! - Ele a levanta a colocando no seu colo e acaba de arregaçar o decote do vestido dela. Ela pega e apresenta seus seios suculentos. E ele voa de boca em cima deles, charfundando todo o seu rosto, quase sufocado pela maciez... Lambê-los, mordê-los, acariciá-los.

- Ah, se eu pudesse beber do seu leite, mamífera...

- He, he, heh. Querido... Eu sou uma Ars Goetia... Existe pouca coisa que minha magia não possa fazer, sabia? - Ela fecha os olhos, respira fundo, e começa a fazer seus seios aumentarem ainda mais, inflarem e soltarem leite. Striker fica impressionado e treme de ainda mais tesão. Abocanha um daqueles seios enormes, macios e firmes, leite e saliva escorrendo e voando pra todo lado. Ele para um pouco pra tomar ar e pergunta:

- Pode fazer algo assim com meu pau também?

- Hum, não será necessário, você já tem TUDO o que precisa e mais. Mas... Talvez eu possa fazer algo a mais aqui que pode te agradar...

E ela fez suas nádegas, quadris e coxas aumentarem até rasgarem o resto daquele vestido justo feito para top models magrinhas. Esse foi o golpe de misericórdia praquele peão. Vendo a gostosona nua em pelo sobre a relva como uma égua no cio, arrancou de vez o que ainda tinha de roupa, e com um rugido, num salto, montou nas costas dela!

- Ui! C-calma, garanhão, vai com calma, tá? Ai, meu satan! Ai!

Ele morde a nuca dela, suas garras nos seios dela, seu pênis já frenético na sua vagina, cobrindo tudo até o final do caminho para El Dourado.

- Arf, até hoje não teve uma potranca chucra que eu não conseguisse domar! Arf, nobre, metida, recatada merda nenhuma! Arf, arf! É isso que você é, uma puta duma potranca! Vadia! Que não teve na vida um homem pra poder chamar de macho! Arf! Né, vadia?!

Embora não admitisse entre os seus suspiros, ela virava os olhos de prazer, e mesmo que escorresse uma lágrima de dor física e emocional, ela soltava um leve sorriso de libertação.

Striker continua se esfregando frenético sobre uma Stella de 4 gemendo de prazer, agora tendo ideias pervertidas em sua febre.

- Eu devia era ter trazido meu chicote pra dar no teu couro, marcar essas ancas largas, égua! Arf, arf! Te castigar por ter sido uma filha da puta comigo e toda minha raça até aqui! Apanha, vadia do sangue azul, apanha! - SLAPT! - Quem é o patrão agora aqui, hein?!?! Quem manda na porra do inferno?! De que vale teu status agora, égua chucra?!

- Ai! Animal! Predador traiçoeiro! Brutal! Como ousa... Arf, arf, arf!

Enquanto ele dá mais um tapa no quadril dela e a agarra enrolando e a dominando como em um golpe de luta livre na lona, ela delira em um louco misto de sensações contraditórias naquela aventura inédita. Se sente suja, se sente livre, feral, rebaixada, plena, ardente, culpada, insana, rebelde, jovem, insaciável em seu novo vício de uma dor selvagem. Acima de tudo, ela não sabe explicar o porque, mas permite o perigoso jogo de prazer. Ele a encharca ainda mais por dentro. E por fora o suor pinga sobre o chão de terra enquanto os animais se mordem e se enroscam na busca do...

- AH, EU NÃO AGUENTO! EU TAMBÉM VOU GOZAR! - o disco da trilha sonora erótica que tava tocando ao fundo de repente é arranhado - Tá filmando tudo, Luninha?

- Filmando? Eu tô é transmitindo ao vivo! Muito maneiro...

- MAS QUE PORRA??? - Striker se vira bruscamente cobrindo suas partes ao ver Blitzo no alto de uma mangueira e Luna em baixo filmando com seu celular. - O QUE VOCÊ TÁ FAZENDO AÍ NESSA ÁRVORE, VERME?!

- Se Jesus pode te ver do pé da goiabeira, então aguarde o diabo no pé da mangueira. - Blitzo evoca a sabedoria popular brasileira, enquanto Stella explode:

- Eu não acredito! VOCÊ???? Grrrrr, seu maldito projetinho de diabo! Por que tem que tentar arruinar minha vida íntima toda vez??!!! E agora ainda traz um bando de malditos voyeurs!

- Iuh-huhr... - Millie acena sorrindo de um galho, com Moxxie cabreiro logo atrás.

- Você me paga! Eu vou subir aí e te matar! - Stella recolhe o que sobrou do seu vestido pra se cobrir e tenta correr mancando até a árvore. Luna se desvia calmamente e provoca:

- Blitz, ela te chamou de empata-foda. E com razão.

- Wow, wow, wow. Calminha aí senhora madame princesa potranca, eu não tenho nada pessoal contra a senhora. Só tô aqui pra não deixar esse sujeito aí matar a fonte do meu passaporte garantido entre os mundos. Mas não liguem pra gente aqui. Continuem, vai, fiquem à vontade, faz de conta que não tem ninguém aqui, vou ficar quietinho só olhando... - E ele olha pra eles com carinha fofa balançando os pézinhos como se estivesse olhando para um rancho de pôneis coloridos. Parece que Moxxie é o único realmente preocupado com a situação:

- Mas senhor, não deveríamos estar de olho no Stolas? Nem sabemos onde ele se meteu!

- Relaxa, meu amor, ele só foi ali ver as corujinhas da terra.

