tialanna Lanna Silva

Quando um relacionamento acaba e uma terceira pessoinha está envolvida, se deve ter total confiança no próximo parceiro a ser colocado dentro de casa, ou as coisas podem ficar bem feias. 》》》》》》》• ~> Oneshot jikook inspirado no asmr do canal da tia mimin, todos os créditos a ela por me dar inspiração para fazer essa oneshot. ~>contém Mpreg, ou seja, homem grávido. ~>Jm botoom e Jk Top


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#Mpreg #Jikook
0
394 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Não Machuque Minha Filha


》▪Avisos▪《


▪Oneshot onde Jimin aparece grávido, ou seja, Mpreg, não sei muito sobre isso e pesquisei bastante para poder abordar o assunto.


▪ Inventei uma teoria meio doida para justificar o útero do Jimin, saiu totalmente no improviso, quando vi tava escrito e não vou mentir, achei a teoria meio doida mas bem plausível, não me julguem por favor kkkkk.


▪ Como disse na descrição, essa oneshot foi possível porque, assisti um asmr no canal da tia mimin, se ofender alguém eu estar fazendo essa oneshot, peço perdão, eu sou muito ilusionista, minha mente é muito fictícia e não consegui controlar a vontade de escrever, não terá coisas parecidas com o asmr.


Total créditos ao canal da tia mimin, afinal, a ideia inicial foi dela, se ela ler essa oneshot, saiba que amo seus asmrs meu bem, e se você não gostou do meu ponta inicial, entre em contato comigo, não quero roubar a ideia de ninguém 😊


▪ Jimin tem 19 anos e Jungkook tem 18 no início da fic, Jk será ativo e Jimin passivo.


É isso, para aqueles que iram ler, espero que gostem 😘


》》♡《《


Jimin e Jungkook se conheceram quando estavam no ensino médio, mais especificamente, Jimin no terceiro ano e Jungkook no segundo, Jeon sempre deixou bem claro o seu gostar pelo moreno, apesar de ser mais novo que ele, Jimin sempre achou fofo o modo de Jeon o tratar, cheio de carinho, atenção, via um certo amor quando o loiro ia até sua sala ao fim da aula e lhe dava um beijo na bochecha depois iam para casa e passavam a tarde toda vendo filmes, comendo bobagens ou até fazendo seus deveres.


Jimin então, resolveu dar uma chance ao mais novo, não que aquele já não era o desejo dele mas, esperou Jeon dar o primeiro passo, o primeiro beijo para poder por para fora aquela paixão que ficou guardada no peito por bastante tempo.


O período da faculdade chegou para Jimin e foi meio difícil para o mais novo casal se encontrar e ficar de namorico no sofá da sala, pois, Jimin se mudou para um apartamento perto de sua faculdade e Jeon não podia ir muito em sua casa, nunca deixaram de se falar, sempre davam um jeito de passar o final de semana juntos e foi em um desses finais de semana que rolou a primeira vez dos dois, foi perfeito para eles, carinhoso e cheio de amor.


Depois de Jeon se formar e passar a frequentar a mesma faculdade que seu hyung, passaram a morar juntos e sempre viveram bem, apesar das poucas discussões e briguinha bobas de ciumes, os dois sempre souberam resolver suas diferenças bem, sentando para conversar e tudo mais.


E foi em uma dessas brigas que Jimin passou mal, já estavam namorando a três anos e aquele sábado foi a primeira briga onde Jungkook elevou o tom de voz fazendo Jimin se encolher e desmaiar.


- Jimin, esse cara quer separar nos dois. - Jungkook disse quando entraram em seu apartamento e Jimin foi direto para a cozinha.


- Jun, querer não é poder, isso só vai acontecer se eu der bola para as investidas dele, você me vê caindo na lábia dele ou sorrindo como se gostasse do que ele fala pra mim? - Jimin parou perto do balcão apoiando a mão no mármore frio, sentindo uma leve tontura.


- Se quiser terminar comigo pra ficar com ele, me diz mas, não me trai, isso não vou tolerar. - Jungkook elevou a voz fazendo Jimin se encolher e fechar os olhos.


- Jun, pare de gritar comigo, sabe que odeio brigas e confusões amor, não fiz nada. - Jimin dizia enquanto tentava ao máximo se apoiar no balcão, mas suas forças o deixaram e acabou caindo no chão, desacordado e completamente pálido.


- Ji, amor.... - Jeongguk correu até ele preocupado e já se culpando, sabia que o moreno nunca gostou de brigas, confusões e elevações de vozes que indicasse uma possível briga. - Amor, amor acorda, desculpa. - As lágrimas já estava rolando por suas bochechas, desesperado querendo saber o que seu amado tinha, o carregou e o levou até a cama de casal bem arrumada, ligou para a ambulância e depois para sua mãe.


Rapidamente os paramédicos chegaram e examinaram Jimin ali mesmo, confirmaram que não era nada demais, somente mal estar e estresse, saíram da casa do casal pedindo repouso ao moreno que, em seguida, teve que ouvir os milésimos pedidos de desculpas do loiro, Sra Jeon fez uma sopa para ambos e depois de ver que eles já estavam bem, foi para casa, deixando o casal se mimando.


Duas semanas depois, Jimin estava vomitando muito e com muita tontura, estava muito pálido e mais magro, o que deixou o mais novo preocupado, faltava só uma semana para a formatura do mais velho e ele estava faltando muito por não estar bem, então resolveu levar Jimin ao hospital, não aguentava mais ver seu hyung comer e segundos depois colocar tudo pra fora.


- Sr Jeon e Sr Park, a notícia que venho dar a vocês agora é estranha, maluca e impossível aos olhos da ciência e de qualquer um. - Disse o Dr depois de examinar o Park que estava deitado na cama com um aceso em seu braço onde passava o soro.


- É algo muito grave? - Perguntou Jungkook sentindo o aperto em sua mão, não conseguia largar a mão do seu amado.


- Não é tão grave, diria que de risco, pois somente um homem já passou por isso, foi difícil com algumas anomalias e com toda certeza um parto completamente difícil mas, ele está bem.


- P-parto? - Jimin já estava quase desmaiando de novo. - C-Como assim?! - Sua voz falhava, suas mãos suavam assim como tremiam na de Jeon que o olhou incrédulo.


- Bom, você está grávido Sr Park, de dois meses. - Jimin surtou, começou a negar viamente com a cabeça, chorando dizendo repetidas vezes que não podia ser verdade.


- Eu sou homem Dr, i-isso não é possível, que loucura mais irá me dizer? - Quase grita, seu coração acelerado, desesperado, surtando, querendo tirar o aceso do braço e sair correndo daquela sala e daquele hospital!


