H
Hugo Apolline


Erick é um garoto de 16 anos, que tem a vida controlada por seus pais, John e Lídia hastings que são remunerados advogados que zelam para manter a aparência de suas vidas perfeitas, massa volta do seu irmão mais velho trará nossas revelações sobre essa família.


LGBT+ Todo o público.

#gay #Romance # #boybox
0
579 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Quintas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Segredos

Triiiiiiiiii...Abro meus olhos devagar, a claridade que vem das janelas abertas irritam eles — Minha mãe insiste em abrir as cortinas enquanto ainda estou dormindo, o que é irritante. Puxo o cobertor para o lado, deixando amostra minha samba canção do Batman. Recosto minha cabeça mais fundo no travesseiro deixando o silêncio vagar pela minha mente, meus olhos pesam e quando estão prestes a fechar sou acordado duas batidas fortes na porta.


— Erick? Está acordado? — Grita minha mãe — Erick?


— Estou, mãe — Digo, irritado.


Sentado na beira da cama, penso o quanto anseio em ir para a faculdade, viver na monarquia Hastings é cansativo. Levanto, caminho descalço sob o chão gelado, pego a toalha no gancho ao lado da porta, entro no banheiro, e praguejo mentalmente quando o vejo pelado agindo naturalmente. Dividir banheiro com meu irmão é... Sempre foi um problema.


— Eu preciso tomar banho — Digo, olhando fixamente em seus olhos. Como ele consegue estar tão de boa com isso? Não que eu seja atraído sexualmente por ele, eca! É só que, quando você tem dezesseis anos e se descobre gay, fica difícil não olhar pra qualquer um.


— Já estou acabando — Diz ele


Decido não me importar com sua nudez incoveniente, penduro minha toalha e caminho devagar até a pia; é muito confortável escovar os dentes sendo observado. Depois do banho. Tenho que correr para nao me atrasar, meus pais não toleram atrasados, principalmente minha mãe; para ela não chegar na hora é como cometer um crime de estado. Volto para o quarto, suspiro irritado encarando o uniforme ridículo da minha escola. Amarelo e vermelho? Sério?


Desço e vou direto para sala de jantar, apresento a vocês os Hastings, meu pai como de costume está com seus olhos fixos no celular, lendo e enviando e-mails; do outro lado da mesa minha mãe faz o mesmo, é impressionante como eles estão sempre trabalhando. Vasculho em minha mente a última vez em que almoçamos juntos com troca de olhares, essa é basicamente minha vida. Tomo meu café bem rápido, volto ao meu quarto e pego minhas coisas. Descendo as escadas sinto meu celular vibra. Simon spier, meu vizinho e melhor amigo, basicamente.


De: Simon ( spier!!!!) Primeiro diaaaaa, estou aqui!! (Hoje às 07:23h)


Desço de pressa, e antes de passar pelas portas sou abordado por meu pai "não se esqueça do jantar" foi o que ele disse pagando sua maleta.


— Bom dia, docinho — Disse ele, quando bati a porta do carro


— Bom dia — Reviro os olhos, ele sempre me chama assim quando está feliz — Por que está tão feliz?


— Como sabe? — Perguntou, virando a chave e ligando o carro.


— Sei o que? — Olho para ele curioso


— Convidei Emma marrie para ir ao baile comigo — Diz ele, um sorriso bobo estampa seu rosto


— E ela aceitou?


Ele balançou a cabeça sorrindo. Foi um longo caminho em silêncio, apenas o ouvindo falar o quanto a emma é bonita, inteligente e que seu cabelo cheira a baunilha. Ouço tudo com atenção, feliz por ele. Há tempos não o vejo tão animado com alguém; desde que nasceram pelos em sua cara Simon teve os piores relacionamentosque sempre acabaram com ele sendo traído ou ele traiu, não vou negar que ele é um cafajeste.


