D
Davila Silva


Namjoon é um simples jornalista da revista Park, que gosta da natureza, andar de bicicleta no final da tarde e cuidar de suas plantas, mas seu emprego na revista está com os dias contados! Após saber que poderá ser demitido, ele pede uma última oportunidade ao seu chefe, que lhe dá uma missão de acompanhar Seokjin por 30 dias, e descobrir os segredos que jovem ceo tanto esconde, fazendo uma matéria a respeito. Já o Namjoon quer saber os motivos que levou o ator em ascensão a desistir de sua carreira, mas o jornalista terá um grande desafio, pois a personalidade de Jin é totalmente diferente da sua. Será que Namjoon conseguirá sobreviver a 30 dias com Seokjin?


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#bts #sope #jikook #namjin
0
539 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os Domingos
tempo de leitura
AA Compartilhar

Onde tudo começa

A vida nunca é do jeito que desejamos, ela sempre terá seus altos e baixos, mas cada derrota ou vitória traz algum tipo de aprendizado, seja ele bom ou ruim.


Era nisso que Namjoon acreditava fielmente, era o que ele sempre escrevia no final dos seus textos, mas por algum motivo os leitores da revista Park começaram a odiar aquelas palavras de motivação, talvez as pessoas fossem um pouco fúteis demais, querendo saber apenas de fofocas, ou alguma dica inútil de alguma blogueira da internet, enquanto admiravam as fotos de homens e mulheres bonitos que muitas vezes eram editadas. Tudo aquilo diferia do que o Namjoon gostava de escrever, talvez ser um jornalista em uma revista de fofoca tenha sido uma péssima ideia, mas foi o único emprego que ele havia conseguido, conseguiu por pura sorte, ou talvez ele estivesse na hora certa e no momento exato que a filha mais nova do editor chefe corria para rua e quase foi atropelada, mas acabou sendo salva pelo jornalista e assim ele conseguindo um emprego que deveria ser dos sonhos.

Era a última segunda-feira do mês de abril, Namjoon sempre ia duas horas mais cedo para o trabalho, ele odiava pegar ônibus ou metrô, seus amigos diziam ser desculpa dele para andar de bicicleta pela cidade, bem eles não estavam errados, Namjoon amava, além de fazer ele pensa em tantas coisas antes de chegar na empresa, e naquele dia não foi diferente.

— Bom dia, Hajoon!

— Acredito que eu não posso desejar o mesmo para você, Namjoon.

— Por que, aconteceu algo?

— O senhor Park está demitindo algumas pessoas, a Yuna foi demitida, ele disse que não precisa de matéria inútil para revista, a muitos leitores reclamando não só das matérias dela, a sua está recebendo notas muito negativas na internet.

— Ele não pode me demitir, eu salvei a filha dele!

— Isso faz uns 3 anos Namjoon, além disso ninguém gosta das suas matérias sobre plantas, museu, economia e livros que ninguém nunca ouviu falar, se fosse outra época, eu tenho certeza que você subiria de cargo rápido, mas estamos nos tempos modernos.

— Onde as pessoas são mais fúteis, e só consomem conteúdos ruins.

— O que é fútil para você, pode ser o único meio de sustento de alguém.

— Então vou me tornar um blogueiro ou uma celebridade. Será que tem alguma empresa precisando de algum jovem rapaz para fazer alguma ponta em algum drama?

— Namjoon, você nem passaria no teste, você é bonito, mas está fora dos padrões de beleza do país, as garotas não gostam muito da sua aparência, sem ofensas.

— Então o jeito é implorar por meu emprego, se eu perder meu emprego terei que voltar para a casa dos meus pais, serei um fracasso como filho.

— Pensando bem, eu acredito que você seria um ótimo ator de drama.

— Engraçadinho. Eu realmente não sei o que fazer se eu perder meu emprego.

— Por que não pede uma segunda oportunidade para o senhor Park? Você é amigo daquele rapper famoso, o Agust D, está rolando uns boatos que ele lançará um álbum novo, fale com ele para conseguir uma entrevista exclusiva com ele.

— Yoongi está viajando em lua de mel com o marido, ele ficou longe do Hoseok por dois meses por conta do álbum The Hope of The Stars.

