cactopurpurina Rayssa

Você já deve ter visto muitas histórias sobre reis, rainhas, príncipes e princesas, também já deve ter ouvido sobre os tão famosos piratas. Mas se por acaso esses dois mundos diferentes se juntassem? O que aconteceria ao um reino com a chegada de piratas? Bom, isso aconteceu e se você ficou curioso com essa história, sente-se, pegue um café, chá ou qualquer outra bebida, não se esqueça da comida, porque a partir de agora você lerá a maior aventura da sua vida.


Fanfiction Bandas/Cantores Todo o público.

#fanfic # #imagine #mamamoo #you #wheein
3
1.0mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Toda semana
tempo de leitura
AA Compartilhar

Um

Oie, tudo bem? Espero que sim, aqui inicia uma aventura, nos vemos nas notas finais.


——————————————————


Kingdom of the golden land, ou Reino da terra dourada, é uma ilha localizada no oceano Pacífico, ao norte da Oceania. Ele é quase esquecido por completo pelos outros reinos do mundo, pelo fato de ser pequeno. Ele é liderado pela família Jung, a típica família de filmes de contos de fadas na frente da população, mas no palácio real é outra história.

Demorou um século e meio para o reino poder se estabilizar e hoje a vida é boa naquele lugar. Nunca sofreram ataques de outros reinos e nem precisavam de casamentos arranjados para aumentar a riqueza, pois mesmo sendo pequeno tinha muita riqueza, principalmente em ouro, por isso do nome.

Terra pequena, riqueza grande, pessoas boas e poucos soldados para a defesa. Aquilo era um prato cheio para um certo grupo de pessoas.

— Capitã! Qual será o próximo reino?— S/N escuta Moonbyul questionar bebendo um gole da sua garrafa, todos estavam em um bar na beira do mar.

— Eu ouvi falar de um reino perto daqui. É uma ilha e pelo que os boatos dizem tem uma riqueza grande. Se sairmos daqui essa noite não levaria muitos dias para chegarmos.— Responde a capitã aos seus marujos.

— E como vamos fazer desta vez?— Taehyung questiona virando outro shot de bebida.

— As pessoas daqui disseram que mesmo sem ter a segurança muito forte ainda a tem. Então não podemos chegar atacando, temos que ser amigáveis.— S/N determina roubando a garrafa da mão de Jimin.

— A grande e impiedosa S/N está com medo de um rei? Essa é nova!— Hwasa brinca causando risada em todos e até mesmo na capitã.

— Não minha cara, eu não estou com medo, eu apenas fiz uma pequena pesquisa enquanto vocês dormiam.— S/N exclama se levantando com certa dificuldade.

— E o que descobriu com sua pesquisa, capitã?— Mina indaga se apoiando em Chaeyoung para se levantar também.

— Esse reino, diferente dos outros, tem uma princesa não compromissada e, pelo que soube, lá eles não casam por livre e espontânea pressão.— S/N esclarece indo acordar Jin que estava jogado no chão.

— Já entendi o que vai querer, você é uma safada, capitã.— Sana declara dando um soluço ao final da frase, toda a tripulação estava bêbeda.

— Pense o que quiser, Sana! Nós temos que ir, já escureceu e eu não quero perder mais tempo.— A capitã ordena e logo todos caminharam para fora do bar a deixando ali para acertar a conta, poderiam ser ótimos em roubar e saquear, mas as vezes se davam o luxo de serem honestos.

Assim que S/N pisou dentro da embarcação viu seus marujos todos jogados e dormindo, se perguntou como recrutou um bando de preguiçosos assim, mas sorriu, nunca admitiria a ninguém, mas sabia que eles eram a melhor tripulação que poderia pedir. Caminhou até o timão, ergueu a ancora e começou a pilotar seu barco para longe daquela ilha, estava em busca de uma melhor.