Ele para o carro em frente a escola, desço e caminho devagar indo em direção a entrada principal, nas escadas tenho o desprazer de ter que passar por time de futebol, e entre eles estão caleb. Nossos olhos se cruzam, então abaixo a cabeça e subo os degraus


O corredor está cheio como de costume. Relaxo os ombro e caminho até meu armário, dois armário ao lado reparo em um garoto — Acho que é um novato — Ele parece brigar com a tranca tentando abrir a porta de metal vermelha. Socializar não é muito minha praia mas sinto um pontada de empatia, pois só quem estuda aqui a anos sabe que esse armários podem ser difíceis.


— Tem que empurrar e puxar — Chego de surpresa colocando as mãos no armário. Ele suspira assutado — Desculpa — Engulo em seco, me afastando.


— De boa — Diz ele, tirando o casaco e guardando — Obrigado.


O sinal toca, impedindo qualquer interação a mais. Sorrio para ele, tomando o caminho oposto. Entrei na sala onde o sr Decker já estava, aceno para ele e vou para meu lugar. Enquanto a sala ia se enchendo, reviso algumas da minha anotação da férias. Distraído, não percebo quando Simon senta ao meu lado; ele é minha dupla.


— Onde estava? — Sussuro para ele


— Com a Emma — Diz ele, surrando com um sorriso sacana.


— Sr. Hastings e Sr. Spier! — Diz Sr. Deck, nós fazendo ergue os olhos para ele — Querem compartilhar com a turma? — Todos nos olharam


— Desculpa — Dissem em conjunto


Trocamos alguns bilhetes durante as aulas, é o que sempre fazemos quando nãos conseguimos esperar até o almoço. Simon me contou uma coisa que me deixou intrigado; acho que meu amigo está apaixonado...


Ao fim da aula, recebemos duas advertência, me seguro para não revirar os olhos — Até parece que somos crianças. Simon e eu fomos os últimos a sair da sala. Caminho devagar até meu armário, tenho longos dez minutos até a próxima aula, esse é o meu momento, onde pego meu livro e vou para minha aula favorita; literatura Não por gostar da matéria mas sim por causa do professor, o Sr fitzs. O cara é um gato, com seus cabelos loiros cortados socialmente, e seus músculos escondidos no suéter azul.


Sou o primeiro a entrar. Sento em meu lugar com o livro da semana sob a mesa, fico olhando por cima dele, é uma tática que aprendi para observar ele sem ser pego, por sorte nunca ele nunca prestou atenção nisso.


— Oi, estranho do corredor — Diz o garoto de mais cedo. Ergo meus olhos para ele, pisco várias vezes antes de responder:


— Oi — Sorrio para ele


— Que livro está lendo? — Diz ele, sentando a minha frente — Desculpa Danilo — Ele estende a mão


— Erick — Sorrio, apertando sua mao — Se chama: meu esconderijo. É o livro da semana — Digo voltando os olhos para o livro


Foram as únicas palavras que trocamos durante a aula, mas pude reparar em algo — finalmente alguém a minha altura — penso, quando o vejo me corta em todas as perguntas, e reparando bem, ele até que bonito.... E seus olhos também.


*****


— Vai fazer o que hoje a noite? — Pergunta Simon, sentando ao meus lado no refeitório.


— Tem um jantar no club hoje — Digo, mordendo uma batata frita.


— Hum — Ele morde os lábios.


— Por que? — Estreito os olhos para ele


— Nada, é só que, sabe, meus pais não param de brigar — Diz ele — Sei lá — Ela desvia os olhos para o outro lado de refeitório.


Há um ano sua mãe descobriu que era traída, e ela "perdôo", mas as brigas nunca pararam. Tem períodos em que eles estão bem, mas em outros, brigam todos os dias, e desde de que seu irmão foi para a faculdade, o seu refúgio é a minha casa.


— Vou dar um jeito de não ir — Toco seu ombro e ele ergue sua cabeça.


— Valeu — ele sorri


****


Entro em casa e vou direto para meu quarto. Me livro das minhas roupas ficando apenas de cueca, fecho as cortinas, caminho até meu guarda roupa e pego um bermuda. Deitado em minha cama, Vasculho o Instagram, passo quase uma hora rolando no feed, até batidas na porta me trazerem de volta para o mundo real


— Entra! — Desligo a tela do meu celular, e o enfio embaixo do travesseiro


— A mamãe tá chamando — Diz caleb — almoço mané!


