sr_invisivel Leonardo Tomaz

A última coisa que lembrava ter visto era uma luz forte e que sentiu muita dor. Agora ela não era mais a mesma de antes, apenas sua consciência foi preservada. Seu novo nome era Lisa e sua missão era mudar a história original para salvar a vida de sua família e amigos, enfrentando o enredo. será que ela vai conseguir deixar seu coração fora do enredo da história? . . . Imagine S/N sem a S/N.


Fantasia Fantasia histórica Para maiores de 18 apenas.

#romance #bts #isekai #Jungkook #Imagine # #imaginejungkook #s-n
0
304 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 2 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo

É tão libertador e ao mesmo tempo assustador. Felizmente eu estava bem, mas minhas pernas não, elas pareciam estar moles que nem gelatina. Que horas era afinal? A maldita cortina atrapalhava a visão de fora.


Eu deveria estar assustada ainda, entretanto já tinha acostumado com aquele lugar e com aquelas pessoas.


Eu já nem me lembro mais onde tudo começou, perdi a conta dos dias e meses que estou dentro desse quarto, evitando qualquer convite ou qualquer visita.


Quando acordei, eu já não era mais eu. Estranho? Sim, claro! Mas, eu sentia que não tinha caminho de volta para minha casa, já que morri atropelada por um carro enquanto andava um pouco beba pela rua. Foi tão rápido e dolorido como uma injeção e quando acordei já estava nesse lugar.


Passei semanas pensando no que tinha acontecido e conclui que eu tinha tomado a vida dessa pessoa e que meu antigo corpo deve estar enterrado.


Agora meu nome era Lisa. Eu tinha os olhos claros e o meu cabelo era da cor do mel. Em outras palavras a beleza que eu tinha era incomparável e é claro que eu seria linda, mas eu tinha que ser justo a vilã?


Assim que abri meus olhos, depois de ter sofrido o acidente, acordei em um lugar totalmente diferente do meu habitual. A princípio fiquei assustada e desorientada, mas assim que um homem apareceu dizendo ser meu suposto pai, a ficha caiu... Bem, realmente a ficha caiu quando me olhei no espelho e vi a minha atual imagem.


Aquilo podia ser um sonho, mas as beliscadas que dei não braço era verdadeiras.


Com muito esforço consegui levantar da cama, eu passava a maior parte do tempo pensando em tudo o que tinha acontecido ultimamente.


A minha conclusão final era que eu estava dentro de uma fanfic que li antes da minha morte. Isso é uma loucura caso conte a alguém e mesmo se eu quisesse, poderiam tentar me matar de novo. Pelo personagem que virei, se me lembro bem a fanfic se chamava " Escolha por amor ". A história começava com um príncipe que lutava pelo trono e tinha apóio do seu melhor amigo... Qual era o seu nome?


Certo! Eu a li faz pouco tempo, antes que eu me esqueça quem são os personagens e como a história prossegue, tenho que escrever cada cena, principalmente as importantes, assim posso mudar o meu final e não acabar morta pelo amigo do príncipe!


— Senhorita?


Desviei minha atenção a criada. Minhas mãos estavas para cima comemorando meus pensamentos positivos, me pergunto se ela tinha visto os pulinhos que dei a pouco.


— Ah, sim? Eu não vi quando chegou.


Arrumei minha postura soltando uma leve tosse. Caminhei até a cama para me sentar e esperei Peggy dizer o que queria de mim. Ela é umas das criadas de Lisa, agora minha. Peggy sempre foi gentil comigo, mas tinha muito medo de que eu fizesse algo contra ela, já que antes "eu" era uma pessoa muito má.


Levantei o rosto na direção dele e sorri, difícil mostrar afeto com esse rosto, mas ao menos era lindo e também eu era a Lisa, céus inacreditável.


— Senhorita está me ouvindo? - E de novo aconteceu. Como eu não estava acostumada com esse corpo, eu sempre viajava e perdia a atenção nas criadas que falavam comigo, imagina quando eu conhecer os personagens principais e o Arquiduque? Certo, tenho que ter foco!


— Sim, continue.


— Precisamos arruma-la pois o duque espera por você.


— Meu pai?


— Sim, senhorita.


A mulher se curvou esperando por uma resposta minha. Ainda não tinha me acostumando com esse novo tratamento e com as criadas morrendo de medo de mim, eu era tudo, menos ameaçadora. Se bem que... Droga, Lisa! Poderia ser mais amável com elas antes de eu chegar?


— Certo, chame as outras criadas para me ajudar, por favor.


Ela se curvou novamente e saiu. Deitei na cama encarando o teto. Os pensamentos viam que nem balas disparadas por um revólver ou luzes que pisca-pisca no natal.


Essa vida era boa, eu não precisava sofrer ou me estressar com trabalho, tudo que eu tinha que fazer era sorrir e viver tranquilamente.


Agora não sei por quanto tempo minha paz vai durar, o duque e eu não tínhamos muito contato, vi ele apenas duas vezes. Ele sempre se ocupava com os trabalhos que o imperador lhe dava ou saia para inspecionar o ducado.


— Senhorita, estamos entrando.


Ouvi a voz de Peggy e de mais três mulheres que a acompanhava, me levantei da cama. Duas delas se aproximou, uma com o cabelo curto ruivo e a outra com o cabelo preso castanho. Sophia, a garota ruiva era uma nova empregada, me lembro dela na fanfic, que dó, apanhou tantas vezes daquela malvada! A outra de cabelo preso era a mais velha dali depois da Peggy, seu nome é Dina. Ela era muito competente, e teve uma grande participação na fanfic, já que ela fazia tudo que Lisa mandava, Dina era sua fiel capanga.