O sol começou a brilhar e como sempre o pessoal começa a se movimentar dentro do castelo, Yongsun sabendo que logo a princesa estaria de pé se encaminhou para o seu quarto. Viu Namjoon parado ao lado da porta, como guarda real era sua obrigação estar ali, Solar parou para conversar com ele.

— Oi Nam, a nossa querida já acordou?— Pergunta em tom de divertimento.

— Creio que não, está muito silencioso aí dentro, se for acorda-la tome cuidado, nos últimos dias ela tem estado bem brava.— Namjoom alerta a mais baixa.

— Oh eu sei disso, ela está assim por conta do rei. Ele barrou ela de andar sem guardas pelo reino e pelo ponto de vista dela não há o porquê disso, mas mesmo assim o rei insistiu e agora ela fica soltando fogo pelas orelhas.— Esclarece se encostando na parede perto do homem, os dois dão um pulo assim que a porta do quarto é aberta de repente.

— Sabiam que é feio falar dos outros sem eles estarem presentes?— Wheein profere saindo do quarto.

— Alteza.— Os dois falam fazendo uma reverência.

— Parem com isso, são meus amigos e não precisam dessas bobagens.— Exclama fazendo os dois levantarem suas cabeças.

— Sabemos disso, mas certos hábitos não podem mudar.— Solar diz simples.— Vamos tomar o café da manhã?— Pergunta já pronta para descer as escadas junto de Wheein.

Na mesa real já estava tudo em seu lugar, a rainha comia graciosamente, o rei não apareceu para o café da manhã, pois estava enfurnado dentro da sala do trono com seu conselheiro real, a esposa até pediu se podia participar da reunião, mas o mesmo apenas a respondeu que não era preciso se preocupar.

— Bom dia, mamãe! O rei está na sala do trono de novo? Nem temos nada para se debater por tanto tempo!— Wheein confessa suspirando e sentando de frente a sua mãe.

— Bom dia, meu amor. Sabe como seu pai é, quer estar sempre a par das coisas que acontecem no reino.— A rainha defende o rei.— Solar, minha querida, não gostaria de sentar conosco? Creio que é melhor do que comer apressadamente na cozinha.— A mulher sugere docemente, mas Solar recusa afirmando já ter tomado café da manhã.

O café foi tranquilo e sem a presença do rei, não que aquilo importasse para a jovem princesa, ela já estava mais do que acostumada com a ausência de seu pai. Após terminar de comer Wheein e Solar foram em direção ao quarto da princesa, que alegava estar cansada e queria deitar por algum tempo.

— Eu não aguento aquele velho, ele tenta me controlar, mas nem para estar presente para um café da manhã ele está!— Mais uma vez Wheein alega magoada.

— Não deveria se importar com isso, afinal nunca se importou, por que disso agora?— Solar questiona se sentando em uma das poltronas no quarto.

— Não me importo, mas sinto que algo vai acontecer e talvez seja culpa dele, sempre é.— Suspira enterrando o rosto no travesseiro.

— Deixa disso, vamos sair. Você ainda pode andar a cavalo.— Yungsun recomenda a amiga e a puxando para se levantar.

O dia para as duas passou voando e quando viram o céu já estava tomando uma coloração mais alaranjada e cinza por conta de algumas nuvens que denunciavam que viria uma tempestade pela noite. Wheein agradeceu por Solar aceitar dormir com ela, pois a mesma tinha medo e não saberia o que fazer caso estivesse sozinha em seu quarto durante a tempestade.


Já no oceano S/N e sua tripulação lutavam contra as fortes ondas que se formavam e balançavam o barco, qualquer novato estaria assustado, mas eles sabiam que nada aconteceria tendo a capitã que tinham.

— Capitã! Acho que temos um problema!— Jungkook grita ao ver um súbito afastamento de uma onda.

— Oh merda! Melhor se segurarem firme. Isso pode doer um bocado!— Ela grita ao notar uma onda enorme se formar em frente ao barco, torceu para que nada acontecesse com seu barco e tripulação.