- Acalmesse, escute. - Jeon estava estático na poltrona ao lado da cama. - Gostaria que mantevese a calma e me escutasse, sei que é um choque saber que está grávido e parece impossível mas, não é, já cuidamos de um caso assim antes, um rapaz bem mais jovem do que você chegou aqui com os mesmo sintomas e quando fizemos os exames, vimos que ele estava grávido de quase 4 meses. - Jimin sorriu irônico em meio às lágrimas.


- Pelo amor de Deus, que história absurda, eu não posso engravidar, não posso estar grávido, vamos parar com esse negócio, eu já estou com medo, sinto que posso morrer a qualquer momento de susto. - Jimin não conseguia parar de chorar, não podia ser verdade, isso não podia acontecer.


- Amor, calma, deve ter uma explicação coerente para isso. - Jimin colocou as mãos no rosto e continuou a chorar.


- E tem Sr Jeon, você é o pai? - Dr se aproximou com uns papéis e uma prancheta em mãos.


- Que pai coisa nenhuma, não posso, eu não ESTOU GRAVIDO. - Jimin gritou, claramente perdendo a razão, aquilo não podia estar acontecendo.


- Jimin, procure ficar calmo, você pode entrar em colapso e passar mal. - Disse um enfermeiro que tomava de conta dele. - Jimin suspirou inconformado, queria sair dali, correr, se esconder, achava que estava sonhando e faria de tudo para acordar.


- Eu não quero ficar calmo, quero que pare com essa palhaçada e quero ir para casa, agora Ggu, por favor. - Implorava para seu namorado o tirar dali, Jeon não sabia o que fazer, também não estava acreditando no que ouvia, mas queria uma explicação para tal coisa.


- Amor, escuta. - Segurou o rostinho molhada e vermelho de tanto chorar de seu amado e o encarou. - Vamos escutar o que o médico tem a dizer, nos precisamos saber como isso é possível, você está mal a semanas, vomitando e emagreceu muito, temos que saber o que é para cuidar de você. - Jimin suspirou fechando os olhos.


- Eu quero ir para casa Ggu, quero acordar, estou sonhando. - Disse já mais calmo, mas seu coração angustiado batia cada vez mais rápido em desespero.


- A única coisa que podemos fazer agora é manter a calma e descobrir o que podemos fazer para irmos para casa, sei que está sendo difícil, que parece realmente um sonho mas, não podemos ficar tão desesperados assim amor. - Jeon disse encostando as suas testas e ouvindo o suspiro alto do moreno.


- Bom, Jimin nasceu com um útero, pelos exames ele já está lá e não foi colocado, já vi casais homossexuais fazerem cirurgias para poderem engravidar, a maioria dos casos não deu certo mas, 10% deles deu, mas não conseguiam engravidar, apesar da cirurgia ter sido um sucesso, a inseminação não acontecia, nem em atos sexuais e nem injetando o esperma no óvulo do homem, mas você Jimin, nasceu com um útero, foi gerado em você enquanto crescia na barriga de sua mãe. - O Dr tentou explicar, Jimin negava com a cabeça ainda chorando.


- Não pode ser, eu não tenho um útero. - Jimin disse agarrando a camisa de Jeongguk e afundando o rosto no peitoral dele.


- Isso parece loucura Dr. - Jeon disse enquanto acalentada seu hyung.


- Sim, eu sei que parece loucura, história de mal gosto mas, não estamos brincando, nunca brincariamos com algo assim, estamos muito preocupados com a saúde do seu namorado, ele está de dois meses, o bebê parece bem e cresce cada dia, mas precisamos começar a fazer os exames e o pré natal para saber como o bebê está realmente.


- Não, não e não, eu não estou grávido, isso é ridículo. - Jimin negava, não podia aceitar tudo aquilo.


- Se você escutar o coração do bebê batendo, vai acreditar que não é brincadeira? - Perguntou o enfermeiro, Jimin não respondeu de início, então balançou a cabeça devagar depois de um tempinho. - Vou buscar o Doppler Angel Sounds, já volto.


- Não vai ouvir nada, não tem nada aqui. - Pôs a mão em sua barriga e encarou Jeon chorando, seu semblante assustado era visível.


- E se tiver amor? Se você realmente tiver um útero e dentro dele tiver um bebê nosso? Meu e seu? - Jimin então o encarou pensativo, pela primeira vez ponderando em realmente estar grávido.


- Eu seria uma aberração Ggu, um homem grávido, o que é isso? Não pode ser. - Jimin ainda negava, não conseguia acreditar em tal coisa.


- Se tiver amor? Se tiver um bebê aí? O que vai fazer? Negar até o dia que não puder mais? - Jeon o questionava, não estava confortável com tal notícia mas, queria o bem estar do seu amado, o que ele decidisse, ele acataria, ficaria do lado de seu hyung baixinho e amado.


- Não pode ter amor, não pode, é impossível eu ter nascido com um útero, é impossível seu esperma ter entrado nele e seria ainda mais impossível um parto, isso tudo é loucura. - Jimin dizia tudo abraçado a seu loiro que afagava suas costas.


- Na verdade, quando um homem nasce com um útero, tem uma passagem pequena para o esperma entrar no útero, fazer toda sua viajem por dois dias até o ovário e fecundar, já o parto, não seria natural, seria Cesário, é impossível um bebê nascer de parto normal em um homem, não tem passagem, por isso é feito a Cesária. - O Dr explicou.


- Cesária e seguro para o Jimin? - Perguntou Jeon, visivelmente preocupado.


- Jeongguk. - Repreendeu Jimin olhando para o namorado completamente assustado.


- Temos que saber amor, temos que tomar providências e precauções, eu só quero sua saúde, e se esse aparelho preencher essa sala com algum barulhinho que pareça com um batimento cardíaco, teremos que ter todo cuidado do mundo com você. - Jeon tentava passar calma e segurança a Jimin, mas ele mesmo estava quase entrando em colapso.


- Bom, deitesse e levante a camisa, vamos escutar esse pequeno coração batendo. - O enfermeiro sorriu pequeno, com medo da reação do moreno.


Jimin fez o que lhe foi pedido, Jeon o ajudou a deitar e levantou a camisa dele até abaixo do peitoral e Jimin procurou a mão de Jeon rapidamente, apertando com força, assim como os olhos foram fechados com muita força quando o gel gelado caiu em sua barriga definida e dividida.


Assim que o aparelho começou a deslizar na barriga do moreno, o som de algo preencheu o quarto, rápido como as batidas de um coração de passarinho, o Dr disse meio receoso que esse barulho, é o coração do bebê.


Jimin não conseguia mais ouvir aquilo, tirou com brutalidade a mão do enfermeiro de sua barriga e agarrou a cintura de Jeon com força, afundando seu rosto na camisa dele e chorando dolorosamente, Jeon estava estático, surpreso, hipnotizado na barriga de seu hyung, ambos não conseguiam acreditar que algo assim estava acontecendo.


