keylipz_ keylipz; é trailermaker 🧈

Quando Taehyung vê o homem bêbado, gritando e chorando embaixo de sua janela ele sabe de duas coisas: terá que ajudar um bêbado e consequentemente tentará não cair em seus encantos com aquele sorriso amarelo. Só não sabia que um ano depois estaria namorando o mesmo bêbado, caindo não só pelos encantos do sorriso, mas de todo o resto que compunha Jung Hoseok, esse que descobriu que jogar pedrinhas na janela errada as vezes não é tão ruim assim. Um casal diferente e feliz, mas quente, muito quente.


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#bdsm #romance #lgbtqia+ #gay #taehyungbottom #hoseoktop #flex #hoseok #taehyung #bts
1
76 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 15 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

First Time

Hoje estava completando um ano desde que Hoseok pediu TaeHyung em namoro e os dois viviam em uma felicidade de tamanho inexplicável. Ambos sempre fazem tudo juntos: saem para comer, dançar, passear, ir ao cinema, ou simplesmente ir para casa um do outro para ficar fazendo nada. Mas só tem uma coisa que ainda não fazia parte desse relacionamento: o sexo.

Hoseok era um homem bonito e o que podemos chamar de experiente no assunto, mas TaeHyung, não. Apesar de igualmente lindo, era inseguro, nunca tinha se deitado com ninguém e não queria decepcionar seu namorado também se perguntava com frequência se Hoseok gostaria de ver o que ele sempre escondia por baixo dos panos que usava.

Mas o namorado de TaeHyung era um homem paciente, ele sabia esperar o tempo de seu amorzinho e o elogiava sempre para tentar diminuir aos poucos a insegurança que Tae tinha. Na cabeça de Hoseok, seu namorado era o homem mais bonito do mundo, um deus grego, não precisava ver para saber que iria amar seu garoto por completo.

Porém, no último mês, TaeHyung vinha pensando em finalmente se entregar de corpo e alma, se deitar com Hoseok e fazer amor, sexo, transar... seja lá como ele preferisse chamar. E hoje, no dia de seu aniversário de namoro, imaginava que Hoseok já tinha percebido isso, então quando o mesmo mandou mensagem para Tae dizendo que queria comemorar e que lhe faria uma surpresa, o mais novo obviamente compreendeu: iriam fazer amor, finalmente!

Então, na hora marcada para a tal surpresa, o mais novo, porém mais alto da relação já estava pronto, vestido um pouco mais ousado do que geralmente se veste. Seu look consistia em uma blusa preta apertada de mangas que iam até metade do braço, mas que deixavam seus ombros à mostra. Como quase sempre, usava uma saia, ela era azul, mais curta que o usual e também apertada. Em seus pés, um salto baixo e confortável, em seu rosto uma maquiagem não muito carregada, em seus lábios um gloss que os deixavam mais chamativos e o perfume preferido de Hoseok. Estava atraente.

Após conferir-se no espelho tantas vezes que nem ele mesmo conseguiu contar, TaeHyung se certificou de pegar os seus documentos e sorrateiramente roubou quatro camisinhas do quarto de sua mãe. Talvez nem usassem uma direito, ou talvez Hoseok estivesse levando algumas ele mesmo, mas achava melhor prevenir.

Na casa do mais velho, os pensamentos tinham uma preocupação diferente.

Hoseok é uma pessoa romântica, gosta de mimar seu amorzinho com presentes e surpresas fofas, por isso estava levando-o para assistir um filme em um telão ao ar livre, onde eles poderiam ficar dentro do carro. Sabia que TaeHyung sempre quis ir a um desses, era algo que o garoto sempre comentava, então quando viu a oportunidade de proporcioná-lo esse pequeno sonho, resolveu que faria. Para Hoseok, passaria a noite inteira assistindo um filme bonitinho com o namorado e trocando carícias em seu carro.

Já pronto, com uma camisa preta, um jeans também preto e rasgado nos joelhos, sapatos pretos e um cinto da mesma cor que o resto da roupa, estava bonito e com a certeza de que seu namorado estava esperando por ele adoravelmente lindo também. Buscou seus documentos e a chave do carro, pegou seu celular e mandou mensagem para TaeHyung, avisando que estava indo o buscar.

Hobi!:
Anjinho, eu tô indo te buscar, daqui a pouco eu chego aí okay? Te amo <3

TaeTae:
Oi amor! Eu tô pronto, tô te esperando e por favor não tenha pressa, não quero que você se machuque no caminho! :(( te amo!!

TaeHyung estava sentado no sofá de sua casa, respirando fundo e tentando não demonstrar que estava extremamente nervoso. Queria aproveitar a noite e estava ansioso para que todas as suas inseguranças fossem expulsas da sua mente, como sempre acontecia quando Hoseok estava com ele.

Hoseok estava quase morrendo de amores enquanto trancava sua casa e caminhava até seu carro para ir buscar um namorado que nunca deixava de se preocupar com ele. Colocou uma música baixinha tocando durante o caminho e seguiu calmamente e sem pressa, como pediu o mais novo.

Chegando lá, foi até a porta e tocou a campainha, com o pensamento irredutível de que iria abrir a porta do carro para ele quando fossem entrar de novo, queria tratar ele como um verdadeiro príncipe hoje.

TaeHyung ouviu o som suave e foi atender a porta. Antes de abrir, respirou fundo umas 3 vezes para tentar espantar o nervosismo. Finalmente girou a maçaneta e sorriu imediatamente amava tanto Hoseok que só sua presença o fazia querer derreter.

Hobi também não estava diferente. Viu seu namorado e quase esqueceu como respirava, tinha certeza de que estava vendo um anjo à sua frente.

— Boa noite, Hoseokie — TaeHyung o abraçou imediatamente, com carinho.

— Boa noite, TaeTae — Hoseok respondeu enquanto correspondia ao abraço e aproveitava a sensação maravilhosa de ter os braços do outro em volta de si.

— O caminho foi bom? Não se machucou, não é? — TaeHyung separou o abraço, mas não ficou longe, pelo contrário, tocou delicadamente o rosto de Hoseok, procurando qualquer arranhão que indicasse alguma freada brusca ou algo do tipo.

O outro riu:

— Ei, eu não me machuquei, o caminho foi ótimo, bem tranquilo para falar a verdade.

A tranquilidade de um trânsito e uma música gostosinha de fundo o fez sentir em um filme.

