K
Kmy Scan


[ NOME ALTERNATIVO ] 곱게 키웠더니, 짐승 [ AUTOR ] Early Flower - (이른꽃) [ ARTISTA] HABAN [ CAPÍTULOS ] 168 capítulos (em andamento) [ SINOPSE ] Blondina era uma princesa com sangue comum nas veias. Ela vivia calmamente no Star Palace entre os céus, mas um dia, ela curou um gato ferido. O gato se tornou um bálsamo para sua vida solitária. Mas o adorável gato era realmente ...


Fantasia Romance adulto jovem Impróprio para crianças menores de 13 anos.

# #magia #kakaopage #fantasia #romance #webnovel #iraisedthebeastwell #korea #Novel
3
741 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 15 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo 1

Alguém se aproximou do homem loiro que alimentava um papagaio, fazendo-lhe uma rápida reverência antes de gritar;


"Sua Majestade! Tenho algo muito importante para te contar."


"......."


O loiro deixou o papagaio voar e se virou para encarar seu servo. Ele sacudiu os pedaços de alpiste que ficaram nas pontas dos dedos com uma expressão indiferente. A luz do sol atingiu seu belo rosto.


"O anel foi encontrado!"


Os olhos do homem brilharam quando ele ouviu essa palavra.


━━━━━━◇◆◇━━━━━━


"Sua menina inútil!"


O sangramento nasal não parava. A voz que ela estava tão acostumada a ouvir estava especialmente áspera hoje.


A criança mordeu os lábios e enxugou o nariz apressadamente com a manga suja.


"Sua vadia miserável! Eu a contratei por pura generosidade, o mínimo que você pode fazer é fazer o seu trabalho direito!"


A garota agarrou seu ombro, zombando do homem sob sua respiração.


"Pelo amor de Deus ... Você me paga dois xelins por semana. Eu sou a única pessoa que você poderia contratar.", Ela murmurou.


Ele ergueu a mão novamente. A loira cerrou os dentes e fechou os olhos com força.


Ela sentiu um golpe na cabeça. O sangue de seu nariz escorria pelo queixo e manchava seu colarinho imundo.


Quando o homem levantou a mão mais uma vez, ela decidiu correr. Fugir da estalagem e daquele homem o mais rápido que suas perninhas permitiriam.


O nome da criança era Blondina. Ela trabalhava como balconista na pousada desde a morte de sua mãe.


O trabalho não foi fácil, suas mãos estavam inchadas de suas tarefas lentas e tediosas. Mas era a única opção que ela tinha. Para uma jovem órfã como ela, era isso ou ser vendida a algum pedófilo rico.


Ela soltou um suspiro ofegante. A Loira não parou até chegar à entrada da aldeia.


Ela segurou seu colar com força, a voz de sua mãe ecoando em sua cabeça.


"Blondie. Este é um presente de seu pai. Sempre mantenha com você."


Sua mãe entregou-lhe uma pequena bolsa com um colar dentro.


Dentro da bolsinha gasta, junto com o colar, estava um anel brilhante. Foi sua única lembrança de um pai que ela nunca conheceu.


Sua mãe sempre dizia que era a única coisa que seu pai deixou para trás, ele fugiu assim que a Blondina nasceu.


As lágrimas começaram a escorrer por seu rosto enquanto ela recuperava o fôlego, mas ela se obrigou a contê-las.


'Eu tenho orgulho. Isso não pode me fazer chorar.'


Ela sentiu o anel em segurança na bolsa. Ela queria desesperadamente proteger o legado de sua mãe. O colar. Mas...


"Mãe, sinto muito. Eu tenho que fazer isso."


Isso era tudo para ela. Ela teve que colocar sua própria sobrevivência antes de um anel dado a ela por um pai que a abandonou e sua mãe.


A Blondina começou a correr pelas ruas sinuosas da aldeia. Ela iria vender o maldito anel. Agora mesmo.


A joalheria ficava no final de um pequeno beco.


O cheiro de perfume atingiu seu nariz quando ela abriu a pesada porta de madeira. Cheirava exatamente como um lugar que senhoras chiques visitariam.


O coração da menina estava na garganta. Ela ainda não conseguia deixar de se sentir culpada por vender o legado de sua mãe assim.


Um velho segurando uma lente de aumento, o proprietário, estava atrás do balcão.


"O que te traz aqui?"


"Bom dia Senhor."


"Ah, presumo que Nordi o tenha enviado para vender algo novamente. Ele tem que parar com esse negócio ridículo se não quiser que suas mãos sejam cortadas."


Nordi, o estalajadeiro, frequentemente pedia à Blondina para vender joias para que ele tivesse dinheiro para jogar.


A menina tirou o colar e tirou o anel da bolsa. O proprietário finalmente levantou a cabeça quando as joias retiniram contra a bancada de vidro.


"Estou aqui para vender minhas próprias coisas hoje, senhor."


"Suas?"


"Sim. Minha mãe as deixou para mim..."


Essa frase simples era muito difícil de dizer. O dono baixou a lupa e inspecionou a bolsa, manuseando-a com cara de nojo como se fosse infecciosa. Ele franziu a testa e jogou de volta para a loira.


"Desamarre. A propósito, já não se passaram três anos desde que Lily morreu? Esperar por um homem a quem você possa se agarrar... Você é uma garota lamentável."