A Sra Park adentrou o quarto acompanhada de uma enfermeira que encarou Jimin preocupada, sabia que a situação do rapaz era delicada. Sra Park correu até o filho visivelmente preocupada e já chorando por ver seu filho chorar daquele jeito tão dolorido, perguntou o que estava acontecendo e o Dr explicou em detalhes, acabaram descobrindo que Jimin só tinha um útero por que ela mesma tinha dois quando engravidou dele, acabou que o segundo útero dela se apossou do pequenino corpo de Jimin quando ele ainda era um pequeno feto, segundo ela, nos primeiros meses de vida dele, foi difícil, foi em muitas consultas, muitos remédios e até planejou uma cirurgia para a retirada do útero de Jimin, mas havia se alojado ali e incrivelmente, estava interligado em seu sistema, seria uma cirurgia arriscada para um bebê, então deixou até que o moreno chegasse a uma idade que ele poderia entender e resolver o que fazer, ela só esqueceu de o comunicar sobre aquilo, segundo ela, era uma conversa difícil de ser iniciada.


Com Jimin ainda em seu colo chorando horrores, ela explicava tudo a ele e ao médico e enfermeiros que ali estavam, Jungkook estava abismado, chocado, com medo, triste por ver seu amor tão triste e choroso, queria poder o abraçar e dizer que tudo ficaria bem mas, sabia que teria que esperar o mais velho se acalmar para ter uma conversa com ele.


- Não quero, não quero mais isso, tira por favor, tira isso de mim?! - Jimin quase grita, assustado, o rosto coberto por lágrimas e completamente vermelho, todos olharam para ele assustados.


- V-voce quer tirar nosso bebê? Não vai ter? - Jeon que estava um pouco afastado da cama, se aproximou devagar deixando uma lágrima escorrer por sua bochecha, Jimin rapidamente o encarou parando o choro, parecia pensar em algo.


- Não quero esse útero Ggu! - Disse, a voz quase sumindo de tão rouca pelo choro.


- Mas, tem uma vida dentro dele, se não quer o útero, significa que está pensando em tirar o bebê com útero e tudo?! - Jimin ficou em silêncio, apoiou a cabeça novamente no colo da sua mãe. - Tudo bem, faça como bem entender. - Sorriu triste passando a mão nos cabelos do moreno e saiu do quarto assim como saiu do hospital quase correndo, indo encontrar sua mãe e se acalentar nos braços dela, não ia aguentar ver Jimin tirar seu filho, entendia o desespero do moreno, claro que entendia, mas sempre comentou com Jimin sobre adotarem um casal de recém nascidos e registrar eles com seus nomes, e ver que Jimin estava gerando dentro de si um filho seu, do sangue dos dois o deixou eufórico e com medo ao mesmo tempo, medo por Jimin e mais medo ainda por aquela possibilidade estar rondando a cabeça do moreno.


Jeon chorou nos braços de sua mãe enquanto explicava o que estava acontecendo, deixando sua progenitora perplexa, nunca imaginou que seu genro estaria grávido e pensando na possibilidade de tirar, queria fazer alguma coisa, queria poder proteger aquele casal de todo mal do mundo, mas a única coisa que podia fazer no momento era acalentar seu filho e tentar o confortar o máximo que podia, depois visitará Jimin.


No hospital, Jimin foi dopado para poder dormir e descansar a mente e o corpo um pouco, os médicos já estavam preocupados com ele chorando demais, poderia passar mal e acabar desmaiando.


E enquanto Jimin chorava, lembrava da forma como dizia que queria tirar o útero, dando a entender que queria tirar o bebê também, na verdade, nem ele sabia se queria aquele bebê ou não, estava com medo da sociedade julgadora e tacadora de pedras, apontadoras de dedos em seus rostos, sabia que as pessoas o olharia com nojo, o chamaria de aberração, não queria isso, não queria mesmo ser julgado e ser chamado de coisas horríveis, e não queria ver seu bebê sofrendo com o preconceito do mundo.


Ao amanhecer, Sra Jeon estava segurando a mão de Jimin enquanto escutava o que ele dizia sobre tudo o que estava acontecendo, desde seus medos até os medos que ele tinha para com o bebê e seu futuro, ao fim de escutar tudo, passou a mão nos fios de cabelo do moreno e sorriu pequeno para ele.


- Minnie, faça o que você achar melhor, Jeongguk vai ficar do seu lado em qualquer decisão que você tomar, ele só precisou de um tempo para absorver tudo que está acontecendo, é tudo novo para vocês dois, ninguém tem culpa, nem sua mãe que não sabia como iniciar uma conversa com você sobre o assunto, você está grávido e sua decisão será a final e todos iram ficar ao seu lado, afinal, é seu corpo, você decide. - Sra Jeon disse tudo com calma enquanto fazia cafuné na cabeça de seu genro querido.


- Se eu tirar, o Ggu vai me odiar, se eu deixar, vou engordar, ficar feio e ele vai me deixar. - Confessou triste, esses eram seus maiores medos.


- Meu bem, Jeon te ama, acha mesmo que ele vai ligar pra essas coisas? Ele já demonstrou de tantas maneiras que te ama, porque que ele iria te abandonar depois do bebê nascer? Isso para mim não tem lógica. - Dessa vez, Sra Park tomou a palavra, as duas ali, o ajudava a clarear a mente.


- Tudo bem. - Sentou com calma na cama enquanto limpava o rosto com uma mão. - Eu vou ter esse bebê, afinal, ele não tem culpa e não pediu pra tá aqui. - Pela primeira vez, ele alistou a barriga e sorriu pequeno. - Na primeira vez em 3 anos que não usamos camisinha, eu descubro que tenho um útero que está gerando uma nova vida.


Só podia sorrir daquela coincidência, tudo parecia uma loucura e um completo caos.


Jeongguk voltou ao hospital naquela tarde e chorou pedindo desculpas por ter deixado ele naquele momento difícil, dizendo que não sairia nunca mais do lado dele dependente de qualquer decisão que ele tomasse, chorou mais ainda quando Jimin lhe disse que iria ter o bebê e lhe pediu com todas as forças, que se chegasse o dia deles terminarem, que fossem verdadeiros um com o outro, nada de mentiras, esconder a verdade e muito menos traição, implorou a Jeon que lhe dissesse a verdade, mesmo que ela doesse e quebrasse todo seu peito.


Jeon prometeu, mas não pode cumprir.


Depois do nascimento de Park Jeon Sooh, eles não tiveram problemas, aguentaram tudo juntos, desde as más línguas, até o crescimento da pequena, e foi quando ela tinha 5 anos, que Jeon saiu de casa, terminando tudo com Jimin.


[...]