A onda se quebrou antes de chegar na embarcação espirrando água por todo lado e S/N suspirou aliviada, não aconteceu nada com sua tripulação. Logo se escuta um grito de Jeongyeon, aquilo preocupou a capitã que correu em sua direção.

— O que foi? Oh meu caralho. Como isso aconteceu?— Questiona assim que vê um corte grande na coxa de sua maruja, além de ter doido quando foi cortado, o sal da água só pioraria sua ferida.

— Jin, me ajude aqui. Abra a porta da minha sala e tire as coisas de cima da minha mesa. Tae, você comanda o timão e Mina me siga!— Ordena com a típica voz autoritária, recebendo um "Sim, capitã!" de todos. E assim todos seguiram para fazer suas obrigações.

— Okay, sente aqui, preciso que se acalme, isso vai doer já que não temos nada para anestesiar.— Mina declara a Jeong que apenas acena com a cabeça. Mesmo com alguns resmungos de dor o curativo estava feito só precisava enfaixar.— Capitã, pode pedir para Moon se ela consegue achar alguma faixa?— Mina pergunta delicadamente.

— Claro, só um instante.— Responde rapidamente indo até a porta para gritar por Moonbyul.— Moon! procure uma faixa e uma calça nova para Jeong!— Exclama para que a outra pudesse escutar. Não demorou muito e logo a porta é fechada e S/N retorna as duas mulheres lhe entregando o que foi pedido e saindo da sala logo em seguida.

— Como ela está, capitã?— Chaeyoung indaga se aproximando junto de Sana.

— Vai ficar bem, mas temos que achar um atalho, pode estar bem agora, mas não quero correr o risco de infeccionar aquilo.— A capitã responde caminhando até Taehyung e Jimin.— Vocês quatro vão traçar uma rota mais curta possível, sei que podem fazer isso e quando conseguirem me comuniquem.— Ela manda aos quatro que apenas concordam.— Jin! Hwasa! Baixem a âncora! Vamos aproveitar que a tempestade acalmou e ficaremos por alguns minutos aqui!— Grita e logo os dois fazem o que lhe foi pedido.

— O que eu faço, capitã?— Jung pergunta ao seu lado.

— Ajude os quatro com uma rota rápida ao reino, temos que chegar lá logo, para o bem da Jeong.— Reponde retirando sua blusa ficando com uma fina camiseta branca.

Logo o barco para e ela retorna a sua sala para ver como Jeongyeon estava. Encontrou Mina tendo dificuldade em a colocar deitada no sofá ali, a mesma já estava dormindo.

— Quer ajuda?— Questiona ao ver a cara de Mina tentando não acordar a amiga.

— Quero sim.— murmura deixando com que S/N carregasse Jeong até o sofá e a cobrindo com a blusa que havia tirado antes.

— Eles estão procurando uma rota mais rápida para que possamos chegar no reino e cuidar melhor do ferimento dela, se conseguirmos isso acho que em dois dias estaremos lá, mas vocês precisam dormir.— S/N esclarece sentando em sua cadeira.— Pode ir descansar se quiser e mande os outros também, só diga para que o Tae e a Moon venham aqui para pensarmos na rota.— Sugere suspirando, nesses dois dias no oceano não havia dormido muito bem.

— Sim, capitã. Mas você também deveria descansar um pouco, tentar comandar todos eles sem ter uma boa noite de sono é terrível.— Mina adverte saindo da sala, não demorou muito e logo os dois que foram solicitados passaram pela porta.

— Mandou chamar?— Moonbyul pergunta em tom baixo ao notar que Jeong dormia em um dos sofás.

— Sim, como sei que vocês não iam dormir tão cedo mesmo se eu mandasse, decidi que seria melhor que trabalhássemos. O Tae eu sei que estava com os outros já procurando uma rota, achou alguma?— Murmura se levantando e esticando um mapa sobre sua mesa.

— Sim, observamos que existe uma correnteza que vem do noroeste que acreditamos vir do reino.— Taehyung explica indicando o caminho pelo mapa.

