asteria_qfs Clara C. Res.

Astéria é uma garota com talentos raros até mesmo dentre os vários seres misticos existente em Farqlar, uma cidade onde as diferenças são celebradas e onde vivem todos (ou quase) os seres misticos existente no universo. Aos dois anos de idade ela foi adotada por Gennady, o herdeiro de uma família nobre de Farqlar. Apesar de ser conhecida como "A Cidade das Diferenças" ainda existem muitas famílias que se opõem a essa ideia de aceitação, sendo azarada até demais Astéria logo descobre que sua família está incluída nessas muitas. Tudo fica ainda pior quando aquele adorado por todos acaba sendo assassinado por uma força misteriosa que a muito vem intrigando a todos os grandes lideres de Farqlar. Agora ela precisa conciliar sua dor com os desafios da sobrevivência, nem que seja só por mais um dia


Fantasia Fantasia urbana Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#fantasia #livros
0
201 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Toda semana
tempo de leitura
AA Compartilhar

Irmãos Verity

Astéria nunca pensou que fosse ser como todos, mas também não imaginou que seria tão diferente. Após viver 15 anos em Farqlar, ela imaginava que a vida teria se tornado um pouco mais fácil, ou que ela fosse poder ao menos ser ela mesma em sua casa.
Após mais um dia difícil na mansão Verity, Astéria se dirigia ao seu quarto com o intuito de finalmente estar só consigo mesma. O outono se aproximava e com ele seu aniversário de 17 anos, não que alguém além de Gennady fosse se importar, não que ela fosse se importar. Afinal qual é a graça dos aniversários? As pessoas simplesmente fingem que se importam com você, ninguém se importaria se de fato não fosse um “feliz aniversário”.
Ela sempre fora uma garota solitária, tendo apenas seus irmão e Sra. Twyla como companhia todo início de outono — ou o ano inteiro.
Estava cansada e tudo o que queria era um bom e demorado banho e depois ler até seus olhos derreterem como sorvete nos verões escaldantes da cidade. É claro que ela não acreditou que tão logo isso fosse ser possível, não depois de ver quem lhe esperava em frente ao seu quarto.
— Astéria, como vai? — perguntou- me meu irmão.
— Muito bem! Respondi- obrigada por perguntar, Oliver.
— De nada. Enfim- Oliver se aproximou e Astéria notou que ele tentava (bastante até) ser legal- seu aniversário está chegando, não é?
— Sim...- Somente o fato de nunca, nunca em 15 anos qualquer um de seus irmãos além de Gennady um dia já ter lhe dirigido mais do que cinco palavras em uma mesma frase e conversa (a não ser quando iam a insultar) já tornou o momento muito estranho.
— Não é incrível como o tempo voa?- disse com a fala levemente arrastada- Quantos anos vai fazer mesmo?
— Dezessete — respondeu a jovem- farei dezessete.
Tudo era muito suspeito. Ela nem estava implicando ou imaginando coisas como Gennady costuma lhe dizer, é que de fato toda essa conversa, além de repentina é estranha, muito estranha. Astéria não sabia se simplesmente deveria se preparar para correr, atacar ou gritar, também não sabia se por um acaso seu irmão finalmente resolveu deixar de ser idiota.
— Dezessete — repetiu enquanto encarava a garota.
— É. Olha Oliver, estou cansada — admitiu Astéria- e eu ficaria muito grata se você pudesse me dizer o que veio fazer aqui.
— Ah sim! Claro- Respondeu o terceiro mais novo de seus irmãos- É que Conrad, Jack, Arlo, Charles e eu estávamos conversando. Sobre seu aniversário sabe, e preparamos algo para você.
— Prepararam algo para mim?- sussurrou pensativa.
— Sim, porque não. Somosseus irmãos afinal -acrescentou Oliver..
Oliver nunca foi um irmão do qual Astéria fosse gostar, mas era um dos menos odiados. Ela até poderia considerar que de fato não havia nada de errado, porém Arlo e Charles também estavam juntos no que quer isso fosse e com toda a certeza do mundo eles nunca preparariam uma surpresa para ela. Talvez, pensou a garota, alguém os tenha obrigado a participar, alguém tipo Gennady. Sim, eles fazem de tudo pelo mais velho… talvez eu devesse apenas ouvir… que mal tem...
— E então? Será que você poderia vir comigo? - perguntou seu irmão.
— Ir? Onde? — Era ruim, só podia ser, tinha algo de errado naquilo tudo.
— Preciso que venha comigo até o jardim. Foi lá que preparamos tudo- contou.
Ela não tinha certeza de mais nada naquele momento, era tudo tão estranho ou talvez ela de fato estivesse imaginando coisas. Que mal tem seus irmãos lhe prepararem um presente de aniversário? Eles nunca se preocuparam antes. Nunca é tarde para começar... Mas… Vá eles não te machucariam no jardim, não com Gennady tão perto.
— Tudo bem- anunciou a jovem- Mas não vai demorar né? De fato estou cansada.
— Ora Astéria, seus irmãos se esforçaram para preparar tudo- ronronou o garoto.
— Eu sei...- Ela não sabia- mas...
— Certo, eu entendo. Tudo bem. Não vamos demorar. Prometo- declarou o rapaz.
— Promete...?- sussurrou semicerrando os olhos.
— É. Vamos então já demoramos muito por aqui.
Tem algo errado. Tem algo errado. Errado. Errado. Errado!
Nada errado, respire, Gennady pode estar lá também, e não é ruim receber atenção (e presentes) de mais do que duas pessoas às vezes...
Eles nunca nem demonstraram se lembrar de meus aniversários, nunca se importaram. E mesmo assim ela seguiu seu irmão até o quequer que estejalhe aguardandono jardim.

1

26 de Setembro de 2021 às 17:18 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Silva Lupus

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!