marianatalia_messiascamargos Maria Natália Messias Camargos

Abri lentamente meus olhos, minha cabeça dói, não sei onde estou ou como vim parar aqui, tento me mover, descubro que estou amarrada, o som de correntes comprova. - Good night little witch (boa noite pequena bruxinha), pensei que não iria acordar – O som de uma voz feminina conhecida me faz levantar minha cabeça. - Destiny? Mas o que? – Digo olhando a garota sentada em uma poltrona vermelha, segurando um copo de Whisky em uma mão, enquanto a outra se encontrava sob o joelho de suas pernas cruzadas. - Você anda me sendo uma bela dor de cabeça bruxinha encrenqueira – Destiny diz antes de virar seu copo de Whisky em apenas um gole, logo o completando novamente. - Pensei que você gostava de encrencas sanguessugas – Respondo com uma sobrancelha arqueada e um sorriso de canto. Começo a agitar as correntes, causando barulho, sei o ponto fraco de Destiny, descobri há alguns meses atrás, consigo ver seus olhos vermelhos me encarando por entre a penumbra do cômodo pouco iluminado, em fração de segundos, Destiny já está a minha frente, com seu joelho esquerdo entre minhas pernas e suas mãos apoiadas nos braços da cadeira onde estou amarrada, consigo ouvir o ranger da madeira sendo apertada por suas mãos. - Agradeça que não posso te matar, problema ambulante – Destiny diz em um tom sério e rouco, consigo sentir o calor de seu hálito de Whisky em meu rosto. - Não pode ou algo não lhe deixa me matar Destiny? – Pergunto mordendo meu lábio inferior enquanto lanço um olhar sexy para Destiny, as correntes fazem barulho enquanto esfrego minhas pernas no joelho de Destiny. - Nem tente, não vai funcionar bruxinha – Destiny responde se afastando de mim na mesma velocidade em que se aproximou de mim. - Como chegamos a esse ponto vampiro demônio? – Pergunto manhosa, minha intimidade já estava encharcada, implorando por atenção da minha sanguessuga. Destiny apenas ri em uma mistura de ironia, sarcasmo e divertimento por minha situação, Destiny é uma híbrida de vampiro e demonio, assim, sendo estéreo como qualquer outro híbrido, mas...ela não era qualquer híbrido, ela conseguiu prender minha atenção e atiçar meus desejos mais pecaminosos como ninguém nunca conseguiu.


Erótico Para maiores de 18 apenas.

#yuri #vampiros #lgbt #hétero #demônios #bruxas
0
1.6mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo 01

Contos, histórias de terror, Creepypastas, lendas urbanas, também conhecidas por muitos, se não por todos como lendas ou mitos, histórias inventadas pelos mais velhos para assustar crianças e jovens, alguns acreditam e temem esses seres mitológicos, criaturas de outros planos, servos do diabo, já outros, vêem como apenas isso, lendas, mitos irreais, ficções para assustar crianças e divertir os jovens de hoje em dia.


Um aviso passe a acreditar, esses seres vivem entre nós sem que nem os notamos, seu vizinho pode ser um feiticeiro, seu amigo pode ser um lobisomem, seu chefe pode ser um elegante vampiro, nunca se sabe, um fantasma pode viver dentro de sua casa sem ser notado, o gato de rua que você adotou pode ser um demônio disfarçado.


Não acredita? Bom, de nada posso fazer por você a não ser avisá-lo, deixe um crucifixo pendurado em cima de sua porta, reze pela absolvição de seus pecados, cuidado com o estranho que você trás para dentro de sua casa, o mundo como você conhece é uma ilusão nós vemos tudo isso como mero território de caça, onde vocês são meras presas indefesas esperando para serem abatidas, e quanto a nós? Há, somos os caçadores que saem famintos ao entardecer a procura de alguma presa desavisada como você.


Ao anoitecer, desaparecimentos sem vestígios ou rastros, assassinatos sangrentos, onde tudo que resta da pobre vítima desafortunada, é um cadáver com pedaços faltantes, um corpo esvaído de vida, deixado dilacerado sob uma poça de vermelho sangue viscoso, sangue... Hmm, doce néctar vermelho, corrente em suas veias e artérias, fazendo seu coração pulsar. Tum, tum, tum, cada vez mais rápido, ouço o som de seus batimentos, cheiro de sangue fresco, uma presa em potencial.


Olhos vermelhos lhe observam a distância, não ouse olhar para trás, shhhh... Será rápido, você não sentirá nada, fique em silêncio e eu serei paciente, degustei cada gota de seu sangue como se fosse valioso, como se fosse a melhor presa da minha noite, não, não ouse olhar para trás, confie em mim, não quero que morra com dor, não quero ouvir seu último suspiro em um lamento sofrido.


Sente o toque gélido em seus braços? Lábios cadavéricos já esvaídos de vida acariciam seu pescoço, ocasionando em arrepios, último desejo? Estou de bom humor essa noite, vamos, peça qualquer coisa que lhe atenderei, menos sua vida e liberdade, jamais deixo uma presa escapar, você me fortificará, seu sangue vossa raça salvará, sinta-se honrado sacrifício, lhe escolhi para me satisfazer essa noite, mas não como imaginas.


Estou atrás de você, guarde minhas palavras, os portões se abrirão, ora do demo, patriarca dos demônios, pai de meu irmão, mas nada meu, uma híbrida se ergue contra a raça de seu irmão, reencontro a cada 100 anos, chegada da lua de sangue, vampiros saem da escuridão, uivos de lobisomens ouvirão, demônios do inferno se erguerão, estejam preparados, ou não sobreviverão, dê-me vossa vitalidade e com a imortalidade lhe recompensarei.


À frente com os meus, marcharemos perante a uma guerra, sobrenatural e paranormal em equilíbrio com o mundano, mas frágil é esse equilíbrio, por seres egoístas e mal intencionados quebrado, combate traçado, um coração fechado, que achavas ser incapaz de amar, instinto de sobrevivência se torna frágil, amando e protegendo, dando sua vida por quem a irrita, mas não se engane, seu orgulho sempre no topo, sem baixar a cabeça, mulher dominante, homem romântico sedento por prazer, filhos de elegante vampira e demônios opostos, ira e luxúria se encontram em um fio de irmandade rompido com a chegada da lua de sangue.


Uma sobrevivente, descanse minha flor, você precisará de todas as suas forças para o que o futuro reserva, hálito quente acariciando a pele sensível de sua orelha, dor latente em seu pescoço, mão gélida tapando sua boca, pouco a pouco, tudo se escurece, o silêncio lhe ensurdece.


(...)


Seus olhos se abre, o local está escuro, porém, as sombras não lhe incomodam, em grande e luxuosa cama seu corpo repousa, quarto sombrio, porém, agora acolhedor, se levanta com dor latente no pescoço, algo não estava certo, lábios secos, sede incontrolável, desejo de líquido vital.

18 de Julho de 2021 às 02:59 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Capítulo 02

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 4 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!