eucomxd1 Anna Beatriz

Zoe é uma das veteranas no grupo de teatro escolar, trabalhando onde a magia verdadeiramente acontece, nos bastidores, e acaba tendo que ajudar a melhor amiga, a qual é apaixonada, a conseguir o papel de Julieta, e contracenar com o senhor popularidade do colégio, sempre esforçando-se para não quebrar as promessas feitas na infância.


Ficção adolescente Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#lgbt #amizade #lgbt+ #colegial #teatro #escola #258 #promessas #melhores-amigas #romeu-e-julieta #sáfica #romance-adolecente #romance-sáfico
1
404 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Toda semana
tempo de leitura
AA Compartilhar

Matteo, o abutre

Me arrumava para ir a escola, não que eu demorasse muito para fazer isso, minha escola tinha um rigoroso código de vestimenta. O uniforme não era de todo feio, a blusa de uniforme era preta com o símbolo da nossa escola, a Escola Alice D'Angelo do ensino médio, bordado em vermelho, e a parte de baixo da mesma cor que o bordado. Geralmente as meninas usavam a saia do uniforme, mas eu preferi usar a calça, que era dez vezes mais confortável.

— Zoe, nós vamos chegar atrasados, o que você está fazendo aí dentro? — Meu irmão me chama batendo na porta do meu quarto.

— Já vou, já vou — Respondo.

— Nós ainda vamos ter que enfrentar toda aquela chatice.

Sabia do que ele estava falando. Quase todos os dias recebíamos uma bronca, "não é apropriado alunos trocarem os uniformes" era tão ruim assim ver meu irmão usando saia?

Peguei minha mochila e desci para o primeiro andar onde meu pai conversava com meu irmão, provavelmente falando que se a escola brigasse, de novo, teríamos que ligar para ele.

— Finalmente a bonita terminou de se arrumar — Meu irmão exclamou assim que me viu e me puxou pela alça da mochila — Orion e Vênus já devem estar nos esperando.

— Reclama que eu demoro para me arrumar, mas você deveria se arrumar um pouquinho, não acha?

Os cabelos negros como a noite do me irmão estavam bagunçados, como se ele nem tentasse arruma-los, e realmente não tentou. Usava a camisa de uniforme e a saia que veio originalmente no meu uniforme, apesar de ser um ano mais velho ele tinha a mesma altura e incrivelmente a mesma cintura que eu.

— Eu sou lindo de qualquer jeito. Agora vem logo — Ele soltou minha mochila acelerando o passo quando finalmente vimos as pessoas no ponto de ônibus.

E lá estavam eles, Orion, o namorado do meu irmão, e Vênus, minha melhor amiga, a maldita estava muito bonita, como sempre.

Acho que devo explicar uma coisa muito importante para que entendam meu azar: Eu e Vênus nos conhecemos quando éramos muito pequenas, e como qualquer criança que acha que manda na própria vida, fizemos promessas uma para a outra, e em uma delas prometemos que nunca deixariam uma paixão atrapalhar nossa amizade, e as duas estavam quebrando essa promessa. Ela estava apaixonada por uma das estrelas do curso de teatro, e eu... bem, eu estava apaixonada por ela.

— Finalmente vocês chegaram — Vênus se adiantou e me cumprimentou com um abraço. O cabelo dela cheirava a coco.

Vênus vestia o uniforme da escola, que combinava muito com seus cabelos castanhos agora amarrados em um rabo de cavalo. Estava usando seus óculos de sempre e um tênis amarelo, que em qualquer outra pessoa do mundo ficaria estranho com o uniforme.

— Ela leva uma eternidade para se arrumar — Meu irmão respondeu —, e continua feia.

— Tá faltando espelho no seu quarto, né? — Disse o encarando.

— Ele está lindo — Orion se aproximou e abraçou meu irmão pela cintura, que se virou e o beijou.

Fingi estar vomitando enquanto Vênus segurava o riso.

Quando o ônibus chegou, alguns minutos depois, Vênus foi a primeira a entrar, procurando lugar para nós duas. Ela pegou minha mão e me puxou até os únicos dois lugares vazios. Devo ter ficado da cor de um pimentão quando notei que, mesmo já sentadas, ela ainda segurava minha mão. Minha pele é pálida, é muito fácil perceber quando estava corada, mas para minha sorte, ou azar, Vênus estava prestando atenção no senhor estrela de teatro, ou Matteo, mas dar um nome a ele torna mais difícil odiá-lo. Uma vez o chamei de abutre, Vênus me deu um sermão de horas, mas continuo o chamando assim quando ela não está perto.