— Pensei que eles fossem casados a uns 4 anos.

— Yoongi ama muito o Hoseok, então toda oportunidade que eles têm para viajar e curtir a vida de casado eles estão indo, eles chamam de lua de mel número não sei já perdi as contas.

— Entendo, então sem entrevista com ele.

— Se eu não perder meu emprego, talvez daqui a uns 8 meses eu consiga uma entrevista exclusiva, enquanto isso não acontecer implorarei para não ser demitido.

— Boa sorte, você vai precisar! O senhor Park nunca muda de ideia.

— Obrigado.

Namjoon respirou fundo e foi até o elevador, quando chegou até lá, viu um dos seus colegas de trabalho, e pela caixa que o homem segurava era mais um dos desempregados.

A revista Park era uma das mais vendidas na Coreia do Sul, sua versão online tinha milhões de acessos diariamente, mas com o tempo todos os números começaram a cair, então Namjoon entendia a demissão de alguns, e logo entenderia a sua também. As pessoas não se interessavam mais por artes, livros não tão famosos, nem culinária ou tão pouco sobre museus e nem de como cuidar de suas plantas, agora só queriam saber sobre celebridades, escândalos de namoro de algum artista, coisas que são considerados normais para as maiorias dos jovens, mas Namjoon não conseguia escrever sobre aquilo, talvez seria uma péssima ideia ele implora por seu emprego, talvez ele conseguisse um emprego em algum jornal antiquado.

Mas ali estava ele entrando no elevador indo para o último andar, enquanto ele pensava nos argumentos, uma moça entrou no elevador.

— Bom dia Namjoon.

— Péssimo dia, mas bom dia para você Minjin.

— Então os boatos de que você vai ser demitido são reais?

— Espero que não, mas tenho certeza que vou, acredito que ninguém gosta dos meus assuntos sobre plantas, economia, minhas lições de moral e nem as dicas de livros.

— Desculpa Namjoon, mas suas dicas de livros são horríveis, a grande maioria é sobre algum filósofo ou escritor que o esqueleto nem existe mais! Sei que esses livros são bons para ter conhecimentos, mas os jovens de hoje em dia não têm muito interesse nesse tipo de assunto, a menos que alguém famoso dessas redes sociais de vídeo curtos falam sobre o livro, ou alguma celebridade com Kim Taehyung.

— Entendo, é a vida, perderei meu emprego por culpa de jovens de 16 anos que fazem vídeos de 1 minuto falando sobre teorias da conspiração.

— Só você mesmo Namjoon, mas não se preocupe, dará tudo certo, você salvou a vida da filha do nosso chefe!

— Talvez ele me coloque para lavar o chão, é um emprego digno de qualquer forma.

— Agora que lembrei, a Jihye está grávida, então ela vai sair de licença maternidade, e bem o chefe gosta muito dela, então é por esse motivo que o senhor Park está estressado e demitido todo mundo, que ele supõe que não está trazendo leitores para revista.

— Ele está estressado porque Jihye está grávida?

— Ele está estressado porque seria ela que acompanharia o senhor Kim Seokjin por 30 dias, você sabe que todo ano tem a escolha da celebridade que será o destaque principal da revista Park. Ano passado foi um jogador de futebol, este ano escolheram o Seokjin, ele era um ator muito talentoso, estava no auge da carreira, mas quando a família dele morreu, ele deixou a vida de ator e assumiu a empresa da família Kim, e também assumiu a guarda do sobrinho que está seguindo seus passos.

— Você sabe o motivo de, bem, ele desistir?

— Não, é aí que você entra Namjoon.

— Como assim?

— Namjoon gosto muito de você, e não desejo que você perca o emprego, e bem você é alguém que sabe tirar confissões facilmente, então, peça ao senhor Park a oportunidade de entrevista o Seokjin. Sei que vai ser uma tarefa fácil para você, já que nosso chefe deve a vida da filha a você.

— Não sei, eu mal conheço esse Seokjin, mas quem sabe seja uma tarefa fácil, ele é um ceo certo?

— Sim, Namjoon, o Seokjin é ceo da Kim Company, a empresa da família dele.

