2minpjct 2Min Pjct

Jimin e Jimmy são irmãos gêmeos 100% idênticos. No aniversário de 24 anos dos dois, Jimmy convida seus amigos para irem até Busan, para comemorar essa data tão importante junto ao seu irmão. Seus amigos, mesmo sem acreditarem que o garoto de cabelos castanhos tinha mesmo um irmão gêmeo, aceitaram. Jimmy e Yoongi tinham uma amizade um tanto quanto colorida e um gosto igual para homens, o que levou os dois a criarem a lista "garotos que não podemos beijar" para que os dois não corressem o risco de se apaixonar pela mesma pessoa de novo. Como Jimmy era bem esperto, colocou como primeiro lugar o nome de seu seu irmão; mas Yoongi nem se importou, até porque, para si, ele nem era "real". O que Yoongi e o resto dos meninos não esperavam era que o irmão gêmeo de Jimmy era, sim, real e era tão belo quanto o irmão, tendo como única diferença os cabelos em um tom rosa claro. E, para o azar de Yoongi, ele se apaixonou assim que colocou seus olhos no garoto. Ambos foram unidos pelo destino e conectados pelo amor, mas ninguém poderia saber disso.


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#romance #yaoi #oneshot #bts #suga #yoongi #jimin #taekook #yoonmin #2seok #sugamin #minimini #suji #2min #minimoni #minmin #2minpjct #tema-livre #jimmy
5
652 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Nossos Destinos

Escrito por: parkminluv



Notas iniciais:

Oi gente, tudo bom ? Aqui é o vivih, e eu sou novo aqui no projeto. Espero que vocês gostem da minha escrita, e das minhas estórias ^^ amo vocês.

Se quiserem interagir com a estória e comigo, usem a #Naoseapaixoneporparkjimin no twitter.

Quero avisar que no meio da estória pode ter um possível gatilho para quem tem transtorno de ansiedade, eu coloquei três asteriscos ( *** ) indicando onde começa e onde acaba, caso alguém se sinta desconfortável.

Boa leitura, anjinhos. <3



~~


Era uma vez

Dois amigos

Talvez até três

Mas só um par de escolhidos.


Sempre juntos

Nunca sozinhos

Com tantos assuntos

Como dois pombinhos.


Um amor recíproco

Como uma paixão

Um encontro atômico

E um só coração.


Um fio extenso

Duas pontas amarradas

Na cor de um vermelho denso

Nas mãos de duas pessoas amadas.



[...]


Park Jimmy


Manter uma amizade nos dias de hoje é bem difícil. Você confia em uma pessoa e, quando menos espera, ela te dá uma facada nas costas.


Min Yoongi foi o primeiro garoto com quem eu falei quando cheguei aqui em Seul, para terminar o colegial e cursar teatro em uma das melhores faculdades da capital. Ele mora no mesmo apartamento que eu, e sua mãe, como síndica, pediu a ele para que ele me mostrasse o prédio.


E foi assim que a gente se conheceu.


Em menos de um minuto de conversa, nós descobrimos que tínhamos muitas coisas em comum; gostávamos dos mesmos filmes, das mesmas músicas, estilos de roupas, comidas, pessoas, cores e até dos mesmos cantores e bandas. Eram tantas coisas que, se eu não parar agora, posso acabar escrevendo um livro apenas com esses fatos.


Yoongi é apenas um ano mais velho que eu, mas nós sempre estudamos juntos e fomos da mesma sala. Ele havia regredido um ano, porque o pai morreu e a mãe acabou ficando doente, então ele ficava em casa cuidando dela — ele não gostava muito de falar sobre isso, e eu não pedia detalhes. Eu só sabia que o mais velho tinha 16 anos na época em que sua vida começou a mudar, e eu sei que mudou ainda mais quando eu cheguei em Seul, dois anos depois.


Por termos muitas coisas em comum, não era de se surpreender que fizéssemos o mesmo curso e nem que odiássemos as mesmas pessoas, como o carinha que sempre nos para quando nos atrasamos para a faculdade.


Yoongi e eu só brigamos uma vez desde que nossa amizade começou. Estávamos há pouco tempo na faculdade, quando acabamos nos apaixonando pelo mesmo cara; o rapaz era lindo, cabelos loiros brilhantes, cursava odonto e, bom, era um tremendo gato. Nós dois nos apaixonamos por ele, como se fosse impossível de acontecer, já que tínhamos o mesmo gosto para exatamente tudo. E isso gerou uma briga que até hoje nos arrependemos.


Por isso, é interessante que vocês saibam três fatos sobre nós: 1) Somos quase gays até demais; 2) Odiamos loiros de odonto; e 3) Para nunca mais brigarmos novamente, pegamos nosso diário da amizade e criamos a lista "Garotos que não devemos beijar".


E como eu não sou bobo, coloquei como primeiro nome o de meu irmão: Park Jimin.


O motivo para eu ter colocado o nome dele em primeiro? Bem, eu e o Yoon temos uma amizade colorida, nós nos pegamos às vezes em algumas festas ou quando estamos muito carentes. Isso não nos impede de ter um relacionamento estável com outra pessoa, mas seria bem estranho eu beijar Yoon sabendo que ele já beijou meu irmão. Mas o principal motivo é que seria bem bizarro ter o meu irmão namorando o meu soulmate. Eles iriam me abandonar e eu seria deixado de lado, como o Jimin sempre fazia quando arrumava um namorado novo e deixava de sair comigo para sair com ele.


Yoongi riu e não ligou muito para o nome de Jimin ali, até porque ele não acreditava muito na história de eu ter um irmão gêmeo. E o motivo é simples; mas antes de revelar, vou me apresentar:


Meu nome é Park Jimmy, eu tenho 23 anos, saí de Busan aos 17 anos para concluir o Ensino Médio aqui e cursar teatro. Eu e o meu irmão somos gêmeos idênticos, tipo 100% mesmo; quer dizer, só 99%, porque agora ele pintou o cabelo de rosa. E eu sou muito, muito, muito, mentiroso.


Eu sei que isso não é uma qualidade, mas eu não consigo mudar. Eu menti a minha vida inteira, desde quando era criança, e isso está no meu dia a dia. Como ontem, quando eu disse à senhora Hyo que tinha cuidado do cachorro dela enquanto ela foi viajar, mas a verdade é que eu odeio cachorros; então eu usava meu charme natural e pedia ao porteiro gatinho (que, por acaso, está na lista de quem não beijar) pra cuidar do pequeno filhote de demônio.


E, bom, por eu ser mentiroso assim, meus amigos não acreditam muito em mim. Yoongi acredita às vezes, porque ele é o único que reconhece quando eu estou mentindo, mas, mesmo assim, ele não coloca muita fé na minha história de irmãos gêmeos. Porém, eu nem insisto mais em provar; sempre que mostro fotos, eles dizem ser montagem, eu já até tentei fazer chamada de vídeo com Jimin quando os meninos estavam lá em casa, mas, para minha sorte, ele não atendeu.


Tudo isso porque ele diz que está se "vingando" por todas as vezes que eu menti pra ele; então, todas as vezes que eu estou com algum dos meninos, Jimin literalmente finge que não existe e até me bloqueia das redes sociais. Mas tudo bem, o que é dele está muito bem guardado.


Mas eu não sou 100% mentiroso. Se tem uma coisa que eu nunca mentiria para o Yoongi é sobre a lista, porque isso é realmente importante e pode acabar com os nossos anos de amizade. E eu nunca, nunca, nunca quero me afastar de Yoongi; se eu matasse alguém, ele seria a primeira pessoa para quem eu iria contar e chamar para me ajudar a esconder o corpo, porque eu confio nele, ele é a minha pessoa.


[...]


Agora são 13h e eu acabei de receber uma ligação do Jimin. Ele disse para eu convidar todos os meus amigos para a nossa festa de aniversário, que é daqui a uma semana.

O último aniversário que comemoramos juntos foi o de 17 anos; agora vamos fazer 24, e eu estou muito ansioso para ver ele e a mamãe. A última vez que os vi foi no enterro do papai, que estava muito doente e, infelizmente, não resistiu. Foi a minha pior fase em Seul, eu não tive meu irmão e minha mãe para me dar apoio e me ajudar a superar; eles não podiam ficar em Seul comigo e eu não podia largar a faculdade. Mas eu tive Yoongi, ele fez de tudo para me distrair, tentava me animar, me deixou chorar em seu colo e me deu forças quando eu mais precisei, ele é tudo para mim.


Mas, focando no assunto bom, eu vou poder esfregar na cara de todos os meninos que eu tenho, sim, um irmão gêmeo e eu estou ansioso para ver a cara deles. Por mais que eu esteja com um pouco de medo da reação do Yoongi, já pensou se ele se interessa pelo meu irmão?! E se eles ficarem? Bom, Yoongi não faria isso, por causa da lista, mas mesmo assim, eu ainda vou lembrá-lo sobre isso, porque ele pode até não fazer nada, mas Jimin, quando quer alguma coisa, é bem chato e insistente até conseguir o que quer. Sei lá, acho que Jimin se daria superbem com o Taehyung; talvez eu faça os dois se beijarem e, como o Tae se apaixona rápido, certeza que até o final da viagem ele pede o Jimin em namoro. E pelo jeito que meu irmão é carente, não duvido nada que aceite.