— Quanto tempo essa rota demoraria?— Moon questiona se sentando na ponta da mesa.

— Creio que um pouco mais de um dia. Ela é super perto de onde estamos, então se sairmos agora, no amanhecer de amanhã estaremos lá.— Ele retorna e falar.

— Então seria duas noites e um dia de viagem? Isso é pouco tempo, como que não vi quando estava organizando a rota original?— S/N indaga encarando o mapa.

— Essa correnteza só se pode ver em mar, possivelmente surgiu faz pouco tempo, por isso não está no mapa.— Tae teoriza.

— Okay de qualquer forma. Vocês dois podem ficar aqui se quiserem e cuidar dela, eu vou nos levar até lá.— S/N exclama indo até a porta.— Se querem algo para se cobrirem tem nesse armário ali.— Declara apontando para um armário que ficava do lado esquerdo da sua mesa.

E assim deixou sua sala com os três ali dentro, preparou tudo e e começou a seguir a rota que lhe foi apresentada a alguns minutos. Estava com a vaga sensação que algo aconteceria, mas não sabia se era bom ou ruim, esperava que fosse boa.


Wheein acordou na manhã seguinte de bom humor, olhou para o lado e não encontrou Solar, mas antes que pudesse pensar algo a mesma entra no quarto de cabelos molhados e de roupa diferente do outro dia.

— Que bom que já acordou! Assim não preciso ter esse trabalho. Levante e vai tomar um banho, seus pais estão apenas te esperando para tomarem café da manhã.— Declara puxando as cobertas.

— Sorte sua que eu estou de bom humor.— Expressa em falso tom de ameaça.

— Eu estava conversando com o pessoal e pensamos em fazer algo com você.— Yongsun divaga arrumando a cama onde a princesa dormira, assim que vê a mesma depois do banho.

— O que vocês estão aprontando?— Wheein acusa se preparando para descer à mesa do café da manhã.

— Sabemos que você odeia sair com guardas reais, mas também sabemos que não tem problema se for um dos nossos amigos. Então pensei que você gostaria de ir dar uma volta no reino com eles acompanhando.— Explica ficando parada ao lado da porta.

— O que faria vocês acreditarem que eu aceitaria?— Questiona se olhando no espelho da penteadeira do seu quarto.

— São nossos amigos, eles acatam mais suas ordens do que as do rei. Então faremos assim, Hoseok, Yoongi, Nayeon e Tzuyu irão nos acompanhar.— Solar discorre abrindo a porta para que tanto ela quanto a princesa pudessem passar.

— Você está vendo isso Jihyo?— Indaga em falso tom de indignação para guarda que estava perto da porta de seu quarto.

— Alteza, se me permite dizer.— Jihyo inicia sua fala de forma formal.— Solar está certa, com nós ficará segura, seguirá a regra de seu pai e poderá fazer aquilo que tanto gosta.— Exemplifica com um pequeno sorriso no rosto.

— Eu sei, mas não faremos hoje. Talvez amanhã, hoje quero ficar em meu quarto e pintar um pouco.— Expressa com um olhar pidão direcionado a Solar.

— Tudo bem. Então será amanhã. Quer que eu vá preparando as coisas para quando for pintar?— Solar questiona acompanhando os passos de Wheein até a sala de jantar.

— Não, deixe para mais tarde, assim posso lhe ajudar.— Pontua já colocando um sorriso falso no rosto, realmente não gostava de estar na presença do rei.

Quando entra na sala a conversa entre o rei e a rainha parou, criando um silêncio incômodo, parecia que estavam brigando e não queriam que a princesa soubesse que o casal passava por uma crise que ia de mal a pior, mas a verdade é que ela já sabia disso e em sua cabeça seu pai tinha culpa disso, afinal ele sempre tinha a culpa por tudo que acontecia ali.

— Bom dia.— Profere Wheein sem muito entusiasmo.