— Temos sobrenome em comum, então vamos nos dar bem.

— Provavelmente.

Logo os dois se despediram quando ela chegou no andar que precisava. Assim que Namjoon chegou no último andar, foi direto até a sala do seu chefe, batendo na porta.

— Entre.

Namjoon respirou fundo antes de entrar na sala, assim que ele entrou o senhor Park mandou que se sentasse e assim ele fez.

— Bom dia senhor Park.

— Bom dia Namjoon, que bom que você veio até mim, eu já iria te procurar.

— Eu preciso desse emprego senhor, não posso perder ele. E sim, eu sei que as minhas matérias não estão sendo bem recebidas, mas posso melhorar!

— Namjoon elas são antiquadas, e os jovens de hoje não querem saber do que você escreve, eu gosto muito de você, mas esse é meu império.

— Entendo, eu só preciso de uma oportunidade, nem que seja para limpar o chão que o senhor pisa.

— Se você tiver precisando de dinheiro é só dizer o valor que eu te dou, não precisa se humilhar, escreverei uma boa carta de recomendação para você usar no próximo emprego.

Namjoon começou a ficar nervoso, aquele emprego pagava muito bem, e podia dar um pouco de conforto para si, e para seus pais, então Namjoon resolveu pedir uma segunda oportunidade.

— Senhor Park, eu posso fazer qualquer coisa, eu posso entrevista Seokjin. Quero dizer, o senhor Kim, tenho certeza que não será tão difícil assim, eu sou ótimo em persuadir as pessoas a contarem seus segredos.

— Ok Namjoon, eu te darei uma oportunidade! Eu quero que você descubra os segredos da família Kim, não acredito que a família tenha morrido em um acidente de carro, por esse motivo quero descobrir o que aconteceu de fato, e fazer uma matéria a respeito. Eu sei que você consegue fazer uma matéria perfeita.

— Você não pensa que isso não seja meio errado? Revelarmos algo íntimo da família do senhor Kim?

— Não, as pessoas amam um escândalo.

— Pessoas fúteis gostam desse tipo de coisa! É algo íntimo do senhor Kim, isso seria um total desrespeito com ele, o homem está abrindo a empresa para nos receber.

— Então, não deseja o trabalho Namjoon? Posso te dizer que atrás dessa porta tem umas 50 pessoas loucas para aceitar esse trabalho, elas não se importam com sentimentos do Seokjin, quem se importa com sentimentos de pessoas que nasceram podres de rica? Você não acha injusto ele sempre ter tudo, e você quase nada?

— Mesmo assim.

— Namjoon, se você não quiser tudo bem, tenho certeza que com seu talento você conseguirá um emprego em 5 meses ou dois anos, ou trabalhe limpando o chão de pessoas como o Seokjin.

— Ok, eu aceito, darei o meu melhor nessa missão.

— É assim que eu gosto! Sabia que eu podia contar com você meu querido Namjoon. Agora vou te entregar uma lista de coisas que você deve fazer.

— Certo.

— Não se preocupe, eu tenho certeza que você conseguirá Namjoon, 30 dias se passam rápido, e se tudo sair de acordo com planejado você será promovido, caso contrário você será demitido, espero que concorde.

— Certo senhor Park.

Park apenas pegou a mão do Namjoon e o cumprimentou, já Namjoon não tinha muita certeza se tudo daria certo, ele esperava que desse pelo menos.

Os dias se passaram e assim chegou o dia de conhecer o senhor Kim, já faziam alguns dias que seu chefe lhe havia entregado um papel com algumas informações, e um crachá para o Namjoon usar na empresa onde acompanharia o Kim.

Era o primeiro dia do Namjoon naquela empresa, e como sempre, ele havia ido na sua velha companheira, a bicicleta. Enquanto procurava um lugar para colocá-la, alguém abriu a porta de um carro, fazendo que ele tivesse que desviar rapidamente, e o vez se desequilibrar e cair. Por causa da queda sua bicicleta acabou arranhando um outro carro, que estava do seu lado, quando o dono deste carro saiu, só de olhar para seu rosto dava para perceber sua raiva.

— Olhar o que você fez com meu carro!