Eu e os meninos marcamos de nos encontrarmos às 13h20 no posto de gasolina que o Jin trabalha. Lá, tem uma lanchonete 24 horas maravilhosa; a família Kim cozinha muito bem, nós sempre almoçamos juntos no sábado para colocar as fofocas em dia e falar sobre pessoas que estamos interessados.


Quando chego lá, posso ver pelo vidro que todos já chegaram: Taehyung, Jin e Yoon.


[...]


Narrador


— Ai, Taehyung, você também não sossega. Cada semana está apaixonado por um, mano, assim não dá! — reclamava Yoongi, enquanto Taehyung não parava de sorrir por estar pensando em alguém.


— Ai, Yoongi, deixa o menino, a vida foi feita para viver e a boca foi feita para beijar! — debatia Jin, com o de cabelos castanhos.


— Jin hyung, você sabe que o Tae é bem intenso e isso acaba o magoando porque as pessoas nunca correspondem da mesma forma. E depois ele vem chorar no meu colo, não no seu. — Yoongi apoiava os cotovelos na mesa e escondia o rosto nas mãos. Jin apenas riu e revirou os olhos, notando a presença de Jimmy no local.


— Jimmy! Você demorou, hein — ele disse, cumprimentando o amigo, e Yoongi se animou, sorrindo e se levantando para abraçá-lo também.


— Se não chegasse atrasado, nem seria o Jimmy, né — Yoongi disse após abraçar Jimmy e voltou para seu assento.


— Vocês só sabem reclamar! Eu tive uns probleminhas e por isso me atrasei. Vamos pedir logo porque eu tenho uma supernovidade para contar! — ele disse animado e todos assentiram.


Eles pediram o de sempre, que não demorou muito para chegar. Começaram a comer, mas Jimmy estava ansioso demais para terminar, então começou a contar a novidade.


— Bom, todos vocês sabem que meu aniversário está chegando, né? Meu irmão e a mamãe estão preparando uma superfesta e como tem muito tempo que eu não comemoro meu aniversário junto com o Jimin, esse ano eu quero muito ir para lá. Ele pediu para que eu convidasse vocês, então... Vocês estão a fim de ir comigo para Busan?


O silêncio e a troca de olhares se fizeram presente, até os meninos soltarem uma risada e olharem para Jimmy.


— O seu irmão invisível convidou a gente pro aniversário de vocês em Busan? — Taehyung disse e Jimmy bufou, revirando os olhos e assentindo.


— Tudo bem, eu topo! — o mais novo disse sorrindo.


— Mas é só pra ver você passando vergonha com essa história de irmão gêmeo.


— 'Tá bom, Taehyung, 'tá bom. Você e o resto dos meninos vão cair do cavalinho quando verem que o Jimin é real sim, e eu que vou rir da cara de vocês.


Os meninos riram e concordaram. Em menos de uma semana, eles iriam para Busan, Jimmy mataria a saudade da família e ainda mataria os amigos quando os mesmos olhassem para ele e Jimin juntos.


[...]


1 semana depois


Jimmy havia acordado cedo e animado, aquele seria o melhor dia de todos.


Ele estava morrendo de saudades do irmão e a ansiedade começava a tomar conta de seu corpo. Ele queria ir até à casa de Yoongi, mas estava realmente muito cedo. Eram 6h e o ônibus só sairia às 14h30.


Jimmy estava entediado, olhando para a janela e pensando em tudo que não fosse a festa. E até que conseguiu, porque o porteiro gatinho tinha acabado de entrar no prédio para começar seu turno, fazendo o aniversariante se animar e ir correndo até a portaria para poder receber os seus parabéns e um abraço gostoso.


— Oi, hyung! — Jimmy disse, pulando em cima do balcão, fazendo o mais velho se assustar e se levantar, colocando a mão no peito enquanto controlava a respiração.


— Jimmy? Meu deus, você me assustou! São 6 da manhã, o que você está fazendo acordado a essa hora?


— Ah, hyung... É que hoje é um dia muito especial, você não se lembra? — Jimmy disse, com um sorriso no rosto e olhos esperançosos.


— Hm... Hoje é dia 13 de outubro, por quê?


O sorriso de Jimmy murchou, dando lugar a um biquinho fofo e uma carinha triste.


— Não, hyung, tenta de novo — Jimmy disse, com um tom manhoso, fazendo o porteiro se desmanchar de amores.


— Hm, deixa eu pensar. — O mais velho bateu o dedo no queixo, fingindo pensar enquanto saía de trás do balcão e ia na direção de Jimmy. — É o aniversário... do menino mais lindo e cheiroso de todo esse prédio, mais conhecido como Park Jimmy?


— Sim! — Jimmy disse animado e desceu do balcão, abrindo os braços para receber o abraço que tanto gostava. Talvez aquele abraço seja o segundo favorito dele em todo o mundo; os braços fortes e acolhedores em sua cintura, o peitoral quente e confortável, a respiração calma em seu pescoço, e até as vezes que ele era levantado e girado, como se fosse uma criança. Jimmy amava isso, talvez ele gostasse até demais do porteiro alto, forte, de cabelos castanhos quase loiros, com covinhas no rosto e um sorriso encantador, mais conhecido como "Namjoon, o homem dos sonhos" e o homem que ele não poderia beijar.


— 'Tá bom, Jimmyzinho, já pode me soltar — Namjoon disse rindo, enquanto ia andando com o garoto ainda em seus braços e pendurado em si como se fosse um coala. Ele não iria negar que gostava muito daquilo; Jimmy era muito especial para Namjoon, assim como ele era especial para Jimmy.


— Hyung, eu só te solto se você aceitar tomar um cafezinho comigo! — Jimmy disse levantando a cabeça, tentando enxergar os olhos do maior.


— Agora eu não posso, Ji, eu tenho que trabalhar, ou então vou ser demitido... Você não quer que eu seja demitido, certo?


Jimmy se soltou e negou com a cabeça, formando um biquinho nos lábios, o que foi muita fofura para o coração de Namjoon, que quase explodiu por dentro e não se conteve em apertar as bochechas do menor com uma mão, fazendo o biquinho ficar maior e Jimmy ficar dez vezes mais fofo.


Ele gostaria muito de se curvar e deixar um beijo naqueles lábios cheinhos e rosados de que tanto gostava de admirar, mas o menor já havia deixado bem claro que não queria aquilo.


Quando sentiu as mãos pequenas e firmes de Jimmy em seu pulso, Namjoon o soltou e continuou fazendo suas tarefas enquanto Jimmy pensava.


— A gente pode tomar café aqui! Eu posso ir lá em casa buscar duas canecas e biscoitos.


Namjoon fez uma expressão pensativa, querendo negar, pois ele tinha muita coisa para fazer.


— Ah, vamos, Nam, por favorzinho, hoje é meu aniversário e eu não tenho ninguém para tomar café comigo! Não que você seja a última opção, pelo contrário, você é a segunda porque a primeira é sempre o Yoongi. Mas vamos, Namjoon, por favor, eu não vou sair daqui até você dizer que sim!


— Okay, Jimmy, 'tá bom, não vai adiantar eu falar que não mesmo. Então vai lá e pega as coisas pra gente tomar café. — Namjoon se rendeu, suspirando e indo até o sofá que ficava na recepção, tirando algumas coisas da mesa e esperando o garoto que saiu todo apressado e sorridente voltar para que eles tomassem o café da manhã especial de aniversário.


Quando deu 14h30, todos os meninos já estavam no ônibus.


Jimmy não parava de reclamar que eles estavam demorando e que estava ansioso, e Yoongi estava se controlando para não bater no amigo a cada vez que ele era cutucado por um Jimmy bem chatinho perguntando as horas e se iriam demorar pra chegar. Oh, céus, Yoongi só queria dormir.


Jin estava dormindo ao lado de um garoto que estava concentrado em algum joguinho no celular; Taehyung estava na frente, conversando com uma senhora muito simpática que ofereceu cookies para o garoto, seu biscoito favorito. Taehyung aceitou na mesma hora e ainda fez amizade com a senhora gentil. Jimmy queria que Namjoon tivesse vindo, porque além de ser um super crush, ele também era seu amigo. Seria legal tê-lo em seu aniversário, porém o mais velho tinha dois empregos e não podia faltar.


Jimin até agora não havia se comunicado com Jimmy, o que deixava o irmão mais ansioso ainda. Ele não havia recebido nem uma mensagem de "parabéns, irmão, eu ainda tenho certeza de que você é adotado e passou por várias cirurgias para ficar igual a mim" que Jimmy sempre recebia dele. Ele só recebeu os parabéns de sua mãe, que ligou para ele animada e ansiosa para a chegada do filho que tanto sentia falta.


Jimmy olhou para a janela e viu que já estavam em Busan. Agora só faltava chegar em sua antiga casa.


Ah, como ele sentia falta daquela pequena casa... Era parecida com um chalé: tinha uma chaminé onde ele e Jimin ficavam quando estava muito frio, uma árvore enorme do lado de fora, com uma gangorra que seu pai fez quando os dois ainda nem eram nascidos; naquele momento, passou-se um filme pela cabeça de Jimmy.


Os dois irmãos brincando no quarto, as vezes em que eles pediam para juntar as camas porque não queriam dormir separados, as brincadeiras, o cheiro de broa saindo do forno na hora do café, o leite que o próprio pai tirava toda manhã da Clarinha, a melhor vaca de todo o mundo... E também tinha as vezes que eles brincavam na pequena fazenda, sempre querendo brincar com os animais como se fossem bonecos gigantes, até que Jimin levou um coice bem no peito de Jun, o cavalo mais arisco da fazenda. No momento foi desesperador, pois Jimin caiu no chão e ficou uns cinco minutos sem se mexer. Jimmy começou a chorar, pensando que o irmão iria morrer, mas no final deu tudo certo. Eles choravam de rir toda vez que aquela história era contada.