Minhas roupas foram tiradas, caminhar nua na frente delas foi meu maior desafio, mas felizmente acostumei com isso e não me importava mais, pois o meu corpo agora era perfeito e admirando por muitos. Esse era o principal ponto da Lisa, ela sempre foi a mais cobiçada do império, porém tudo isso acaba quando Jennie aparece. Bom, ainda tenho muito tempo pela frente e meu objetivo não é ser uma vilã aqui, quero uma vida pacífica e duradora.


— Senhorita a água está pronta.


Disse a criada loira, seu cabelo era quase da cor do meu. Ela é uma pessoa tímida, não sei nada sobre sua vida já que não apareceu na fanfic, talvez tenha sido uma figurante, não sei.


— Agradeço, Sooni. - Entrei na banheira e assim me deixei relaxar, olhei de relance a garota corada ao meu lado. Estava muito fofa!


Como uma vilã, tudo que Lisa fazia era xingar e bater. Uma jovem que tinha tudo e ainda sim era gananciosa. Enfim, agora quem é dona dessa vida sou eu e não vou repetir os mesmos erros da Lisa.


Não quero morrer.


Não demorou para que eu estivesse banhada e sem perceber, Dina estava segurando uma toalha. Levantei da banheira fazendo um alvoroço na água espirrando no carpete do pequeno espaço onde ficava o banheiro, ou a tentativa de um. Assim que me enrolei na toalha, Sophia trouxe o roupão de seda, meu preferido e assim o coloquei sendo guiada até a penteadeira.


Sempre a mesmos passos, virou rotina, elas me arrumavam e assim que eu terminava, descia, fingia estar ocupada com alguma coisa por uma ou duas horas, voltava para o quarto e lia o dia todo. Eu já sei algumas coisas de filosofia que nem acredito.


— Que roupa devemos escolher para você, senhorita?


Paggy perguntou. Ela estava de frente ao guarda roupa, ele era enorme, ocupava uma parede inteira do quarto.


— Escolha a que você achar que vai me cair bem.


Olhei para ela pelo espelho deixando um sorriso gentil, porém ameaçador já as crianças desviavam sempre o olhar.


— Como queria, senhorita.


Meu cabelo ficou solto e algumas flores falsas foram colocadas neles, enfeites que apenas membros da classe aristocrática poderia ter por ser um item de luxo.


Me apressei em vestir a roupa e desci junto as criadas para a sala de jantar, onde meu pai estaria.


— Comprimento sua graça, Duque de Endrinos.


Fiz uma breve referência ao meu pai com respeito.


— Desde quando é tão formal, Lalisa minha filha?


Seu olhar parecia furar o meu, desviei para a cadeira que eu sentaria e segui para ela.


— Faz bastante tempo que não tenho uma refeição com meu pai, achei que deveria ser educada.


Meu pai era um lindo coroa. O cabelo castanho quase grisalho deixava um charme elegante e sua barba também. Na fanfic não dizia o quanto ele era bonito.


— Lisa está me escutando? - Ele me observava de longe. — Você tem andado diferente ultimamente, desde de então você está distraída. Aconteceu alguma coisa?


— Não é nada disso, meu pai. Eu estou bem e não aconteceu nada, apenas venho pensado sobre mim mesma.


— Está trancada naquele quarto o dia inteiro, eu percebi. - Ele estava segurando a colher com força.


O duque estava se mostrando ser um pai bem preocupado, isso que era estranho.


Limpei a garganta e me levantei da cadeira para caminha até o duque, peguei sua mão que segurava a colher a colocando na mesa novamente. Eu não sabia se podia fazer algo assim, os criados me olhava surpresos e o mordomo parecia estar incomodando com a minha aproximação.


Não me julguem! Eu preciso mudar minha imagem.


— Pai, eu sei que me ama, por mais que não demostre isso e eu sei que não fui uma boa filha, uma boa chefe - Olhei para os criados. — Eu vou ser adulta em três meses, quero ser uma pessoa melhor e te dar orgulho.


E assim eu dou meu primeiro passo para concertar o que Lisa fez, começando pelo meu pai.


— Lisa... Já estou orgulhoso de você e sempre tive orgulho, não importa qual seja suas ações, você sempre será a minha querida filha.


Fiquei tocada, talvez esse clima clichê de fanfic esteja me afetando. Tratei de limpar a lágrima que escorreu sem que eu percebesse, pode ser que Lisa ainda esteja aqui e por isso eu chorei. Será que ela recebeu essa palavras de consolo, mesmo que não sejam muitas.


— Vendo por essa lado estou tão comovente quanto você, querida irmã.


Eu não precisava virar para saber quem era, aquela voz era conhecida para mim, já que as memórias passada de Lisa estavam salvas na minha mente.


— Irmão mais velho, eu estou surpresa com sua presença. - Virei meu corpo para observa-lo. Meu coração batia forte, disparado, certo eu deveria ir dar reclamação a autora por colocar apenas personagens bonitos nessa fanfic!


Era óbvio que eu não estava preparada para ver os personagens masculino já que a maioria deles eram ídolos e as coisas estavam indo rápido de mais.


Meus olhos pararam no seu rosto, arregalados e assim me vi perdida, minha respiração se descontrolou e corri até ele e o abracei forte.


O Félix é meu irmão... Isso é um sonho é um paraíso.


— O que está fazendo?


Perguntou nervoso me afastando. Bem que a autora poderia ter colocado uma personalidade mais amável. Minha outra missão era conquistar meu irmão, Félix. Para que ele e eu não morremos no final dessa fanfic. Quero me salvar e salvar a todos, eu vou mudar essa história.


— Mas bem que você é um pé no saco atrapalhando minha missão. - Sussurrei voltando para meu assento.

16 de Maio de 2021 às 17:40 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo Flores azuis

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 3 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!