2minpjct 2Min Pjct

Depois de uma guerra com muitos feridos, o reino do Norte resolve, enfim, render-se ao reino do Sul e, como prêmio, o reino de Aetryon compra o príncipe herdeiro. Yoongi não queria sair do seu reino, muito menos casar-se com o rei do reino inimigo, mas seu futuro não era mais governado por suas próprias mãos. Ele tem que se casar com o rei, tem que se casar com alguém que não conhece, com alguém que ele não confia e nem ama, mas, talvez por ironia do destino e por uma lenda boba, ele enxerga no homem mais do que esperava. Park Jimin, o rei do império inimigo, o homem que ele julgava nunca poder amar, tinha os olhos nas cores mais bonitas do amor.


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 21 anos apenas (adultos).

#fofo #bottom-yoongi #top-jimin #realeza #sujim #bts #jimin #yoongi #yoonmin #minimini #minmin #sugamin #suji #2min #2minpjct
0
508 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Sobre a paleta de cores do amor

Escrito por: @NetunoDisse/@NetunoDisse


Notas Iniciais: tururu, tô aqui novamente *confetes*

oi, gente, se você não me conhece, eu sou a @NetunoDisse, ficwritter do 2min *mais confetes*
então, sobre o tema eu amei e plotei a base de romeu e Julieta e cinderela skskks eu não acredito em amor à primeira vista, MAS esses dias estavam tão merdas que eu só queria escrever uma coisa água com açúcar bem fofa pra gente esquecer um pouco do caos que tá o mundo lá fora. quem fez essa capa e banner maravilhosos foram a perfeita @pyeonji com um feat com o anjinho @busanjimin e a betagem ficou com a @Im_Sky_ muito obrigada meus anjinhos e a @minie_swag por me ajudar na hora das complicações sksksks *suspiro aliviado*

Foi isso, tinha coisas pra falar sobre o cap mas me esqueci sjsjs e já falei demais, então boa leitura meus amores, espero que gostem 💜


~~~~



— Yoongi, querido, acorde!

A voz doce chamou baixo, abrindo as cortinas vermelhas e pesadas que cobriam toda a janela de vidro e deixando que os raios solares entrassem no quarto do príncipe. Yoongi resmungou, reclamando para a serviçal sobre como estava cedo demais para acordar e como odiava quando os raios quentes do sol penetravam sua pele. A mulher riu, comentando sobre como seu menino ainda parecia uma criança resmungona, chamando com a mão as outras serviçais que estavam tímidas na porta para entrar no cômodo grande.

— Qual o motivo de tantas pessoas aqui no meu quarto? — perguntou o garoto de pele tão clara como neve, coçando um dos olhos inchados pelo sono recente. Sua mente ainda estava nublada, confusa e sem saber o motivo de todas aquelas pessoas ali.

A mulher de idade avançada riu, colocando as mãos rente ao ventre coberto pelo vestido cinza e direcionando seus olhos negros ao rosto pálido. O jovem príncipe mais parecia uma criança crescida, perdida nos seus compromissos, como sempre fora.

— Como pode não se lembrar do seu casamento? — A voz soava indignada. A serviçal idosa caminhou na direção da grande cama, relaxando seu corpo perto do príncipe.

Ao fundo, ambos podiam escutar os passos tímidos das serviçais mais novas, estas que entravam no closet do quarto, perdendo-se nas infinitas peças de roupas e as colocando todas em centenas de malas.

O príncipe ergueu o corpo, arregalando os olhos felinos e cobrindo o próprio tronco desnudo, perplexo com a informação que a mulher o contou. Yoongi mordeu os lábios, sentindo as lágrimas virem aos seus olhos e seus sentimentos tomarem o seu coração. Ele chorou, chorou todo o medo que sentia naquele momento, quando fora despertado de seu pranto por sua serviçal mais próxima, que o lembrou que ele estaria casado em algumas horas. A mulher de cabelos tão cinzas como prata, limpou as lágrimas dolorosas do outro.

— Minha criança, não chore. — As mãos cansadas afagaram os cabelos negros, deixando nos fios todo o amor que sentia para com o homem.

O homem concordou, deixando um beijo casto sobre uma das bochechas magras da mulher, abraçando o corpo cheio e fungando todo o ar por seu nariz. O jovem príncipe sentia-se perdido, afogado em um mar profundo de medos e incertezas, o desespero infinito tomava o corpo adelgaçado que tinha no coração vibrante um novo inverno.

— Você precisa tomar o seu café da manhã e depois eu o darei um banho demorado e o arrumarei para o seu casamento. Será o noivo mais lindo que todo o Sul já viu. — A mulher separou o corpo magro do seu, pondo seus pés sobre o chão de mármore limpo, olhando com carinho para o pobre jovem príncipe.

O corpo na cama relaxou, descobrindo-se o torso e se vestindo com um kimono longo. Os toques gentis da mulher alcançaram seus ombros largos, ajudando-o a cobrir todo o corpo pálido. Yoongi agradeceu, sorrindo para a mulher que sempre esteve ao seu lado. Ele andou com passos curtos, ultrapassado a porta do closet e entrando no banheiro do próprio quarto, lavando o rosto inchado com as águas mais límpidas e puras do rio Yoak. O homem escovou os dentes, olhando seu rosto no espelho, segurando toda a vontade de chorar quando se lembrava da situação na qual se encontrava, e, por um segundo, olhou através das janelas transparentes, perguntando para si mesmo se poderia fugir.

O príncipe voltou para seu quarto, seus olhos sobre seus pés descalços que davam passos lentos e receosos até a mesa coberta com alimentos que faziam parte do seu café da manhã. Ele sentou sobre a cadeira confortável, enchendo seu estômago com tão pouco que deixou a mulher baixinha de olhos arregalados, ordenando que o jovem príncipe comesse bem devido ao longo dia que teria.

Tomando o chá calmamente, o homem olhou através das janelas de vidraças que ficava bem a sua frente, olhando com tristeza o jardim florido, o qual estavam em seu ápice de magnitude naquela primavera. Mas nem a beleza daquele jardim rosado poderia encher de felicidade o coração do jovem príncipe, que se sentia morto devido a toda aquela situação na qual se encontrava.

— É primavera, mas por que me sinto no inverno? — Os olhos castanhos conectados ao jardim, o corpo pálido e magro sobre a cadeira firme. O jovem príncipe sentia-se em um campo do inferno, onde as chamas machucavam não só o seu corpo, mas também sua mente.

A tristeza tomava conta do príncipe, e seu corpo magro deixava transparecer seus sentimentos. O chá quente e calmo não dava conta do trabalho de distrair o jovem homem, que, depois de um longo tempo encarando a primavera em forma de rosas vermelhas no seu jardim, foi levado para longe do seu pequeno refúgio.


°°°


Yoongi podia escutar as conversas das mulheres jovens no seu closet, podia escutar os barulhos da água pura tocando o seu corpo e podia sentir as mãos enrugadas da mulher de cabelos cinza tocando o seu corpo com calma e carinho. Seus pés tocavam o fundo da banheira, assim como suas nádegas, enquanto seus joelhos eram lavados com a água misturada com gotas de morango. Ele abraçava o próprio corpo, mantendo seu olhar além das paredes do banheiro grande em que se encontrava naquele momento.