Tempos atuais


Jimin 26 anos
Jungkook 25 anos
Sooh 5 anos


Já faziam 8 meses após o término dos dois, Jimin se focou ainda mais em seu estúdio de dança, passando mais tempo lá do que naquela casa onde tinha lembranças demais com Jeon, até levava sua pequena gorducha para lá e a ensinava passos de suas coreografias que amava imitar o pai, dizia que queria ser dançarina quando fosse adulta, enchendo o peito de seu progenitor de amor e carinho.


Jungkook namorou duas vezes, um rapaz que foi muito bom com seu pequeno tesouro e a Minah, que o cegou completamente, seu relacionamento com ela era mais erótico do que amoroso, quase não se viam e quando estavam juntos transavam, Jungkook sentia que estava com ela somente pela transa, sentia falta de algo e não conseguia saber o que era de fato, ela passou a frequentar ainda mais o apartamento dele quando a pequena Sooh estava lá, Jeon estranhava bastante isso mas, não a questionava, ela sempre dizia que queria passar mas tempo com ele, e como ele estava enfeitiçado aceitava.


Sooh sempre foi uma criança comportada mas, com o gênio forte, a mistura de seus pais, assim como ela é bem quieta, fica brava bem rápido e muitas das vezes faz birra, então o lado quieto de seu pai Jimin começou a transparecer mais no último mês, a pequena sempre chegava em casa aparentando estar com medo e alívio assim que estava nos braços de seu pai Jimin, sempre que era perguntado como tinha passado o final de semana, a pequena somente dizia que foi divertido e corria para seu quarto, do mesmo jeitinho que Jimin fazia quando alguém implicava com ele quando estava no jardim de infância.


Jimin ficou confuso, já não aguentava mais ver sua filha naquele estado, e por ela ser bem parecida com ele, sabia que algo estava errado e não estava lhe contando.


Ao dar banho na Sooh aquela noite, viu algo que a pequena estava tentando esconder, uma raiva se apossou do seu coração de um jeito que nunca aconteceu em toda sua vida, então depois de dar banho na pequena tentando segurar as lágrimas e a raiva que crescia cada vez mais, vestiu a pequena com seu pijama favorito e desceu a escada, sentando no sofá com ela e pedindo com toda calma do mundo que lhe contasse o que estava acontecendo, mas ela insistia que não tinha acontecido nada, Jimin então ligou para Jeon.


- Por favor, venha até minha casa, de preferência, agora! - Disse com raiva, ouvindo um suspiro que claramente não era de Jeongguk.


- Jimin, são dez horas da noite..... desliga isso Jeon. - Ouviu a voz da Minah e revirou os olhos.


- Jeon, é sobre a Sooh, preciso que venha, se quiser traga sua namorada, não faço questão, é até bom ela vir também.


- Tudo bem, se é sobre a Sooh eu vou. - Disse e Jimin pode escutar um barulho de algo se mexendo e presumiu que ele teria levantado da cama, então desligou o celular e acalentou a pequena Sooh que estava em seu colo.


[...]


- Certo Jimin, o que ouvi com a Sooh, ela parece bem. - Disse Jeon sentando ao lado do Jimin no grande sofá e segurando a mãozinha dela.


- Jungkook, desde que nos conhecemos nos tempos do colégio, eu sempre fui muito na minha e nunca revidava as provocações e até apanhava de alguns babacas, lembra? - Começou Jimin com calma.


- Lembro, claro que lembro, eu que te protegia, toda vez que chegava tarde demais e perguntava o que tinha acontecido, você insistia em me dizer que não era nada e que estava tudo bem, mas porque isso agora? - Perguntou com a sobrancelha franzida.


- A nossa filha é do mesmo jeito, estou a um mês tentando descobrir o porque ela chega de lá assustada e aparentando estar com medo, ela não me diz. - Jungkook olhou para a pequena que se encolheu no colo de Jimin.


- Há minha flor, o que houve? Conta pra mim, sabe que pode contar tudo para o seu papai Jeon.


- Você não vai acreditar, vai ser levado pra longe de mim se eu contar. - Disse Sooh já deixando algumas lágrimas caírem.


- Olha, eu sinceramente não consigo entender o porquê de eu estar aqui, isso tudo parece encenação para tirar o Jungkook de casa, vocês sempre querendo chamar atenção dele! - Disse Minah suspirando.


- Ggu, sabe que nunca gostei de briga, sempre ficava mal quando discutíamos, e em nossas discussões nunca levantei a mão para você ou nos batiamos, sempre soubemos resolver tudo conversando, e é exatamente assim que quero resolver isso. - Jimin ignorou totalmente a ruiva jogada em sua poltrona.


- Isso o que Jimin? Eu não estou entendendo. - Jeon fechou os olhos apertando o osso de seu nariz entre seus olhos.


- Isso Jeongguk. - Baixou a alça do pijama da Sooh revelando uma marca de quatro dedos, bem vermelha e alguns pontos roxos, claramente alguém bateu no braço dela, uma mão um pouco grande que as pontas dos dedos pegaram nas costas deixando alguns arranhões. - Em todos esse anos que vivemos juntos, já bate alguma vez em nossa filha?


Jeongguk estava de olhos arregalados encarando a marca de mão no braço e costa da sua filha, chocado e uma raiva tremenda subindo seus olhos.


- Sooh, quem fez isso com você? Me diz! - A pequena negou com a cabeça chorando enquanto colocava o rosto no peito de Jimin. - Meu amor, diga, quem fez isso? Prometo que não fiquei bravo.


- Papai vai me deixar e não vai acreditar em mim! - Começou a chorar com vontade dessa vez, acreditava fielmente que se falasse a verdade, seu pai Jeon ia embora.


- Nunca te deixaria meu amor, você é a única princesinha do papai, lembra? - A pequena Sooh concordou com a cabeça olhando para seu pai, o rosto bochechudo e avermelhado igual o de Jimin quando chora. - Então diz, quem fez isso com você? - Sooh olhou com medo para Minah e apontou seu pequeno dedinho trêmulo para ela, só então virão a expressão de pânico no rosto da mulher, Jimin pôs a Sooh no colo de Jeon e se levantou feito furacão, levando tudo pela frente, a mesinha de centro que estava entre eles foi jogada longe e Jimin segurou no braço da Minah a levantado da poltrona.


- Você bateu em minha filha? - Minah estava assustada, os olhos arregalados e a boca aberta. - VOCE TRISCOU NA MINHA FILHA? - Gritou assustando até Jungkook que ainda estava estático no sofá com Sooh agarrada a sua cintura.


- Minnie, calma, solta ela. - Jeon falou puxando Jimin para longe. - Lembre-se que você não pode bater em uma mulher, pega a Sooh, deixa que eu resolvo isso.