Agora, quem estava chorando era Jimmy. A saudade que ele sentia de tudo era tão grande que nem cabia no peito. Ele secou algumas lágrimas que desceram e sorriu animado quando o ônibus parou no ponto final. Acordou os amigos que estavam dormindo, pegou sua mochila e desceu animado, conseguindo avistar sua casa de longe. Eles ainda teriam que andar um pouquinho, mas Jimmy estava quase correndo de tanta empolgação.


Quando todos estavam chegando, Jimmy pensou que poderia desmaiar de felicidade. Parou em frente à porta com a mão fechada, preparando-se para bater, mas por algum motivo não o fez.


— Bate — Taehyung disse. — É só bater... — O mais novo insistiu. — Por que que ele não bate? Será que ele não sabe bater? — cochichou com Seokjin, mas alto o suficiente para que todos ouvissem.


Yoongi chegou por trás do amigo e colocou as mãos em seus ombros, deixando um pequeno carinho ali.


— Não precisa se preocupar, Jimmy, eles também estão sentindo muito a sua falta.


Jimmy apenas concordou e, finalmente, bateu na porta, nervoso e torcendo para que Jimin o atendesse. Mas não aconteceu, porque quem abriu a porta foi sua mãe, que, ao olhar para o filho em sua frente, deu um sorriso de orelha a orelha e puxou o menino para um abraço apertado, cheio de amor, carinho e muita, muita, muita saudade.


Ao sentir os braços da mãe o apertando, Jimmy não segurou as lágrimas e a abraçou de volta, rodeando seus braços na cintura da mais velha com força, como se ela fosse fugir a qualquer momento.


Jimmy sentiu que poderia morar naquele abraço para sempre.


— Eu senti tanto a sua falta, mamãe, todos os dias. Estava com saudade do seu abraço — Jimmy dizia enquanto se afastava para poder olhar para a mais velha.


— Oh, meu filho, mamãe também sentiu muito a sua falta — ela dizia enquanto secava as próprias lágrimas e depois as lágrimas do filho, deixando em seguida, um beijo em cada bochecha e um mais demorado na testa.


Quando ela olhou para porta e viu os amigos de Jimmy, sorriu novamente e foi cumprimentá-los, dando um abraço em cada um e mandando todos entrarem, tirarem os casacos e colocarem as malas em algum canto da sala.


— Mãe, esses são os meus amigos: Taehyung, Jin e o Yoon — Jimmy disse, e todos fizeram uma pequena reverência para a mulher, que apenas riu e foi até Yoongi.


— Então você que é o famoso Yoongi de quem o Jimmy sempre fala quando me liga.


Yoongi riu e assentiu.


— Famoso é só o BTS, senhora Park, eu sou só um garoto normal que cursa teatro e é amigão do seu filho.


— Ai, por favor, eu não sou tão velha para vocês me chamarem de senhora. Podem me chamar de Ivy.


Eles riram e concordaram, mas Taehyung quase se esqueceu de um pequeno detalhe.


— Ei, Jimmy! E o seu "irmão" gêmeo, hein? Você não disse que ele era real? Onde ele está? — o mais novo disse e levou um pequeno empurrão de Jin.


E foi aí que Jimmy se lembrou de Jimin. Ele estava tão feliz com a mãe que até se esqueceu do irmão.


— É mesmo! Mamãe, onde está o Jimin?


— Foi ao mercado com seu outro irmão.


— Outro irmão? Quê? A senhora ficou grávida e nem me contou?!


— Senhora não, porque eu não sou velha! E eu não fiquei grávida, eu meio que adotei o Jungkook.


— Meio...?


— Ai, Jimmy, depois mamãe te explica. Vou dar comida para os gatinhos antes que eles comam a casa.


— Gatos? Como assim o Jimin não estava mentindo sobre os gatos? Mãe, por que você o deixou adotar dez gatos?


— Ai, Jimmy, pelo amor de Deus! Você 'tá muito chatinho, hein. Se continuar assim, não te deixo voltar para Seul nunca mais! Por que você não sobe e mostra seu antigo quarto pros seus amigos? Eu vou acabar de preparar as comidas para festa.


— Antigo? Por que antigo?


— Porque agora ele é do Jimin e do Jungkook.


Jimmy iria reclamar, mas foi cortado pela mãe.


— E chega de reclamar, sobe logo, senão eu vou te colocar de castigo.

Os amigos de Jimmy riram e subiram para o quarto junto com o garoto, que estava resmungando baixinho.


Quando chegaram no quarto, Jimmy colocou suas coisas em cima da cama de Jimin e olhou para a parede de fotos do irmão, vendo várias fotos dos dois juntos e algumas de Jungkook também. Jimmy pegou uma foto e sorriu, indo em direção aos amigos e entregando a foto para Taehyung.


— Agora vocês acreditam? — Jimmy disse e todos concordaram, em choque.


— Hm, eu só acredito vendo — o mais novo disse, cruzando os braços, ainda com a foto na mão.


Várias coisas estavam se passando pela cabeça de Yoongi. Ele sabia que não se apaixonaria pelo garoto, porque ele nunca se apaixonou por Jimmy. No máximo, ele poderia sentir vontade de beijá-lo, mesmo não podendo, por causa da lista.


Eram 18h quando os meninos estavam entediados na sala esperando por Jimin e Jungkook, que até agora não haviam dado o ar da graça. Jimmy tinha ligado para o irmão, mas ele não atendia. Olhou para Yoongi e ele estava sorrindo enquanto brincava com dois gatinhos. Tinha certeza de que essa cena nunca mais sairia de sua cabeça e tirou uma foto, só para ter certeza de que não se esqueceria; quem sabe até faria um quadro.


Quando todos na sala ficaram em silêncio, um barulho alto fez todos se assustarem.


A porta havia sido aberta com muita força enquanto duas pessoas entravam correndo na casa gargalhando e gritando, fugindo de uma outra pessoa que estava toda molhada.


Jimmy reconheceu aquela risada exagerada e fofa; seu irmão finalmente havia chegado.


— Ei, ei, parem de correr agora! — Dona Ivy dizia enquanto tentava segurar os dois meninos. Para uma mãe, até que ela era bem forte.


— Mamãe, solta a gente, por favor! O Hobinho quer nos molhar, me solta, me solta! — o menino de cabelos rosas gritava, enquanto tentava passar pela mãe para ir se esconder atrás do sofá.


Os meninos olhavam aquela cena sem saber o que dizer. Por mais que eles estivessem acostumados com o rosto de Jimmy, eles acharam Jimin muito bonito, ainda mais com o cabelo rosa.


Taehyung nem prestou muita atenção no gêmeo, pois seus olhos ficaram presos no menino loiro com sorriso de coelho, o garoto mais lindo que ele já viu em toda sua vida. Taehyung tinha certeza que estava apaixonado, mesmo sem nem conhecer o garoto; é isso que dizem ser o amor à primeira vista, certo?


— Hoseok do céu, o que aconteceu com você, meu filho?


Ivy soltou os meninos, deixando que eles finalmente fossem para trás do sofá e foi ajudar o garoto que estava todo molhado na porta, com uma expressão nada boa.


— Tia Ivy, com todo respeito a você, mas foram esses filhotes de aberração aí que me jogaram dentro do rio enquanto a gente vinha pra cá


— Oh, filho, vem comigo, vem. Eu vou te ajudar a se vingar deles depois, vai lá tomar um banhozinho para você não pegar um resfriado.


Hoseok concordou e subiu as escadas, fazendo gestos de morte para os dois garotos que não paravam de rir, nem reparando que havia outras pessoas naquela sala.


Quando Jimin se levantou e recuperou todo o fôlego de ter rido por horas, a primeira pessoa que ele viu foi Yoongi. Seu coração acelerou e, por algum motivo, ele não conseguiu desviar o olhar nem por um segundo sequer. Aquela troca de olhares foi tão intensa que Jimin podia jurar que estava no céu, com os olhos de um anjo o hipnotizando e prendendo sua atenção apenas nele. Isso só foi cortado quando Jimin sentiu dois braços o agarrarem com força, fazendo-o voltar para o mundo real.


Yoongi se sentiu meio tonto, ele não soube descrever o que estava sentindo. Em um momento, estava super de boa e, no outro, seu coração batia tão rápido quanto o coração de um gato. Ele se sentiu paralisado e estranho assim que seus olhos cruzaram com os do irmão de Jimmy; e agora, uma certa ansiedade estava tomando conta de seu corpo, mas ele não sabia o porquê.


— Yoongi, você 'tá bem? — Jin perguntou quando viu que o amigo estava suando frio.


— E-eu estou, sim. Acho que eu vou lá na cozinha beber água e lavar o rosto.


— Quer que eu te acompanhe?


— Não precisa, hyung, obrigado — Yoongi disse e saiu, tendo como uma última visão Jimmy e Jimin se abraçando fortemente enquanto giravam e sorriam pela sala.


— Parabéns, irmão! — Jimmy praticamente gritou no ouvido de Jimin.


— Parabéns, clone, eu te amo muito, mesmo você tendo feito várias cirurgias para se parecer comigo.