— Bom dia, meu amor.— Seus pais falam ao mesmo tempo com lindos sorrisos em suas faces.

— Irá andar de cavalo hoje também?— A rainha pergunta a observando sentar.

— Não, estava pensando em ficar pintando, por algum motivo hoje me sinto inspirada.— Responde com um sorriso de canto.

— Que bom, querida.— Sua mãe retruca tomando um gole de seu suco.

— Majestade, desculpe interromper, mas temos algo que pode ser um problema.— Yoongi entra na sala de jeito agitado.

— Se acalme, filho. Me diga melhor o que aconteceu.— O rei se prontifica ficando de pé.

— Os soldados do Sul mandaram uma carta dizendo que ontem a noite durante a tempestade eles viram um vislumbre de um barco pirata. Eles temem que possa ser um ataque se aproximando.— Esclarece deixando todas as pessoas presentes interessadas na conversa.

— Eles deram uma estimativa de quanto tempo irá demorar para que este barco chegue em nossas terras?— O rei questiona com certo medo do que poderia vir.

— Eles afirmaram que amanhã, quando o sol nascer, é possível que os intrusos estejam aqui, Senhor.— Yoongi destaca o que lhe foi passado através da carta.

— Certo, muito obrigado, jovem. Pode voltar ao seu posto.— Anuncia o rei pronto para deixar a mesa, Yoongi apenas faz uma reverência e saí da sala.— Wheein, acho melhor ir para seu quarto, na hora do almoço mando algum empregado levar a refeição até seus aposentos. Eu e sua mãe precisamos conversar.— Declara já na porta e prestes a sair, mas a voz da princesa o faz parar no lugar.

— Se são assuntos em relação ao reino eu deveria participar, não? Algum dia terei que comandar essas terras e como farei isso se escondem tudo de mim?— Wheein já estava farta do comportamento de seus genitores.

— Minha querida, acho que seu pai tem razão. Esta situação em específico é melhor somente nós dois cuidarmos, talvez no futuro você possa participar das reuniões.— A rainha tenta amenizar o clima que se formava na sala.

— Quando no futuro? Escuto essa frase desde nos meus quinze, quando comecei a me interessar pelos assuntos reais. Mamãe, tenho 23 e vocês ainda me tratam como criança, como esperam que eu saiba cuidar do povo se nem me deixam saber a situação do mesmo?— A irritação tomava conta de sua voz.

— Wheein, eu te prometo que na próxima reunião que tivermos você participará, mas por agora vá para o seu quarto.— Seu pai fala com certo pesar em sua voz, mas sua filha nem notou. Saiu da sala correndo com Solar atrás, queria explodir e gritar todas as coisas que pensava de seu pai, mas não tinha coragem o suficiente para isso.

Quando chegou em seu quarto se jogou na cama com a cara em seus travesseiros, ali deixou que sua raiva saísse com um grito abafado e lágrimas que escorriam pelo seu rosto. Não sabia ao certo o motivo de tanta raiva, talvez queria ser tratada como mais responsável, talvez queria ser vista como alguém capaz ou talvez seja apenas sua criança interior gritando pela a atenção de seu pai.

— Hey, tudo bem. Passou, eu vou ir buscar as coisas e você poderá pintar um pouco.— Solar murmura fazendo um carinho nas costas da amiga. Naquele momento Wheein agradeceu por ter a mesma em sua vida, não saberia o que fazer sem ela, agradeceu por alguém estar sempre ao seu lado, talvez aquilo era tudo que ela precisava.


———————————————————————


Obrigada pro ler até aqui, se cuidem, bebam água e a gente se vê na próxima.

16 de Maio de 2021 às 01:55 1 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo Dois

Comente algo

Publique!
B. Arouche B. Arouche
Eu ameiiiiiiiii 😍😍 tô até agora imaginando o barco as meninas e os meninos como piratas, o castelo... Ahhhh eu ameiiiiiiiii ❣️💜
May 22, 2021, 03:36
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 6 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!