— Como ele é? — Sua voz rouca tomou o ambiente, surpreendo a si mesmo pela pergunta e a mulher ao seu lado, que lavava seu corpo com calma, amaciando a pele branca.

Talvez estar perdido em um mar de pensamentos fez o jovem príncipe não perceber aonde estava querendo chegar com todas as suas indagações. Sua cabeça era como um enorme armário, no qual a gaveta principal era o seu casamento. Ele tinha dúvidas sobre como estava ali, sobre para onde estaria indo e, principalmente, sobre quem seria o seu acompanhante naquela jornada infeliz. Casar-se sem ao menos conhecer o seu noivo, pertencer a alguém a quem não se tem amor, ser rei em um reino o qual nunca visitou. O destino era cruel com o jovem príncipe, que se encontrava em um caminho incerto e que o dava medo.

— Não sabemos, nunca vimos o herdeiro do Sul. — A voz da mulher saiu em um sussurro baixo. — Mas dizem que ele é o príncipe do sorriso do sol.

Dos lábios finos saiu a risada pequena que, involuntariamente, deixou o homem mais relaxado com o que a mulher havia dito. Yoongi olhou para a mulher acima de si, que perfumava suas costas com as inúmeras gotas de morango.

— Eu tenho medo de não o amar. — Olhou nos olhos negros da familiar, engolindo em seco quando finalmente falou o que sentia. A garganta travou por um instante, a saliva presa entre os dentes, como se não conseguisse mais falar. O príncipe respirou fundo. — Eu não quero casar com alguém que eu não amo.

A mais velha suspirou, deixando de lavar a pele esbranquiçada e segurando o maxilar do príncipe. Yoongi estava tão perdido que seu coração chegava a doer ao vê-lo daquela forma. Ela não queria ver o seu menino sofrendo.

— Não há nada para se ter medo. Você o amará e ele também irá dar a você o seu coração. Foi assim com todos os outros da família Park. — A mulher beijou a testa molhada, soltando um resmungo quando sentiu o leve gostinho de azedo da fruta vermelha. — Eu rezo para que o meu menino consiga achar o seu verdadeiro amor dentro dos olhos do príncipe do Sul.

O príncipe franziu a testa, semicerrando os olhos quando as palavras da mulher adentraram na sua mente. O que ela queria dizer com isso?

Yoongi sentiu quando a água molhou seus cabelos, penetrando nos fios o cheiro adocicado e ao mesmo tempo crítico do morango. Ele se perguntou mentalmente o motivo de estar sendo banhado com a fruta, mas as lembranças da antiga tradição de sua família o lembrou do motivo; o príncipe deveria estar com o aroma doce da fruta que por muitos anos foi como um símbolo das riquezas da sua família.

Quando os dedos da mulher tocaram seu couro cabeludo, Yoongi lembrou das recentes palavras de Kim Chunja — sua familiar e também uma segunda mãe —, e o homem voltou a ficar curioso sobre o que a mulher tinha falado.

— O que você quis dizer com amor verdadeiro? — perguntou o homem, tímido pela pergunta que fizera.

O hálito quente da mulher tocou seu pescoço frio e molhado, fazendo Yoongi contorcer o corpo rapidamente, ele escutou o suspiro profundo da mulher e virou novamente seu tronco, olhando para os olhos negros. Por um momento, a mulher parecia pensativa, como se buscasse algo na memória. Segurando a borda da banheira, Yoongi sustentou seu corpo magro, olhando a mulher com uma expectativa nova rondando seu interior.

— Os Park são uma linhagem descendentes de um casal formado por uma princesa coreana e um príncipe africano. Ao que parece, o príncipe estrangeiro chegou nessas terras e, assim que se encontraram, foi amor à primeira vista. O príncipe abdicou do seu trono no seu país de origem e reinou com sabedoria ao lado da esposa. Vire seu corpo. — Yoongi atendeu ao pedido, ficando com a corpo de frente para o da mulher e então deu um grito assustado quando escutou a velha puxando uma das suas pernas e acariciando-a com água perfumada. — Foi amor verdadeiro, eles se amaram até o fim de suas vidas, assim como seus filhos, que também encontraram a sua metade, os netos, os bisnetos e os tataranetos. É como se os deuses os presenteassem com o amor.

Yoongi riu quando a mulher pareceu ter terminado sua pequena história. Ele revirou os olhos, deixando que seu corpo fosse lavado enquanto, na sua mente, ele pensava em quão ridícula era aquela história.

— Presentear com amor? O amor pode nascer em qualquer lugar, não é algo simplesmente a ser ganho — resmungou Yoongi.

— O amor não nasce em qualquer lugar. Seus pais são um exemplo disso. — O pálido engoliu em seco, encarando o teto para não ter que olhar o rosto convencido da velha. — O amor verdadeiro é como um presente, você se sente completo quando o encontra.

— O amor não pode suprir tudo.

— Às vezes você encontra tudo o que precisa nele. — O príncipe revirou os olhos mais uma vez. Não iria mais continuar com aquilo ou perderia a paciência. Chunja sabia ser insistente quando queria, e agora tudo o que ele precisava era um pouco de paz antes de dar adeus ao seu reino para casar com o herdeiro do Sul, o maldito herdeiro que havia tomado posse das suas terras e também de si.

Os dois caíram em um silêncio logo depois, apenas escutando o barulho da água e os suspiros que volta e meia o príncipe dava. Eles também, serviçal e príncipe, aproveitavam seus minutos juntos, já que, daqui algumas horas, Yoongi seria levado para o reino o qual moraria para sempre. Quando finalmente a mulher decidiu que Yoongi estava perfumado o bastante, ela secou o homem, soltando lágrimas por seu menino finalmente estar tendo um pouco mais de liberdade, por finalmente ele estar saindo dos muros do castelo.

O príncipe foi levado ao seu quarto, onde já haviam mais mulheres o esperando. Elas o vestiram, conversando com o príncipe gentil e com a mulher mais velha, que chorava em alguns momentos enquanto arrumava os cabelos negros em um penteado e dizia que sua criança seria um rei bondoso e justo.

— Como será quando eu chegar lá? — perguntou o príncipe, olhando para a mais velha, que ajeitava seu terno negro e o colocava uma capa, a qual possuía as cores do seu reino, amarelo e laranja.

— Eles te darão um banho, irão te vestir com a melhor roupa para se casar e cuidarão de você até hora do casamento. Nesse momento o príncipe já deve estar sendo coroado rei, vocês irão se casar no pôr do sol. — As palavras da mulher enchiam os ouvidos do príncipe, que tinha seus olhos nos guardas do castelo que entravam no seu quarto sem nenhum pudor e pegavam suas malas, partindo com elas para as inúmeras carruagens com destino ao reino do Sul.

Yoongi se sentiu triste quando percebeu que nem o horário o qual iria casar-se tinha sido escolhido por si, muito menos as próprias roupas. Era como se ele não fizesse parte daquilo, quando na verdade ele era o protagonista daquela cerimônia. Lembrou de quando seus pais o avisaram sobre seu matrimônio com o herdeiro do Sul — que neste momento, provavelmente, estaria sendo coroado como rei —, Yoongi foi pego desprevenido, gritou com os pais, ato motivado por aquela notícia infeliz, buscando o porquê da mesma, mas as imagens da guerra e o cenário do seu povo chorando a derrota lembrou-o e o fez aceitar aquilo tudo, afinal, Yoongi era um príncipe e ele deveria dar sua vida em favor do seu povo, mesmo que isso incluísse sua felicidade.

A guerra entre o Sul e Norte havia deixado muitos mortos e feridos, e infelizmente grande parte das vítimas pertencia a Gaerya, reino do Norte. O Sul sugeriu um acordo de paz, como um tratado; eles parariam a guerra se, em troca, o príncipe herdeiro fosse dado como noivo ao futuro rei de Aetryon e parte do território do reino do Norte fosse cedido a eles.

Então, ali estava Min Yoongi, o 23° príncipe herdeiro de Gaerya, que deveria comandar o seu reino, mas, por ignorância dos seus pais em entrar em uma guerra sem sentido com o reino mais poderoso do continente asiático, agora seria rei de outro reino, este onde nunca havia pisado os seus pés.

— Eu quero que você fique comigo, eu quero que você seja familiar do reino de Aetryon e que sempre fique comigo. Por favor, Noona, eu serei rei, irei colocá-la em uma posição alta, darei emprego ao seus filhos e ao seu marido, só, por favor, fique comigo… — Yoongi deixou as lágrimas rolarem de seus olhos mais uma vez, descendo por suas bochechas magras. O desespero tomando conta do seu interior e o medo fazendo-o suplicar a mais velha para ficar consigo naquele lugar desconhecido onde ele iria passar os restos dos seus dias.

A mulher riu, limpando as lágrimas do rosto do jovem príncipe, sentindo seu coração se partir quando viu o quão solitário seu menino estaria. Infelizmente não era tão fácil, ela teria que manter sua promessa ao seu reino e ficar ali para sempre. Ela iria sempre estar com Yoongi, mas infelizmente não presencialmente.

— Eu não posso, minha criança… — a mulher parou sua fala quando sentiu o aperto do príncipe no seu corpo, Yoongi estava abraçando-a. — Mas quando eu puder, eu irei visitar você e ver como meu menino se tornou um grande rei.

— E se eu for um rei horrível? — perguntou Yoongi, fungando o nariz quando sentiu que as lágrimas estavam atrapalhando-o mais do que deveriam. Ele colocou sua cabeça rente ao ombro da mulher, envergonhado demais para encarar a mais velha nos olhos.

— Meu Yoongi será o rei mais justo, bondoso e misericordioso que haverá. Você será um ótimo rei e me dará muito orgulho ainda, assim como já o faz. — A mulher puxou os ombros largos do jovem príncipe que cheirava a morango e lágrimas salgadas, olhando para os olhos brilhantes e apertando nas bochechas magras. Yoongi era como um filho para si, um filho do qual ela sentia muito orgulho. — Eu te amo, Yoongi.

— Eu te amo, Noona. — Yoongi sorriu em meio às lágrimas, olhando para o rosto cansado da mulher que já havia vivido tanto. Despedir-se de Chunja era como se despedir do seu reino, seu castelo, seu quarto, seu jardim e seu povo, porque ele conseguia ver tudo o que amava no sorriso pequeno e nos olhos marcados de rugas da mulher. Dar adeus era extremamente doloroso, mas Yoongi precisava seguir em frente pelo povo que tanto amava, e agora ele torcia para que seu futuro não fosse doloroso como seu passado um dia foi.


°°°


Aetryon não era tão longe como Yoongi achou que seria. Depois de três longas horas de viagem, ele chegou ao reino do sul, ainda perdido nos seus pensamentos conflitantes. Ele não deixou de notar que o povo do reino era receptivo e bastante curioso, já que, assim que chegou ao castelo, Yoongi reparou na imensidão de plebeus que estavam à sua espera, ansiosos para ver se o herdeiro do norte era tão lindo como os boatos diziam. Mas a vergonha tomou o corpo do príncipe, que cobriu seu rosto com o capuz de sua capa, segurando na mão de um dos guardas do seu antigo reino e caminhando a passos apressados para o castelo.

Yoongi já havia visitado dezenas de castelos, e ele próprio havia morado em um, mas ele nunca, em toda sua vida, havia visto algo parecido com o palácio de Aetryon. Ele entrava no palácio fascinado, seus olhos corriam por todo o lugar, enquanto seus pés subiam as escadas enormes e que pareciam não ter fim. O castelo mais se assemelhava a arquitetura grega e africana, mas ainda tinha toques asiáticos em todos os seus detalhes. O lugar era enorme, muito maior do que o castelo do norte, e isso deixou o príncipe mais encantado pelo lugar.

Ele podia escutar os passos de dezenas de serviçais atrás de si, mas ele não conseguia dar total atenção a nenhuma, ainda fascinado com o castelo branco. Ele também não sabia para onde estava indo, mas ele confiava seriamente no guarda que parecia o levar para algum lugar.

Ele olhou para as diversas pinturas penduradas que se estendiam por todo o corredor pelo qual havia entrado. Sorrindo para as pinturas de paisagens e de algumas pessoas. Ele ficou deslumbrado com uma, na qual tinha uma pequena criança como protagonista. A criança tinha cabelo cinza como as nuvens carregadas em dias chuvosos e suas bochechas eram gordas assim como seus lábios carnudos. Era a coisa mais encantadora que Yoongi havia visto em toda sua vida.

— Como uma pessoa tão nova pode ter cabelos cinzas? — Yoongi se perguntou, preso nos próprios pensamentos, sem reparar que sua pergunta havia feito todos ao seu redor pararem. Ele virou nos calcanhares, mostrando seu rosto para as criadas atrás de si. Suspirou em confusão quando viu os rostos surpresos e assustados das mulheres. Ele havia dito algo fora do normal?

Elas pareciam perdidas, deixando o jovem príncipe ainda mais confuso. Ele virou novamente seu corpo, voltando sua atenção ao guarda, segurando mais uma vez nos braços fortes e deixando que o outro o levasse.

Durante o caminho longo do corredor, ele podia escutar murmúrios das mulheres, mas não conseguia entendê-los, já que elas falavam baixo demais. Quando finalmente ele sentiu seus passos cessarem, olhou para frente encontrando uma enorme porta de madeira branca.

— Vossa Alteza está finalmente no seu quarto de preparo. Tenha um casamento feliz e reine com sabedoria. — O guarda se foi, apenas dando um sorriso pequeno e então partindo pelo enorme corredor.

Yoongi mordeu o lábio inferior, tirando o capuz que cobria sua face e, com um pouco coragem, colocou sua mão sobre a maçaneta de ouro, abrindo a porta com delicadeza e suspirando admirado quando finalmente viu o cômodo. O quarto era enorme, muito maior do que o seu antigo, era branco com detalhes em prata, ele podia ver cortinas vermelhas que pareciam detalhadas em um amarelo quase dourado.

