Conto
0
1.0mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Para Jin,

Sinto sua falta, Jin. São 5 anos sem você. O céu está lindo aqui, o azul parece ser mais claro e mais alto. Qual a cor dele aí? As nuvens ainda têm formato de coelho e coração como quando éramos crianças? Espero que sim. Sinto falta de passar as tardes com você, correndo no parque e caindo de costas na grama, sentindo-a fazer cócegas em nós; sinto falta do seu sorriso também e de como ele conseguia me deixar feliz. Você ainda sorri, Jin? Tomara que sim, nunca pare de sorrir.

Quero ouvir sua risada mais uma vez; você chorou quando falei que iria embora e foi me ver no aeroporto. É a última memória que tenho de você; você tinha cabelo loiro e sempre que podia mandava um beijo no ar. Mas, você não me mandou um beijo naquele dia, por que não, Jin?

O sorvete de morango que tomávamos ainda continua o mesmo? Aqui não tem sorvete de morango e, depois de você, é o que mais sinto falta. Não tem muita coisa aqui, para falar a verdade; me sinto entediado na maior parte do tempo. Jungkook está aqui, mas não é a mesma coisa; ele não vê o mundo da maneira que você vê, sempre tão colorido e bonito.

Lembra do nosso primeiro dia na escola? Me fizeram chorar, mas você pegou na minha mão e me abraçou, disse que tudo ficaria bem e que sempre estaria ao meu lado. Você cumpriu a promessa. Mas, no final, fui eu quem te deixei; sinto muito, Jin.

Aquela coroa de flores ainda existe? Aquela que te dei no seu 15º aniversário, uma semana depois que sua mãe morreu. Ela era especial, assim como você. Eram flores tão lindas; rosas-vermelhas, principalmente. Ah, Jin, flores ficam tão bem em você.

Ainda me lembro do dia em que ela nos levou no parque de diversões porque meu pai estava bêbado demais para se lembrar de mim. Aquele dia foi o melhor de todos; eu te ganhei um urso de pelúcia nos jogos e uma zebra para mim. Você insistiu em chama-lo de Mário, pois adorava. Chamei o meu de Gummy porque ele se parecia com uma daquelas balas de goma que nós dois gostávamos. Eu perdi Gummy quando me mudei para longe de você, mas espero que faça outra pessoa feliz.

À propósito, você continua loiro? Ainda mora na antiga casa de seus pais ou finalmente conseguiu comprar aquele apartamento que tanto queria? Espero que sim, Jin. Espero que esteja feliz. Não sei se seguiu seu sonho, mas é meu maior desejo; você ama tanto cozinhar, Jin. Nunca provei melhor comida – a não ser, é claro, da minha mãe; você sabe como ela cozinhava bem.

Ainda vê Namjoon? Só eu sei o quanto você gostava dele e o quanto doeu vê-lo com outro. Ah, Jin, como eu queria poder ter tirado toda sua dor. Queria que você não tivesse me segurado quando quis bater nele, na frente da escola inteira. Você entrelaçou seu braço no meu e fomos sentar em um dos bancos do lado de fora, observando as folhas das árvores ao vento, longe de curiosos. No dia seguinte, você não foi à escola e eu te acompanhei numa maratona de séries acompanhada de sorvete de chocolate. Como eu sinto falta desses momentos, Jin. Espero que você sinta também. Sente falta de mim?

Você ainda faz terapia de compras para melhorar seu humor? Não tem muitas lojas aqui para fazer isso, e não seria igual. Ninguém aqui tem seu humor, Jin. Todos apenas seguem sua rotina dia após dia, como se estivessem presos numa bolha.

Estou pensando em ir te visitar nas férias de verão, posso? Nós vamos naquela loja de conveniência no centro da cidade, do lado daquele posto de gasolina abandonado. Ou então naquele café pequeno, mas que tem o melhor bolo de chocolate com chantilly de todo o mundo. Sim, eu me lembro. Queria poder me lembrar da sensação, mas não consigo.

Também não me lembro de como era a sensação de sair de casa escondido para ver a lua e as estrelas mesmo quando deveríamos estar dormindo. Ainda consigo lembrar do frio em meus braços e da maravilha que se estendia acima de nossos olhos; do azul e do roxo brilhante. Eu me lembro de fazer um pedido à estrela-cadente.

Jin, a neve era tão bonita caindo do lado de fora das janelas da faculdade. Você me chamou para fazer um boneco de neve, mas nenhum de nós sabia como então apenas fizemos anjos na neve. Os seus ficaram tão bonitos. Você ainda canta, Jin? Sua voz é calma e doce. Justamente o que eu precisava quando Yoongi quebrou meu coração numa quinta-feira à noite e você me convenceu a ir ao cinema ver uma comédia. As piadas eram ruins mas você as fez parecer engraçadas. Quando ri, sua cabeça tomba para frente e seus olhos quase se fecham mas se prestar atenção, eles parecem formar arcos. Sua boca se abre e às vezes você põe a mão na frente. Não ponha, seu sorriso é maravilhoso. Não cubra seu rosto Jin, ele é lindo.

Aquele balanço na árvore ainda existe? Nós gostávamos tanto de ir lá e apenas balançar devagar, olhando o horizonte. Ajudamos um pássaro naquele dia e até mesmo fizemos um ninho. Ele era cinza e branco. Eu quis ficar com ele, mas você disse que ele pertencia à natureza. Ah, você foi sempre tão gentil, Jin; sempre trouxe o melhor de mim à tona e sempre tomou conta de mim, mesmo quando eu fazia besteira e estava errado. Mesmo quando eu te machuquei usando as piores palavras possíveis. E mesmo depois de tudo, nunca desistiu de mim. Espero que me perdoe por ter te deixado, Jin.

Tenho tanto a dizer mas me espere, por favor. Jin, Jin, Jin. Você foi a melhor coisa que já me aconteceu.

Jimin

9 de Junho de 2021 às 00:29 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~