drama_friends Dramatic Friends

Morrer? Bom eu nunca pensei na minha morte — Embora nos últimos meses tivesse bastante motivos para isso — , mas, mesmo que tivesse pensando eu nunca imaginaria que seria assim. Olhei fixamente para ele enquanto limpava meu sangue de sua boca,ele retribuiu o olhar um olhar frio e satisfeito. Qualquer pessoa pensaria que ali seria seu fim, mas, eu não eu não estava com medo de morrer e muito menos de morrer para ele. Eu sabia que, se tivesse escolhido uma outra faculdade e uma outra cidade eu não teria que passar por isso, bom, embora eu tivesse ali a beira da "morte" eu não me arrependo de ter vindo para greendale estudar. Ele sorriu de uma forma simpática mostrando todas as suas presas para vim atacar quando lhe ofereço um acordo.


Fanfiction Bandas/Cantores Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#bts #bangtanboys #blackpink #taeyoonseok #namjin #Jikook
1
535 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os Sábados
tempo de leitura
AA Compartilhar

"Eu não sou gay"

Meus pais me levaram ao aeroporto se despediram e voltaram para o carro alegres por se livrar de um bastardo que nem eu.

Estava um dia lindo, o céu azul e limpo o sol estava radiante e nem estava tão frio nem tão quente.

Lá estava eu na pequena cidade conhecida por ser uma das cidades mas frias de Seoul e claro conhecida pelos boatos de que entre os humanos existiam vampiros e lobisomens. Fui para casa antiga de meu avô, sim, meu avô vivia nessa cidade, mas quando ficou doente teve que ir para nossa cidade para poder se tratar. Assim que entrei a casa estava bastante empoeirada e os móveis cobertos por panos brancos.

Bom respirei fundo dando uma bela espirrada em seguida por causa de toda aquela poeira e rapidamente começei a limpar, mesmo vindo de uma família rica eu sempre gostei do mais simples tanto que eu nunca ficava tempo suficiente na casa de meus pais eu sempre ia para dos meus parentes mas simples. Anoiteceu e finalmente eu tinha acabado de limpar toda a casa e de remover os panos dos móveis, tomei um banho, e desci para pedir alguma coisa para comer eu estava faminto, enquanto eu esperava minha comida começei a dar uma olhada nas coisas de meu avô haviam belas fotos de minha avó em sua estante, eu não havia a conhecido, mas pelas histórias que meu avô contava ela era mulher incrível. Quando eu era pequeno lembro que quando meu avô ia lá pra casa ele sempre contava as histórias da nossa família lembro - me que ele dizia que a nossa família tinha um sangue especial na qual os vampiros amavam. Eu amava as histórias deles, tanto que, uma vez quando vim visitar ele fugir para o meio da floresta para ver se encontrava algum vampiro claro que acabei me machucando daí em diante fui proibido de vim para casa de meu avô.

Finalmente minha comida havia chegado peguei a mesma paguei ao entregador e fui para sala onde liguei a TV para comer assitindo, após, uma bela refeição bateu sono então limpei tudo e subi para o quarto principal e me joguei na cama, era tão macia que não foi difícil pegar no sono.

Amanheceu e como de costume acordei as 5 da manhã a minha aula só começava as 8 então decidi passear um pouco pela cidade. Enquanto caminhava e observava tudo a minha volta percebi o quanto a cidade era simples. Olhei a hora e percebi que passou rápido demais e que já tava quase na hora da minha aula, comecei a andar um pouco mais rápido e consegui chegar na escola a tempo, assim que pisei o pé ali dentro todos os olhares voltaram para mim um garoto branquelo,alto,de cabelo escuro e claro charmoso. "Será que está tão na cara assim que não sou daqui?" Pensei entrando no prédio. Uma garota muito ofegante se aproximou de mim um pouco confuso lhe perguntei: — Está tudo bem?

A garota levantou um dos dedos indicando para eu esperar um minuto, ela registou bem fundo e voltou para sua postura normal e me perguntou: — Você é Jeon Jungkook?

— Sou sim.

— Bom eu me chamo Lia. - se apresentou ela com um sorriso.

— Prazer. - A olhei.

Ela deve ser uma pessoa bastante extrovertida do tipo que fala com todo mundo ou quase isso.

— Bom eu estou aqui para de ajudar no seu primeiro, aqui o horário de suas aulas - Ela olhou para mim esperando algo.

— Muito obrigada.

— De nada - Ela sorriu de um canto a outro.

"Ela apenas esperava um simples obrigado?" Me perguntei olhando para garota que por sinal era muito fofa.

— Ei você que sentar comigo e com meus amigos no almoço? - Perguntou ela olhando para mim com um olhar que ninguém nunca recusaria.

— Claro. - Aceitei não queria arrumar inimigos logo no meu primeiro dia.

Fui para minha aula assim que entrei me sentei ao lado de um garoto o mesmo estava distraído olhando para a garota fofa que conheci, mas assim que ele me viu rapidamente ele arrumou sua postura e desviou o olhar da garota e olhou para mim me perguntando: — Você é novo né?

Afirmei com a cabeça e comecei a arrumar meu material em minha mesa o garoto bastante tímido.

De repente outro garoto virou para mim e perguntou: — Você é o Jeon Jungkook o famoso Jeon jungkook que todos falam?

— Famoso? - Olhei para ele confuso.

Todos os olhares da sala voltaram para mim.

— Sim, todo mundo aqui da cidade conhecida o senhor Jeon - O garoto me respondeu me olhando como se eu fosse uma celebridade.