Do outro lado de um morrinho daquele caminho na fazenda, uma cena inusitada: Um homem muito alto e muito magro, branco e com estilosos cabelos ondulados escuros, está todo agachado no chão e com a cabeça enfiada num buraco.

- Huuuuh... Hu-uuh?... Huuuu...- Ele faz esses sonzinhos da forma mais amigável possível, mas a família de corujinhas buraqueiras está abismada demais com aquela aparição bizarra na toca delas. Até que uma delas resolve piar pra ele fazendo "Kiiiih!". E o sujeito passa a responder todo animado:

- Kiih? Kiiii-kih... Kiiii!

E de volta ao pé da mangueira, tá rolando briga e correria entre Striker junto com Stella e Luna pelo poder das imagens:

- Me dá esse celular aqui, garota!

- Só tenta pegar! Grrrrrr!

- Entrega isso pra ele, pirralha!

- Joga ele aqui pra mim, filha! Papai não pode perder o material dessa obra de arte cinematográfica!

- "Obra de arte"??? Sério isso??? Isso não passa de pornografia crua, barata e sem sentido! - Moxxie contrariava enquanto o peão e a recepcionista se degladiavam ao fundo pela posse do celular, Stella se joga pra cima deles também e agora até a Millie pula da árvore pra cima da Stella com uma faca na mão, num grande montinho. Blitzo responde com um ar culto:

- Pornozão é a arte de povo, pititico! E esses dois putos estão gostosos demais pra se desperdiçar... - Enquanto Stolas aparece em cena andando calmamente. - E aí, Stolas, finalmente apareceu! O que estava fazendo?

- Amizades! - Ele mostra todo fofo e feliz seus braços esticados para os lados com várias corujinhas castanhas felizes e carinhosas. - ...Oh! Stella? É você? E esse peladão, quem é?

- Meu macho! E é isso mesmo que você está pensando! Então? O que está olhando?!

Stolas olha pra ela com um misto de desgosto com preocupação e solta:

- Meu bem, você engordou...

- GAAAAAAHHHHRRRR!!! - Ela tem um ataque de fúria. - A ARMA!!! STRIKER, ME DÁ SUA ARMA! AGORA! EU MESMA MATO ELE! CADÊ???

- Xi, o pior é que eu não lembro onde deixei e nem tô achando. Cacete, tenho que buscar minhas roupas que caíram lá do outro lado, deve tá por lá...

- Não olha pra mim, eu nem desci da árvore até agora e nem vi nada daqui. - Blitzo continua confortavelmente sentado no galho mais alto da mangueira, balançando os pés. Stella treme um olho de tique nervoso e esbraveja:

- Chega! Pra mim chega! Fodam-se todos vocês! Que se dane! - Fala enquanto abre seu pergaminho tracejando o portal de volta pro inferno. - Mas ouça bem, Stolas, isso ainda está longe de acabar! Me aguarde... - Stella vira a cabeça em 180 graus para encarar com ódio o seu marido, enquanto vai atravessando o portal de volta pro seu jardim de inverno.

- Ei, espera aí! Nós temos assuntos inacabados! - Striker acaba de se vestir às pressas e sai correndo atrás dela pelo portal, sem a gente conseguir perceber se ele achou e pegou sua arma contrabandeada ou não. O portal se fecha assim que ele passa.

- Bem, é isso aí, crianças. Por hoje é só. - Blitzo desce da mangueira com um salto certeiro de pé. - Todos sãos e salvos e ainda ganhei de presente material pra criar uma obra prima do cinema. Podemos voltar, Stolas? E da próxima vez que quiser visitar o Brasil, vê se pelo menos pergunta pra quem já conhece umas coordenadas melhores; você nos mandou pro meio do nada!

- Poxa, parecia bucólico... *suspiro* Está bem, tchauzinho, amiguinhas. - Mas as corujinhas apegadas não querem se despedir dele enquanto ele pega o grimório.

- Bora. O sinal aqui tá muito ruim. - Luna sempre com seu celular. O casal fofinho são os últimos a irem:

- Môzinho, que cara é essa? O que você tem?

- Nada não, querida... Só tava aqui pensando, por que as pessoas se interessam tanto por esse tipo de entretenimento barato? Olha essa fanfic por exemplo. Quero dizer, não tem arte, não tem enredo, não tem charme, e continuam dando prioridade só pros atributos físicos! Já pensou como seria bem melhor um romance erótico estrelado por nós dois, ao invés daqueles trogloditas vilanescos? - Ele a abraça carinhosamente olhando nos seus olhos com ar apaixonado.

- Hi, hi, hi! Vamos pra cama e acabar a história deixando os leitores só na vontade?

- He, he, vamos fazer essa maldade com eles?

- Somos diabretes, é o que fazemos, huh. Tchauzinho, pessoal!

- Tchau-tchau! E não se esqueçam de conferir se tem episódio novo dublado nos canais do Fandub Xtreme e do Estúdio Cartola!

Enquanto dão um beijo de língua, atravessam o portal, que se fecha.

---

FIM

17 de Outubro de 2021 às 01:57 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Canis Latran Escritor de estilos diversos. Até agora a quitanda literária aqui conta com o desenvolvimento de uma história de ação com personagens antropozoomórficos (Furtrajante Mundo Novo), uma novela de época biográfica (Ivan) e uma mini fanfic de Helluva Boss com pornô e comédia (Patroa e Peão). Nunca se sabe quando surgirão novos capítulos, é surpresa.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~