Expiro


— Estou indo — Digo, me arrasto por cima da cama até meus pés tocarem o chão.


Os almoços são resumidos em: minha mãe fazendo ligações, Caleb com seus fones, e eu nunca comendo tudo e saindo da mesa sem ninguém que ninguém perceba, mas hoje foi diferente, minha mãe não estava com seu celular, é meu irmão sem os fones.


— Tenho uma ótima notícia! — Diz minha mãe, calorosa.


— Quem morreu? — Digo, usando meu humor ácido.


— Você, se não calar a boca — Caleb me passa um olhar mortal


— O Justin está voltando! — Diz ela, sem se importar com a troca de farpas


Justin é meu irmão mais velho, e também o mais problemático. No ano passado ele foi pego com drogas. E para os Hastings manter a aparência é essencial, por isso ele foi mamando para terminar a faculdade em país.


— E quando ele chega? — Perguntou caleb, ríspido.


— Sábado — Foi o que ela disse, antes de atender o telefone


Durante o almoço fiquei observando Caleb. Eu não entendo porque ele ficou tão surpreso, sabíamos que ele voltaria.


****


Sou despeço dos meus pensamentos quando Simon entra no meu quarto se jogando em cima de mim — ele fez isso toda vez que me ver deitado em algum lugar.


— Quando vai para de ser tão infantil? — Pergunto, empurrando ele para o lado.


— Quando você parar de ser chato — Diz ele — Como conseguiu se livrar do jantar?


— Meu pai cancelou — Digo, sem tirar os olhos do meu iPad.


— Sorte minha.


— Como estão as coisas na sua cala? — Travo a tela do meu iPad e me viro para ele


— Do mesmo jeito — diz ele, em um suspiro.


Me limito a pouca perguntas, Simon odeia qualquer tipo de interrogatório.


— Está com fome? — Pergunto, ele balança a cabeço. Calço meus chinelos e saio do quarto. Preste as descer as escadas ouço vozes vindas do quarto dos meus pais. Na ponta dos pés vou até matade do corredor.


— Ele é seu filho! — Esbravejou Ela


— Eu sei, mas acho que não é hora dele voltar? — Diz meu pai, sua voz se mantém calma.


— Mas se ele não voltar, será pior — Diz ela, chorando — Vamos dar uma chance.


— Está sob sua responsabilidade Lídia.


Ouvi ele destrancar a porta, e em um movimento brusco entrei no quarto de caleb.


— O que?


— Shiiiii — Encosto a porta com cuidado.


— O que aconteceu? — Perguntou sussurrando. Ele largou seu notebook de lado e vaio até mim, colocando seu ouvido na porta.


— Mas se ele causar mais algum problema, eu mando ele pra Marte — Ouvimos os passos duros do meu pai, no piso de madeira.


Caleb voltou para sua cama.


— O que ele quis dizer? — Caminho atrás dele.


— Não sei, mas é melhor ficar fora disso — Diz ele, colocando seus fones.


Desisto de ir a cozinha. Volto para meu quarto e encontro Simon distraído assistindo sei lá o que. Passo por trás dele e me jogo na cama colocando meus fones. Não consigo parar de pensar na conversa dos meus pais; tem mais coisas do que sabemos


— Chega pra lá — Diz Simon, se enfiando ao meu lado na cama — O quea aconteceu? — Tiro meus fones e me viro para ele


— O Justin está voltando — Digo — Mas não é só isso, tem algo que meus pais não estão contando


— Seja o que for, seu que vai descobrir — Diz ele, bocejando. Simon nunca soube dar conselhos, mas ele é muito bom em me apoiar.


Justin e eu numa fomos próximos, mas celeb e ele sempre foram melhores amigos. Não entendo o por que ele fez a quela cara quando minha mãe anunciou a sua volta. Meus pensamentos vagam pela minha cabeça até eu estar dormindo.



23 de Julho de 2021 às 15:38 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Continua… Novo capítulo Todas as Quintas-feiras.

Conheça o autor

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~