httsmoon Bunny toy

Era só mais um dia normal de aulas, cheio de desespero, aflição e trabalhos, pelo menos parecia. "Olá, eu sou o novo narrador de vocês. Bem-vindos ao jogo" Foi ai que o estereotipo de dia normal foi quebrado.


Ação Todo o público.
0
392 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 10 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

I

Um dia normal como todos os outros se inicia, o pátio em frente ao prédio principal dos dormitórios está agitado como de costume, o barulho de várias pessoas conversando ao mesmo tempo pode ser ouvido até de dentro do grande prédio de tijolinhos vermelhos. O desânimo e o sono transparecem meu rosto assim como nos outros dias do ano, enquanto saio do prédio escuto duas vozes e rostos conhecidos vindo em minha direção, com sorrisos no rosto e animados - é admirável conseguir ter esse nível de energia às sete da manhã desta segunda-feira - era Pietro, um jovem moreno, com olhos e cabelos negros, alto e exageradamente sociável, ao seu lado vinha Miranda, uma garota com sorriso contagiante, cabelos castanhos e ondulados cortado na altura do pescoço, sua energia era leve e sua presença tão agradável que parecia neutralizar tudo ao redor.

- Mia? Mia! - Pietro me chama elevando o tom de sua voz para me tirar do “transe”.


- Oi! Estou ouvindo - Meu olhar repousa sobre seu rosto que tinha um sorriso irônico.


- Sim você estava ouvindo, vamos logo o prédio das primeiras aulas não é tão perto e acredite suas desculpas não vão funcionar dessa vez.


- Que cara de derrota, foi dormir que horas? - Miranda fala quando me junto a eles.


- Dormir? Isso é para os fracos, fiquei acordada até às quatro fazendo o trabalho do velho e cheguei a conclusão de que não valia a pena dormir esse curto espaço de tempo.


- Trabalho do velho? Que trabalho? Tinha trabalho? Mia você é uma amiga incrível, eu já te disse isso? - Pietro muda o tom da voz de um confuso e desesperado para um calmo.


- Coloco o seu nome, não precisa e toda essa falsidade, o seu também? - Termina a pergunta olhando para Miranda que parecia confusa demais para expressar algo.


- Por favor, eu esqueci, estava estudando para o teste de hoje. - Um suspiro suave deixa Miranda enquanto ela analisa nossas expressões.


- Teste?! - Com o mesmo tom desesperado falei em sincronia com Pietro.


- Não era hoje? - Uma expressão confusa toma totalmente o rosto de Miranda.


Enquanto nos direcionamos para o prédio toda a energia da escadaria parecia mudar ao avistarmos os gêmeos Bianchini, que chamam a atenção por sua pele pálida e seus olhos extremamente azuis, Michelangelo era mais reservado e conversa com pessoas específicas, Mara era amigável, gentil e sempre estava tentando fazer novas amizades.


Singelamente os cumprimentamos antes de voltar a discussão de mais cedo - prova e trabalho no mesmo dia? Eles não pensam no nosso bem?- Algumas pessoas estão paradas em frente ao grande prédio recém construído e ao nos aproximarmos encontramos nosso professor, senhor Anderson - apelidado carinhosamente de O velho ou passa foice - Pietro como o ótimo puxa saco de professores foi lhe cumprimentar enquanto Miranda e eu vamos em direção a sala.


As aulas do período matutino passam voando - e no final o teste nem era pra hoje - no horário do almoço todos se dirigem até o grande refeitório que como de se esperar estava lotado, a maior demanda era onde vendia comida mexicana - hoje era segunda do Taco e ninguém me avisou? - assim como eu fiz nos últimos anos, vou até onde vendia comida italiana e peço macarrão à parmegiana. Encaro meu almoço por alguns segundos antes de ir para a mesa onde estava Miranda e Pietro.


- Você realmente gosta de macarrão à parmegiana? - Pietro fala olhando meu prato enquanto me sento à sua frente.


- Não tanto quando você gosta de comida tailandesa.


Em meio a assuntos aleatórios e importantes, não só de nossas conversas, risadas e passos, o som que sempre fazia quando a diretoria ia dar algum aviso sai dos altos falantes e todos ficam em silêncio, mas uma voz diferente da que sempre vinha em seguida surgiu.


- Olá meus caros, eu sou o novo narrador de vocês, podem me chamar de V, e queria lhes apresentar a nova realidade de vocês. Sejam bem-vindos ao jogo - era como se pudéssemos ver o sorriso por trás daquele alto falante e murmúrios enchem o refeitório.


- Quem é ele? jogos? - Miranda murmura olhando para todos no ambiente.


- Mantenha a calma, esses jogos são para meu próprio entretenimento. Não será na escala Alice in borderland ou Jogos mortais, mas eu garanto será bem divertido, pelo menos para mim. Não tentem comunicar alguém de fora da Universidade, não vai funcionar e isso só trará problemas.


A fala da pessoa é cortada quando um homem que estava perto da janela se levanta exaltado dizendo que aquilo era apenas uma brincadeira e chamaria a polícia para tirar esse lunático da estrutura.

Uma risada baixa e psicótica ecoa através dos alto falantes quando o celular do homem explode quando ele coloca perto da orelha e o pânico se espalha.


- É uma pena, mas eu avisei. Como eu ia dizendo, é inútil buscar ajuda, os jogos não tem dia nem horário para acontecer, respeitem as regras, façam disso algo interessante e sobrevivam. Bem-vindos ao jogo.


Algumas pessoas choravam, outras tinham o desespero estampado em seus rosto e outra parte parecia travada, não entendendo o que tinha acabado de acontecer, uma dessas pessoas era eu.


Pietro transparecia sua raiva e abominação na fala e Miranda estava desesperada, logo seguranças entram no refeitório e afastam todos do corpo estirado no chão. Agora a verdadeira direção pede que todos se acalmem e que eles estariam resolvendo isso, mas deveríamos ir para os dormitórios, teríamos o horário da tarde livre.


Mas a pergunta que não queria calar era, o que é esse jogo?

28 de Julho de 2021 às 15:40 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo II

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!