— Foi um acidente, eu não queria arranhar seu carro, mas era isso ou eu quebrar meu pescoço.

— Deveria ter quebrado o pescoço, meu carro custou uma fortuna, espero que tenha o dinheiro para pagar o prejuízo.

— Você é tão fútil assim? Um carro vale mais que uma vida?

— O meu sim.

— Não vai nem me ajudar a levantar? É realmente uma pessoa fútil!

— Não é minha obrigação te ajudar.

— Também não é minha obrigação pagar o seu prejuízo.

— Foi você quem fez, então tem.

Do carro que Namjoon desviou para não se machucar saiu um homem bem-vestido, assim como o outro homem que brigava com Namjoon. Do veículo também saiu um jovem rapaz que tremia um pouco, pois o acidente tinha sido sua culpa.

—Por favor Jin, não culpe o rapaz, por algo que não foi culpa dele. Eu pagarei o prejuízo do seu carro, porque se o Jungkook tivesse olhando antes de abrir a porta do carro, isso não teria acontecido!

— Desculpa Jin, e desculpa a você também. Meu Deus é o Namjoon!

O rapaz acabou falando aquilo tão alto que assustou os três homens mais velhos ali, Namjoon acabou dando um sorriso sem graça, enquanto ainda estava no chão.

— Se assim desejar Jimin, tudo bem, espero você na minha sala.

O homem acabou saindo do estacionamento deixando apenas os outros três. Jimin foi até Namjoon o ajudando a levantar, enquanto o rapaz pegava a bicicleta.

— Obrigado por me ajudar.

— Não precisa agradecer, a culpa foi do meu namorado! Que pelo visto conhece você, não sabia sobre esse seu amigo Jungkook.

— Ele não é meu amigo, é ele que escreve as minhas matérias favoritas, naquela revista que eu não entendo nada, mas amo ler seus textos Namjoon, eu sou muito seu fã.

— Obrigado eu acho.

— Jungkook, você não tem nada a dizer ao senhor Namjoon.

— Me desculpe, eu deveria te olhar antes de abrir a porta, não foi minha intenção quebrar seus ossos, eu nunca vou me perdoar por ter feito você se machuca, eu pagarei o prejuízo da sua bicicleta.

— Não se preocupe com isso, eu tinha que trocar ela de qualquer jeito mesmo.

— Então eu te dou uma bicicleta nova, qual modelo você prefere? Poderia me dar seu número para combinar um horário? Aí a gente pode ir até uma loja, e comprar uma nova.

— Você é muito criança Jungkook, está assustando o rapaz.

— Jimin, não é diariamente que encontro meu ídolo.

— Então aquela coleção de revista cortada, é escrita por ele?

— Sim, eu tenho todas as edições que ele escreve Jimin. Eu nem acredito que tô conhecendo Kim Namjoon!

Namjoon estava bastante assustado, ele só queria sair dali o mais rápido possível, era a primeira vez que ele conhecia um fã tão jovem do seu trabalho, talvez os jovens não fossem tão fúteis assim.

— Só você mesmo Jungkook. Bem, Namjoon, desculpe pelo acidente que meu namorando provocou, não foi a intenção dele, acredito que você já notou! Eu nem me apresentei ainda, eu sou Park Jimin, e esse é meu namorado, quase noivo Jeon Jungkook.

— Bem sou Kim Namjoon, é um prazer conhecer vocês dois, mesmo que tenha sido em circunstâncias tão horríveis.

— Sim, eu faço questão de pagar o prejuízo, só preciso saber o preço de uma bicicleta.

— Não se preocupe com isso, foi um acidente Jimin.

— Faço questão, e não aceito não como resposta.

— Ok, então eu aceito.

— Que bom! Poderia me dar seu número.

— Claro.

Namjoon pegou seu celular e o Jimin o seu, então trocaram os números, enquanto faziam isso Jungkook só conseguia pensar no que Namjoon estaria fazendo na Kim Company, até então ele era apenas um jornalista e não um empregado de uma empresa como a do Jin.

— Desculpa, a pergunta Namjoon, mas o que o senhor está fazendo aqui?