- Em todos esses meses Jungkook, nunca atrapalhei sua vida, não infernizar seus relacionamentos, quando você disse que não queria mais continuar nosso relacionamento de anos, eu aceitei, sofre mas me distanciei, nunca fui em seu apartamento ver com quem você estava ou não, sempre fiquei na minha, faz dois meses que recebo mensagens de ódio, puro ódio de um numero desconhecido, me ameaçando, mandando eu ficar longe de você, mandando eu ir embora com a Sooh, sempre ignorei porque sabia que era ela que estava fazendo isso, ela estava mexendo com meu psicológico, mandando fotos, vídeos de vocês dois transando como se eu tivesse a obrigação de viver a vida de vocês dois, de ver o quão bom era os dois na cama, ignorei, troquei de celular e me deixei morrer por dentro, agora ela bater em minha filha? Isso eu não vou tolerar. - Jimin ia voar no rosto da Minah, mas Jeon impediu segurando com um braço a cintura de seu hyung, não queria ve-lo atrás das grades por agressão.


- Isso é mentira, eu não trisquei nessa garota mimada. - Minah disse olhando para Sooh com nojo, ao ver a expressão da mulher, Jimin tentou mais uma vez agarrar aquelas orelhas com argolas e puxar até arrancar, mas foi impedido novamente por Jeon.


- Olha como fala da minha filha, tenha respeito. - Jeon falou alterando a voz.


- Quer saber, eu vou embora, não vou ficar aqui sendo acusada de uma coisa que não fiz. - Minah pega a bolsa e olha para Jeon. - Espero você em casa amor. - Ia beijar Jeon, mas ele se afasta e entrega Sooh a Jimin os colocando atrás de si como se ele fosse uma parede de proteção.


- Você vai embora de meu apartamento e principalmente da minha vida, ainda não consigo acreditar que você teve a coragem de bater nela. - Jeon tentava manter a calma, mas era só olhar para suas mãos que poderia ver os punhos cerrados, tentando controlar a raiva.


- Espera aí, está terminando comigo porque essa pirralha apanhou do Jimin e eu estou sendo culpada? - Jimin rosnou para ela, rosnou mesmo, parecendo um lobo protegendo seu filhote.


- Jimin nunca fez mal a uma mosca, sempre foi pacífico e sempre soube resolver as birras da Sooh sem bater nela, Sooh nunca apanhou, nem eu e nem Jimin nunca batemos nela. - Jeon fechou os olhos, tinha que controlar sua raiva, ou mataria aquela mulher.


- Tudo bem, eu vou embora, só estava com você por que você me bancava, e, enquanto estava com essa pirralha, eu estava com outros que me satisfaziam a noite inteira. - Disse em puro deboche.


- Ótimo, agora que já confessou ser uma vadia, se retire de minha casa e espere pelo processo que irei abrir contra você. - Jimin passou a mão na costa de Sooh que chorava em seu colo e saiu da sala. - Vão embora, os dois. - Disse antes de subir as escadas e ir até o quarto da Sooh.


Colocou ela na cama e tentou controlar o choro, pegou uma pomada para dor e marcas no seu quarto e voltou, se ajoelhou ao lado da cama da Sooh e cuidou do machucado dela.


- Desculpa appa, não devia ter contado, agora o appa Jeon foi embora. - Voltou a chorar.


- Não meu amor, não pense assim, sempre que algo acontecer com você, conte para mim ou para seu pai Jeon, vamos sempre estar do seu lado meu bem, seu pai não foi embora da sua vida, depois ele vem ver você, tá bom?


- Promete papai Ji? - Ergueu o pequeno dedinho mindinho na direção de seu pai. - Promete que papai Jeon não me abandonou e que posso sempre contar com vocês dois?


- Prometo meu amor, e prometer de dedinho é bem sério, se não for cumprido, papai Ji perde o dedo. - Entrelaçou seus dedinhos no dela que é igual ao seu e depois uniu os polegares.


- Amo você appa Ji. - Disse depois de já está coberta e segura em sua cama, seu quarto, em sua casa havia segurança e amor, isso era sentido no ar.


- Amo você Park Jeon Sooh, muito, muito, muito mesmo. - Deu um leve selar na testa da pequena e saiu do quarto, não conseguia mais segurar as lágrimas.


Saiu do quarto da pquena sem nem prestar atenção no corredor, só abriu a porta de seu quarto a frente do dela e entrou, parando de frente pra varanda tentando controlar o choro.


Jeon havia posto Minah para fora mas não tinha ido embora, subiu as escadas e ficou escutando o que era conversado entre Jimin e Sooh, Jimin saiu tão apressado do quarto que nem o notou parado ali ao lado da porta do quarto da pequena, se sentia culpado pela forma como Minah havia deixado seus dois amores, Jimin chorando porque não conseguia proteger sua filha do resto do mundo e Sooh por ter sofrido maustratos bem debaixo do seu nariz e não viu.


Respirou fundo e entrou no quarto que antes era do casal, vendo tudo do mesmo jeitinho de antes dele ir embora, sentia falta daquele lugar, daquela casa, sentia falta de Jimin, não conseguia entender o porquê de ter deixado a vida maravilhosa que tinha com Jimin para se sentir vazio e sozinho em um apartamento pequeno, frio e vazio.


Jimin deu um pulinho de susto quando braços rodearam sua cintura e um rosto foi posto na curvatura de seu pescoço, reconhecia aquele aperto, aquele abraço, haaaaa se conhecia, é viciado nele, isso não pode negar.


- Desculpa, desculpa por tudo isso que vocês tiveram que passar por minha causa. - Jeon disse baixinho enquanto passava o nariz no pescoço de Jimin.


- Não quis acabar com seu relacionamento, só quero proteger minha Sooh, lutei tanto pra ter ela, passei uma gestação difícil, um parto difícil e principalmente uma aceitação comigo mesmo muito difícil, não posso ver ela sofrendo calada assim. - Tentava de todas as formas parar de chorar, mas não conseguia, se lembrava de tudo que passou, as falas maldosas nas ruas, os dedos e cochichos direcionados a ele quando saia para fazer compras e a barriga já estava evidente demais, o parto complicado mas com sucesso no final, lutou e aguentou tudo para ter sua pequena, não ia abandonar ela agora, não ia e não vai abandona-lá em momento algum.


- Eu sei meu bem, eu sei, desculpa mesmo, isso nunca aconteceu em nenhum relacionamento seu e eu que estava cego. - Jeon acreditava que Jimin não ia atrás dele por já ter outra pessoa, o que ele errou feio.


- Justamente por causa dela não me envolvo com ninguém, a maioria das pessoas desse mundo são más e só querem os bens matérias, nunca que colocaria outro dentro de casa para maltratar minha pequena. - Jeon paralisou, não conseguia acreditar que, Jimin estava sozinha a 8 meses, desde que se separaram, logo ele, o cara que mais tem libido e não consegui ficar sem transar, até na gravidez foi difícil acalmar o fogo que esse homem ficou.


