mallone-alves Mallone Alves

O livro da vida e arrebatamento de corpo inteiro de Enoch, o patriarca que foi bisavô de Noé.


De Época Todo o público.

#anjos # #biblia #ceu #Enoch #apocrifo
0
1.5mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Introdução e Prefácio

INTRODUÇÃO

Esta é uma copia da tradução do Primeiro Livro de Enoch. Nenhuma palavra foi adulterada ou tirada de contexto. As únicas alterações foram em palavras escritas erradas ou palavras e frases que não foram traduzidas, e o fiz, o título dos capítulos coloquei de acordo, sem fazer distinção ou repreensão por doutrina.

O autor da tradução para o português livre é Elson C. Ferreira.

O uso deste não tem como objetivo de promover uma doutrina e nem negar outras.

Me esforcei para corrigir e separar capítulos, desde já peço desculpas por qualquer erro que possa ter escapado.




Prefácio

Enoque foi um homem justo, da sétima descendência de Adão, nasceu da linhagem de Seth, sendo pai de Matusalém, o homem mais velho narrado na bíblia e na história do mundo, viveu 969 anos; Enoque foi filho de Jared (Gn5:24) e bisavô de Noé.

Enoque viveu 365 anos ao todo. "Enoque andou com Deus e depois desapareceu, porque Deus o arrebatou." (Gn 5:21,24)

São poucas as citações de Enoque nas escrituras da bíblia, existe algumas referências em alguns textos bíblicos.

Em Hebreus 11:5 menciona Enoque: "Pela fé Enoque foi arrebatado, sem passar pela morte, e não o encontram, porque Deus o havia levado. Mas antes de ser levado, declararam que ele havia agradado a Deus".

Ha referência também no livro de Judas que cita Enoque, que havia profetizado sobre os homens que se perderam e blasfemaram contra Deus.

O livro de Enoque ou I Enoch, é considerado um livro apocrífo, ou seja: não faz partes do canon bíblico. Para os judeus por não aceitarem as referências messiânicas que o cristianismo aceita, sendo este Jesus Cristo. No cristianismo os escritos chegaram a ser considerados válidos e inspirados por alguns dos primeiros padres, os chamado Padres Apostólicos, como: Santo Irineu, Tertuliano, Sao Clemente de Alexandria e Atenagoras. Mas, possivelmente os escritos teriam desaparecidos antes do início do Concílio de Hipona, que definiu o canon bíblico cristão.

O livro foi encontrado nas margens do Mar Morto em Qumran, junto com outros pergaminhos como o Livro dos Gigantes.

Acredita-se que o livro pode ter sido perdido junto com os outros pergaminhos, quando a instituição religiosa retirou-se as escondidas de Jerusalém com a Arca da Aliança, durante o reinado de Manassés, que aderiu ao paganismo e construiu altares a divindades pagãs no Templo de Salomão. Sendo encontrado os pergaminhos somente no ano 200 a.C.

—Mallone Alves

6 de Setembro de 2021 às 23:01 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo A benção de Enoque

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 91 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!