— São fios de ouro — Yoongi deu um pequeno sobressalto quando uma voz feminina chegou aos seus ouvidos. Ele olhou na direção da voz, encontrando uma serviçal que parecia tão nova quanto ele mesmo, levantando a sobrancelha em dúvida.

— Fios de ouro? — perguntou Yoongi, confusão estampada em sua voz.

— Exatamente, Vossa Alteza. Fios banhados a ouro, assim como quase tudo nesse lugar — falou a mulher, um sorriso estampado nos lábios cheios. Ela parecia orgulhosa do que falava.

— Isso é incrível. — Yoongi entrou no cômodo, seus olhos correndo por todo o lugar.

— Exatamente. Eu sou Kim Jisoo e serei uma das suas servas a partir de hoje, é um prazer finalmente conhecer vossa alteza.

Yoongi sorriu. A mulher parecia confiável e amigável, eles poderiam ser amigos, e isso o deixou um pouco mais aliviado. Talvez nem tudo estivesse perdido como ele achava, afinal.


°°°


Kim Jisoo e todas as outras nove criadas eram extremamente loucas. Sim, loucas. Yoongi segurava o riso cada vez que escutava mais um elogio de uma das familiares. Umas falavam sobre como sua pele era imaculada ou como seus olhos lembrava os olhos de um felino, outras destacavam como seu cheiro natural era ótimo misturado com a essência de morango com a qual ele havia sido perfumado. Yoongi ria como nunca antes, suas bochechas e orelhas coradas com o que as mulheres novas diziam. Mas, em certo momento, quando uma das criadas, Yeri, falou algo sobre como o rei Park Jimin era sortudo em ter Yoongi como esposo, fez o príncipe parar de rir, levando-o a perder-se nos seus pensamentos. Ele sentia os toques que três das mulheres davam no seu corpo, lavando e perfumando mais uma vez seu corpo com uma essência doce e com as gotas cítricas de morango. Yoongi fechou os olhos, aproveitando do carinho que tinha nos seus fios e escutando as conversas sobre o seu noivo atentamente, as mulheres pareciam falar sobre a coroação do seu futuro marido.

— O rei Park estava lindo na coroação. O mais bonito de todo o reino. — Uma delas comentou, enquanto tinha suas mãos sobre as pernas do príncipe Min.

— Eu concordo. Ele deu um discurso tão bonito e encorajador, eu me emocionei como nunca antes — concordou Jisoo.

Yoongi se perdeu na conversa, imaginando como o seu futuro marido seria. Ele mexeu o corpo confortável na banheira, chamando atenção das mulheres que o olhavam com sorrisos pequenos.

— Como ele é? — Yoongi resolveu fazer a mesma pergunta que tinha feito a Chunja mais cedo, mas que infelizmente havia ficado sem uma boa resposta.

O príncipe revirou os olhos quando as mulheres gritaram o quão adorável ele era por querer saber do futuro marido e como ele era romântico.

— Eu não sou romântico, eu sou curioso. — Yoongi bufou, fazendo um pequeno bico sobre os lábios e olhando para as mulheres com descrença. Mas infelizmente elas não o levaram a sério, apenas riam e falavam sobre o quão ele era encantador e que não o diriam nada e que deveria aguardar, como uma surpresa.

Yoongi bufou, passando todo o resto do banho com um bico pequeno nos lábios.


°°°


Depois do banho e de vestir roupas extremamente confortáveis, Yoongi recebeu seu almoço no quarto, enquanto algumas serviçais conversavam consigo e arrumavam suas coisas, outras saíam com suas malas para algum lugar que ele não sabia onde.

— Elas estão levando seus pertences ao quarto que você dividirá com o rei — respondeu Jisoo quando a curiosidade do príncipe falou mais alto e ele resolveu perguntar.

Ele não perguntou mais nada, apenas continuou saboreando do seu almoço farto e caindo na risada quando uma das mulheres que estavam ali perguntava para si algo engraçado demais.

O resto da tarde seguiu calmo com Yoongi ainda no quarto rodeado pelas servas que sempre puxavam conversa e perguntavam para si sobre seu passado no reino do Norte. Ele respondia com tristeza, falando como sentia falta do seu reino em tão pouco tempo.

Quando o relógio marcou quatro horas da tarde, Yoongi assistiu mais dezenas de mulheres e homens adentrando seu quarto. Eles corriam enquanto gritavam que o rei já estava sendo preparado para o casamento e que o príncipe também deveria. O príncipe sentiu seu estômago embrulhar e por poucos segundos ele ficou tonto, a ansiedade correndo em seu peito e tomando conta de todo seu ser.

Ele foi banhado novamente, foi perfumado com as essências de morango e a essência doce, que ele ainda não havia identificado do que era. Ele foi posto em um terno bonito, este que possuía a cor do seu antigo reino, sendo costurado com fios de ouro pelas melhores artesãs do reino, e vestido com uma capa com a cauda tão longa quanto a cauda de um véu, também nas cores do seu antigo reino. Seu cabelo negro foi penteado de maneira delicada e seus pés foram calçados com sapatos pretos.

Yoongi observou a própria imagem quando, finalmente, não tinha mais dezenas de mãos vestindo-o. Ele segurou o choro, seus olhos lacrimejantes caminhando sobre os detalhes da vestimenta matrimonial laranja com seus detalhes em ouro pesado. Mesmo coberto de luxo por toda a vida, o príncipe nunca esteve perto daquela riqueza antes. O reino do Sul deixava seu coração puro coberto de medo, medo de um futuro incerto.

Yoongi sorriu para sua imagem, deixando a frente do espelho quando dedos cálidos puxaram sua mão e a voz de uma das mulheres tornou-se mais alta do que um simples sussurro. Ele deixou-se ser levado para longe do quarto, permitiu-se rir quando uma das servas falou sobre como sua boca estava bonita demais com a coloração do morango, permitiu-se ficar um pouco mais calmo antes que uma tempestade caísse sobre seus ombros e o afundasse em um oceano profundo.


°°°


— Onde será a cerimônia? — perguntou Yoongi, engolindo em seco quando uma das criadas o encarou.

— No jardim real, não se preocupe, pequeno, será uma cerimônia simples e sem muitas pessoas. — A mulher sorriu, acalmando o coração agitado do príncipe.

Yoongi assentiu, mordendo o lábio inferior e olhando para os próprios pés, apenas seguindo os passos das mulheres. Ele não olhou e muito menos contemplou o enorme castelo naquela pequena caminhada, nem buscou mais entender o que as mulheres conversavam entre elas, sua mente apenas sendo nublada pela ansiedade que tocava seu corpo a cada passo longo que dava pelo piso de mármore.

Em certo momento ele sentiu um aperto forte no seu pulso, levando-o a, finalmente, encarar as mulheres ao seu redor. O príncipe arfou surpreso quando percebeu que agora sua pele descoberta era tocada pelos raios de sol alaranjados, estes que cobriam um céu azul e iluminavam as montanhas ao horizonte. Seus olhos semicerrados correram por toda a paisagem nova, enchendo seu interior com um sentimento novo.