- V-você não está com n-ninguem? - Se afastou um pouco e o virou recebendo um negar de cabeça. - Mas, eu pensei que, depois que saísse da sua vida, você mudaria, sairia para conhecer gente nova, ficaria com outras pessoas, pensei que sempre estive atrapalhando você. - Confidencio, se sentindo mais leve por finalmente dizer o que achava. - Eu só terminei porque achei que você não gostava mais de mim, estava distante, diferente, nosso sexo não era mais cheio de tesão como antes, estava sempre sozinho no seu estúdio de dança, eu-eu pensei que......


- Você é realmente um besta, tínhamos 8 anos de relacionamento e você achou mesmo que iria deixar de te amar assim, de uma hora pra outra? - Jimin encarou as mãozinhas unidas perto do seu peito e sorriu pequeno.


- Nós não tínhamos 8 anos, nos TEMOS 8 anos de namoro, eu só fui burro ao ponto de pensar que você já não me amava mais. - Jimin o encarou confuso. - Você ainda me ama? - Perguntou aproximando seus corpos, colocando uma mão na cintura e a outra na nuca do moreno.


- Nunca deixei de ti amar Ggu, nunca! Apesar dos altos e baixos que já passamos que só serviu para aumentar ainda mais esse amor que queima aqui dentro de mim, eu nunca deixei de te amar. - Confidenciou, e assim como Jeon, sentiu um fardo enorme ser retirado de suas costas, admitia que com um tempo, foi se afastando mas, não tinha nada haver com o fato de amar Jeon, na verdade, tentava de todas as maneiras pensar em algo para o agradar no nono aniversário de namoro, o que resultou em um Jimin completamente distraído e muito pensativo.


- Haa Minnie, como fui idiota e precipitado, nunca deveria ter ido embora e arranjado essa confusão toda. - Disse passando o nariz no pescoço do mais velho que suspirou, ainda era sensível ao toque do mais novo naquela região.


- Eu, eu pensei que você estivesse cansado de mim, que eu não agradava mais você, eu mudei demais depois do nascimento da Sooh, achei que... - Jeon atacou os lábios dele em um beijo avassalador e cheio de saudades, não queria mais brigar e ficar longe de seu hyung.


- Não diga que você ficou feio ou que seu corpo mudou, você continua perfeito, seu corpo voltou ao que era antes da gravidez e nem parece que você gerou nossa filha dentro de você, continua lindo. - Disse tudo o encarando, queria passar confiança para ele, aquelas palavras não eram ditas só para agradar ou fazer o maior cair nos encantos dele, eram palavras verdadeiras.


Jimin sorriu enquanto Jeon limpava seu rosto que ainda continha resquício do choro recente, sentiu falta de poder ser tocado assim por ele, sentiu falta de ser mimado por seu moreno teimoso.


- Volta pra mim? Deixa eu mudar essa burrada que fiz? Não aguento mais ficar longe de você é da Sooh, vocês são tudo o que eu tenho. - Jimin abaixou a cabeça e sorriu fraco. - Eu sei que, deixei vocês uns dias antes do nosso aniversário de namoro mas, podemos fazer alguma coisa para reparar esse erro meu, ainda podemos comemorar nosso nono aniversário de namoro. - Jimin o encarou sorrindo.


- Eu sou bobo, eu sou todo perdido quando se trata de você, mesmo eu sendo o mais velho fico todo derretido por você, deveria ser ao contrário. - Jimin passou as mãos nos ombros e braços de Jeon os acariciando. - Eu comprei uma coisa e planejava te dar no nosso aniversário.


- Não vai mais me da isso que você comprou? - Jeon se afastou minimamente e o encarou bicudo, Jimin sorriu e saindo dos braços dele, foi até o guarda roupa, procurou em uma das gavetas por um tempo e quando achou, olhou Jeon de relance, pegou aquela pequena caixinha e virou já entregando para Jeongguk, que franziu a testa, visivelmente confuso.


- Comprei isso naquele dia que você saiu de casa, não tive coragem de dá a você depois que disse que queria terminar, meu plano era mandar Sooh para a casa de uma de nossas mães e lhe pedir em noivado. - Explicou vendo Jeon abrir a caixinha e encontrar duas alianças pratas muito lindas.


- V-voce ia-ia me pedir em casamento? - Jimin concordou com a cabeça envergonhado. - Há como fui idiota, imbecil, porque não deixei meu medo minha insegurança de lado e fiquei com você agarradinho naquele bendito sofá lá em baixo? Por isso encontrei você e nossa menina no sofá aquele dia aos cochichos?


- Sim, ela me ajudou a escolher e me deu dicas de como fazer o pedido, disse que você ia amar a surpresa e ia aceitar na mesma hora. - Confessou olhando Jeon deixar algumas lágrimas caírem.


- Desculpa amor, desculpa ter que deixar você assim, e te fazer me ver com pessoas que eu claramente não amo, estava me enganando o tempo todo, nunca deveria ter saído do teu lado, nunca. - Voltou a abraçar Jimin que o acolheu perfeitamente nos braços, cambaleando para trás pelo impacto dos corpos.


- Há Jeon, nem parece que tem 25 anos, sair de casa assim só porque estava planejando algo bacana para nós dois foi bem imaturo, me vi perdido em pensamento só por duas semanas e você desiste assim. - Esbravejou com ele, nem parece que passaram meses longe um do outro, o amor dos dois falava mais alto.


- Desculpa hyung. - Pediu como uma criança mimada, se afastou um pouco e tirou a aliança da caixinha, pondo em seu dedo. - Aceito me casar com você, hyung baixinho! - Provou vendo Jimin o encarar sem ânimo pela piada.


- Eu nem pedi formalmente, e depois dessa brincadeirinha aí, eu não quero mais casar com você! - Falou, saiu de onde estava um pouco encurralado, entre o corpo de Jeon e o guarda roupa, Jeongguk sorriu e caminhou atrás dele, agarrou aquela cintura fina, o girou para ficar de frente para si e caíram sobre a cama, Jimin por baixo de Jeon.


- Não precisa pedir, e você é o único hyung baixinho que amo e quero estar o tempo todo ao lado e provocando de todas as maneiras. - Jimin sorriu bobo, as bochecha levemente coradas e pondo a mão na boca enquanto vira o rosto sorrindo abobalhado.


- Amooor, para, 'tá me deixando sem graça. - Jeon sorriu grande, o sorriso quase rasgando seu rosto.


- Não sabe a falta que senti de você me chamando assim. - Disse enquanto distribuía beijinhos pelo rosto do moreno. - Isso quer dizer que você me perdoa e me aceita de volta?! - Precisava confirmar, precisava ouvir sair daquela boquinha linda que eles estavam bem novamente.


- Sim, eu te perdoo e aceito de volta, mas saiba que se acontecer de novo, não tem volta. - Ditou enquanto passava os braços no pescoço do mais novo e o puxava para si.