Eu não estava acostumado com tantos olhares, continuei calado, e por sorte o professor entrou na sala pedindo para que todos se organizassem.

Após todas as aulas fui para o refeitório onde vários alunos passavam de um lado para o outro com suas bandejas de comida, olhei em volta, a Lia levantou a mão me chamado bom eu já tinha aceitado não tinha com escapar então fui até ela é me sentei, ela tinha dois amigos e uma amiga e um dos meninos era o que estava olhando para Lia de uma forma apaixonada. A garota ao lado da Lia me olhou com um olhar curioso é perguntou: — Você veio do centro de Seoul não foi?

— Foi.

— Como é lá? Dizem que não chove muito e verdade? - Perguntou de repente um dos garotos.

— Sim, apenas chove no inverno mas é bem pouco.

— Queria que aqui fosse assim aqui só chove - Disse o outro garoto olhando para janela.

— Verdade aqui só faz sol uma vez ou outra - Disse Lia com um biquinho.

Meu olhar foi arrancado assim que vi um garoto o mesmo era diferente de todos ali ele estava com mais alguns outros garotos os mesmo andavam em sincronia eram bem esquisitos.

Depois do almoço assisti mas algumas aulas, no final do dia organizei minhas coisas coloquei meus fones e sai do prédio voltando para casa. Já estava começando a ficar escuro, assim que olhei para o céu já podia ver as estrelas. Enquanto caminhava acabei vendo aquele mesmo garoto só que ele estava só e estava entrando com um rapaz bem mais velho em um beco, aquilo estava bem estranho para mim então fui até o beco. Ao chegar no beco me deparei com o garoto praticamente encima do cara, fiquei um pouco chocado pois eu não esperava por aquilo, o garoto olhou para mim com sua boca melada de sangue o mesmo rapidamente apareceu em minha frente e me puxou com tudo para o beco.

Acordei em um quarto toltamente branco o barulhinho das máquinas indicavam que eu estava em um quarto de hospital suspirei olhando para o teto me lembrando do que havia acontecido quando de repente ouso a voz de um homem olhei para ele o observei bem e ele tinha a mesma aparência do garoto a pele pálida, os olhos negros e frios.

Bom o garoto que me atacou estava com ele os dois não haviam percebido que eu estava acordado, mas, assim que perceberam o médico veio até mim e disse: — Bem vindo de volta rapaz.

Ele sorriu e logo em seguida perguntou: — Como está se sentindo?

— Bem - Me sentei na cama.

— Isso é bom, você lembra de alguma coisa que aconteceu? - Perguntou o médico olhando para mim.

Olhei de canto para o garoto e o mesmo estava um pouco encolhido voltei meu olhar para o médico e respondi: — Não, o que aconteceu?

— Bom você desmaiou a polícia te encontrou jogando em um beco por sorte não foi roubado - O médico enquanto falava olhou para o garoto.

O garoto fez reverência e saiu dali rapidamente, suspirei me levantando o médico rapidamente olhou para mim e perguntou: — Aonde você vai?

— Pra casa, obrigado pelo cuidados.

Peguei minhas coisas e sai rapidamente do hospital voltando para minha casa, cheguei em casa, fui direto para meu quarto tomei um banho relaxante e assim que terminei vesti uma box e fui para minha escrivaninha abrindo meu notebook onde começei a fazer minhas atividades.

Eu não conseguia me concentrar pois eu não conseguia parar de pensar no garoto, me joguei todo na cadeira olhando para parede "Ele é tão lindo" pensei suspirando com um sorriso bobo "No que estou pensando? Eu não sou gay" pensei voltando a minha postura fazendo meu dever.

Algumas horas se passaram acabei adormecendo enquanto estudava, de repente fui acordado com um barulho se algo caindo, olhei em volta, suspirei coçando meus olhos e logo organizei meus materiais levantei e fui até a janela que estava aberta e o vento acabou derrubando as coisas, me espreguicei e deitei na cama de barriga para cima olhando para o teto e de repente o garoto que não saia de minha mente surgiu encima de mim com suas mãos em meu peitoral me predendo contra a cama.

— Por que não falou a verdade? - Perguntou o garoto.

— Eu não queria te prejudicar.

O garoto olhou para mim muito confuso e me soltou um pouco e perguntou: — Você mal me conhece e eu te mordi quase te matei, por que me protegeu? Quem é você?

— Eu quero te conhecer melhor, eu me chamo Jeon Jungkook. - Olhei para ele me sentado na cama.

— Pera você é um Jeon? Você é Neto do senhor Jeon? - Ele me olhou com um olhar curioso.

— Sou sim, por que? - Perguntei confuso. O que meu avô fez pra ter tanto reconhecimento?

— Bom seu avô era o xerife da cidade, quando ele partiu foi um grande choque pra cidade, eu pensei que nenhum Jeon iria vim para cá de novo - Disse o garoto me soltando.

— Por que? - Olhei para ele.

— A gente acha que seu avô foi embora porque ele não aguentava mais doar sangue para minha família se manter viva.

— Não, meu avô foi embora porque ele estava doente.

— Sério? Nossa eu não sabia, enfim prazer senhor Jeon novo eu me chamo Park Jimin - O garoto se apresentou sorrindo de uma forma fofa mostrando suas presinhas.

Suspirei todo derretido pelo sorriso dele "Como pode ser tão lindo e delicado?" Me perguntei olhando fixamente para o Park que olhava para mim esperando eu falar algo, mas eu estava completamente paralisado e encatado pela beleza dele.

22 de Junho de 2021 às 16:57 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo "Sangue do Jeon"

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 7 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!