— Alteza? A cerimônia já vai começar, precisamos ir — Ele escutou a voz de Jisoo. Seus olhos se tornaram assustados e Yoongi puxou o braço da mulher, o medo de ficar sozinho e sem saber o que fazer correndo por seu peito. Jisoo sorriu singela quando percebeu o medo nos olhos brilhantes. — Não fique assustado, apenas siga em frente quando escutar o som da melodia.

Yoongi concordou, soltando do braço da mulher, suspirando fundo e agradecendo a ela e a todas as outras pelo dia que tivera. Elas o desejaram um feliz casamento e ele as agradeceu com um sorriso triste. Quando elas finalmente se afastaram, ele sentiu lágrimas virem aos seus olhos, mas não permitiu que elas saíssem mais uma vez. Ergueu sua cabeça, encarando mais uma vez os raios solares sobre as montanhas que pareciam estar perto. Deixou seus ombros relaxarem, descendo seu olhar encontrou um enorme jardim e, então, um arco decorado com tulipas e rosas. Yoongi engoliu em seco, voltando a encarar seus sapatos pretos, sentindo suas bochechas corarem e seu peito ficar quente.

Quando ele escutou a mistura perfeita da melodia desconhecida de um piano, Yoongi deixou uma lágrima escorrer por seu rosto, mas a limpou tão rapidamente que duvidava que alguém poderia sequer ter visto. Ele caminhou, seguindo em frente, seus pés pisando sobre a grama verde e seus olhos correndo pela montanha, porque tudo o que ele não queria era ter que ver seu futuro que deveria estar a longos metros de distância com uma coroa pesada sobre a cabeça.

Ele fechou os olhos quando escutou sussurros e o som da música se tornar mais alto. Yoongi podia sentir a presença de outras pessoas ao seu redor, mas ele não abriu os olhos, apenas deixou que os raios solares do pôr-do-sol iluminassem seu rosto, enquanto seus pés iam sempre em frente.

O príncipe podia sentir o vento gélido daquele fim de tarde tocar seu corpo assim como os raios solares, ele podia sentir o toque da grama verde contra as solas de seus sapatos e como parecia que o caminho nunca acabava. Com a mudança do toque do piano, ele abriu os olhos, sorrindo para a visão das montanhas ao longe, perguntando-se se um dia poderia conhecê-las ou se lá seria um lugar seguro para se morar.

Seus olhos se tornaram curiosos e, por uma fração de segundos, ele se permitiu abaixar o olhar, encarando a figura do seu futuro marido pela primeira vez. O sorriso foi tirado dos lábios finos, transformando-os em lábios presos entre os dentes, o coração que batia agitado parecia ter parado por um momento, mas seus pés pareciam mais e mais agitados, como se quisessem se aproximar daquele homem.

O rei era completamente o oposto do que Yoongi já havia imaginado, era algo inexplicável, com uma beleza tão diferente que fez o coração de Yoongi bater de uma forma estranha para si. Os olhos do príncipe pareciam desesperados, correndo pelo corpo erguido no altar, buscando cada mínimo detalhe, guardando todos na sua memória, como se a qualquer momento o homem fosse fugir.

Park Jimin parecia ter a mesma estatura que a sua, mas seu corpo parecia um pouco mais forte. O rei estava vestido com uma calça branca e seu peito era revestido por um blazer azul escuro, um de seus ombros carregava uma ombreira de metal e na cabeça ele tinha uma pesada coroa. Seus fios eram de um tom cinza, Yoongi lembrou-se do pequeno príncipe em uma das pinturas do corredor que havia passado mais cedo.

Com coragem correndo em suas veias, Yoongi buscou pelo rosto do rei, mergulhando nos olhos desconhecidos do outro. Seu universo parou, seu interior queimou com o fogo nos olhos negros. Yoongi não parou, seu corpo entrou em combustão, seus passos tornaram-se mais rápidos e seus olhos se afogavam no mar profundo que era os do outro homem. Ele não conseguia mais escutar os sons das pessoas ao seu redor, muito menos a melodia do piano, apenas sua respiração pesada preenchia seus ouvidos.

Ele lembrou do seu antigo reino, dos seus pais e das palavras de Chunja, estas que inundavam sua mente. O príncipe já havia lido sobre amor à primeira vista nos milhares livros de romances que tinha em sua pequena biblioteca, ele já ouviu histórias de várias das suas serviçais, já escutou músicas sobre o amor, sobre amar alguém que não se conhece.

Yoongi nunca havia amado alguém que não fosse Chunja ou sua mãe, nunca havia experimentado do sabor de alguém. O amor não pode nascer do nada, correto?

Ele engoliu em seco, seus olhos conectados aos do rei, olhos os quais possuíam uma cor diferente agora para Yoongi, eles não eram mais de medo, mas de tristeza. Park Jimin tinha uma nova cor em seus olhos, cor que pintava o oceano profundo que eram seus olhos, o oceano que agora Yoongi se via afogado nas mais profundas águas. Park Jimin agora tinha seus olhos pintados na cor de amor.


°°°


A lua cheia decorava o céu negro, o vento soprava as cortinas pesadas e vermelhas através das vidraças abertas. Yoongi sentiu lágrimas encherem seus olhos naquela noite enquanto seus dedos deslizavam por seu lábio inferior, lembrando do seu primeiro beijo, esse que já havia trocado com o seu, agora, marido no altar.

Detalhes da cerimônia de mais cedo passavam por sua mente, as sensações cobriam seu corpo com um sentimento novo. Yoongi lembrava de como não conseguia tirar seus olhos do rei, dos sentimentos novos e estranhos que preencheram seu corpo quando ele sentiu os lábios desconhecidos beijarem sobre os seus quando o cerimonialista os concedeu o momento.

Havia sido uma cerimônia rápida, que logo depois foi transformada em uma pequena festa. Ele agradeceu quando, em certo momento da noite, uma das serviçais o tirou daquele emaranhado de pessoas desconhecidas, das conversas rasas que ele tinha tido com seus sogros, que pareceram ser gentis, e, principalmente, do seu marido. Yoongi suspirou aliviado quando seu corpo foi levado por entre os corredores do enorme castelo, a serviçal falava que ele precisava ser preparado para a noite de núpcias.

Ele não ficou nervoso com a fala da mulher, e nem quando foi preparado por ela e pelas outras. Elas o vestiram com um adereço de ouro, que tomava todo o seu peito e ombros, era como um enorme colar que vestia seus ombros. As mulheres murmuravam e falavam coisas sobre a cerimônia, sobre o quanto Yoongi estava bonito e que o rei parecia não tirar mais os olhos dele. Ele não tentou pensar nas palavras das mulheres afoitas, apenas deixou que elas cuidassem do seu corpo e o vestissem com um kimono longo e completamente branco.

Elas sumiram dali rapidamente, desejando um boa noite para o rei, enquanto seus lábios tinham sorrisos arteiros e sinceros.