— Mas, ei, vamos pro carro, okay? Pode ficar frio ou até chover, não podemos ficar doentes, né? — Hoseok voltou a falar com um sorriso enquanto se afastava para segurar a mão do mais novo e o puxou delicadamente depois de esperar ele se certificar que trancou a porta.

— Ce-certo... Vamos...

O nervosismo de TaeHyung voltou minimamente. Ele pensou que Hoseok deveria estar com pressa ou ansioso igual a si mesmo, e não o culpava. Tae não perdeu muita coisa, mas seu namorado ficou um ano parado, respeitando o espaço e o tempo dele.

Chegando perto do carro, Hobi cumpriu com seu pensamento de abrir a porta para TaeHyung, o que fez o maior corar levemente e sorrir agradecido.

— Não precisava, Hobi... Mas obrigado.

O mais novo entrou no carro e fechou a porta, colocou seu cinto e esperou Hoseok repetir o mesmo processo para tentar matar sua curiosidade sobre as coisas que fariam hoje.

— Para onde vamos?!

Perguntou, curioso e ansioso. Queria saber se iriam a algum lugar especial ou romântico, como seria tudo... Mas Hoseok riu. Achava o rapaz simplesmente adorável, gostava de o deixar intrigado, estimulava a imaginação, queria deixar o menino especular sobre o que fariam hoje.

— Primeiro: precisava sim, e segundo: é surpresa TaeTae. Você só vai descobrir quando estivermos chegando perto.

Hoseok estava animado, esperava conseguir agradar seu namorado com o encontro. TaeHyung estava na expectativa, esperava ser capaz de satisfazer o seu namorado mesmo com sua inexperiência.

— Se foi você que escolheu, tenho certeza que vou amar! Você sabe como eu sempre quis que essa noite fosse...

Tae sorriu, estava feliz em saber que ele teve o cuidado de escolher um lugar para eles. Hoseok riu.

— Eu sei que tenho bom gosto, obrigado — disse em um tom brincalhão. — Mas então... Como foi o teu dia hoje? — perguntou. Ele queria desviar a atenção de TaeHyung do tal lugar onde estariam indo.

— Ah, foi um pouco chato, para falar a verdade. Só melhorou na hora que fizemos aquela ligação, mas você sabe, minha mãe me chamou e nós tivemos que desligar para eu ajudar ela — ficou meio chateado por ter que desligar a ligação com o namorado bem no dia do aniversário dos dois, mas já tinha passado. — E o seu, meu amor?

— Bem... fico feliz em saber que consigo melhorar o seu dia… — e ele não estava falando só por falar, realmente amava deixar seu namorado feliz. — Lembra quando aconteceu isso comigo? Que nós estávamos conversando e a minha mãe me chamou pra fazer a janta? E, ah, o meu dia foi normal, sabe? Ele só melhorou por sua causa, me mantive bem concentrado nas últimas horas em ficar bonito e deixar tudo perfeito para hoje.

TaeHyung suspirou agradecido. Ele queria que a sua primeira vez fosse especial, e saber que Hoseok quis deixar tudo perfeito o fazia muito feliz.

A conversa continuou tranquila até chegarem no local em que Hoseok queria surpreender TaeHyung. O carro foi estacionado, o mais novo estava totalmente encantado com a tela grande prestes a começar um filme. Se sentia feliz, em nenhum momento passou pela sua cabeça que Hobi o levaria para algo tão romântico antes de realmente iniciar o que estava na mente de TaeHyung há um bom tempo.

A surpresa de Hoseok estava sendo linda por enquanto, linda mesmo, e ele não tinha do que reclamar. O filme era um dos seus favoritos, mas infelizmente Tae não conseguia prestar atenção: sua mente continuava na ansiedade para o resto. Talvez Hoseok quisesse que ele iniciasse os movimentos para ter certeza de que era isso mesmo que TaeHyung queria.

Para o mais velho o filme estava incrível e o tempo estava bem agradável. Ele esperava que Tae estivesse gostando também, até que percebeu que o mais novo parecia meio avoado, mas não tinha certeza se deveria perguntar alguma coisa.

— Hoseokie... — TaeHyung sussurrou suave.

— Sim, meu anjo?

— Eu acho que já podemos começar… — moveu sua mão do final da coxa de Hoseok até o começo, quase em sua virilha

O mais velho quase deu uma desfalecida ao sentir a mão de TaeHyung perto de sua virilha. Hoseok finalmente entendeu o motivo do garoto parecer tão nervoso e avoado, mas ainda tinha algo que lhe deixava em dúvida: Tae estava achando que ele queria transar no carro? Antes de tomar decisões precipitadas, resolveu apenas tentar entender melhor as intenções de seu namorado. Ele colocou a mão delicadamente por cima da de TaeHyung e perguntou, calmo:

— Tae, o que você está fazendo?

— Eu estou… — o mais novo interrompeu sua fala. Como assim o que estava fazendo? Não era isso que Hoseok queria? Não foi isso que planejou? A surpresa era apenas o filme?

Ao perceber o erro drástico de interpretação e a vergonha que tinha acabado de passar, removeu sua mão da coxa do namorado e levou rapidamente as duas palmas até seu rosto, cobrindo a face completamente envergonhada.

— N-na-nada! Hoseok, nada... E-eu só... É... Nada! Esquece!

Lembrou das camisinhas em sua bolsa e seu rosto ficou mais vermelho ainda. Estava se sentindo burro e idiota, muito idiota. Hoseok preparou algo totalmente lindo e seus pensamentos o levaram a interpretar algo... assim.

O Jung ainda estava surpreso com os recentes acontecimentos, mas riu do tamanho constrangimento do maior. Adorável.

— Ei... não fique com vergonha, meu anjo — apesar da risadinha, sua voz estava calma e suave. — O que te fez pensar isso? Você realmente queria?

TaeHyung ouviu a risada e isso não ajudou em nada as suas tentativas de diminuir a vergonha que sentia. Hoseok falava com ele, mas não conseguia responder, não em voz alta. Continuou calado e com o rosto coberto, porém assentiu positivamente. Queria aquilo, queria se entregar a ele, se preparou para isso, mas nesse momento ele queria apenas deixar existir.

— Sim? — TaeHyung confirmou com a cabeça novamente.

Agora Hoseok estava feliz, seus pensamentos eram animados. Então ele quer ter a tão esperada primeira vez? Será que TaeTae tinha se preparado todo? Tipo, pensando que eles irão finalmente fazer amor? E agora vão, finalmente?

— Okay... Então...