— Ah, para, né, Jimin. Todo mundo sabe que eu sou mais bonito que você.


— Bonito onde? Você é todo torto, Jimmy, nem tem postura. Daqui a pouco vai ficar igual a um corcunda.


— Falou a Hello Kitty tóxica, com esse cabelo feio rosa.


Jimin e Jimmy se provocavam na brincadeira, enquanto Taehyung olhava para eles sem entender nada.


— É só eu, ou vocês também acham muito estranho gêmeos idênticos brigando por beleza? — Taehyung disse e os meninos concordaram, rindo.


— Já estou acostumado. O Jimin olha as fotos do Jimmy rindo, enquanto fala: "feio demais", aí ele se olha no espelho e se acha a própria perfeição. Isso aí se chama birra, Jimin é implicante demais — Jungkook disse, enquanto caçava alguma coisa em seu celular, nem percebendo os olhos de Taehyung vidrados nele.


— Ei, Jeongguk, será que você pode parar de me expor, por favor? — Jimin repreendeu, pegando o celular do mais novo, que nem questionou, pois sabia que Jimin odiava quando eles estavam entre amigos e alguém não desgrudava do aparelho.


— E quando a festa vai começar, hein? — Seokjin se pronunciou, sentando-se ao lado de Jimmy.


— Agora! Gguk, coloca uma música aí na TV que eu vou lá na cozinha pegar as bebidas que a gente comprou, antes que elas virem gelo — Jimin disse e foi para cozinha, sorrindo ao ver quem estava lá, observando as costas e a postura do garoto baixinho de cabelos castanhos que chamou a sua atenção assim que chegou em casa. Ele estava preso em seus pensamentos enquanto olhava para a janela e fazia carinho em um dos gatos pretos que estava em cima da pia bebendo a água da torneira.


— O céu está bonito hoje.


Yoongi ouviu a voz de Jimmy e apenas concordou com um murmúrio, mantendo-se focado em olhar para o nada.


Jimin, após colocar as bebidas em cima da pia, se aproximou e colocou a mão no ombro de Yoongi um tanto preocupado.


— Ei, baixinho, você está bem?


Quando Yoongi ouviu o garoto o chamando de "baixinho", olhou para o lado e teve um pequeno sobressalto de susto, assustando também o pequeno gatinho, que deixou uma das garrafas cair assim que pulou para o chão. Jimmy nunca o chamaria de baixinho; aquele era Jimin. É incrível e, ao mesmo tempo, assustador o fato de até as vozes dos dois serem parecidas.


— Nossa, por pouco não quebrou. Por que se assustou do nada? Você tem certeza de que está bem? — Jimin dizia, enquanto se abaixava para pegar a garrafa.


— Desculpa, eu pensei que fosse o Jimmy. Acho que eu ainda não me acostumei com o fato de você ser realmente real...


Jimin riu e levantou, aproximando-se de Yoongi e o prendendo na pia, colocando cada braço ao lado de seu corpo para que o mais velho não tivesse como fugir.


— Pois é, gatinho... Eu sou bem real.


Jimin, como o bom provocador que era, não iria desperdiçar a chance de beijar um menino tão lindo como aquele. Ele se aproximou, deixando um pequeno selar na bochecha de Yoongi, que estava paralisado e, agora, corado. Yoongi mantinha seu olhar na porta, controlando-se para olhar qualquer lugar que não fosse os lábios cheinhos e rosados de Jimin; aqueles lábios convidativos que estavam implorando para serem beijados. Yoongi sentiu muita vontade de prová-los, nem que fosse por segundos.


Quando Jimin cheirou seu pescoço, fazendo-o arrepiar dos pés à cabeça, os olhares finalmente se encontraram e Yoongi não resistir mais. A tensão sexual entre os dois só aumentava e nada mais se passava na cabeça deles, apenas como deveria ser o gosto dos dois lábios juntos.


— Jimin hyung, eu... Ah.


Jimin e Yoongi se afastaram rapidamente e Yoongi saiu apressado daquela cozinha que já estava o sufocando, indo direto para o banheiro lavar o rosto, já que ele estava se sentindo muito quente.


— Poxa vida, hein, Jungkook. — Jimin suspirou, enquanto abria uma garrafa de bebida.


— Meu Deus, Jimin, meu deus, desculpa, desculpa! Eu não queria atrapalhar, eu... — Jungkook dizia enquanto elevava o tom de voz e fazia movimentos com as mãos, quase se ajoelhando e beijando os pés do mais velho, que apenas colocou o dedo indicador na boca para que Jeon ficasse em silêncio.


— Shiu, para de gritar, menino, 'tá doido? Não precisa se desculpar, não estava rolando nada aqui.


— Claro que estava, deu pra sentir a tensão dos dois. Eu só 'tô chocado porque é o melhor amigo do seu irmão e...


— Ai, Jungkook, fica calado! Você não viu nada e não aconteceu nada, agora vamos para sala beber e dançar.


Jungkook concordou e ajudou o irmão a levar as garrafas para sala.


Depois de um tempo, a mãe dos gêmeos havia saído para se encontrar com o novo "namoradinho" deixando a casa com os meninos que já estavam alcoolizados.


Yoongi estava rindo enquanto conversava com Jimmy e observava, às vezes, Jimin dançar no meio da sala.


Estava tocando "No idea".


Taehyung e Jungkook estavam dançando praticamente colados e quase se agarrando na frente de todos ali. Durante a noite, Hoseok se aproximou de Jin e, em menos de dois minutos de conversa, eles já estavam se pegando no sofá da sala.


Quando Jimmy se levantou para ir ao banheiro, Yoongi finalmente teve a liberdade de olhar para Jimin, que estava com uma garrafa de bebida quase vazia na mão, os braços levantados — fazendo sua blusa levantar um pouco e exibindo a pele macia de sua barriga —, o corpo se movendo durante a parte mais agitada da música e depois a cintura se movendo sozinha no refrão, que era a parte mais sensual — o movimento fez Yoongi quase babar, observando como o garoto era lindo e sexy.


Isso, também, o fez perceber que ele estava sentindo coisas que nunca sentiu por Jimmy antes, por mais que ele e o melhor amigo ficassem às vezes, aquilo era diferente. Os sentimentos, as vontades, a tensão, o clima, tudo era diferente. Yoongi pensou que a bebida que estava o fazendo sentir coisas tão estranhas, como um frio na barriga toda vez que olhava para os olhos de Jimin e o corpo quente toda vez que lembrava da aproximação dos dois naquela cozinha. Yoongi estava muito bêbado, era isso. A bebida sempre justificava tudo, certo? Certo!


Então ele iria aproveitar e iria olhar para Jimin a festa toda, apenas admirando a beleza do garoto.


— Ei, bobão, 'tá sorrindo sozinho por quê? 'Tá tão bêbado assim? — Jimin disse, rindo e se sentando ao lado de Yoongi. Ele iria fingir que não sentiu e não viu os olhos do mais velho em si.


— Sorrindo? Eu não estou sorrindo e também não estou bêbado! — Yoongi disse, sorrindo, fazendo Jimin gargalhar, escondendo a cabeça em seu ombro, mania que o de cabelos rosa tinha sempre que ria de algo. Yoongi achou fofo e, quando se deu conta, estava rindo também.


— Ei, do que vocês estão rindo?


Jimmy chegou e lançou um olhar mortal para o irmão, dizendo indiretamente para ele se afastar do seu melhor amigo.


Jimin se afastou e olhou para Yoongi, ainda com um sorriso no rosto, como um adolescente apaixonado.


Yoongi ficou alternando o olhar entre Jimin e Jimmy, sentindo-se um pouco incomodado e meio tonto por ter bebido demais.


— E-eu não consigo ficar perto de vocês dois juntos, meu deus, é estranho demais. Vocês estão confundindo minha cabeça e meus sentimentos! — Yoongi disse, levantando-se e quase caindo por causa do álcool.


— Sentimentos? — Jimin e Jimmy disseram juntos, assustando Yoongi.


— Se vocês fizerem isso de novo, eu juro que vou desmaiar. Eu 'tô chapado, confuso e achando que o Jimin não existe. É só um surto da minha cabeça de tanto que o Jimmy falou a semana toda dele.


Os meninos riram e Yoongi foi se sentar do outro lado da sala, onde ele só podia ver a indecência de Jungkook e Taehyung que estavam quase se comendo em uma cadeira.


— Ei, vocês dois, vão para um quarto, pelo amor! — Jimmy disse, aproximando-se e cutucando as costas de Jungkook, que estava sentado no colo de Taehyung, fazendo o amigo bufar e se levantar com Jungkook ainda em seu colo, apertando a bunda do garoto como o completo pervertido que era.


O de cabelos castanhos apenas riu e foi se sentar ao lado de Yoongi, que estava encolhido no sofá como se fosse um gatinho assustado. Ele o abraçou de lado, fazendo um carinho em seus ombros e depois em seu cabelo, assim que Yoongi deitou a cabeça em seu peito, suspirando cansado.


— Você 'tá bem, Guinho?


— Só 'tô cansado, My...


— Tem certeza que é só isso? Você é meu soulmate, sabe que tudo que você sente eu sinto, né?


— Sei, meu bem... E eu estou bem, pode acreditar. Agora você pode se divertir, não precisa ficar aqui me fazendo carinho, tá bom?