O rei suspirou, encarando a grande lua que iluminava o seu quarto, o quarto que agora seria para sempre seu, o quarto que dividiria com o seu marido, com o rei de Aetryon, com o cara com os olhos mais bonitos que já havia visto na vida. Yoongi limpou uma lágrima que desceu por sua bochecha, lembrando das palavras de sua antiga serviçal, essa que falava sobre o rei ter o sorriso do sol, bom, não era uma mentira.

Ele saiu dos seus pensamentos quando escutou o barulho da porta se abrindo. O rei limpou as lágrimas, engoliu em seco e de repente seu corpo se tornou rígido. Sabia que era Jimin entrando no quarto, sabia o que fariam naquela noite, na cama que agora seria deles para sempre. O medo tomava seu corpo, a insegurança por ser sua primeira vez com alguém, alguém que Yoongi mal conhecia, mas sentia estar terrivelmente apaixonado.

— Min Yoongi. — Yoongi sentiu seus pelos arrepiarem, sua pele tornar-se quente e seu interior revirar. A voz dele era a mais bonita que o Min já havia escutado. — Desculpe pelo atraso, meu pai chamou-me para conversar.

O moreno assentiu, inseguro demais para falar algo, agradecendo por estar ainda de costas para seu marido.

O Yoongi prendeu sua respiração quando escutou os passos do outro se aproximando, seus músculos se tornando tensos só pela ideia de sentir o corpo do outro no seu. Yoongi estava assustado como um filhote, perdido naquelas sensações novas que tomavam seu corpo, ele mal podia acreditar que realmente sentia tudo aquilo, todo aquele desejo e medo de estar do lado de alguém que mal conhecia.

Yoongi queria poder fugir para bem longe dali.

— Você… eu posso ver você? — Yoongi escutou a voz melodiosa sair insegura. Sentia sua respiração pesada preencher todo o cômodo do enorme quarto.

Os movimentos dos seus calcanhares foram rápidos, girando seu corpo até estar frente a frente com o seu marido. Park Jimin parecia cansado, esse foi o primeiro pensamento que correu pela mente do outro. Os olhos gateados correram pelo rosto bonito do acinzentado, enchendo o coração com um sentimento novo para si, que parecia tirar todo o fôlego que tinha nos pulmões.

— Oi, sou Park Jimin, seu marido. — O tom de voz saiu divertido, porém tímido, fazendo Yoongi relaxar um pouco e soltar um pequeno sorriso.

— Oi... — Desviou o olhar do rosto bonito, descendo seus olhos para seus próprios pés quando sentiu as bochechas ficarem quentes. — Sou Min Yoongi.

— Eu sei — A voz doce saiu como um suspiro longo. Yoongi subiu o olhar, encarando os olhos profundos do marido. — Você é lindo. Não pude falar isso durante a cerimônia, mas você é lindo, Yoongi.

Yoongi mordeu os próprios lábios, reprimindo o sorriso que queria iluminar o quarto naquele momento por conta do elogio. As orelhas e bochechas tornaram-se vermelhas, e a culpa sendo de como Yoongi havia gostado do modo que seu nome soou bonito na voz do outro.

Os pés de Jimin o levaram para mais perto do marido, deixando seus corpos mais próximos do que nunca. Ele podia sentir a respiração quente sair entre os lábios entreabertos do agora Park. Seus olhos desceram para a boca carnuda e as lembranças do beijo tímido que havia trocado no casamento fez com que algo no seu âmago se tornasse quente.

Jimin queria beijá-lo, queria tocar os lábios carnudos e aprofundar mais o beijo, queria conhecer mais do interior do moreno, queria saborear o gosto que ele tinha. Mas Jimin não tinha certeza se podia, se o outro iria gostar de mais contato, afinal, aquele casamento era apenas um jogo dos seus pais, não começou por amor, mas no fundo Jimin pedia que terminasse com aquele sentimento que ele podia sentir que enchia seu peito.

— Eu estou com medo. — A voz profunda chegou aos seus ouvidos; baixa e receosa. Jimin sorriu, encarando o rosto delicado, o qual tinha os olhos fechados.

Ele não respondeu, mas também estava com medo. Ele nunca esteve animado com aquela ideia de casamento, simplesmente teve que aceitar. No fim, Jimin só pedia que seu futuro marido pudesse ser alguém fácil de se lidar, alguém gentil e bom para seu povo. Ele não esperava se apaixonar assim que visse Yoongi caminhando em sua direção, a caminho do altar.

Foi como mágica; o jeito que o corpo vinha lentamente, como o rosto sereno se encaixava perfeitamente aos raios solares alaranjados do pôr-do-sol, como o vento frio soprava seus cabelos negros e os deixava um pouco bagunçado. Aquela foi a visão mais bonita que seus olhos puderam ver.

Park Jimin estava apaixonado, mesmo que tivesse trocado menos de vinte palavras com o marido.

— Você também sentiu o mesmo que eu? — perguntou Jimin, sua voz saindo esperançosa e seus olhos iluminados em euforia.

Yoongi assentiu, abrindo seus olhos e encarando as pupilas do outro, essas que ainda tinham as cores que deixavam seu corpo quente e agitado em expectativa. Fechou os olhos quando sentiu o toque quente das mãos do outro sobre suas bochechas. Os toques do marido eram algo novo, mas trazia uma sensação de paz, uma sensação de certo, porque estar ali, junto dele, era o certo, aquele era o lugar que Yoongi poderia finalmente encontrar sua felicidade.

— Estou apaixonado por você. — Sua voz saiu firme, mas seus olhos ainda estavam fechados, receosos de encontrarem-se com os do outros.

— Me diga quem é você, eu quero saber muito mais do que seu nome, muito mais do que o lugar de onde você veio. Eu quero saber tudo sobre meu marido, eu quero saber seus medos, receios, seus sonhos, eu quero poder escutar mais do que a sua voz, meu amor, eu quero saber tudo sobre o homem o qual eu quero tornar meu. — Jimin sussurrou, atraindo os olhos castanhos que o olharam através dos cílios longos.

E então ele teve certeza que havia encontrado o amor.


°°°


Durante toda sua vida Yoongi foi acostumado a ter mãos alheias lavando seu corpo, acariciando seus cabelos e perfumando sua pele, mas ele nunca imaginaria que seu marido um dia faria isso, ainda mais no dia em que eles tinham se conhecido.

Seus olhos corriam pelo teto alto do banheiro, suas bochechas estavam quentes na água fria e seu corpo estava mole. As mãos pequenas do marido corriam por seu corpo nu, conhecendo sua pele e deixando marcas invisíveis sobre ela. Ele tentava não pensar muito sobre a vergonha que estava instaurada no seu corpo. Eles eram casados agora, aquilo deveria se tornar algo cotidiano entre eles — palavras do rei Park — e ele não deveria ficar tímido com aquilo.

Jimin cantarolava uma música calma, suas mãos passavam entre as coxas magras e sua respiração se tornava mais e mais descompassada a cada novo toque que suas mãos davam sobre a pele de Yoongi. Seu corpo estava quente, querendo o corpo do outro entrelaçado ao seu e seu coração pedia por mais beijos e palavras do marido.