Hoseok resolveu dar partida no carro e ir a um hotel com ele. Se fosse para o garoto ter a primeira vez, que fizessem isso em uma cama, com um clima romântico e Beatles de fundo.

Mas TaeHyung novamente interpretou errado as ações do namorado: ao ouvir o carro sendo ligado de novo, retirou as mãos do rosto devagar. Achava que Hoseok estava bravo, decepcionado por ele ter pensado que sua surpresa tão romântica era isso e que agora estava o levando para casa.

— Hobi... Desculpa… — disse, envergonhado. — Você vai me levar para casa, não é?

Estava triste, abaixou a cabeça novamente e encarava seus dedos das mãos. Hoseok resolveu tranquilizá-lo:

— Ei, não precisa se desculpar, você apenas confundiu as coisas, não tem nada de ruim, okay? Eu não vou te levar para casa, na verdade nós vamos pra um hotel. Eu quero te dar a melhor primeira vez que alguém poderia ter!

TaeHyung levantou a cabeça surpreso, mas feliz. Eram muitas informações.

— U-um hotel? Amor, não é... Não é muito caro? E... espera. Então... A gente vai... É... Você sabe! Mesmo? A-a gente vai fazer isso hoje? Mesmo, mesmo?

— Ao menos que você não queira mais, óbvio, mas mesmo assim vamos pro hotel, nem que seja para fazer cócegas um no outro.

— Eu... Quero… — falou pausadamente, mas sem hesitação. Realmente queria sanar aquela dúvida, saber como é a sensação... saber se Hoseok gostaria de si por inteiro.

— Então nós vamos fazer amor hoje, TaeTae. Se prepare para mim, eu vou fazer você se sentir incrível.

Hoseok confiava em suas habilidades no sexo e iria dar o melhor de si para agradar TaeTae. Ele sabia o caminho de um hotel bem famoso por ter um clima romântico. Jimin, um amigo seu, só frequenta o local para as várias fodas dele, mas Hobi realmente quer algo melhor do que uma foda sem sentimentos.

O trajeto foi um tanto silencioso. TaeHyung ainda estava nervoso, mas o silêncio era confortável e serviu para que ele relaxasse ao menos um pouco, o mínimo para impedi-lo de entrar em um colapso naquele carro.

Ao chegarem, percebeu que o hotel era realmente muito bonito. Quando Hoseok parou o carro no estacionamento, Tae o olhou sorrindo o mais tranquilo que seu nervosismo permitia. O mais velho resolveu perguntar só mais uma vez se o seu amorzinho tinha certeza do que queria para se certificar de que ele não se sentiria pressionado:

— Tae, você tem certeza disso?

TaeHyung levou sua mão para tocar o rosto do namorado, e só então percebeu que estava tremendo, o que lhe fez rir um pouco, mas ainda assim tocou seu rosto num gesto suave. Deu um selinho delicado em seus lábios e falou, baixinho, ainda bem próximo a sua boca:

— Eu tô nervoso pra caramba, mas é a maior certeza que eu tenho, Seokie...

Hoseok sorriu. Gostava de sentir o toque das mãos macias de seu amorzinho, e a boca dele também.

— Aos poucos o nervosismo passa, eu posso te garantir — lhe deu outro selinho, tentando acalmá-lo mais um pouco. — Vamos lá, espera que eu vou abrir a porta pra você.

O mais velho saiu do carro e abriu a porta para seu amorzinho, que estava rindo do jeito que o outro sempre fazia questão de abrir as portas para si. Não satisfeito, ele também estendeu a mão para ajudar Tae a sair do carro. Fechou a porta, mas não largou a mão do namorado.

— Vamos de mãos dadas, hm?

— Vamos! — o tom de TaeHyung era animado.

Começaram a caminhar para a recepção, e como sempre a insegurança de TaeTae falou mais alto: antes de chegarem lá, parou de andar, fazendo Hoseok parar também.

— Hoseok. Espera — fez contato visual. Não estava com medo ou algo parecido, estava preocupado. Jung o observou, atento. — Você já transou várias vezes, eu sei disso. Você me perguntou muitas vezes se eu realmente queria fazer isso e eu quero. Mas... Hobi, eu nunca fiz nada disso com ninguém, eu... Eu sou totalmente inexperiente. Você tem certeza de que quer fazer isso comigo? Eu não sei se posso superar ou sequer ser comparado a você, ou às outras pessoas com quem você já fez isso...

Hoseok sorriu e, bem calmamente, se aproximou mais do namorado, falando em um tom suave:

— Tae... — segurou suas duas mãos. — Você não deve se preocupar com nada, okay? Eu posso ter tido outros parceiros, mas nenhum deve ser comparado com o outro. Aliás, anjo, você pode ser inexperiente, mas mesmo assim eu vou amar ir para cama com você, e sabe por quê? Porque eu te amo, Taehyung. Nós vamos aprender e testar coisas novas enquanto a vida nos permite fazer isso. Eu quero aproveitar tudo o que puder contigo, desde a nossa primeira vez até a de número 20 ou número 30, sei lá.

TaeHyung sorriu emocionado e o abraçou, forte e com bastante sentimento:

— Eu também te amo, Hoseokie — se afastou do abraço e suspirou, resolvendo ignorar o resto do nervosismo existente. — Okay, então é oficial. Em que direção a gente vai? Eu ainda tô nervoso, quero ir pro quarto logo, a gente vai ter mais intimidade lá...

Hoseok riu novamente do jeitinho adorável que ele ficava quando estava nervoso:

— Só me siga — disse e começou a andar em passos lentos enquanto puxava TaeTae pela mão.

Chegaram à recepção e o mais velho pediu pelo quarto mais romântico e bonito que tinha. O quarto também era o mais caro, mas fazer o quê? A recepcionista lhe entregou a chave com um sorriso amigável e os desejou uma ótima noite.

Teriam que usar o elevador. Hoseok até pensou em começar a se pegar com TaeTae lá dentro, mas achou melhor não, a não ser que ele tome a iniciativa. Os elevadores excitam bastante...

— Você não deveria ter pego o quarto mais caro, mas obrigada, Seokie.

— Tudo para o seu bem, meu anjo.

TaeHyung passou seus braços em volta do pescoço de Hoseok:

— Você. É. O melhor. Namorado. Do mundo — a cada pausa era um selinho depositado nos lábios do mais velho, e, após a última palavra, começou um beijo delicado. Realmente é melhor deixar a intensidade pra depois. As mãos de Hoseok estavam em sua cintura somente, ele está nervoso, é bom fazer tudo aos poucos.