O beijo a seguir foi envolvente, cheio de saudade, amor, desejo, e rapidamente tudo ficou um caos, Jeon tirava as pessoas de roupas de Jimin com presa, estourando os botões do pijama que ele usava, tirando a calça de uma vez vendo seu amado nu na sua frente.


Haaa, quanta saudades sentiu daquele corpo nu sobre o seu.


Pensou enquanto passava a língua nos lábios e mordia o cantinho do inferior, o quarto já não era mais desculpas e explicações, e sim, respirações ofegantes, beijos estalados, tapas fracos na pele alva do mais velho que, com a mesma presa e gula de seu amado, tirou as roupas que o mesmo usava, jogando em qualquer canto do quarto, sem enrolar partiu para explorar o corpo do mais novo com a boca e as mãos, e enquanto beijava aquele abdômen definido e cheio de gominhos, a sua aliança deslizou em seu dedo anelar com facilidade, Jeongguk o colocou e Jimin não fez questão de o negar, fazia meses que queria por aquele círculo em seu dedo e desfilar por aí com ele, não que quisesse exibir sua vida mas, mostrar a todos que o chamaram de aberração e sem futuro com uma pessoa, que ele tinha sim, uma cara que o ama de verdade e tem uma filha que foi gerada por ele mesmo.


Enquanto Jeon o preparava para o receber, o celular de Jeongguk tocou chamando a atenção de ambos, no começo nem deram bola para o aparelho tocando, e continuaram o que estavam fazendo, Jimin já estava mais do que preparado e queria logo matar aquela saudade avassaladora de ter seu dongsaeng todo dentro de sim, puxou Jeon pelo cabelo com uma certa força e mudou as posições, ficou por cima e sem se demorar mais, se ajeitou e desceu com calma naquele pau grande de Jeon, o único que sempre soube o satisfazer, onde tocar, chegando no fundo de sua intimidade, triscando com vontade e força em seu ponto doce o fazendo enlouquecer com somente algumas quicadas ou estocadas quando Jeongguk ficava por cima, o celular voltou a tocar novamente e cansado de ouvir aquele barulho irritante, Jimin se inclinou um pouco pegando a calça de Jeon na beira da cama e puxando o celular de um dos bolso, vendo o nome de Minah piscar na tela, em nenhum momento parou de quicar naquele pau gostoso e estendeu o celular para Jeon que o atendeu sem nem ver quem era, não estava se importando muito, só queria sentir seu hyung descendo e subindo em si a noite toda, atendeu aquela maldita ligação só porque Jimin lhe direcionou o celular, mas não parou de se movimentar em seu membro.


- A-alo?! - Jimin então começou a quicar mais forte e rápido. - Haaaa, porra. - Gemeu entre dentes!


- Jeon, o que pensa que está fazendo? - Minah disse com raiva quando ouviu o gemido de Jungkook se misturar com o de Jimin. - V-você está me traindo Jeon Jungkook. - Ele gemeu mais alto quando Jimin se pôs a rebolar e gemer alto.


- Haaaa meu Deus! - Jeon quase grita, com sua mão livre, segurou com força a cintura de seu amado o incentivando a continuar, não ia parar de jeito nenhum aquele sexo maravilhoso que a meses não tinha. - Não d-deixei claro que não ti q-queria mais?! Estou fudendo com meu noivo, não m-me atrapalhe, s-somi Minah! - Deu o recado entre gemidos e sem nem esperar a chamada ser desligada, pôs o celular em cima do criado mudo e mudou a posição, ficando por cima de Jimin o estocando com força.


- Haaa, porra amor, isso, não para! - Jimin gemeu enquanto arranjava a costa de Jeon.


- Que tesão Ji, a meses não sinto esse tesão avassalador que me consome, me deixa louco! - Gruniu em alto e bom som.


- Jeon, que história é essa? Como assim? E nosso sexo Jungkook? - Minah do outro lado da linha, gritava tão alto, o que foi possível ouvir entre os gemidos do casal.


- Vamos ter uma ouvinte hoje. - Jeon encarou Jimin, ignorando a pergunta da mulher, que se encontrava ouvindo o sexo dos dois, estava ali só se humilhando, ouvindo coisas que claramente não precisava ouvir.


Ou precisava?


- Então mostra pra nossa ouvinte o quão bom você me fode, o quão bom nosso sexo é maravilhoso, mostra pra ela que somente comigo você enlouquece. - Jimin disse prendendo as pernas ao redor da cintura de Jeon que gemeu altíssimo, se o quarto não fosse a prova de som, teriam acordado Sooh que já dormia tranquilamente em seu quarto.


- Caralho hyung, eu amo quando você fala essas coisas enquanto te fodo amor. - Ficou de joelhos na cama, segurou a cintura do noivo e começou a estocar com força, vontade e precisão, o tesão acumulado sendo colocado para fora ali naquele momento, com estocadas fundas e rápidas, Jimin gemia alto enquanto pedia para não parar, para continuar com aquela delícia, Jeongguk só obedecia gemendo enlouquecido, vendo seu caralho ser engolido por aquela entradinha rosada, apertada e maravilhoso, o recebia tão bem.


E foi enquanto surrava com força a próstata de Jimin que ambos chegaram ao orgasmo gemendo tão alto e quase chorando de prazer, não ligavam ou pensavam se aquela louca ainda estava na linha falando sozinha ou só ouvindo o sexo de saudade entre eles, somente se entregaram ao momento de prazer e amor.


- Porra amor, foi melhor do que qualquer outra vez que a gente já transou. - Disse Jungkook se deitando ao lado de seu hyung o aconchegado em seu corpo, Jimin riu e então seu corpo enrigeceu, os olhos arregalados e a mente - antes nublada pelo prazer- ficando a mil tão de repente. - O que foi amor? Ficou tenso do nada, o que houve? - Jeon já se via preocupado.


- V-você n-não u-usou c-camisinha. - Jungkook franziu a testa confuso, Jimin não conseguiu falar sem gaguejar, pálido da cabeça aos pés, parecia que seu sangue havia sumido de seu corpo todo.


- Não amor, nem né lembrei disso, só queria você, porque? - Jeongguk pareceu não se lembrar.


- Há meu pai. - Jimin levantou pegando o hobby preto na cabeceira da cama e se vestindo, Jungkook via tudo, confuso, foi até uma das gavetas no guarda roupa e procurava algo desesperado. - Onde está essa porra!


- Amor, o que foi?! - Perguntou sentando na cama.


- Nem tinha mais camisinha amor, não tinha mais, quer dizer que, mesmo se tivéssemos lembrado, não íamos usar porque acabou essa porcaria, como deixei essa gaveta sem camisinha? - Jungkook se levantou vestindo seu hobby azul forte que ainda estava pendurado na cabeceira do seu lado da cama.


- Amor calma, não tinha porque deixar essa gaveta cheia como sempre, segundo você, não se relacionou com ninguém, então porque o desespero? - Jeongguk o abraçou, Jimin estava desesperado.