Yoongi não estava dizendo 100% a verdade. Ele estava bem, só estava confuso, e era cedo demais para isso acontecer. Yoongi nunca se sentiu assim com ninguém e era ainda mais confuso, porque ele estava sentindo por Jimin. Logo Jimin, o irmão gêmeo do seu melhor amigo. Por que ele nunca sentiu nada desse jeito por Jimmy, mas agora estava sentindo por Jimin? Isso não fazia sentido, ele nunca se apaixonou por Jimmy, então por que se apaixonaria por Jimin?


Mas ele não era o único confuso daquele lugar. Jimmy também estava se perguntando por que o amigo surtou do nada com Jimin. Ele sempre foi muito sociável, sempre era o primeiro a fazer novas amizades, havia sido Yoongi que apresentou os meninos à Jimmy e que, no mesmo dia em que se conheceram, chamou todos para sua casa para comerem pizza e jogarem truco. Então por que ele não se deu bem com seu irmão? Por que estava agindo daquele jeito?


Alguma coisa estava acontecendo dentro de Yoongi, e até o final da viagem Jimmy iria descobrir.


— Ei, vocês dois. Jimin 'tá chamando pra cantar parabéns — Hoseok disse se aproximando, fazendo o aniversariante se dispersar de seus pensamentos, olhando para baixo e vendo o melhor amigo dormindo serenamente com a boquinha meio aberta e abraçando sua cintura. É claro que ele não perdeu a oportunidade de tirar uma bela foto.


Com dor no coração e todo carinho do mundo, Jimmy cutucou Yoongi enquanto o chamava, pedindo para o amigo acordar para comer bolo, Yoongi adorava bolo.


O mais velho foi abrindo os olhos lentamente e se espreguiçou, esticando todo o corpo, fazendo seus ossos estalarem e Jimmy se assustar, rindo com o barulho.


— Um dia você ainda vai se quebrar todinho, gatinho.


— Bolo... quero bolo.


Jimmy riu e se levantou, pegando nas mãos do amigo e o puxando para levantar.


— Sabia que você iria acordar só por causa do bolo. Mas vem, vamos lá cantar parabéns.


Yoongi concordou, sentindo a garganta seca e suas pálpebras pesadas. Ele devia ter cochilado por apenas 5 minutos e sabia que não conseguiria dormir mais, então ele foi para a cozinha já pensando no que ia fazer pela madrugada, pois se ficasse só deitado, suas costas doeriam. E como não estava em casa, ele não poderia ficar na sala assistindo filmes e desenhos aleatórios até o sono chegar pela manhã, como sempre.


A mãe dos meninos chegou bem a tempo do parabéns, cantou a música junto com os filhos e, quando terminou, Jimmy e Jimin deram as mãos e fizeram um pedido. Cada um soprou uma vela ao mesmo tempo; eles se abraçaram apertado e sorriram um para o outro.


Depois de comer o bolo, a mãe dos gêmeos foi dormir. Os meninos ficaram conversando, mas logo depois foram também, pois estavam cansados da viagem. Todos iriam dormir no quarto — que não era muito grande, mas era bem arejado e confortável —, onde havia colchões espalhados pelo chão, diversas cobertas e travesseiros.


Taehyung estava ao lado de Jin e Jungkook estava ao lado de Hoseok; os gêmeos não seriam burros ao ponto de deixar aqueles dois juntos. Eles queriam dormir, não ouvir barulhos indesejados de madrugada.


— Você não vem, Jimin? — Jimmy perguntou, enquanto acabava de arrumar suas cobertas e cobrindo Yoongi que já estava dormindo na beirada, provavelmente para ir ao banheiro de madrugada, como o mais velho sempre fazia.


— Eu 'tô sem sono, vou ficar um pouquinho na sala e tomar um banho para relaxar.


— Relaxar por quê? 'Tá nervoso, é?


Jimin riu e negou com a cabeça, pegando seu celular e colocando uma toalha em volta do pescoço.


— Boa noite, juro que não faço barulho quando voltar. Te amo.


— Te amo também, bocó.


Jimmy riu e mandou um beijinho no ar para Jimin, que fingiu pegar e deu uma última olhada em Yoongi que estava tranquilo dormindo, todo fofo e encolhido. Ele sorriu com aquilo e saiu, indo até a varanda, onde passaria a madrugada treinando.


2h43 AM


Yoongi estava acordado há mais ou menos uma hora. Ele sofria com insônia e nunca conseguia dormir mais que três ou quatro horas. A última coisa que ficou em sua cabeça foi a voz de Jimin e Jimmy, ele estava meio acordado então ouviu a conversa dos dois.


Sentou-se na cama e olhou para todos dormindo: Taehyung estava abraçando Jungkook como se fosse um de seus travesseiros e, pelo rosto feliz do mais novo, ele estava gostando do contato. Ele tinha certeza que os dois mais novos chantagearam muito os mais velhos para que eles pudessem dormir juntos, mas pelo menos eles estão só dormindo mesmo.


Hoseok e Jin estavam quase se abraçando também, e Jimmy estava todo esparramado no colchão, em um espaço grande, enquanto Yoongi estava quase entrando para debaixo da cama.


O único que ele não viu lá foi Jimin que, pelo o que disse a Jimmy, já devia ter voltado. Talvez ele tivesse adormecido no sofá da sala ou até mesmo no quarto da mãe.


Yoongi, cansado daquela posição e já com dor nas costas, decidiu se levantar, ir andar um pouco e tomar uma água, já que agora seu corpo estava se desidratando aos poucos por conta das bebidas.


Quando desceu as escadas, Yoongi se arrependeu de não ter pegado um casaco, pois seu pijama de frio não esquentava quase nada, a única coisa que estava quente eram seus pés, já que ele havia roubado as pantufas quentinhas de Jimmy.


Quando chegou à cozinha, Yoongi pôde ouvir uma música, não muito alta e nem tão baixa, vindo da varanda. Ele pegou uma garrafinha de água e, como estava sem sono mesmo, ele decidiu ir ver, respirando fundo, já sabendo quem iria encontrar.


E foi olhando aquela cena que seu coração se quebrou em milhões de pedacinhos.


Jimin estava dançando. Por um lado, era lindo porque ele dançava muito bem e ficava mais lindo do que já era, mas por outro... Jimin estava com um semblante cansado, com alguns machucados no braço e, mesmo com o tanto de suor que estava escorrendo por seu rosto, Yoongi pôde ver que o garoto estava chorando; as lágrimas se misturando com o suor, a dor e o sentimento sendo expressados através daquela dança e daquela música que ele nem conhecia... Ele não tinha palavras para definir o que estava sentindo, estava impressionado e, ao mesmo tempo, assustado. Eram quase três da manhã, Jimin deveria estar dormindo e não dançando, deveria estar sorrindo e não chorando; Jimin tinha um sorriso lindo demais para chorar. Ele era, de certa forma, especial e Yoongi não aguentou vê-lo daquele jeito.


Quando ele iria se aproximar para fazer alguma coisa, Jimin tentou fazer um salto que não deu muito certo e o fez ir direto ao chão, abaixando a cabeça e mordendo os lábios com força para não gritar ou chorar muito alto. Ele estava com tanta raiva e indignação que deu um soco no chão, assustando Yoongi que, ao ver o desespero do mais novo, correu até ele, sentindo o vento gelado passar pelo pijama e atingir seu peito que, até então, estava quente. O mais velho desligou o rádio e se agachou, colocando uma mão em suas costas, fazendo Jimin se assustar com o contato e sentar no chão, olhando para Yoongi com lágrimas nos olhos.


— V-você está bem? — perguntou, estendendo a outra mão para que ele se apoiasse para se levantar.


— Uhum — Jimin apenas murmurou, enxugando os olhos e pegando na mão de Yoongi com seus olhos bem longe dos dele.


O mais velho iria se afastar, mas, quando Jimin quase foi ao chão de novo, ele percebeu que o mais novo estava sem forças para se manter. Então, Yoongi o levou com cuidado até um pequeno sofá que havia ali, deixando o mais novo sentado. Mas ele estava tão fraco que se curvou para frente, colocando a cabeça nos joelhos e os braços em volta dela, para que ninguém o visse daquele jeito.


E se o coração do Min já estava quebrado vendo o irmão de seu melhor amigo daquele jeito, se quebrou ainda mais, e uma vontade enorme de chorar começou a bater em seu peito. Mas ele não poderia se abrir, não poderia ser fraco no momento de ajudar uma pessoa que estava mais quebrada que ele.


***


Yoongi suspirou, deixando a garrafa de água ao lado dele e, com cuidado, segurou nos ombros de Jimin, que a essa altura já estava com dificuldade de respirar, devido aos esforços e a imensa vontade de chorar, puxando-o para que ele erguesse a coluna para beber um pouco de água, mas Jimin apenas deitou a cabeça no colo de Yoongi, ainda com uma mão no rosto e a outra em seu cabelo, puxando-os com força para se punir pelo erro de ter caído.


Jimin estava respirando forte enquanto se xingava baixinho, com as pernas balançando como se fosse uma criança agitada e seu corpo, às vezes, dando espasmos devido a ansiedade que estava o tomando aos poucos.


Yoongi estava assustado, mas sabia o que fazer. Sua mãe já havia tido muitas crises depressivas em casa, e era ele quem sempre a salvava.