Enquanto ainda estavam aproveitando o beijo, a porta do elevador se abriu, o que assustou um pouco TaeHyung e fez com que ele separasse o beijo. Hoseok sorriu e o guiou para o quarto, que realmente era muito lindo: grande, a cama de casal parecia bem macia, as cores estavam em perfeita harmonia, tinha uma varanda que permitia a entrada de ar puro, deixando o espaço climatizado naturalmente.

Enquanto Tae analisava o quarto, totalmente encantado, Hoseok trancou a porta e o clique da chave fez o mais novo olhar para ele, sem saber o que fazer exatamente:

— Hobi... Eu não sei o que fazer agora… — comentou com uma risada nervosa.

Hoseok também estava ficando um pouco nervoso. Queria que TaeHyung gostasse da noite e jamais o machucaria. No fundo, tinha a certeza de que isso ia ser incrivelmente foda, meio que literalmente.

— Relaxa — riu. — Se quiser ir ao banheiro para respirar um pouco ou sei lá, pode ir. Eu não quero te deixar tenso, tudo no seu tempo, okay?

— Ok... Eu acho que vou lá. Já volto! — foi em passos rápidos para o banheiro e fechou a porta depois que entrou.

TaeHyung olhou para o próprio reflexo no espelho. Ainda estava bem arrumado e nada tinha saído do lugar — o cabelo estava um pouco bagunçado, mas isso não importava tanto. Continuava atraente.

Enquanto isso, Hoseok explorava o quarto. Ele encontrou algumas toalhas em uma gaveta, e achou que pudessem ser úteis. Retirou seus sapatos e meias. Ficar sem sapatos pode acalmar.

E se eu não atingir as expectativas do Taehyung? Será que ele não vai se arrepender depois? Pela primeira vez estava muito, mas muito nervoso ao transar com alguém.

No banheiro, TaeHyung respirou fundo algumas vezes. Tinha feito a "chuca" na noite anterior, então não tinha muito com o que se preocupar, por mais que ainda estivessem tremendo um pouco. E se doer muito? E se eu não conseguir fazer? E se Hoseok não gostar? E se eu não gostar?

— Argh, para com isso TaeHyung. É só confiar, vai ficar tudo bem.

Respirou fundo pela última vez e saiu do banheiro. Ele deixou sua bolsa na mesinha perto da cama e se sentou devagar. Era realmente bem macia e parecia ser bastante confortável. Olhou para Hoseok timidamente, encolhendo os ombros e sorrindo:

— Eu tô pronto, Hoseok...

Hoseok saiu de seus devaneios ao ver seu namorado sentado na cama. Sorriu para ele e se aproximou para sentar-se ao seu lado:

— Caso você não goste de algo, por favor me avise, ok? Não vou fazer nada que não goste.

— Okay… — o mais novo sussurrou em resposta ao seu pedido.

Hoseok acariciou o rosto de TaeHyung levemente e deixou a outra mão em sua coxa, sem malícia nenhuma, só queria sentir sua pele. Estavam com os rostos próximos, ambos se aproximando mais e mais para iniciar um beijo, soltando um suspiro assim que toda a distância foi quebrada.

As mãos de TaeHyung apertaram a roupa de cama enquanto o beijo acontecia. Não era algo tão agitado, nem muito diferente de seus outros beijos, mas havia mais carinho, mais amor. Tae levou uma de suas mãos para o antebraço do mais velho, a deixando ali e apertando de vez em quando, lhe causando leves arrepios.

O beijo continuava, carinhoso como nunca, mas se intensificava um pouco mais a cada segundo. A mão de Hoseok que estava no rosto do outro foi para a nuca, tratando de puxar levemente seus cabelos. Estava receoso em ir muito adiante, então tentou deixar tudo fluir naturalmente. A mão que estava na coxa do garoto não estava apenas descansando, agora ela apertava sutilmente a carne macia do mais novo. Ambos os movimentos causaram arrepios em Taehyung.

Tae separou o beijo para poder lhes dar uma pausa para respirar e sussurrou, ainda um pouco tímido:

— Seok... Mais forte, por favor, não tenha medo de fazer o que quiser comigo — estava decidido a se entregar totalmente a Hoseok e era o que iria fazer.

Jung tinha a certeza de que tinha visto uma das cenas mais lindas que poderia presenciar: um Kim TaeHyung com lábios vermelhos e inchados. Devagar, se aproximou dele novamente e iniciou um novo beijo, apertando seu braço um pouco mais forte e levando a outra mão para sua nuca.

Ele queria mais forte... Hoseok queria que ele lhe desse a definição de mais forte... Seus fetiches são, hm, peculiares? Mas hoje não fariam algo totalmente fetichista, afinal TaeTae precisava saber o que é o sexo baunilha.

Dessa vez a mão do mais velho apertava com mais força a coxa do mais novo, o ouvindo suspirar. Não pôde evitar subir mais e mais a mão… já conseguia adentrar sua saia. Parou o beijo para descer beijinhos até seu pescoço e foi ali que o primeiro gemido da noite, baixinho e manhoso, soou. Hoje Hoseok iria testar todos os lugares possivelmente sensíveis de TaeHyung, queria conhecer ao máximo o corpo dele.

Por algum motivo, Tae gostou muito daqueles toques em seu pescoço.

Hoseok estava tomando as iniciativas, mas o Kim sabia que aquilo não seria feito apenas por uma pessoa, então tratou de começar com alguma coisa também. Levou sua mão para o cinto do mais baixo, abrindo-o e causando arrepios em Hoseok apenas com isso. Ele subiu a mesma mão para o seu abdômen, por baixo da blusa, finalmente sentindo a pele ali. O outro soltou um suspiro.

Agora a mão de Hoseok estava brincando com a barra da roupa íntima de TaeHyung. Confessava que gosta de deixar seus parceiros ansiosos na cama, sempre foi uma pessoa de iniciativa com ímpeto de mandar. Mesmo em uma espécie de sexo baunilha, ama dominar, ainda que seja o passivo.

A mão de Hoseok se afastou da virilha do garoto e foi para sua perna novamente. TaeHyung suspirou frustrado, ah, ele nem sabia o que estava por vir. O mais velho queria que Tae subisse em seu colo, amava essa posição. Pode soar um pouco "não dominador", mas porra, quem não gosta de alguém rebolando em cima de si? E outra, achava a melhor posição para trocar beijos um tanto quentes.