- Eu sei que só usava com você e que não me relacionais com ninguém, mas camisinha não pode faltar no nosso relacionamento amor. - Jimin o abraçou, o medo tomando posse de seu corpo.


- Calma meu dengo, compro amanhã uma caixa bem cheia, sei que não podemos fazer sem camisinha por que..... - Só então Jeon pareceu se dar conta do que estava acontecendo.


- Se daqui a um mês eu aparecer grávido de novo? - Jimin questiou baixinho, levantando a cabeça para encarar um Jungkook encarando o guarda roupa fixamente.


- S-será duas comemorações, um mês de noivado e um mês do nosso futuro bebê?! - Disse se animando rapidamente e pegando seu hyung no colo.


- Amoooor! - Tentou o repreender, mas sorriu ao ver a expressão de felicidade do mais novo.


- Pensei que você havia tirado o útero quando teve nossa filha amor. - Disse deitando com ele novamente na cama.


- Bem, naquela última consulta que você não pode ir, o médico me perguntou se eu queria tirar, na hora eu disse que não e planejava ter outro bebê nosso mas, não agora, não quando a Sooh ainda está pequena. - Disse se aconchegado no peito do mais novo e fazendo desenhos no peitoral coberto dele.


- Nossa Filha já tem 5 anos amor, acho que tá na hora de um outro bebê. - Jeon disse feliz, não escondia sua animação. - Mas amor?!


- Hum?


- Há 5 anos que transamos e algumas vezes foi sem camisinha, porque só agora você vai engravidar? - Jimin o encarou.


- Porque, nas vezes que fizemos sem camisinha, eu dei meu jeitinho de você gozar na minha boca, ou seja, essa foi a primeira vez em 5 anos que você gozou dentro sem camisinha. - Jeon ficou pensativo, parecia se lembrar das vezes que jorrou na boca daquele moreno safado.


- Entende, você não me contou que ainda está com o útero e somente agora fico sabendo que, você é um hyung safado que prefere leite na boquinha do que um novo bebê! - Jimin sorriu enquanto encarava seu noivo.


- É, praticamente isso! - Disse o mais velho sorridente.


- Vamos banhar, deitar e esperar um mês para termos a confirmação do nosso novo bebê. - Jeon disse colocando seu hyung no colo e indo até o banheiro.


Jimin não protestou, estava com saudades de tomar banho junto com ele após uma transa gostosa, e após o banho, se vestiram adequadamente e se deitaram depois de trocar os lençóis da cama, apagaram as luzes e dormiram rapidamente, cansados demais, tanto do dia a dia corrido, quanto do recente sexo que fizeram.


[...]


Jimin acordou naquele domingo chuvoso sozinho na cama, coçou os olhos e sentou olhando ao redor, reparou que o quarto ainda estava do mesmo jeito da noite passada, todo bagunçado com roupas dos dois espalhadas pelo local, a caixinha vermelha esquecida no criado mudo e a aliança no seu dedo anelar, essas foram as confirmações que teve para acreditar que não foi um sonho a noite passada.


Sorriu grande ao lembrar de tudo que aconteceu naquele quarto, entre os dois, de como transaram tão gostoso que poderia até estar grávido mais uma vez, passou a mão na barriga e sorriu pequeno, será se poderia está mesmo grávido tão rapidamente assim? Jeon mal tinha voltado!


Soltou uma pequena risada e se levantou, foi até o banheiro, escavou os dentes tomou um banho e se enrolou no roupão macio, quando saiu, viu Jeon terminar de arrumar a cama e por uma bandeja com café da manhã em cima da mesma, paralisou na porta, se perguntando quanto tempo ficou no banho, deu tempo de Jeongguk arrumar o quarto inteiro.


E mais uma vez naquela manhã, Jimin sorriu abobalhado, Jeongguk ao ver o tamanho do sorriso do moreno, foi até ele o abraçando e lhe dando um beijo acolhedor.


- Bom dia meu amor, trouxe café pra você! - Jeon disse descendo os lábios dos de Jimin e passar pelo maxilar, lóbulo da orelha e pescoço. - Como foi o banho?


- Foi bom, e bom dia. - Sussurou, sentindo o efeito maravilhoso que o mais novo causa em si com pouquíssimos toques.


- Bom dia appa. - Sooh entra no quarto animadamente e trava na soleira da porta ao ver Jimin abraçado com alguém, que para Sooh, não era conhecido por estar de costa e com a cabeça no ombro de seu pai. - Quem e esse moço appa?


- Sou eu filha, não reconhece mais o appa Jeon? - Jeongguk se virou sorrindo largo da expressão de espanto da filha que só depois de ver o rosto dele que correu, pulou nos braços dele e sorriu, sua animação voltando com tudo.


- O appa não vai me deixar? - Perguntou depois de dar um abraço apertado no mesmo.


- Não meu amor, nunca vou deixar vocês, não vou fazer mais a burrice de deixar vocês assim. - Afirmou enquanto abraçava seus tesouros.


- Você e o appa Ji voltaram? Estão juntos de novo? - Encarava um e depois o outro, esperando ansiosa pela resposta de um deles.


- Lembra daquela aliança que você me ajudou comprar? - A pequena confirma com a cabeça. - Ontem eu dei pro seu pai e nos estamos noivos. - Uma pequena comemoração foi realizada ali naquele quarto, gritos eufóricos saiam do fundo da garganta de Sooh, que sorriu em seguida vendo os pais tapando os ouvidos.


- Desculpa meu bem, por fazer você passar por aquilo, fui um tolo em não ver o que estava na minha frente não era para mim! - Jeon falou enquanto ia até a cama.


- Promete que não vai acontecer de novo papai? Não quero mais ver vocês separados ou apanhar de uma mulher que não gosta de mim! - A pequena brincava com os dedinhos, de cabeça baixa enquanto falava, a verdadeira cópia de Jimin, ele sempre faz assim do mesmo jeitinho quando está chateado e triste.


- Prometo meu amor, não vai mais acontecer, vou passar o resto da vida com vocês. - Jeon prometeu, vendo Jimin se ajeitar na cama e pegar um morango.


A família estava ruindade de novo, felizes e bem novamente, fariam de tudo para nenhum imprevisto voltasse a interferir naquela felicidade e entre a relação deles, Jeon se precipitou em achar que Jimin estava se distanciando e não o amava mais, acabou aprendendo que precisa dialogar mais com seu amado, resolver as coisas com calma e sem tomar decisões precipitadas.


Seja como for, o amor verdadeiro sempre vence no final.


24 de Junho de 2021 às 16:40 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Lanna Silva Meu intuito aqui é meramente escrever minhas histórias, amo escrever. Minhas histórias são para maiores de 18 anos, ou seja, contém sexo explícito e palavrões. Tenho 24 anos e não moro com meus pais, só queria deixar claro kkkk 😘

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~