O mais velho segurou a mão que estava no cabelo de Jimin e, rapidamente, o de cabelos rosas entrelaçou sua mão na do moreno, apertando-a com força, tentando aliviar a dor que estava sentindo por dentro. Yoongi apertou a mão de Jimin também, começando com um carinho no cabelo do mais novo com a mão livre, tirando todo cabelo de sua testa que estava suada. O mais velho se curvou, tentando acalmá-lo.


— Jimin-ssi... Você precisa se acalmar. Não precisa ter vergonha de me olhar, eu... fui meio babaca com você mais cedo, mas eu só quero te ajudar. Por favor, levanta e bebe um pouco de água, tira essa blusa de frio... Não precisa me contar nada se não quiser. Eu não vou te obrigar a fazer nada, mas, por favor, você precisa de ar e água — Yoongi disse, baixo, no ouvido do mais novo, mas ele apenas negou com a cabeça, fechando os olhos com mais força e se encolhendo mais. — Jiminnie... Por favor, eu só quero te ajudar, me deixa te ajudar.


Jimin demorou alguns minutos, mas, quando a falta de ar começou a piorar, ele se levantou e colocou a mão livre no peito, enquanto a outra ainda apertava a mão de Yoongi.


— 'T-tá d-doendo...


Jimin não sabia se tentava falar ou se sentia aquela dor aumentar cada vez mais.


***


Yoongi segurou em seu queixo e, com delicadeza, o fez olhar para si; o olhar perdido e desesperado de Jimin, pedindo-o ajuda silenciosamente. Yoongi descansou a mão em sua bochecha, fazendo um carinho leve e olhando nos olhos do mais novo.


— Olha pra mim, hoje é seu aniversário. Eu quero que você puxe o ar bem fundo pelo nariz, e depois sopre as velinhas, okay?


Jimin fez que sim com a cabeça e tentou, mas não conseguiu. O desespero estava tomando conta de si e ele já havia esquecido como se respirava.


— Assim, Jiminnie.


Yoongi respirou fundo bem devagar e depois fez um biquinho para soprar o ar. Repetiu mais três vezes, até que Jimin começasse a fazer igual. Jimin respirou fundo e fez um bico fofo para soprar o ar, que finalmente havia chegado em seus pulmões.


— Isso, meu amor, continua assim, você 'tá indo muito bem. Eu quero que você faça isso até sentir que consegue respirar de novo, 'tá bom?!


Jimin se assustou com a forma que Yoongi tinha o chamado e sentiu alguma coisa se acender dentro de si. Enquanto ia respirando, ele desceu o olhar e encontrou a mão dos dois entrelaçadas, com Yoongi fazendo carinho com o dedão. Sentiu também a outra mão do mais velho em sua nuca, com os dedos fazendo cafuné nos cabelos dali e, quando foi perceber, Jimin já estava calmo, respirando normalmente e até suspirando. Alguma coisa em Yoongi lhe trouxe a paz que ele não sentia desde que seu pai se foi e, por um momento, Jimin acreditou que só havia ele e Yoongi no mundo inteiro.


Quando foi ver, ele estava chorando de novo; mas não era um choro triste ou desesperado como o de antes. Dessa vez, era um choro feliz; ele estava bem, estava calmo e, pela primeira vez em muito tempo, ele estava se sentindo bem consigo mesmo e com outra pessoa que não fosse Jeongguk, Hoseok ou sua mãe.


— Bebe isso...


Jimin foi despertado de sua mente novamente e olhou para Yoongi, que estava estendendo uma garrafa de água para si. O mais novo pegou e bebeu com pressa, como se fosse a última garrafa de água do planeta.


Um silêncio constrangedor se tornou presente. Os dois estavam se encarando e admirando a beleza um do outro, tendo como único som as respirações e dois corações, que, de tão acelerados, podiam ser ouvidos. Jimin pegou a mão de Yoongi e colocou em sua nuca novamente e, em nenhum momento, eles soltaram as outras. Não havia necessidade disso, os contatos físicos e visuais faziam com que Yoongi se sentisse quente, fazendo todo frio que estava sentindo ir embora de uma forma nova e estranha, ele não sentia mais vontade de fugir.


Jimin queria agradecer Yoongi, queria dizer alguma coisa, queria sorrir, queria dizer o que estava sentindo. Mas em sua cabeça nenhuma palavra seria o suficiente para isso, e Yoongi não estava diferente.


Jimin era uma pessoa pouco insegura, mas cheia de atitudes; e melhor do que palavras vagas que um dia serão esquecidas, atitudes corajosas e verdadeiras serão para sempre lembradas.


O mais novo, sem pensar muito para não perder toda aquela coragem, se aproximou de Yoongi e selou os lábios, assustando o mais velho, que recuou quase de imediato.


— E-eu... eu... Yoongi, me desculpa... — Jimin disse, envergonhado, olhando para baixo.


Yoongi não disse nada, apenas ficou segundos preso em seus pensamentos, fazendo o silêncio voltar a reinar no lugar.


Ele não sabia o que pensar, Jimin o beijou... Foi rápido, mas fez seu coração quase saltar para fora. Ele deveria beijá-lo de volta? E se Jimmy descobrisse? E se aquilo acabasse com a amizade deles?


Yoongi olhou para o céu e viu que apenas a lua estava ali, junto às estrelas. Então, ele as fez prometerem que nunca contariam isso para ninguém.


Com pressa e delicadeza, colocou a mão no queixo de Jimin, fazendo com que o mais novo levantasse o olhar para si.


Jimin estava vermelho, assim como Yoongi. E quando ele ia abrir a boca para pedir desculpas novamente, suas palavras foram capturadas pela boca do outro.


O mais velho voltou com a mão até a nuca de Jimin, aprofundando o beijo e pedindo passagem com a língua que, sem demora, foi concedida por Jimin, fazendo com que os dois explorassem a boca um do outro. As línguas estavam sincronizadas, como se já se conhecessem antes, e o silêncio que antes se fazia presente foi quebrado por corações acelerados, som de estalos altos e suspiros entre os beijos.


Beijos esses que eram envolvidos de carinho e todo o sentimento que eles estavam reprimindo desde o momento em que seus olhos se cruzaram pela primeira vez.


Quando o contato foi quebrado, eles encostaram as testas e Jimin finalmente conseguiu sorrir, arrancando um sorriso de Yoongi junto. Os olhares foram se encontrando aos poucos e a mão de Jimin, que estava livre, agora estava fazendo um carinho na cintura fina de Yoongi.


— Por favor, não se esforce tanto, não faça isso de novo. A noite foi feita para descansar, e não para treinar. Não acabe com seu corpo desse jeito, Jimin-ah, eu posso não te conhecer muito, mas, pelo o que eu vi, você é um ótimo dançarino e não precisa exagerar para se tornar melhor. Você é perfeito do jeito que é, não se sinta inseguro com isso, por favor. Prometa para mim que nunca mais vai fazer isso de novo, nunca mais vai ir além do seu limite e nunca mais vai se cobrar demais, me promete? — Yoongi disse, sentindo uma dor em seu coração e soltou a mão de Jimin, sentindo um pequeno vazio por dentro. Levantou o dedinho mindinho para ele, para selar a promessa.


Jimin ficou meio chocado com tudo e, depois de pensar, ele aceitou, entrelaçando seu dedinho com o de Yoongi e o levando até o peito.


— Eu só vou prometer se você dormir comigo hoje...


Jimin deu seu melhor sorriso, fazendo o coração de Yoongi se aquecer e derreter por dentro. Ele apenas concordou com a cabeça e puxou Jimin para perto de novo, para que eles começassem um novo beijo, dessa vez um mais calmo e com muito carinho no meio.


Min Yoongi


Depois de uma semana na casa de Jimin e Jimmy, chegou a hora de ir embora.


Parece que o tempo voou. Em um dia, eu estava confuso sobre meus sentimentos e evitando Jimin a todo custo; do outro em seguinte, eu já estava me encontrando com ele toda madrugada na varanda, onde nós ficávamos olhando para o céu e nos beijando muito. Ontem ele me levou em uma pequena casa na árvore, que era até bem arrumada e segura, e nós fizemos amor como despedida, prometendo que nos veríamos de novo.


Acho que eu nunca me senti tão apaixonado como estou me sentindo agora.


Eu pensava que a relação de Jimmy e Jimin fosse bem mais tranquila e amigável, mas eu estava meio enganado, porque, depois do aniversário, o que eles mais fizeram foi discutir. Jimmy quem sempre começava a discussão, apontando pequenos erros de Jimin, fazendo assim com que os dois brigassem feio e Jimin sair de casa estressado para ir até a faculdade com Jungkook e Hoseok.


Jimin às vezes reclamava de Jimmy comigo e eu sei que ele se controlava para não chorar sempre que me falava o quanto o irmão estava mudado, mas ele apenas sorria e me beijava, dizendo sempre que nosso tempo estava acabando e que eu parecia um de seus gatinhos, chamado Hades.


Nas tardes, quando eu passava um tempo com Jimmy, ele só sabia dizer que Jimin estava diferente, que estava se aproveitando das pessoas e tentando roubar as amizades dele, sem contar que ele ficava me encarando fixamente e assustadoramente, dizendo-me o tempo todo que não gostava quando mentiam para ele e que era para eu dizer a verdade sempre, mesmo se isso magoasse muito ele. Eu nunca entendia o que ele queria dizer com aquilo, só achava meio hipócrita da parte dele dizer que odiava que mintam, sendo que ele sempre mentia para todo mundo o tempo todo.


— Tchau, tia Ivy, vou sentir sua falta — eu disse, fazendo uma reverência para a mulher, que riu e me puxou para um abraço apertado, que logo foi correspondido.


