vanessabella Vanessa Viegas

Eu nunca me abri com alguém sobre o que houve.... Mas eu sinto que existe algo sobrenatural dentro de mim.... Meu nome é Bulma Briefs, nasci e cresci na cidade do Oeste, um lugar calmo e pouco habitado. Quando eu era criança lembro que meus pais viviam brigando... Mas eles só entraram com o pedido de divórcio quando me tornei adolescente. Eu nunca tive um bom relacionamento com nenhum dos dois, eu queria mesmo era sair de perto deles... Eram brigas e mais brigas, ja não aguentava mais. Então pra fugir da minha triste realidade, me juntei a alguns amigos que gostavam de visitar cemitérios. Esse era o único lugar onde eu encontrava um pouco de paz... E foi a partir daí que minha vida mudou completamente..... Baseado em fatos reais...


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#baseado-em-fatos-reais #bulma #dragonball #vegeta #terror #horror
1
546 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Parte 1

Hoje encontrei coragem para dizer tudo o que aconteceu comigo desde então... Agora me encontro aqui sentada em uma cadeira em uma sala com vários parapsicólogos dispostos a me ouvir, dentre eles esta Yamcha, fiquei feliz em saber que ele está bem.

Pediram me para prosseguir com meu relato...

Uma outra maneira de desafiar os meus pais, foi começar a namorar um rapaz chamado Black. Ele era o famoso badboy, seu porte fisico me atraía mas com certeza ele não era o cara certo pra mim. E eu? Não estava dando a mínima pra isso...

Um dia Black e eu estávamos namorando dentro do cemitério, os beijos estavam cada vez mais intensos, havíamos bebido um pouco, meu corpo ansiava por ele. Então subimos em cima de um túmulo e começamos a transar.

Ele não foi nada cuidadoso comigo, sua maneira de tocar o meu corpo estava ficando cada vez mais violenta, eu confesso que gostava daquilo no começo da nossa relação, mas com o passar do tempo ele começou a me xingar durante o sexo. Suas mãos começaram a pesar ainda mais sobre mim e suas investidas ficaram cada vez mais violentas. E nesse dia no cemitério ele chegou a me machucar.



***

Um dia eu acordei cedo e vi uma mensagem dele no celular.



"Bom dia gata tenho uma surpresa pra você"

Depois de algumas horas a campainha tocou, eu já sabia que era ele e abri a porta. Nos beijamos, mas tinha alguma coisa errada. Eu olhei para ele intrigada pois suas mãos escondia algo atrás do corpo.

- Feche os olhos... E estenda as mãos...

Eu fiz o que ele pedia, e de repente eu senti um peso em minhas mãos. Quando eu abri os olhos, fiquei espantada.

Era uma Lápide e nela havia um nome.

"Vegeta"



- O que é isso?

- Um presente! Não está vendo?

- Você só pode estar brincando com a minha cara Black!

- O quê? Eu brincando!?

- Eu não quero isso, leva de volta!!

- Não! Isso agora é seu!

- Merda! Seu idiota!!



***



Naquele momento eu fiquei brava - Ele só podia estar de brincadeira! Pra que pegar uma lápide? - O que ele fez foi desrespeitoso e ilegal, essa foi a última vez que vi aquele cafajeste.

Coloquei a lápide em cima da cômoda do meu quarto e fiquei olhando para ela.

- Preciso descobrir o túmulo de onde aquele imbecil tirou essa lápide...

Durante alguns dias eu fui ao cemitério a procura do túmulo, mas não consegui encontra-lo. Depois disso eu acabei ficando com a lápide do Vegeta.



"Poxa o que eu vou fazer com isso"

Algum tempo depois de eu receber a lápide, aconteceu uma coisa...

- O quê aconteceu Bulma? - perguntou-me um dos parapsicólogos, respirei fundo e continuei com o relato.

Eu acordei mais ou menos uma hora da manhã, estava com fome e fui até a cozinha preparar um lanche, quando de repente comecei a ouvir barulhos de passos do lado de fora da casa. Caminhei até o corredor de acesso a sala e olhei pela pequena janela de vidro que tinha na porta principal da casa, mas não vi ninguém. Voltei para a cozinha e quando havia terminado de fazer o lanche ouvi alguém mexer na fechadura da porta. Desconfiada e sentindo muito medo voltei devagar ao corredor ㅡ, o mesmo que havia passado a poucos minutos atrás. E para minha surpresa vi a porta sendo aberta inexplicávelmente... Não havia ninguém atrás dela.

Neste momento eu comecei a sentir uma presença dentro de casa, então corri rapidamente e fechei a porta a trancando com chave.

Essa foi a primeira vez que senti uma presença comigo dentro de casa.



15 de Outubro de 2021 às 03:30 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Parte 2

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 3 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!