Ao ser puxado, TaeHyung foi sem pestanejar, colocando uma perna de cada lado do corpo do mais velho e sentou sobre as suas pernas. Agora no colo de Hoseok, tudo ficaria maravilhoso. As mãos do mais velho subiram a saia do garoto para poder apertar a sua bunda de um jeito mais fácil. E, bom, estava apertando com uma força moderada, tinha que se controlar. Esses movimentos faziam TaeTae suspirar e ofegar. Gostava dos toques, dos apertos, de tudo.

As mãos de TaeHyung passeando pelo corpo do mais baixo era tão excitante... Parecia que a cada momento que passava o quarto ficava mais e mais quente. Ele usava uma calcinha de renda, e Hoseok só conseguia pensar uma coisa: porra, Taehyung fica lindo em tudo.

As mãos do Jung aos poucos foram entrando na calcinha do mais novo, queria sentir a sua pele se arrepiar com o toque. Por mais que apertar aquela linda e maravilhosa bunda fosse legal para Hoseok, resolveu tirar as mãos de lá, deixando uma em suas costas e outra esbarrando perigosamente em seu membro. O coração de TaeHyung batia em ansiedade.

O mais novo separou o beijo novamente, totalmente sem ar, e sussurrou:

— Seokie... Eu quero te dar prazer também... M-me diz o que fazer, amor...

— Ah, meu anjo, tem tanta coisa que dá para fazer... — Hoseok sussurrou como se tivesse alguma possibilidade de alguém ouvir os dois. — Você pode explorar o meu corpo, não só com as mãos, mas com a boca. Você pode rebolar... Tem tanta coisa, o que você quer fazer?

— Hm... Eu posso... rebolar assim?

Começou a rebolar no colo de Hoseok, no começo um tanto desajeitado, mas conseguiu seguir um ritmo depois. Sentia o membro embaixo de si e a sensação era muito boa.

Hoseok mordeu o lábio inferior com tanta força que sentiu o gosto metálico do sangue. Não sabia como, mas a inexperiência de Taehyung o excitava e o deixava com o coração quentinho ao mesmo tempo.

— Vo-você gosta assim, amor? — TaeHyung voltou a perguntar, tentando se controlar para não gemer tanto, pois eram muitas sensações de uma vez.

— Isso, meu anjo… — Hoseok disse sorrindo. Ele estava amando ver o seu menino pegando o jeito da coisa. Utilizou a mão para puxar seus cabelos da nuca levemente, fazendo-o tombar a cabeça para o lado. — Mas e você? Está gostando?

Quando sentiu a mão em sua nuca, TaeHyung soltou um gemido mais alto:

— Uhum... Ah, eu gosto quando usa a força, Hoseokie... Usa mais… — falou manhoso enquanto continuava rebolando em seu colo.

— E eu amo usar a força, TaeTae... — Hoseok se aproximou de seu pescoço e deu um beijinho simples para então morder. — Tae, deixa eu tirar a sua roupa? Eu quero te ver por inteiro, meu amor...

— Ti-tira... Tira… — TaeHyung disse, desesperado. Estava muito quente, mesmo com as janelas enormes abertas e a brisa da noite entrando no quarto.

Jogou a insegurança ao inferno para deixar que o mais velho tirasse toda a sua roupa enquanto tentava tirar a dele também. Despiram a parte de cima um do outro, e logo após isso Tae começou a deixar alguns beijos pelo pescoço de seu homem para ver se ele sentia o mesmo que si quando o tinha lhe estimulando dessa forma.

Hoseok arfava e suspirava, ama todos os toques do garoto.

— TaeTae… — apenas sussurrou. Se sentia tão bem naquele momento.

Isso foi um incentivo para que TaeHyung continuasse. Não sabia se estava fazendo certo ou se isso era pra ser feito, apenas fez. Ele empurrou o mais velho levemente até que ele deitasse no colchão. Ainda em cima de si, o olhou sorrindo um pouco nervoso, e foi abaixando o corpo até estar próximo a ele novamente. Beijou sua boca de novo, mas não quis demorar muito, então voltou a descer até o seu pescoço e avançou, beijando seu tronco, conhecendo seu corpo. Hoseok mordia o lábio inferior com força, suspirando. Estava totalmente em êxtase.

— Explorar o seu corpo com minha boca assim, Hoseok? É assim que você gosta? — perguntou ali de cima, sentindo o próprio pau latejar. Ele voltou a rebolar, revirando os olhos de tão louca que era aquela sensação.

— Assim mesmo, TaeTae... Porra...

Se ele rebolava tão bem assim ainda com as roupas, imagine sem, Hoseok pensou.

— Me diz o que fazer, Hobi... Me diga o que você quer, faça o que quiser comigo...

— Tae... Deita, eu quero fazer uma coisinha — falou de um jeito carinhoso para não assustar o menino, e aquilo realmente deixava TaeHyung mais calmo.

Ele percebia que o mais velho estava preocupado consigo, querendo o deixar confortável, então apenas assentiu ao seu pedido e sorriu suave. O mais alto saiu de cima do namorado e engatinhou até estar no centro da cama, se deitando ali logo em seguida.

— Pronto, Seokie…

TaeHyung definitivamente era uma espécie de anjo, e com o pouco que Hoseok viu do seu corpo, teve certeza. Aproveitou que o mais novo estava indo para o centro da cama e tirou sua calça — a cueca estava apertada, mas a calça piorava a situação. Se aproximou do seu namoradinho e tirou sua saia. Perfeito, simplesmente perfeito.

— Tae... Você é lindo.

Só o ato do mais velho de retirar a penúltima peça de roupa de TaeHyung o deixou envergonhado, mas foi o elogio que o fez ficar todo vermelho, tendo que cobrir as bochechas com as mãos:

— Não olhe tanto — pediu, ainda inseguro. Sabia que seu corpo não era feio, mas também não era tão bonito assim.

— Tae... Não precisa ter vergonha, você é lindo do seu jeitinho… — para Hoseok, o garoto era como uma borboleta: não enxergava o seu lado incrivelmente perfeito, da mesma maneira que a borboleta não enxerga suas lindas asas. Se aproximou de TaeHyung e deixou as mãos na barra de sua calcinha. — Eu posso?

— Pode, Hobi — o Kim respondeu depois de respirar fundo. — O-o que vai fazer?

— Eu vou te dar prazer, TaeTae. Relaxe e aproveite — Hoseok disse enquanto tirava a calcinha do mais novo lentamente.