Eles estavam ali a algum tempo. Depois que conversaram e se conheceram mais, ambos perceberam que seus sentimentos eram verdadeiros, novos e avassaladores. Queriam mais um do outro, queriam mais palavras, mais toques, queriam beijos, mesmo que ainda estivessem tímidos demais. Era sua primeira noite de núpcias, sua primeira noite juntos, a primeira noite que deveriam se conhecer, tornarem-se só um.

Jimin encheu suas mãos com a água leitosa coberta de pétalas de rosas cor-de-rosa, derramando-a sobre o peito descoberto e pálido do marido, sentindo seu corpo esquentar mais com a visão daquele pedaço de pele descoberta. Continuou a cantarolar a canção antiga, sentindo a pele pálida tremer sob seus toques.

Yoongi o queria também, Yoongi também estava apaixonado, Yoongi também sentia daquela mesma forma. Esse sentimento… Jimin não precisava de mais nada além disso.

— Torne-me seu. — Jimin parou sua voz quando escutou o pedido ínfimo do outro. Suas mãos pararam de trabalhar, sua respiração trancou em seus pulmões, sua mente pareceu perder todos os sentidos por segundos. — Eu quero ser do homem de cabelos cinza, do homem de voz doce que preenche meus ouvidos com a melodia que parece vir dos céus, eu quero pertencer ao homem que tem os olhos cor de amor.

Foi um emaranhado de coisas em segundos; Jimin suspirou, levantando seus joelhos do chão e puxando a peça de roupa que o marido vestia antes de ser lavado por si. Observou ele levantar calmo e incerto da banheira, deixando seu corpo completamente exposto aos olhos curiosos e gentis do homem de cabelos cinzas. Ele vestiu Yoongi, puxou seu corpo e o levou em seus braços de volta ao quarto. Seus pés caminhavam rapidamente, seu nariz descia sobre os cabelos úmidos do marido, aspirando o aroma cítrico de morango que o outro tinha.

Suspirou alto com a visão da grande cama, nervoso com seus próximos movimentos. O Park colocou seu marido sobre a cama de lençóis brancos, sorrindo com a visão que tinha. Yoongi era como um paraíso novo, um que Jimin queria desvendar e se perder lá para todo o sempre.

Yoongi arfou. Seus olhos gateados olharam para o marido em ansiedade, seu corpo deitado e quase totalmente nu tremia sobre a cama. Observou Jimin se aproximar com leveza, seu corpo tremia em antecipação. Nenhum dos dois nunca haviam feito aquilo, mas a necessidade de sentir um ao outro era maior do que o medo de errar em algo.

Os braços fortes rodearam o corpo nu, abraçando o corpo do marido. Ambos aproveitaram do toque calmo, felizes em estarem ali.

Yoongi fechou os olhos quando sentiu a ponta quente do nariz do marido tocando seu pescoço gélido. Os lábios carnudos e mornos descendo timidamente sobre a extensão pálida, a respiração calorosa deixando a pele fria arrepiada. Era uma sensação nova para ambos, mas era algo que enchia seus peitos de mais um sentimento novo e quente.

Um gemido baixo preencheu o quarto quando os dentes do rei rasparam sobre a pele do marido, causando uma nova sensação de prazer no moreno. Yoongi encolheu-se nos braços do outro rei e expôs mais do pescoço ao homem, suplicando silenciosamente por mais toques naquela área do seu corpo.

Jimin o atendeu, começando a deixar selares sobre toda a extensão, beijando a pele com toda a delicadeza que tinha. Suas mãos desceram involuntariamente para a cintura desnuda do marido, marcando a pele com seus toques quentes. As sensações eram novas para os dois amantes, que apenas deixavam sua mente nublar sobre qualquer pensamento que não pertencesse àquele momento.

Foi mágico quando os lábios carnudos do rei de cabelos cinzas tocaram timidamente os vermelhos e finos do marido, ainda incerto se o toque seria bem aceito pelo homem. Yoongi arfou entre o selinho, mordendo os lábios de Jimin com timidez. Eles beijaram-se novamente naquele dia, porém, agora mais intenso e lascivo, sando o beijo como uma arma para mostrar o que sentiam um pelo outro.

Com os olhos fechados, Yoongi deixou seu corpo ser deitado totalmente sobre a cama, sua cabeça sobre um dos travesseiros fofos, seus cabelos negros bagunçados sobre o tecido branco e seus olhos fechados em deleite cada vez que sentia mais da língua do marido explorando sua boca, curiosa.

Os braços do rei corriam sobre seu corpo e, em certo momento, entre um dos beijos que trocavam, as mãos pequenas e inquietas deslizaram sobre o tecido da única vestimenta que Yoongi tinha no corpo. Eles separaram suas bocas, suas respirações se tornaram ofegantes, e seus olhos retraídos correram um para o corpo do outro.

As mãos de Jimin tremiam quando ele tirou a vestimenta do marido, jogando-a pelo cômodo, seus olhos concentrados no peito nu do esposo. Ele beijou o rastro de pele como fez antes com o pescoço, deslizou seus lábios por toda a extensão, os sons dos seus beijos calmos misturavam-se com a respiração pesada do marido, preenchendo todo o quarto como uma música.

Yoongi sentia o suor escorrer por sua testa, o ar gélido que vinha das vidraças abertas não funcionava mais com seu corpo que estava chamas. Suas mãos seguravam os lençóis brancos com força, apertando e tornando os nós de seus dedos brancos quando os beijos do marido deslizaram para seu baixo ventre.

— Você é lindo. — Yoongi escutou. As palavras penetravam na sua mente, reviravam seu interior gélido, mas logo iam embora quando ele sentia uma fisgada no seu íntimo. — O mais lindo que meus olhos já puderam ver.

Foi como uma explosão doce e lenta quando o úmido da língua alheia tocou sua área íntima. Yoongi gemeu; baixo e lento, suas mãos traçando o próprio corpo pelo prazer novo que sentia. Seus olhos lacrimejantes e semicerrados estavam no teto alto, seu peito descia e subia lentamente e sua boca desferia arfares baixos.

Ele não podia acreditar que em apenas horas já poderia estar naquela situação com o marido, o marido que havia acabado de conhecer, o marido que ele nunca esperava sentir nada, mas por quem acabou completamente apaixonado. Era como uma loucura, algo aparentemente impossível, mas que parecia estar funcionando bem para ele e o rei.

Jimin puxava seu íntimo, molhava-o e o beijava com castidade, ele deixava suas marcas sobre o corpo de Yoongi, fazendo do homem o seu marido naquela noite fria de primavera. O Park conhecia o corpo do seu marido pela primeira vez naquela noite.

Seus movimentos aumentaram ao redor do pênis, sua boca deixava ser tomada pela extensão e suas mãos apertavam com rigor as coxas magras e extremamente brancas de Yoongi. Era uma sensação nova estar naquela posição, era estranho, bom, quente e fazia seu corpo entrar em combustão. Jimin fechou os olhos, seu corpo se tornando mais rígido ao redor do outro, seus ouvidos mais aguçados para escutar finalmente uns gemidos alto do moreno, que se desfez rápido em sua boca.