— Volte sempre, meu filho, vocês são sempre bem-vindos aqui — ela dizia com lágrimas nos olhos, bem emotiva como sempre.


— Com certeza nós vamos.


Depois dela, eu fui abraçar Hoseok, que me mostrou ser uma ótima pessoa durante esse tempo. Ia abraçar Jungkook também, mas Tae estava agarrado nele, implorando com os olhos chorosos para que Jungkook voltasse para Seul com ele.


Quando olhei para Jimin, meu estômago embrulhou e eu estava sentindo uma imensa vontade de chorar, e ele não estava diferente; eu sempre fui péssimo com despedidas, mas sabia que isso não seria um adeus.


Jimin abriu os braços e eu logo me aconcheguei neles, apertando a cintura de Jimin com força enquanto ele apertava meus ombros, deixando-me com uma leve falta de ar.


— Promete que vai me ligar todos os dias? — ele disse baixinho, só para que eu escutasse.


— Claro que prometo.


Nós ficamos mais um tempo abraçados sem dizer nada, até que Jimin faz uma pergunta bem inesperada:


— Namora comigo, Yoon?


A pergunta soou tão de repente que fez todos os meus pelos se eriçarem, meu corpo ficou mole com a surpresa e meus braços se soltaram de sua cintura, mas Jimin não me soltou em nenhum momento, segurando-me em seus braços com mais força e colocando sua cabeça em meu pescoço.


— Por favor... Me namora, eu sei que a gente se conhece há uma semana, mas... o que eu sinto por você é forte e eu não quero te deixar, nunca.


— E-eu não sei, Jimin, eu gosto muito de você, mas não sei como o Jimmy reagiria... Não era nem para gente ter ficado e...


— Eu sei, Yoon, eu sei. Mas a gente não precisa contar para ele. Não agora. Ele vai saber, eu posso contar se você quiser, mas por favor, Yoon. Eu não posso me ajoelhar e nem te dar uma aliança agora, mas... Seja meu gatinho.


As palavras dele me fizeram sentir tantas coisas boas que eu quase o beijei ali mesmo, esquecendo-me que todos estavam em volta.


— É claro que eu aceito, Minnie, eu também não quero te perder... Nós vamos nos ver em breve, tudo bem? — eu disse, enquanto retribuía o abraço, e fui surpreendido por um selinho bem rápido de Jimin.


— Até logo então, meu gatinho.


— Até logo.


Sorri e me afastei após ouvir Jin pigarrear para que eu me apressasse, dei um último tchau para todos ali e fui abraçar Jimmy, que estava chorando enquanto acabava de se despedir da mãe.


Agora nós vamos andar um pouquinho e depois iremos fazer uma longa viagem. Eu vou sentir muitas saudades desse chalé aconchegante, da minha nova sogra, dos meus cunhadinhos, de todos os gatos e, principalmente, de Jimin.


Serão meses difíceis, mas vão me dar tempo para contar ao Jimmy sobre o namoro e sobre o fim da lista.


Eu espero, de coração, que ele entenda e que não se afaste de mim por isso, ele é meu melhor amigo, minha alma gêmea, é a única pessoa que me conhece por inteiro. Eu não saberia viver sem ele.


Não adianta ter um amor do meu lado se minha alma gêmea estará contra mim.


[...]


3 meses depois


Park Jimmy


Há mais ou menos uma semana, eu comecei a ficar com o Namjoon.


Yoongi e eu paramos de nos falar, nós brigamos feio dessa vez e a culpa foi totalmente dele. Ele e Jimin estavam mentindo para mim desde o dia em que chegamos em Busan, eu já devia saber que Yoongi retribuiu aquele beijo que Jimin deu nele de madrugada na varanda, eu deveria ter ficado para ver o resto, mas a cena do meu irmão beijando o meu melhor amigo foi tão... frustrante que eu tive que voltar para o quarto antes de começar a brigar com Jimin de madrugada mesmo, o que faria todos da casa acordarem, mas eu me controlei e preferi confiar no Yoongi. Eu pensava que ele iria cortar o Jimin e se afastar, mas, pelo que Yoongi me contou, foi totalmente ao contrário. Eles ficaram se encontrando toda madrugada, enquanto todo mundo dormia.


Tudo bem que Yoongi tem insônia e não consegue dormir à noite, mas o Jimin? Ele nunca teve problemas com sono e sempre foi organizado com horários, tendo sempre uma hora para acordar e outra para dormir. Eu já sabia que ele iria querer ficar com Yoongi e por isso contei para ele sobre a lista, mas pelo visto nenhum dos dois se importou em trair minha confiança.


— Jimmyzinho, você 'tá bem? Parece meio distante, você conseguiu comer alguma coisinha hoje antes de vir? — Namjoon me chamou, sentando ao meu lado, e só então eu fui perceber que estava olhando fixamente para um ponto qualquer da casa dele.


— Ahn? Eu 'tô bem sim, Namjoonie, e eu tomei café, eu acho, não me lembro bem...


— Jimmy... Você ainda 'tá assim por causa do Yoongi e do seu irmão?


Concordei sem dizer nada e fui puxado para um abraço, descansando minha cabeça no peito de Namjoon enquanto ele fazia cafuné em meus cabelos e suspirava fundo.


— Vocês precisam se resolver logo, meu bem... Olha só, eu vou te falar uma coisa, mas você tem que prometer que vai me escutar até o final e que não vai ficar bravo comigo, tudo bem?


— 'Tá, eu prometo.


— Eu sei que você está bravo com Yoongi e com o seu irmão por eles terem mentido para você. Mas você precisa entender o lado deles também, Jimmy. Você é a pessoa mais importante na vida do Yoongi e sempre vai ser, ele foi a primeira pessoa que falou com você aqui, a primeira pessoa que te ajudou a se acostumar com a casa nova, que foi com você para escola e até a primeira pessoa que você beijou. Você é tão importante para ele quanto ele é para você. E o seu irmão, Jimmy... Ele é a mesma coisa, vocês cresceram juntos, viveram juntos, sofreram com a separação e vocês se amam incondicionalmente.


Você precisa entender o lado deles, eles não escolheram se apaixonar, nós nunca escolhemos por quem vamos nos apaixonar, apenas acontece e ninguém pode mudar isso. Você não pode se afastar do Yoongi só porque ele 'tá namorando o seu irmão, a não ser que você goste do Yoongi de outra forma...


— Não! — eu o interrompi e me sentei no sofá de novo para poder olhar em seus olhos. — É claro que não, Nam, eu gosto de você e eu tenho certeza disso! Eu me interessei por você desde quando eu pisei naquele prédio, o meu único erro foi não ter chegado em você antes de criar aquela lista idiota com o Yoongi...


— Então me explica, Jimmy, por que de você está com tanta raiva do Yoongi, só por que ele 'tá com o Jimin?


— É porque... eu tenho medo, Namjoon. Você 'tá certo, o Yoongi é uma das pessoas mais importantes que eu tenho na vida e a pessoa mais importante que eu tenho aqui em Seul, o pensamento de perdê-lo para outra pessoa me assusta. Eu não quero perdê-lo, muito menos para o meu irmão.


— Primeiro, se você tem tanto medo de perdê-lo, por que se afastou? Você está há quase 3 meses sem falar com ele, Jimmy, e isso está fazendo mal, tanto para você, quanto para ele. Segundo, ele não vai te deixar por causa do Jimin, eles podem namorar e até casar, mas você é o único que sempre vai conhecê-lo de verdade, com todos os defeitos e todas as qualidades. Uma amizade sempre vai ser mais forte que um namoro, o amor de vocês é mais forte do que qualquer coisa nesse mundo. Ele é sua alma gêmea, seu fiozinho vermelho e seu melhor amigo, vocês sempre serão um do outro, e nenhum relacionamento vai estragar o que vocês dois têm.


— Mas... almas gêmeas não são pessoas que namoram ou são casadas? Não pode ser um melhor amigo.


— Quem te disse isso, meu amor? Você conhece bem essa história, mas eu posso te explicar de novo.


E então, Namjoon começou a me contar enquanto eu me controlava para não chorar. Suas palavras me perfuravam, e eu me sentia cada vez mais culpado por mentir todo esse tempo para Yoongi, por ter ficado sem falar com ele e por ter desejado livrá-lo de um namoro. E no final das contas, aquela maldita lista que foi criada para que a gente nunca mais se afastasse nos afastou por mais tempo do que aquele loiro de odonto.


E quando Namjoon terminou de falar tudo, eu me levantei do sofá, determinado a me desculpar com o meu melhor amigo. Eu só espero que ele aceite o meu perdão.


[...]


Narrador


Jimmy saiu correndo da casa de Namjoon e foi até o prédio onde ele morava para poder se encontrar com Yoongi. Chegou lá em menos de 5 minutos, já que o porteiro morava perto do prédio. Subiu as escadas correndo e parou em frente à porta do amigo, respirando fundo e pensando em tudo o que iria dizer antes de bater.


Depois de quase meia hora parado, Jimmy finalmente criou coragem e bateu, surpreendendo-se com a rapidez em que ela foi aberta.


Mas ele não era o único que estava surpreso, Yoongi estava com olhos arregalados e nem estava acreditando no que estava vendo, já que Jimmy havia o ignorado por três longos meses.


