pampss Pâmela Robert

Céus como eu teria amado participar de algum universo literário algo bonito e fofo como... os romances da Paula Pimenta, nada tão difícil como Maze Runner ou Jogos vorazes. Deixei muitas coisas pela metade minha vida foi uma delas não obrigado não quero reencarnar ou ressuscitar já cansei deste mundo cheio de destroços, pessoas destroçadas, lugares destroçados talvez em algum lugar eu nunca chegaria a ser um dos destroços que compõe este mundo, mas todos estão fadados a ser um destroço.


Conto Todo o público.

#contos
Conto
1
495 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

I'm not ready to die

Meus olhos haviam se fixado no cabo daquela faca conseguindo de canto de olho ver a lamina brilhar, não seria fácil, mas nada era fácil nesse mundo cheio de destroços. Sempre que algo a deixava triste se pagava imaginando o quão gelada a lamina seria ao passar por seu pescoço ou... o quão quente seria seu sangue se esvaindo de seu corpo, não me sentia estranha por sorrir ao pensar nisso era algo que me fazia me sentir melhor imaginar eu finalmente longe de tudo também não me preocupava me imaginar ardendo no fogo do inferno se era o que eu merecia por fazer com que me deixa-sem ou me entendessem que seja eu faria. Minha mão já estava sobre o cabo da faca a segurando com força se não fosse agora não seria nunca, sempre tive o medo de morrer obviamente como uma garota normal eu gostaria de ter feito muitas coisas antes de morrer beijar alguém, perder a minha virgindade, havia filmes que eu nunca tinha visto, livros que eu não tinha lido e episódios de series que eu nunca concluiria, nunca iria ter meu carro dos sonhos, filhos, um amor. São as poucas coisas que consigo pensar por hora talvez minhas memorias estejam se esvaindo... AMOR acho que nunca entendi bem o que era amar e ser amada talvez algum dia eu acabasse entendendo, mas não mais, não me sentia mais amada apenas acordava e fazia minhas obrigação minhas únicas risadas eram tiradas por amigos virtuais, livros e series

Céus como eu teria amado participar de algum universo literário algo bonito e fofo como... os romances da Paula Pimenta, nada tão difícil como Maze Runner ou Jogos vorazes.

Eu via o nada, o escuro já que era o melhor horário ninguém estaria acordado e quando alguém acordasse eu já estaria fria sobre o piso, a lamina repousava friamente sobre minha garganta é as lagrimas se acumulavam loucas para caírem e fazerem seu serviço. Não que eu não gostasse de viver pelo contrario eu amava viver eu ainda gostaria de ter acampado em algum lugar e ficar observando as estrelas a noite, dançar sobre a chuva, ir em algum show e perder a voz de tanto cantar, viajar para vários lugares, também amava assistir um filme ou serie é me apaixonar por aquele universo é pesquisar sobre e conversar com minhas amigas e dividir tudo com elas, espero que elas me perdoem por deixa-las nesse mundo, eu também as amava com meu jeitinho que era como eu sabia amar, elas quem me faziam rir teve uma vez... que céus sempre que me recordo acabo rindo. Eu também amava ler absorver cada palavra, cada frase, e pagina que me ensinavam palavras, gestos, criaturas, fatos históricos mesmo que fictícios, como a sociedade seria em tal situação, me ensinavam um jeito novo de julgar e ensinar, um jeito novo de amar, um jeito novo de educar e como ouvir muitos ensinamentos eu tirava das paginas que muitos julgavam ser baboseiras ou apenas um romancezinho.

Eu tinha muito para fazer e aprender só que... Eles queriam resultados imediatos eu.. tinha a calma de saber que minha vida não seria como a deles eu tinha medo o medo constante de tentar fazer algo e não conseguir porque eu não sabia ser adulta como eles, eu poderia estar fazendo a mesma coisa por dias e dias e sempre iria achar que poderia ter feito melhor porque eu aprendi a ver os defeitos que vocês me impunham e aprendi a conviver com eles, mas nunca a acabar com eles porque eles faziam eu ser quem eu era, mas nunca estive a fim de deixar de ser eu mesma, Certo as vezes eu não sabia quem eu era, se eu realmente gostava daquilo ou era porque eu queria ser como quem me apresentou? Eu acho que nunca cheguei a saber quem eu era no fundo, mas as roupas que eu vestia, os livros que lia, as musicas que eu escutava faziam de mim alguém que não era como vocês e eu amava ser eu mesma porem suas regras ditadas me faziam ter medo de me exaltar em uma conversa, indicar uma musica, dizer que não gostava de tal coisa ou pessoa

Eu estou pensando em mais coisas que gostaria de dizer... há sim como vocês vão chorar sobre meu corpo é ainda sim quando estiverem na segunda ou na quinta faze do luto vão dizer que é minha culpa ter deixado essa dor sobre vocês é eu pensei muito sobre como eu não queria fazer isso a vocês, como eu não queria que vocês sofressem por minha culpa, que tivessem mais tempo comigo, mas fazer vocês sentirem essa dor é tirar muitas outras que me afligiam algumas que vocês causavam e nunca souberam vão se culpar durante a terceira fase do luto talvez e sim em parte vocês tiveram culpa coisas que me diziam e que eu teria amado retrucar, mas com o tempo eu aprendi que ficar quieta era o melhor a se fazer

O barulho do meu corpo caindo não acordou ninguém talvez tenha, mas ela se garantiu de que era por causa do sonho já que virou para o outro lado e tentou descobrir como terminaria, deixei muitas coisas pela metade minha vida foi uma delas não obrigado não quero reencarnar ou ressuscitar já cansei deste mundo cheio de destroços, pessoas destroçadas, lugares destroçados talvez em algum lugar eu nunca chegaria a ser um dos destroços que compõe este mundo, mas todos estão fadados a ser um destroço. Acha que eu vou mudar de ideia ? Provavelmente quando ela descobrir o que eu fiz, não obrigado eu não vou querer ver eu a amo demais para ver a dor que afligi a ela, sim eu estou me culpando sempre irei me culpar por algo, mas como eu disse eu não aguentava mais

Sim um dia bem longe e distante eu iria deixar essa ideia de lado porque iria conseguir o que eles querem de mim, mas eu seria feliz ? Eu só queria ser feliz sem ter que dar algo em troca eles apenas nos sugam é esperam que estejamos bem no dia a dia. Não eu não vou olhar desse lado eu consigo ver uma balsa com uma criança feliz espero que para ela seja fácil. Não sabia que ainda chorávamos no pós morte, também não sabia que ela gritava assim, uma vez quando perdemos alguém que amávamos, mas eu ainda podia abraça-la consola-la e agora eu causei isso.


















17 de Junho de 2021 às 03:32 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Fim

Conheça o autor

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~