leonardo-monteiro Leonardo César

Em um mundo de magia diversas coisas acontecem, guerras, aventuras e vida pacífica também, é bem assim no mundo de Izarrak onde conta-se a história de vários soldados de guerra e não soldados. Um deles é Begiak Zalea uma das vítimas do terror da guerra, descobrindo novas coisas sobre esse mundo impressionante


Aventura Para maiores de 18 apenas. © Leonardo Monteiro

# #Begiak #Egia #Rubia #Hatz
1
1.9mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Sextas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Begiak Zalea

Boom .Boom

-Begiak ajuda a gente!

Begiak vai em direção ao homem efala - "Indarra"

A pele dele fica amarela e o outro adolecente começa a ser curado.

-Muito obrigado

Disse o desconhecido, Begiak que efetuou a cura dá um resmungo

-Begiak!!!!-disse o desconhecido gritando pela vida -Temos dragões aqui!!!

E tudo fica preto.

Um menino dá tapas na cara de outro em um plano desmatado.

- Acorda ,Begiak acorda, eu chequei o seu pulso, eu sei que está vivo!

Resmungando o jovem que estava no chão fala.

-O que foi Tark?

-Vamos

-Aonde?

-Sair daqui e avisar os superiores que o posto hiru falhou

-Por que sair?

-Olhe a sua volta , não temos o que fazer aqui

O jovem menino desnorteado olha em volta e fica espantado com a destruição do lugar e corpos de dragões e pessoas.

-Tá bom vamos embora - da uma pausa para levantar - Tem um cavalo?

-Acha que a vida é fácil assim amigo?

Eles começam a andar em direção a saida do lugar morto.

Com pouca água eles andam pelos campos gigantescos de Boterea . Begiak fala.

-Será que vamos viver ainda Tark?

- Não pensa nisso, a gente vai sair dessa.

Olá!! A história já começou e eu nem me apresenteisou uma das pessoas nessa conversa, Begiak Zalea. Tenho 10 anos e sou um soldado do País Boterea, essa foi a minha primeira batalha. Tenho olhos amarelos, cabelo liso e branco, que muitas cai em meu rosto, minha pele é morena, mais puxada para o branco.

2 semanas depois...

Uma pessoa muito magra chega correndo à cavalo no quartel Zenikoa.

-Senhores!! — Gritava a pessoas em carne e osso

-O que foi? Posso ajudar?

-O posto hiru caiu

-O que? - respondeu espantado - O posto mais bem armado caiu?

-Sim, eu sou o único sobrevivente da batalha de 2 semanas atrás

-Como é seu nome garoto?

-Begiak, Begiak Zalea

-Deixem ele entrar.

O soldado entra no local armado, ao entrar ele olha para o lado. O senhor que conversou com ele o chama para perto e eles começam uma conversa andando.

-Senhor Begiak, me conte como aconteceu.

- Não é uma história legal senhor.

-Eu sei como é a guerra ,eu já lutei lá!

-Bom, nem eu sei direito, foi tudo tão rapido.

-Sei como é. Você está lá com os seus amigos e do nada eles morrem.

-Eu lembro que estava em um campo florido com um posto de guarda a 100 metros de mim, todos estavam rindo conversando até que um dos caras do posto de guarda gritou -"Dragões, peguem cobertura". Nisso começou o desespero, pessoas gritando e correndo, sendo pisoteadas.

Arrasado fala choramingando.

-Quando os dragões chegaram eles atacaram o posto, os homens do posto não tiveram nem chance de sobreviver meu amigo de infância Tark deu um discurso rápido motivando a todos que foram para a batalha.

-Cadê o seu amigo?

-Não sobreviveu.

-Desculpe, continue.

-Pessoas se machucando, morrendo, eu até usei meu olho para cura-las mas não adiantou, alguma hora eu desmaiei e acordei com tapas na cara desse meu amigo, fiquei feliz dele ter sobrevivido.

Nesse momento a voz fica mais fanha por causa do choro

— Nós saímos do local para encontrarmos com vocês, mas a jornada foi longa toda nossa comida tinha sido queimada pelos dragões só tínhamos água e estava quente, no sétimo dia depois daquilo a fome tava pesada e não achávamos nada nos imensos campos do país. Tentávamos nos alimentar com folhas e grama mas não sustentava, nós 2 enlouquecemos estávamos vagando como bebados até que meu amigo me ataca então eu olho para ele com um olhar de questionamento. Ele continuou a me atacar e meu corpo começou a interagir com ele tivemos uma batalha entre eu e ele eu acabei levando a vitória. Estava louco por comida então me alimentei do meu amigo - Voz de choro muito perceptível além dele começar a chorar muito forte - E então eu vim para cá .

-Ok sinto muito pelo seu amigo mas a fome não deixa brechas ela te enlouquece, mesmo infelizmente não posso fazer nada por você vai ter que superar sozinho - faz uma breve pausa - esta com fome?

Ele em prantos responde

-Muita senhor

O militar aponta para um lugar

-Ali temos comida fique a vontade mas coma tudo do prato ,entendido?

-Sim senhor

O menino falou com desânimo ainda chorando por seu amigo e ele se pergunta se deveria ter laços, porque não queria que outros sofressem ou perdessem a vida por causa dele.


20 de Junho de 2021 às 14:43 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo Guerra Urrea

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 17 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!