Sentiu o membro pulsar com a visão que tive. Meu Deus, TaeHyung. Tratou de ficar entre as pernas do mais novo, não iria começar a penetrar ele agora, mas estava em um lugar bem favorável. Levou as mãos até o peitoral do Kim e foi descendo com as pontas de seus dedos, passando por seus mamilos, cintura... e chegou até a virilha. Estava atento às reações de TaeTae.

Hoseok afastou as mãos para pegar a sua mochila que tinha deixado em algum canto da cama e tirar de lá um frasco de lubrificante. Iria masturbar TaeTae — não apenas o seu pênis, mas a sua entrada também. Só precisava deixá-lo relaxado ao ponto de não sentir tanta dor quando introduzisse dois dedos dentro dele. O mais alto, que continuava de olhos fechados, passou a gemer baixinho com a masturbação lenta.

— Você é tão bom nisso, Hoseokie...

Hoseok podia gozar só de ouvir esses gemidos... Porra, que perfeito.

— Muito obrigado, TaeTae — sorriu.

Sua mão fazia movimentos lentos. Estava tratando de dar bastante atenção para a glande do rapaz abaixo de si, e sabia o quão sensível esse lugar era. Os gemidos de TaeHyung aumentavam na medida em que seu prazer evoluía, com a mão do mais velho o masturbando e focando na glande. Já tinha se masturbado outras vezes, claro, mas nenhuma podia ser comparada a como Hoseok estava fazendo agora.

A outra mão do mais baixo tinha uma boa quantia de lubrificante em dois dedos, então os deixou sobre a entrada do mais novo, sem penetração nem nada, estava só espalhando o lubrificante. TaeHyung sentiu as falanges molhadas tocarem sua entrada, sem adentrá-lo, o deixando ansioso. Ainda de olhos fechados e gemendo baixinho, sentiu aquele lugar piscar de excitação.

— Hoseokie… — gemeu seu nome. Queria sentir o prazer que ele poderia lhe dar.

Hoseok já transou com várias pessoas diferentes, mas hoje estava sendo a melhor, com toda certeza.

— TaeTae... — suspirou. Esse menino é tão lindo que lhe dava tesão. — Respira fundo, okay? — introduziu os dedos aos poucos na entrada do garoto, dessa vez fazendo movimentos ligeiramente mais rápidos em seu membro. Sabia que aquilo doía, tinha que amenizar a dor de algum jeito.

TaeHyung gemeu mais alto, mas não sabia se era pela dor ou pelo fato da mão do mais velho estar se movendo mais rápido. Respirava fundo, sentindo os dedos entrarem devagar, mas ainda doía.

— Ho-hobi... E-eu- Ah! — gemeu novamente quando sentiu as falanges completamente dentro de si. — Não mexe agora...

— Okay, quando quiser é só avisar, hm? — Hoseok sentia a entrada dele pulsar. Se era assim com os seus dedos, imagine com outra coisa.

— Me beija… — TaeHyung pediu em tom manhoso.

— Sempre que quiser, meu anjo.

Hoseok sorriu e parou de movimentar a mão no membro do mais novo para se aproximar e se apoiar no colchão. Os dedos podem ter saído um pouco de dentro dele, mas iria os deixar assim. TaeTae tinha que se acostumar no tempo dele.

Logo juntaram os lábios em um simples selar, que não demorou muito para se transformar em algo mais profundo. Os beijos de Hoseok acalmavam TaeHyung, faziam com que esquecesse o mundo lá fora e era como se só existissem os dois e aquele quarto no momento.

Sentia seu corpo se acostumando cada vez mais enquanto o beijo o relaxava. Então, o Kim interrompeu por apenas um segundo para sussurrar um "vai" contra a boca do mais velho e o puxou para que voltassem a se beijar novamente. Hoseok não demorou para iniciar movimentos lentos de vai e vem; para ele aquele momento estava sendo perfeito.

TaeHyung gemia manhoso enquanto sentia os dedos entrando e saindo de dentro de si em uma velocidade que depois de um tempo não lhe agradava mais.

— Hobi... Mais rápido...

— Mais rápido? — Hoseok aumentou um pouco a velocidade de seus dedos. Não iria ultrapassar o limite, afinal é a primeira vez do mais novo, tinha que ir com cuidado. — Assim, TaeTae? Você gosta desse jeito, uh?

— A-ah! Isso... Isso... — TaeHyung quase gritou, sentindo os movimentos mais ágeis, Aquilo era realmente muito, muito bom. — Hoseok... Hoseok... — gemia seu nome, com o peito subindo e descendo. Agora seus dedos não eram mais suficientes. — Eu quero você agora, meu amor...

Voltaram a se beijar, meio atrapalhados pelo tesão que dominava os dois. Durante o ósculo, Hoseok parou aos poucos de movimentar seus dedos, se preparando para dar ao mais novo o que ele tanto ansiava, mas só então percebeu algo.

— Tae, a gente não tem camisinhas...

Ou era o que Hoseok pensava.

TaeHyung riu por conta da preocupação do mais baixo, que no caso era em vão.

— Na verdade, temos sim. Pega a minha bolsa, está no bolsinho de trás... Eu não costumo andar com isso, mas... você sabe, eu estava pensando no que poderia acontecer, então eu roubei elas do quarto da minha mãe.

— Taehyung! — Hoseok disse rindo. — Você é foda mesmo.

Pegou a bolsa do mais novo e retirou uma camisinha de lá de dentro, depois devolveu a bolsa para o lugar. Tirou a sua cueca e colocou a camisinha. Parecia que ele estava tendo a própria primeira vez hoje — estava tão nervoso que até colocou a camisinha com mais delicadeza. Pegou o tubinho de lubrificante e passou uma boa quantidade no próprio membro, quanto mais melhor para o seu amor não sentir dor.

— Preparado, TaeTae? — falou enquanto se aproximava do garoto e encaixava o membro em sua entrada. Só a glande encostando ali já fez Hoseok sentir uma vibração diferente.

O corpo todo de TaeHyung arrepiou. Sua entrada já estava sensível, então encaixou suas pernas na cintura do mais velho, suspirou e as mãos deles se encaixaram. Ambos se olharam e Tae sorriu, tranquilo, para que seu namorado tivesse certeza de que ele não tinha mais dúvidas sobre aquilo.

— Eu estou pronto há muito tempo, Hoseok.

O Kim estava pronto, só que dessa vez Hoseok não estava pronto, a sua cabeça se preocupava com a possibilidade de machucá-lo, não queria fazer isso com ele. Soltou um suspiro, tentando mandar para a puta que pariu o nervosismo e aproximou os rostos ainda mais, queria olhá-lo nos olhos. Queria o deixar bem.