Jimmy iria perguntar se ele estava esperando alguma visita, mas suas palavras foram engolidas assim que ele viu seu irmão atrás de Yoongi. Desde quando Jimin havia chegado? Por que ele não o avisou que estava vindo? Há quanto tempo ele estava aqui? A emoção chegou junto com as dúvidas e lágrimas cobriram seus olhos, fazendo-o empurrar Yoongi e ir direto abraçar o irmão.


Jimin se assustou e estranhou no começo, mas ele se lembrou de que o irmão nunca conseguia ficar mais de uma semana brigado consigo e sempre o abraçava chorando para se desculpar. Isso fez Jimin retribuir o abraço, apertando o irmão nos braços e chorando junto com ele.


Yoongi olhou a cena dos dois irmãos sorrindo e se abraçando e um sorriso involuntário surgiu em seu rosto. Ele fechou a porta atrás de si, fazendo barulho e atraindo a atenção dos irmãos, que se separaram e sorriram sem dizer nada ainda.


— Como você sabia que Jimin estava aqui? — Yoongi disse, aproximando-se.


— Eu não sabia...


— Então o que você... está fazendo aqui? — Yoongi perguntou com um tom de tristeza em sua voz e abaixou a cabeça, ele sabia que o melhor amigo não queria vê-lo nem pintado a ouro.


— Eu...


Jimmy se aproximou do amigo e colocou a mão em seu queixo, erguendo sua cabeça para que ele olhasse para si.


— Na verdade, eu preciso muito falar com você, Yoon.


Yoongi se surpreendeu e arregalou os olhos, abrindo um sorriso gengival em seguida, o sorriso que Jimmy sempre amou e que agora também era o preferido de Jimin.


— Tudo bem, vem comigo.


O mais velho pegou na mão do melhor amigo e, antes de eles entrarem no quarto, ele apertou as bochechas do namorado, fazendo um biquinho fofo se formar e deixou um selinho demorado nos lábios rosados.


— Me espera aqui, tudo bem?


Jimin concordou e deu um tapa na bunda de Jimmy, antes de ir se sentar no sofá.


— Boiolas...


Eles riram e entraram no quarto, Yoongi logo se sentou em sua cama e esperou que Jimmy fizesse o mesmo.


Os dois estavam olhando para frente sem um pingo de coragem para se encararem. Jimmy se preparava mentalmente para começar aquilo; ele não iria se declarar, não iria falar por horas, ele só iria falar o essencial, apenas o que precisava ser dito, e ele sabia que no final os dois iriam voltar a ser os mesmos de antes.


Jimmy respirou fundo e segurou na mão de Yoongi, entrelaçando seus dedos, ainda sem o olhar.


— Você sabe o que são almas gêmeas, não sabe...?


Yoongi sabia que era uma pergunta retórica, então não respondeu, apenas apertou a mão do amigo.


— Uma alma gêmea é... como um melhor amigo, só que bem mais do que isso. É a única pessoa no mundo que te conhece melhor do que ninguém, é alguém que consegue te fazer uma pessoa melhor. Quer dizer, ela não faz de você uma pessoa melhor, você faz isso por si só, porque ela te inspira... Uma alma gêmea é alguém que sempre se importa com você. É a única pessoa que sabia quem você era e te aceitou mesmo assim, e... — Jimmy já estava com lágrimas nos olhos, e Yoongi não estava diferente. — Ela acredita em você antes de todo mundo, mesmo você mentindo às vezes, mesmo quando ninguém mais acredita. E não importa o que aconteça, ela sempre amará você, sempre mesmo, e nada nunca vai poder mudar isso.


Jimmy finalmente criou coragem e olhou para Yoongi, que antes estava com a cabeça baixa para esconder as lágrimas que escorriam por sua bochecha, mas agora estava olhando para Jimmy também.


— Você é essa pessoa, Yoongi, você é minha alma gêmea e eu sei que você sente o mesmo. Pelo menos eu espero que você sinta, porque eu tenho muito medo de você me trocar pelo Jimin, e foi por isso que eu não queria que você se apegasse a ele... Me desculpa por isso, por te me afastado e por tudo que eu te fiz passar.


Jimmy ficou em silêncio e Yoongi secou suas lágrimas, engolindo seco antes de começar a falar tudo o que sentia.


— Eu não te contei na hora porque eu sabia que você iria se afastar e eu não queria te perder, Jimmy. Eu não quero perder a minha pessoa, porque eu sei que você é a pessoa que eu posso contar sempre quando eu estiver triste, feliz, carente ou querendo apenas te encher o saco.


"Você é a pessoa que maratona todos os nossos filmes preferidos sempre comigo, que vive passando vergonha comigo na rua, que enche o saco dos moradores do prédio comigo. Você que me ajudou quando eu mais precisei, você sempre esteve comigo, cuidando de mim, e até da minha mãe. Se eu matasse alguém, você seria a primeira pessoa para quem eu ligaria para me ajudar a arrastar o corpo pela sala e que depois fugiria comigo para bem longe. Você é e sempre foi a minha pessoa, Jimmy, e você sabe disso."


"Eu nunca vou te deixar por causa do Jimin, mas eu quero que você saiba que eu realmente estou muito apaixonado e eu amo o seu irmão, então eu também não vou deixá-lo por causa de você. Ele é meu namorado e um dia será meu marido. E você... você vai ser para sempre a minha pessoa, a minha alma gêmea e a pessoa mais valiosa do mundo para mim."


Jimmy, então, se permitiu chorar e se jogou nos braços do melhor amigo; Yoongi o abraçou com toda força, como se ele fosse fugir a qualquer minuto, mas ele não iria, ele nunca mais iria.


"O fio pode se esticar, se molhar, pegar fogo, se embolar, mas ele nunca, nunca se partirá."


Um fio extenso

Duas pontas amarradas

Na cor de um vermelho denso

Nas mãos de duas pessoas amadas.


Um amor recíproco, mais forte até que o sentido mais puro da palavra. Duas almas destinadas a se conhecerem no tempo certo, no momento certo. Dois amores conectados em um, a conexão mais linda entre duas pessoas que salvam uma a outra, só por estarem juntas. Está além de qualquer relacionamento, qualquer rótulo, é simplesmente amor, independente de qualquer coisa. Dois seres que se completam em um só sentimento e sabem que nada, absolutamente nada, vai algum dia poder mudar isso.


[...]


2 anos depois


Eu também não vejo a hora de me mudar com os meninos para Seul e poder finalmente ficar do seu lado para sempre, meu amor — Jimin dizia sorrindo na chamada de vídeo e, toda vez que ele sorria, o coração de Yoongi quase explodia de amor.


Jimmy, que até agora estava aos beijos com Namjoon, se separou eufórico e foi para o lado de Yoongi.


— Vem logo, clone malfeito, eu estou morrendo de saudade, por mais que você seja um pé na bunda.


Também te amo, insuportável! — Jimin disse, e Jimmy se levantou e foi para o lado do namorado de novo.


— Nossa, eles estão achando que minha casa é motel, não aguento mais, todo dia isso agora — Yoongi dizia indignado, olhando para a tela do computador.


Calma, meu amor, eu já voltei de Daegu e minha próxima parada é Seul. Depois da minha apresentação com os meninos, a gente vai poder fazer amor todos os dias.


— Eu tenho muito orgulho do que você se tornou, amor. E olha só, quem diria que eu, Park Min Yoongi, iria me tornar noivo de um dançarino famoso.


Há dois anos atrás, quando Jimin retornou para Busan, ele fez um tratamento para se livrar da ansiedade e de toda a insegurança.


Depois que começou a postar vídeos de dança no Youtube, um produtor famoso acabou vendo e contratou não só ele, mas também Jungkook e Hoseok, para fazerem uma pequena turnê pela Coreia do Sul ensinando a cultura da dança, e depois os mesmos também foram chamados para serem coreógrafos de uma das boy bands mais famosas da Coreia. E, para sorte de Jimin, essa empresa ficava em Seul.


Yoongi e Jimmy também não estavam para trás, os dois foram chamados para participar de um filme de terror que seria lançado no ano seguinte, todos estavam ansiosos.


E eu, Min Park Jimin, namoro um ator perfeito que vai ficar superfamoso com a estreia desse filme.


Os dois riram e Yoongi suspirou feliz com tudo que estava acontecendo, todos os seus amigos felizes e namorando, Taehyung e Jungkook, Hoseok e Jin, Jimmy e Namjoon. Todos eles estavam felizes e com o emprego que sempre sonharam.


— Jimin-ah, você está em Busan agora?


Eu estou no seu coração, hyung — Jimin disse e riu, fazendo Yoongi rir também.


— Oh, você sabe?


Eu sei!


~~



Notas finais: Quero agradecer a todos que leram até aqui, e especialmente para a jupteryoon / jupteryoon que Betou toda a estória e foi um amorzinho comigo, a Thalie/ThalieMessi que é uma capista excelente e fez essa capa linda, a Noah @minie_swag / minie_swag que teve muita paciência comigo kkk e a todo o projeto também, por terem me aceitado nesse mundinho yoonmin.

17 de Setembro de 2021 às 22:29 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Fim

Conheça o autor

2Min Pjct Projeto de fanfics do shipp Yoonmin (Yoongi & Jimin) do grupo sul coreano BTS. Nos encontre também no Wattpad (https://www.wattpad.com/user/2MinPjct), Spirit (https://www.spiritfanfiction.com/perfil/suji05), ao3 (https://archiveofourown.org/users/2minpjct) e twitter.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~