A mãe da Blondina, Lily, era amplamente conhecida na área por sua beleza.


Nenhuma mulher comum, talvez, nem mesmo uma aristocrata, tinha seus deslumbrantes cabelos e olhos dourados.


A menina tirou o anel da bolsa com o rosto inexpressivo.


O anel brilhou quando a luz o atingiu, mesmo depois de tantos anos. O proprietário o pegou rudemente para dar uma olhada mais de perto.


"Vou deixar você escapar dessa, parece real, mas não espere muito, certo?"


"Sim senhor."


"Parece barato, mas de alguma forma bem feito..."


Ele de repente ficou em silêncio. Seus olhos dilataram como se ele tivesse visto algo extraordinário. Ele levantou-se. A menina estava seguindo cada movimento seu. Suas mãos tremiam. Ele não conseguia tirar os olhos do anel. Rabiscando sua lente de aumento, ele a inspecionou de perto. Sua expressão rapidamente passou de surpresa, para duvidosa, para espantado.


O homem respirou fundo.


"Você, de onde você roubou isso! Sua vadia!"


Blondina percebeu instantaneamente que a atmosfera havia mudado.


Ela estava com medo de ser atingida novamente, balançando a cabeça agressivamente.


"Eu não roubei!"


"Então onde, de onde...!"


"Minha mãe me deu. Ela... Ela disse que foi a única coisa que meu pai nos deixou!"


"Eu não posso acreditar nisso! Esta forma....... ", O homem murmurou com um olhar vazio. Ele indicou uma cadeira para a menina.


"Fique bem aqui! Eu volto em breve!"


A loira não disse nada. Ela ainda não sabia o que estava acontecendo.


Correndo como uma espécie de louco, o dono trancou a porta e colocou a placa de fechado. Loira o chamou baixinho.


"Senhor?"


Ele já havia desaparecido. Que mistério...


A menina apenas olhou fixamente para a porta fechada. O interior escuro da loja estava iluminado apenas por uma vela.


━━━━━━◇◆◇━━━━━━


Blondina entrou no quarto de hóspedes do castelo imperial, cuidadosamente deitada na luxuosa cama king-size.


Ela ainda não conseguia acreditar no que estava acontecendo. Como ela poderia, de todas as pessoas, ficar no castelo?


Há dois dias, na joalheria, o proprietário voltou pouco depois de sua partida, com o imperador. A menina não conseguiu se curvar o suficiente - ela tinha acabado de ver um nobre...


Ela foi levada para o castelo em uma carruagem.


E assim Blondina ficava no castelo há dias, ainda sem saber o motivo de tudo o que tinha acontecido com ela.


Ela brincou com o anel na mão e olhou pela janela. O sol estava se pondo no horizonte. Banhando os campos fora da janela com uma luz laranja enquanto o céu escurecia. Ela lentamente foi se perdendo em devaneios. Antes que ela percebesse, a lua e as estrelas eram as únicas coisas que restavam para iluminar o quarto.


Ela foi interrompida pelo barulho da porta. Normalmente nunca era aberto, exceto para as refeições ...


'Quem poderia ser?'


Inquieta, ela pegou um castiçal, a única arma útil que ela poderia pensar.


A porta se abriu com um rangido estranho.


A Loira largou o castiçal ao ver as gigantescas figuras masculinas paradas na porta. Seria inútil tentar lutar contra eles, ela pensou. Por um olhar de sua pele imaculada e andar imponente, ela poderia dizer que eles não eram apenas pessoas comuns.


Depois que todos os homens altos entraram, um jovem muito bonito entrou.


Ele entrou graciosamente, seguido por seus servos. Seu cabelo loiro brilhava suavemente sob a luz de uma tocha no quarto escuro. Ele logo chamou a atenção dela e ergueu uma sobrancelha. A menina agarrou seu cobertor com força enquanto ele se aproximava.


"Me diga seu nome."


"Quem é você?", Blondina perguntou, evitando a pergunta do homem.


Ele perguntou novamente, em um tom ligeiramente irritado.


"O nome da sua mãe é Lily, certo?"


"Você conheceu minha mãe?"


A loira engoliu em seco e ergueu a cabeça para olhar para o homem.


Ele gesticulou para o criado próximo a ele, que lhe deu uma vela. Ele ergueu o queixo dela com a mão, como se estivesse observando um brinquedo, e examinou atentamente suas características faciais. Um pouco de cera pingou na clavícula da garota.


"Ai!"


Ela gritou, mas realmente não parecia se importar muito com a dor. Só então a expressão do homem mudou.


"Você se parece muito com a sua mãe, sabe.", Ele disse em voz baixa e sem emoção. Seus olhos penetrantes percorreram a Loira.


"Uma imagem no espelho, quase."


Ela perguntou a ele, em uma voz muito mais gentil desta vez.


"Quem é você, senhor?"


Em vez de responder, o homem examinou o rosto da Loira novamente. O cabelo loiro e os olhos lindos e brilhantes. Ele podia ver que ela tinha um caráter muito correto.


Ele começou a rir e acariciou a cabeça da Loira.


"Eu sou Trisé Ryun Haverti Atez. Seu pai, Imperador de Athes."


O coração de Blondina deu um salto.


◇◇◇◇◇◇◇◇◇◇◇◇◇◇◇◇◇◇

17 de Junho de 2021 às 22:33 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo Capítulo 2

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!