Aos poucos, foi entrando no mais novo. Era tão apertado... Era tão bom...

TaeHyung, assim que sentiu o membro lhe invadindo, a mesma dor de antes veio, só que bem maior. Mesmo com todo o cuidado que ele estava tendo, ainda doía como o inferno. Levado por isso, a sua reação foi prender a respiração, fechar os olhos, arquear as costas e apertar mais forte a mão do mais velho. Seus olhos se encheram de lágrimas, mas nenhuma caiu.

O coração de Hoseok doía tanto, não queria ver o seu amorzinho sofrendo assim. Ele estava sentindo dor, mas não é uma dor boa, é uma dor simplesmente horrível.

— Desculpa, TaeTae... — pediu meio triste, realmente não queria machucar um bebê desses.

— Tá tudo bem... Só... Só tá doendo...

Quando entrou totalmente em TaeTae, achou melhor ficar o mais parado possível, esperando o menino lhe dar permissão:

— Eu te amo, sabia?

A primeira lágrima do Kim caiu junto com a declaração de Hoseok. O coração do mais velho apertou. Tae sorri, ainda com as mãos entrelaçadas, sorriram e se beijaram novamente, com carinho.

— Eu sei, Hobi. Eu também te amo.

Depois que TaeHyung sentiu o membro totalmente dentro de si, a sensação era indescritível. Doía, sim, mas era incrível. O mais novo, agora mais calmo, se acostumando mais com o membro de Hoseok e feliz por tudo que estava acontecendo, finalmente deu permissão para o outro se mover.

— Vai com carinho, tá?

— Tá — Hoseok sorriu e lhe deu um selinho. Começou a movimentar o seu quadril lentamente. Era tão gostoso... em todos os sentidos possíveis.

Aos poucos, as estocadas lentas deixaram de ser dolorosas, fazendo TaeHyung parar de gemer por desconforto e finalmente dar lugar aos gemidos de prazer. Aquilo estava sendo muito mais do que sexo, eram duas pessoas que se amavam se conectando totalmente, finalmente por inteiro, era Kim TaeHyung e Jung Hoseok se entregando um para o outro, física e emocionalmente.

— E-eu te amo tanto... Hoseokie...

Hoseok agora se sentia tão bem, sentia no fundo do meu coração que essa era a verdadeira definição de fazer amor. Tudo estava intenso ao dobro, principalmente o amor.

— Eu também te amo tanto... Chega até a doer.

É a realidade: o coração do mais velho fica horrível quando não vê esse garoto. TaeHyung gemia um tanto baixo, mas eram gemidos longos:

— Mais forte... Vai mais forte... — a cada estocada só queria mais.

Hoseok colocou o rosto na curvatura do pescoço do mais novo para poder acelerar um pouco as investidas, estava um tanto receoso ainda. TaeHyung começou a gemer mais alto, sentindo o mais velho ir mais rápido e mais fundo. Como o rosto dele estava em seu pescoço, os gemidos do mais novo estavam bem rente ao ouvido do mais baixo, e, sabendo disso, TaeHyung resolveu fazer algo que descobriu que ele gostava:

— Ho-hoseok... Hoseok... — começou a gemer alto no ouvido dele enquanto sentia suas estocadas. — Isso...

O pênis do mais velho pulsou dentro do garoto ao ouvir ele gemer o seu nome.

— Porra, TaeTae... — disse manhoso. Agora estava mordendo, beijando e chupando levemente o seu pescoço. Isso fez com que os gemidos de TaeHyung virassem choramingos manhosos.

Hoseok amava o fato de seu quadril ser solto na medida certa para fazer movimentos bons o suficiente para dar muito prazer a alguém.

— Hoseok… — o Kim continuou gemendo, mas um grito invadiu sua garganta quando sentiu Jung acertar um ponto diferente, que não sabia porque, mas o levou à loucura. — Amor, amor... Faz de novo, faz de novo... — pediu, manhoso. Desesperado, arranhou suas costas em uma tentativa de descontar todo o prazer que estava sentindo. Hoseok gemeu de dor e prazer.

— Caralho... — falou meio embolado.

Se ajeitou melhor no garoto e começou a dar estocadas mais fortes no rapaz. Elas ainda eram lentas, mas procurava ir o mais fundo possível para achar o seu ponto doce novamente. Hoseok estava moroso e profundo. Porra, aquilo estava enlouquecendo tanto TaeHyung, achou que descobriu que aquele era seu jeito preferido: lento e forte.

Ele continuava acertando aquele lugar, provocando gemidos altos de TaeHyung. Isso o fez pensar por um instante se as outras pessoas nos quartos poderiam ouvir, então mordeu os lábios e tapou a própria boca com a mão enquanto continuava sentindo as estocadas fortes, choramingando mais.

Até que a segunda lágrima da noite escorreu, agora de tesão, seguida de várias outras. TaeHyung não sabia que alguém seria capaz de literalmente chorar de prazer, mas Hoseok estava fazendo isso consigo. Caralho, Hoseok é incrível.

O mais velho resolveu levantar o rosto e olhar para o mais alto, percebendo que tinha o feito chorar de deleite. Realmente conseguiu fazer isso? Ele não pôde deixar de sorrir.

— Tae, não precisa controlar os gemidos, as pessoas não deveriam se incomodar com o amor — o mais velho disse, ofegante. O rosto de TaeHyung estava tão lindo.

Seu pedido era uma ordem para o Kim. Imediatamente tirou a mão da boca e a levou ao colchão, apertando o lençol. Hoseok tentou pegar um pouco mais de intensidade, tratando de lembrar das maneiras diferentes de se rebolar que aprendeu com a prima que é professora de dança do ventre. Tem alguns movimentos que são perfeitos para momentos assim.

Quando TaeHyung sentiu as investidas pararem e o mais velho literalmente rebolar com o membro dentro de si, finalmente chegou ao ápice da loucura e da insanidade.

— Ah, Hoseok! Eu te amo tanto... porra!

Lindo, simplesmente lindo.

— Vai, meu anjinho, goza pra mim... Eu também te amo, amo muito — é, Kim Taehyung é simplesmente lindo e perfeito em todos os momentos. Era apenas isso que o mais velho pensava.

