Conto
0
227 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único


Nota da Autora: Os personagens, lugares e citações que forem reconhecidos como sendo da saga de Harry Potter são da prioridade de J. , Scholastic Books, Bloomsbury Publishing, Editora Rocco ou Warner Bros. Entertainment. Nenhum lucro foi auferido pela criação desta fic.

S.L.


Rowena se encontrava em seus aposentos, deitada na cama. Seu rosto estava pálido como cera e seus olhos azuis tinham perdido seu brilho caraterístico. Seus longos cabelos negros estavam espalhados pelos travesseiros e seus lábios, normalmente vermelhos, estavam brancos. Tinha as mãos, pálidas e frias, cruzadas sobre o peito e, de vez em quando, uma lágrima escorria por seu rosto, demonstrando toda a tristeza que sentia. Os raios do sol entravam pela janela, aquecendo o local.

Olhava para o teto enquanto esperava notícias de Godric sobre Salazar. Quando os primeiros rumores surgiram, dizendo que Salazar tinha realizado ataques e mortes a Trouxas, Rowena não tinha acreditado, mas as provas não tardaram a surgir, a deixando desconsolada. Pensava constantemente: "Salazar, meu amigo, como você foi capaz ter realizado atos tão cruéis contra Trouxas? Matar pessoas inocentes! Porquê? Porque é que seu ódio por eles é tão grande? Que ato tão cruel eles cometeram contra você!?"

Três pancadas na porta retiraram Rowena de seus pensamentos.

– Sim? – Perguntou, sua voz saindo mais fraca que o normal.

– Posso, Lady Rowena? – Se ouviu a voz firme de Godric Gryffindor do outro lado da porta.

– Claro, Godric. Entre. – Respondeu a mulher. Godric abriu a porta e deu de caras com o rosto delicado e ansioso de Rowena Ravenclaw. Fechou a porta, caminhou calmamente e se colocou a seu lado. A mulher observou cada movimento de Gryffindor. Seu semblante estava sério e, ao mesmo tempo, tinha uma pontada de tristeza no olhar.

– Lady Rowena. – Começou Godric, olhando para ela – Tenho informações sobre Salazar.

Rowena, ouvindo o nome de Salazar, se ergueu da cama com esforço e se sentou com a ajuda de Godric. Gryffindor retirou sua varinha de dentro das vestes e transfigurou o criado mudo em uma cadeira. Olhou para a mulher e falou, educadamente:

– Com sua licença, Mi lady. – E se sentou. Seu olhar se cruzou com o de Rowena e advertiu:

– Você tem de estar preparada. – Gryffindor desviou seu olhar do da mulher e colocou uma mão no punho de sua espada, como se quisesse ganhar forças para o que iria dizer. Suspirou e fechou os olhos.

– Godric! – Exclamou a mulher, ansiosa – Me fale tudo de uma vez!

Gryffindor abriu os olhos e revelou, com sua voz mais tensa que o habitual:

– Salazar é mesmo o autor desses assassinatos contra os Trouxas e nascidos Trouxas. – Rowena observou Godric, em choque com o que tinha ouvido. Ela sabia que Salazar nunca tinha gostado de Trouxas, pois os achava inferiores, mas nunca pensou que os matasse por prazer. As lágrimas começaram caindo copiosamente por seu rosto, sem sua permissão, e exclamou, chocada:

– Não! Não! – Salazar, seu melhor amigo, tinha realizado… Nem conseguia pensar.