Yoongi olhou para baixo, seus olhos molhados pelas lágrimas juntavam os cílios, o que o dava uma visão ruim do marido. O homem de cabelos negros bufou, revirando os olhos quando seus pelos arrepiaram-se e sua barriga agitada lidava com o prazer estranho. Ele não sabia exatamente o que tinha acontecido com o seu corpo, mas ele precisava demais.

— Seu corpo… — Jimin gemeu, engolindo o líquido salgado. Seu corpo saiu da cama apenas para que se livrasse do terno pesado. Os cabelos incrivelmente cinzas caíram sobre seus olhos pequenos, por um momento o acinzentado tinha a aparência de uma pequena criança perdida.

Ele deitou sobre o marido, seus olhos agora conectados nos olhos castanhos e lacrimejados. Jimin estava perdido, completamente fascinado com a visão do ser celestial que ele tinha abaixo de seu corpo.

O Park nunca tentou entender bem a vida, muito menos sentimentos e nem seus níveis e profundidades. Jimin não queria saber de onde aquele sentimento arrebatador vinha, o motivo pelo qual ele surgiu, apenas queria entrar naquilo, viver aquela situação na qual se encontrava, porque Jimin estava apaixonado, porque ele ainda era jovem para tentar entender seus sentimentos, porque ele deveria apenas viver todos eles.

Os braços fortes se mantiveram firmes no colchão, o suor escorria pelo seu corpo e sua cabeça doía por estar tanto tempo abaixado, mas ele ainda queria continuar um pouco mais ali, olhando nos olhos do marido, perdido na tempestade que aquilo era.

Suas pálpebras fecharam-se quando ele sentiu toques gelados na sua bochecha. As mãos do marido apertando seu rosto e fazendo um carinho ali.

Com coragem, Yoongi ergueu seu pescoço, apenas para se aproximar o suficiente do marido e deixar um leve selo nos lábios que ele tanto desejava. Seu ato foi rápido e logo sua cabeça estava sobre o travesseiro novamente. Sentiu suas bochechas corarem, seu rosto se tornou quente e seus olhos desfizeram a conexão que tinham com o outro.

Por mais entregue que estivesse, por mais que aquele sentimento bonito corresse por seu coração, ainda era tudo muito novo para o rei de cabelos pretos.

Jimin sorriu, seus lábios esticaram levemente e seus olhos se tornaram semicerrados. Seu coração batia rápido no peito, como se a qualquer momento fosse parar de funcionar. Desceu seu rosto, afundando seu nariz no pescoço do homem, inspirando todo o aroma cítrico e doce que seu marido tinha. Ele beijou o pescoço limpo de marcas, agora deixando hematomas vermelhos com seus dentes, puxando a pele macia entre os lábios e causando gemidos manhosos no homem.

Ele estava pronto para tê-lo, pronto para fazer com que Yoongi fosse dele assim como ele seria do outro, pronto para consumar o começo do amor deles, porque, para ele, aquele sentimento que fazia seu coração bater descompassado era amor.

— Por favor, Jimin, nos torne apenas um. — Yoongi tinha os olhos fechados e a expressão suave quando pediu. Seu coração batia descompassado no peito, mas seu corpo estava estranhamente relaxado. Ele abriu os olhos, encontrando um sorriso grande nos lábios carnudos do marido e, com rapidez, deixou mais um selinho ali.

Jimin não falou nada, sua cabeça cheia demais com a felicidade que tomava todo o seu corpo. Ajeitou-se sobre o outro, seus olhos tímidos correndo pelo próprio corpo, buscando por sua intimidade. Yoongi parecia ansioso para estarem juntos e Jimin também queria que aquilo acontecesse o mais rápido possível.

Ele pegou na base do pênis, suspirando pesadamente antes de encaixar na entrada do marido. Seus olhos fecharam quando a nova sensação tomou seu corpo, junto com os gemidos sôfregos que Yoongi soltava. A preocupação tomou seu corpo por alguns segundos.

— Você está bem? — Sua testa estava franzida. A pergunta saiu dos seus lábios entre suspiros.

— Sim, é só um pouco novo demais. — Yoongi gemeu. Ele também tinha certeza que não havia feito aquilo totalmente direito, mas era a primeira vez de ambos, eles realmente estavam perdidos demais nos seus sentimentos. — Está passando…

O rei de olhos claros assentiu freneticamente e Yoongi escondeu a risada entre os lábios sobre a expressão adorável do marido, era como um misto de preocupação e prazer. O homem permitiu-se relaxar mais, mesmo que o incômodo dolorido ainda estivesse entre suas pernas.

— Você pode se mover. — As bochechas ficaram rosadas e quentes. Yoongi fechou os olhos para falar aquilo, porque ainda era embaraçoso demais olhar para seu marido enquanto falava sobre seus movimentos. Yoongi engoliu em seco quando não sentiu Jimin, o quarto parecia silenciosamente quieto. Yoongi abriu as pálpebras, preocupado. — Jimin?

— Desculpe, você é tão lindo. — A voz do rei saiu falha enquanto seus olhos encaravam bem o marido deitado sob si. Jimin ainda não sabia exatamente como agir naquele momento, ele se sentia um bobo apaixonado, e um pouco atrapalhado, mas por algum motivo isso não o incomodava. Ter os olhos do outro em si era o bastante para o manter calmo.

Yoongi sorriu, seus dentes pequenos sobressaindo seus lábios finos e suas maçãs do rosto completamente rosadas. Eles não falaram mais nada enquanto seus olhos estavam conectados e seus corpos começavam a movimentar-se lentamente. Seus corpos eram uma mistura de prazer, dor e ansiedade, ainda perdidos no que faziam, mas completamente entregues ao sentimento novo que preenchiam seus peitos quentes.

Em certo momento, suas mãos se entrelaçaram, seus olhos pareceram aprofundar mais o olhar intenso que trocavam. Yoongi sentia seu corpo mais e mais preenchido por prazer e amor, seu peito tinha mais e mais certeza do que ele sentia. Jimin ainda tinha seus olhos na cor de amor, enquanto seus corpos se amavam de maneira lenta e profunda, enquanto dos seus lábios saíam juras em forma de palavras doces.

E Yoongi sabia que não precisava de mais nada porque ele tinha encontrado o amor nos olhos profundos do rei do sorriso do sol.

~~~~


Notas Finais: ihh *ansiedade* o que acharam? eu nunca escrevi algo tão romântico, então ficou ruim, me desculpem 😔😔 ficou quase um princesa da Disney sjsjsjs obrigadaaaaa por lerem, se gostarem comentem aqui que eu AMO responder e por favor, se cuidem e fiquem em casa. Até a próxima meus amores 🤞🤭

31 de Julho de 2021 às 21:38 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Fim

Conheça o autor

2Min Pjct Projeto de fanfics do shipp Yoonmin (Yoongi & Jimin) do grupo sul coreano BTS. Nos encontre também no Wattpad (https://www.wattpad.com/user/2MinPjct), Spirit (https://www.spiritfanfiction.com/perfil/suji05), ao3 (https://archiveofourown.org/users/2minpjct) e twitter.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~