E foi chorando de tesão depois de ter dito que o amava que TaeHyung olhou para Hoseok antes de fechar os olhos e gemer mais alto, indicando que tinha gozado pela primeira vez enquanto fazia amor com seu namorado. O mais velho continuou com os movimentos para prolongar o prazer do mais novo, até que parou as investidas e saiu de dentro do garoto.

— Como você se sente?

Ainda respirando absurdamente mal, tentando normalizar o ritmo dos próprios pulmões, TaeHyung o olhou e sorriu:

— Eu tô maravilhosamente bem, amor.

— Eu fico feliz que esteja bem — disse sorrindo.

O Kim o puxou para um beijo, e então sentiu o membro de Hoseok ainda duro tocar sua barriga.

— Seok, você ainda não gozou? T-tem algo que eu possa fazer por você, amor? — perguntou enquanto ainda respirava pesado, porém menos do que antes, e acariciava a nuca do namorado.

Hoseok não se importava em não gozar, queria o fazer bem.

— Ah, eu... É, eu não gozei — disse meio sem jeito — Mas eu não me importo com isso, o que importa é que você está feliz — não queria forçar o garoto a nada.

— Mas... — TaeHyung, ainda meio bambo, se ajoelhou na sua frente. — Eu quero fazer você gozar, Hobi... — deu um selinho em sua boca, seguindo para seu maxilar e descendo para seu pescoço — Eu quero te fazer gozar assim, gostoso... como você me fez agora. Me diz, hm? O que eu posso fazer pelo meu amor? — perguntou, bem perto da sua boca, mas ainda sem beijá-lo de verdade.

Okay, o Kim dizendo que queria o fazer gozar fez o seu pau pulsar, e o beijo em seu pescoço o fez arrepiar muito.

— Ah, anjinho — colocou sua mão no rosto de TaeHyung. — Você quer aprender a chupar um pau? — foi a primeira coisa que veio na cabeça do mais velho. — Eu adoraria sentir a sua boquinha...

TaeHyung fez que sim com a cabeça sem pensar duas vezes. Queria dar prazer a Hoseok na mesma intensidade que ele lhe deu, mesmo sabendo que agora não seria possível pela sua falta de experiência, mas queria aprender.

— Me diz como você gosta, Seokie... Me ensina...

— Ah... — Jung suspirou. — Você prefere fazer com ou sem camisinha? — essencial perguntar, era tudo para o conforto de seu parceiro.

— Eu prefiro sem... Tira ela, tira... Deixa eu chupar seu pau inteirinho, sem impedimentos — pediu, e então começou a beijar todo o seu abdômen com as mãos apoiadas em suas coxas, movendo-as para cima e pra baixo. — Eu te amo muito, sabia?

E novamente o pau de Hoseok pulsou.

— Eu também te amo, TaeTae, amo muito, daqui até o infinito — sorriu enquanto tirava a camisinha e deixava ela no cantinho, porém segura para poder jogar fora depois. Deveria dar instruções ou deixar fluir? Vamos deixar fluir por enquanto.

Mas TaeHyung não sabia muito o que fazer e olhou para Hoseok em um pedido silencioso de ajuda. O mais velho se levantou da cama, colocou um pé apoiado no colchão e ajudou o Kim a se sentar sobre as suas próprias pernas.

— Você pode beijar primeiro... Um beijinho na glande, depois começa a lamber, bem devagarinho.

Foi o que fez: olhando para Hoseok, segurou o membro do mais velho e deu um beijinho tímido na glande, inseguro, sem a certeza de que ele iria conseguir fazer isso certo ou não, mas prosseguiu. Deu apenas mais um beijinho despretensioso e deu uma lambida suave na glande, depois começou a lamber o resto da extensão de seu membro.

Hoseok estremeceu todinho.

— Isso, TaeTae... — disse, acariciando seus cabelos. — Você está indo bem... Quando for colocar tudinho na boca, lembre de sempre deixar a língua na frente, okay? Assim você não engasga — estava gostando dessa de dar aulas, mal podia esperar pra quando fosse explicar seus fetiches pra ele.

TaeHyung começou a colocar o membro aos poucos na boca, chupando e sempre tentando lembrar as instruções, mas ao mesmo tempo querendo deixar natural. Deixava a língua na frente para não engasgar enquanto chupava o membro do seu namorado.

— Ah, TaeTae... Isso... — estava próximo do seu ápice, não sabia como tinha conseguido segurar tanto antes. — Amor, eu vou… — retirou o membro rapidamente da boca do namorado e, com um gemido um tanto alto, Hoseok gozou graças ao TaeTae e sua incrível boquinha. Kim Taehyung é simplesmente incrível, ele não precisa fazer muita coisa para o excitar e lhe fazer gozar.

Tae tentou sorrir pra ele, mesmo ainda estava nervoso por não saber se ele tinha gostado ou não.

— Foi bom? Você gostou, amor? — perguntou meio manhoso. A insegurança estava tomando lugar dentro nele de novo.

— Se foi bom? Tae, foi incrível! — Hoseok voltou para a cama e lhe puxou pra um abraço. — Você foi perfeito, TaeTae, entenda isso. Você faz tudo perfeitamente bem!

TaeHyung suspirou aliviado, abraçando ele de volta:

— Você foi melhor, Hobi. Obrigado por ter tido todo cuidado comigo... — deu um selinho nele. — Teve algo que eu fiz que você não gostou? Sabe... eu tomei a iniciativa algumas vezes e eu não sei se fiz certo...

— De nada, meu amor, não precisa agradecer. E Tae, eu amei tudo o que você fez. Por mais que eu tenha fetiches diferentes, eu amei tudo! Você foi incrível.

Hoseok sorria que nem um idiota, era muito boiola por esse homem, e TaeHyung não era muito diferente. Mas mal sabiam os dois que as coisas boas daquela noite ainda não tinham acabado. Na verdade, as emoções estavam apenas começando.

24 de Maio de 2021 às 00:00 3 Denunciar Insira Seguir história
2
Leia o próximo capítulo Second Round

Comente algo

Publique!
kshimaeri kshimaeri
Essa fic só tem aqui msm? Ou vc usa o Spirit e wttp tbm
May 29, 2021, 15:05

  • keylipz; é trailermaker 🧈 keylipz; é trailermaker 🧈
    Postei os avisos no wattpad a pouco tempo, e o primeiro capítulo ta no spirit tbm, pode procurar no wattpad meu user Keylipz. June 08, 2021, 19:45
kshimaeri kshimaeri
Eu amei vey, a escrita é tão maravilhosa...
May 29, 2021, 15:03
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!