O abutre estava sentado dois lugares à frente, nem estava vestindo o uniforme escolar, vestia uma blusa preta, uma jaqueta jeans e uma calça preta, e ainda complementava o conjunto com um óculos escuros que só ajudavam a destacar seu cabelo loiro. Eu gostaria de falar que ele não é bonito...

Provavelmente iria matar aula com o grupinho dele, de novo. As notas dele no clube de teatro já o haviam garantido que ele iria passar de ano. Ser o queridinho da professora de teatro ajudava bastante.

Meu irmão me encarou por alguns segundos, eu deveria estar com uma cara terrível pela expressão que ele fez. Olhou para Vênus, olhou para mim, olhou para o Matteo e foi como se a última peça se encaixasse dentro da cabeça dele. Ele deu um passo para o lado impedindo a visão de Vênus.

— Tutu, não vem sentar aqui? — Orion perguntou de algum lugar atrás de mim.

— É Arthur, não vai sentar lá com o seu namorado? — Vênus se adiantou antes que meu irmão respondesse. Okay, isso doeu.

Meu olhar encontrou o do meu irmão, estávamos tão acostumados a nos entender assim que se meu olhar significasse que um elefante rosa mastigou meu caderno ele entenderia. Ele entendeu que poderia ir se sentar e que eu agradeci muito pelo que ele tentou fazer.

— Zoe — Vênus soltou minha mão e lançou um último olhar a Matteo antes de se virar para falar comigo —, lembra que a professora de história me colocou de recuperação?

— Por que você errou a pergunta sobre a guerra fria, lembro.

— É, é, mas ela disse que se eu conseguir pontos em outro clube vai valer na média dela.

— Não entendo essa escola.

— Não faz o menor sentido, mas o que importa é que eu posso ganhar nota na aula dela, e adivinha, a professora de teatro disse que me daria os pontos se eu conseguisse o papel principal na próxima peça.

— Isso é muito bom, eu posso te ajudar a conseguir o papel.

Eu era do clube de teatro fazia muito tempo, cuidando dos bastidores é claro, minha timidez nunca me deixaria subir no palco. Sempre dizem que a magia acontece nos bastidores, e essas pessoas tão erradíssimas, nos bastidores tudo que acontece é você quase infartar por estresse.

Mas minha animação de trabalhar no clube junto com a Vênus não durou muito. Lembrei que a próxima peça seria a apresentação anual de Romeu e Julieta, e como em todos os anos, desde que o abutre entrou na escola, ele iria ser o Romeu. Isso significa que se Vênus conseguir papel principal ela vai ser Julieta. E TINHA UM BEIJO DELES NA PEÇA.

É claro que isso resultaria em um clichê de filme adolescente, onde a menina se apaixona pelo popularzinho, encenam Romeu e Julieta e bem no beijo dos dois o popular se apaixona de volta e eles vivem felizes para sempre ou até algum deles se mudar para uma faculdade longe e o relacionamento não der certo. Meu coração se apertou ainda mais com esse pensamento e várias outras paranoias que meu cérebro me fez pensar. Minhas chances agora eram zero, não que antes fossem maiores.

Passei por aulas infernais antes de conseguir voltar para casa. Duas aulas de filosofia, duas de geografia e uma de alguma matéria que eu infelizmente, ou felizmente, não assisti porque passei a aula dormindo. Vênus me falou o dia inteiro o tanto que estava animada com o teste. Será que eu seria uma amiga muito ruim se nem tentasse pedir para a professora de teatro escalá-la. Eu sei que seria... Afinal prometi anos atrás que sempre a ajudaria, independente do que fosse... Promessa de infância estúpida.

Íamos chegar atrasadas no clube de teatro,mas Vênus insistiu para que eu esperasse ela retocar a maquiagem.

— Você sabe que ele não vai aparecer hoje, né? — Disse encostada na parede ao lado do espelho.

— Ele va... — Ela se interrompeu e fingiu que borrou o rímel — ele quem?

— Você sabe quem.

— Voldemort? Tenho certeza de que ele realmente não vai — Ela respondeu se afastando um pouco do espelho — Como eu fiquei?

— O Voldemort não vai mesmo, tá matando aula com os amigos — Dei uma risadinha e Vênus fechou a cara para mim — Você está linda, mas o lápis de olho está borrado.

Me aproximei de Vênus para limpar o que borrou.

— Não sei por que você insiste em passar isso.

Ela apenas sorriu, aqueles malditos sorrisos, e ela estava tão perto... senti meu rosto corar.

15 de Maio de 2021 às 21:25 2 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo Testa Rachada

Comente algo

Publique!
Royalty Yumiko 💚💗 Royalty Yumiko 💚💗
Ja disse o quanto amo sua escrita?

~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 2 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas