Conto
0
461 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Socorro! Gatos subindo no meu carro!

A gente faz um baita sacrifício... compra, vende, financia, paga seguro e impostos mil, recebe multa, se preocupa com estacionamento, com produtos de limpeza, se perde em contas.

Pelo menos recebe em troca a liberdade de ir e vir, sem depender de terceiros, ou das péssimas condições do transporte urbano e rodoviário.

Se bem que, nos dias atuais, temos que andar com os vidros fechados, evitar locais inseguros e nos prepararmos para longas horas de engarrafamento. Isto posto, sem falar no preço do combustível, ou do IPVA. Será que temos mesmo liberdade?

O Uber e similares que o respondam...

Mas não importa, já que o foco deste manuscrito é outro.

Sei que vou suscitar palavras de protesto, mas preciso desabafar:


SOCORRO! GATOS SUBINDO NO MEU CARRO!


Longe de mim maltratar os ditos felídeos, mas preciso de socorro. Os indesejados gatunos são de propriedade de vizinhos ou... andarilhos noturnos sem rumo. Se os bichanos fossem meus, pelo menos eu teria optado por essa situação, mas não fiz por onde.

Não tenho gato...

Já tentei de tudo: esfregar o piso da garagem com Pinho Sol, grãos de café, pimenta-do-reino, Gleid automático de baunilha e lavanda, luz acesa, reza brava. Tenho cachorro, mas o mesmo não pode ser solto à frente da casa à noite, na garagem, sob pena de assustar algum transeunte na calçada. Nada funciona.

Gosto de cães, mas não consigo nutrir empatia por felinos: os considero até meio autistas. Satisfazem apenas suas necessidades. São máquinas de matar (obviamente não o fazem por mal, como muitos humanos, mas apenas por instinto).

Não podem ser considerados de posse dos donos. Penso até o contrário, já que se utilizam de seus iludidos "proprietários". Sem contar a alergia motivada pelos pelos e saliva desses furtivos animais, que tem por hábito invadir o colchão do próximo.

O que resta então é me deparar todas as manhãs com os rastros de patas, pelos e urina, por sobre o meu pobre veículo. Sem falar nos pequenos arranhões. Quem gosta de gatos que me perdoe, mas preciso de compreensão e não apenas críticas:


SOCORRO! GATOS FOLGADOS SUBINDO NO MEU CARRO!


Se alguém que padece do mesmo pequeno grande infortúnio, solidariamente quiser se juntar ao coro, ou ainda apenas sugerir algo, agradeço.

Custaria tanto assim que viessem a dormir embaixo do veículo?

26 de Julho de 2021 às 21:45 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Max Rocha Um Fantasma literário ou alguém que apenas gosta de escrever... me interesso por ficção histórica e científica, suspense, misticismo e mistério com um toque de humor. Às vezes enveredo pelo tom crítico e motivacional do cotidiano. Escrevo ouvindo música instrumental relacionada com o tema no Spotify, ao lado da Duda, minha cadela australiana de 5 anos. The Phantom (O Fantasma) foi criado por Lee Falk, em 1936.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~