— Jungkook! Isso é coisa que se pergunta?

— Está tudo bem, quem sabe os dois poderiam me ajudar a encontrar a sala que eu preciso! Eu sou jornalista da revista Park, e fui designado para acompanhar o senhor Kim Seokjin por 30 dias, para aquela edição especial que sai todos os anos!

— O Seokjin?

Tanto Jimin, quanto Jungkook gritaram o nome do homem, que até pouco tempo estava brigando com o Namjoon.

— Vocês o conhecem? Eu nunca vi ele.

— O Seokjin foi um ator de sucesso, como você não conhece ele?

— Não sou fã de filmes da atualidade, e não sou muito fã de fofoca.

— Entendo, então você deve ser o jornalista que vai entrevistar o Jin. Eu não devia ter dado a ideia dessa entrevista, agora eu vou ser demitido!

— Querido, não se preocupe! Jimin, você pode trabalhar comigo!

— Meu pai vai me matar, Jungkook.

— Está acontecendo algo?

— Nada Namjoon, bem, vou te levar até a sala do Seokjin.

— Obrigado Jimin.

— Jungkook, você pode ir para a minha sala?

— Certo amor.

Jimin pegou suas coisas, assim como Jungkook. Namjoon guardou sua bicicleta, e assim seguiu Jimin até a sala do Seokjin. Ao chegar à sala Jimin entrou primeiro.

— Jin, o jornalista que vai te acompanhar por 30 dias está aqui fora esperando você deixar entrar.

— Então deixe ele entrar. Mas eu preciso conversar com você, até o final do dia!

— Certo.

Jimin chamou Namjoon, e saiu para sua sala. Namjoon entrou, ficando sozinha com o Kim.

— Bom dia senhor, você deve ser o secretário do senhor Kim Seokjin, ele não deve ter chegado.

— Sou Kim Seokjin.

Quando o Jin se virou, e deu de cara com o Namjoon, logo o homem mais velho deu um sorriso para o jovem à sua frente.

— O que faz aqui?

— Bem, eu sou o jornalista que vai te acompanhar.

— Trinta dias com você? Com o homem que destruiu o meu carro?

— Minha bicicleta foi danificada, e eu não estou chorando por isso.

— Se alguém arranhasse o seu carro, qual seria sua reação?

— Eu não tenho carro, então não posso responder sua pergunta.

— A revista Park não paga tão bem assim?

— Eles me pagam o que é justo, dá para eu viver muito bem, mas para falar a verdade, eu não tenho carteira de motorista, fico nervoso quando estou dirigindo, então acabei reprovando nos meus testes, espero que isso não seja um problema.

Jin apenas sorriu, o homem mais jovem parecia ser alguém interessante, talvez ele conseguisse o fazer desistir, até que ele ouviu a voz do jovem à sua frente.

— Para falar a verdade novamente, era para eu ser demitido segunda passada, se eu fracassar nessa entrevista, talvez eu esteja de fato. Espero que nós dois possamos trabalhar juntos, eu nem me apresentei, me chamo Kim Namjoon, temos sobrenome em comum.

Namjoon terminou de falar dando um lindo sorriso, mostrando sua covinha na bochecha. Seokjin achou aquele sorriso fofo, mas por algum motivo, adoraria provoca aquele homem, que entrara em sua vida de forma tão irritante.

Então ele teve uma ideia, se aproximou de Namjoon, e puxando o jovem rapaz pela cintura lhe deu um beijo nos lábios, após o ato Seokjin disse, ainda segurando a cintura do homem.

— Bem-vindo a Kim company! Namjoon nós vamos nos divertir muito nesses 30 dias

Namjoon estava bastante corado, suas bochechas tinham ficado vermelhas por conta das mãos do homem mais velho, e pelo beijo que acabara de receber. Por estar com vergonha acabou colocando suas mãos no rosto.

Se arrependimentos matasse, Namjoon já estaria morto, ele teria que aguentar a companhia do Kim, que era totalmente diferente do que ele pensou, por trinta dias, e esses dias seriam um grande desafio, mas ele não iria desistir.

1 de Agosto de 2021 às 23:40 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Um demônio chamado Seokjin

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 5 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!