– Você está mentindo! – Gritou, horrorizada. Colocando as mãos em sua boca, a mulher tentou abafar os soluços que a assolavam. Godric fitou a parede á sua frente e colocou uma mão no ombro da mulher, dizendo:

– Tudo irá melhorar, Lady Rowena. Você tem de ter fé. – Rowena continuava chorando desconsoladamente e Godric implorou, olhando para ela:

– Por favor, você tem de ser forte. Por Hogwarts! – A mulher ergueu o rosto banhado de lágrimas e se limpou com as mãos. Com voz fraca, pediu:

– Godric, podia trazer Helena á minha presença, por favor? – Gryffindor acenou afirmativamente com a cabeça, se levantou e saiu de seus aposentos. Rowena começou a pensar nas palavras de Godric. Estava fitando a parede á sua frente, que tinha um retrato dos fundadores de Hogwarts, que sorriam de felicidade por, finalmente, terem construído a escola de seus sonhos. Mas tudo mudou quando Godric disse que os nascidos trouxas deviam frequentar a escola. Salazar foi logo contra essa ideia e isso desencadeou sua saída de Hogwarts. Suspirou, com saudades do passado. Começou a ouvir passos apressados vindos do corredor. Godric entrou de rompante no aposento de Ravenclaw, juntamente com o Barão, e exclamou:

– Lady Rowena, Helena fugiu! – Rowena sentiu que o mundo tinha desabado sobre ela e gritou toda a dor que tinha dentro de si:

– Não pode ser! Não! – Sua filha também iria sumir de sua vida. Respirou fundo, tentando se acalmar e pensou que, talvez Helena não tenha fugido, talvez só esteja escondida…ou passeando por Hogwarts.

– Você tem certeza? – Questionou, ansiosa.

– Sim, Mi lady. – Confirmou o Barão, solenemente. Se aproximou de Rowena e se ajoelhou ao lado da cama. Disse, com sua voz grave:

– Eu prometo que não irei descansar enquanto não encontrar sua filha. – A mulher apertou as mãos do Barão e implorou:

– Por favor, a encontre o mais depressa possível. Preciso de falar com ela. – O Barão acenou em concordância, se levantou e prometeu:

– Eu encontrá-la-ei, Lady Rowena. Não se preocupe. – E saiu correndo do aposento, juntamente com Godric. Rowena pegou em sua varinha, que estava nos lençóis, a seu lado, e sussurrou:

– Accio caixa. – Uma caixa banhada a prata, com o símbolo azul de uma águia na tampa, voou em sua direção. Pegou nela e a abriu, ficando em choque. A caixa estava vazia. Seu diadema tinha desaparecido! Se lembrou que, semana passada, Helena lhe tinha pedido para ir ao seu aposento para buscar um livro. Nesse momento, compreendeu tudo. Sua filha tinha roubado o diadema.

"Ninguém pode saber que minha filha roubou meu diadema. Seria uma vergonha para minha honra." - Pensou Rowena, fechando a tampa – "Nem podem desconfiar que não o possuo mais."

Sentindo as forças se esvaindo lentamente, suspirou, guardando de novo a caixa com magia e pediu mentalmente: "Só espero que minha filha o proteja bem."

Pousou sua mão no peito, sentindo seu coração batendo cada vez mais devagar. Seus olhos estavam se fechando lentamente, ficando tudo cada vez mais escuro. Suspirou, notando que sua respiração falhava, e que estava cada vez mais lenta.

Rowena percebeu que ia morrer.

"Salazar, Helena, lamento que não os possa ver por uma ultima vez. Me perdoem por não aguentar mais.

E esse foi seu ultimo pensamento antes de se entregar aos braços da Morte.


Fim


Nota da Autora: Oi! Espero que gostem! Foi interessante escrever um pouco sobre a vida de Rowena Ravenclaw. Comentários com vossas opiniões serão bem vindos. Reviews, por favor. Bjs

25 de Setembro de 2021 às 17:41 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Sandra Longbottom Sou Sandra Longbottom, mas podem me chamar de Salily ou Sandy. Sou fã incondicional da saga Harry Potter, mas também leio outras fics que me interessem, como Hunger Games, Divergente, Senhor dos Anéis, The Walking Dead, Thor, Teen Wolf, entre outras… Gosto de ler de tudo, principalmente yaoi e romances. Adoro ler e tenho uma estante enorme de livros no meu quarto, e se eu pudesse, teria uma biblioteca inteira apenas para mim. E sei lá, acho que você só precisa saber isso.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~