jayjay0 Julia Eliezer

E se de repente você descobrisse que todas as histórias que foram lhe contadas quando era criança são reais? As fantasias,as fadas e ate mesmo o bixo papão A vida de Marco virou de cabeça para baixo quando descobriu que a lenda que sua família lhe contava era real. E agora vai entrar de cabeça em uma aventura excitante e apaixonando por 7 reinos com um garoto que acabou de conhece e que deveria descobrir que o mundo e muito mais do que ele imaginava.


Fantasia Épico Todo o público.

#natureza #amor #aventura #inimigos #lendas #jovens #amorentregarotos #fantasia # #lgbt #romance #amigos
2
2.9mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Toda semana
tempo de leitura
AA Compartilhar

《Eu ouço quando olho para você》

Marco


-Tia,eu acho que não vou conseguir dormir-Eu falei enrolado nas cobertas,minha tia amanda que estava saindo do quarto olha para mim por cima dos seus ombros,dá um leve suspiro e volta para trás.


-Vejamos oque posso fazer.-Ela se deita do meu lado da cama,eu me afasto um pouco para dar espaço a ela.-Hum…-Ela resmungou um pouco parecendo estar pensando em algo,enquanto ajeitava meu cobertor e dava tapinhas leves em cima dele.-Você sabe sobre a Lenda do desastre?-Ela fala com um tom de animação,eu balanço minha cabeça em negação.-Pois bem,irei lhe contar.-Ela dá uma tossida para dentro.-A tempos atrás,a humanidade foi atormentada por seres das trevas…


-Isso é história para dormir,tua?-Há questiono,ela dá um sorriso sem esboçar os dentes.


-E a lenda da família,minha mãe me contava quando eu era criança. Você quer que eu continue?-Ela olha para mim,eu fico calado por uns segundos e balanço a cabeça para cima e para baixo.-Pois bem..Esses seres malvados comiam nossas comidas,roubam nossas casas e faziam tudo de mal para nós humanos,e isso se estendeu por anooos.


-Uou,como nos filmes de terror?


-Pois é,meu bem. Como nos filmes de terror,mas felizmente essa história tem um final bom. Os seres mágicos resolveram agir quando perceberam que as coisas estavam indo longe demais e criaram um cristal para trancafiar os dem-Ela tosse mais uma vez,como se tivesse tentando disfarçar algo-Digo,os seres maus foram aprisionados naquele cristal que os seres mágicos o chamaram de Núcleo,e havia tanta maldade que o núcleo foi ficando vermelho.


-Então quer dizer que vermelho é uma cor ruim? Mas vermelho é minha cor preferida.-Eu olho para ele com os olhos grandes que eu tinha quando era criança.


-Bem..-Minha tia parecia muito nervosa,como se não pudesse responder.-Talvez seja só porque os seres maus eram vermelhos.


-Entendi..-Eu volto a olhar para o teto e vejo minha avó dar um suspiro de alívio.-Durante essa guerra alguns dos humanos tiveram famílias com pessoas mágicas e assim fazendo famílias como a nossa que somos descendentes de pessoas mágicas.-Minha tia se arrependeu de ter me contado isso na hora em que fechou os lábios. Eu levantei da cama em um pulo que quase a fez cair da cama.


-Então quer dizer que eu tenho poderes tambem?-Eu pulava na cama com empolgação.-Eu posso ser um super-herói?-Eu falava quase aos gritos pulando de um lado para o outro na cama.


-Eu não sei dizer...Talvez.-Minha tia se levantou da cama e ficou de braços cruzados na minha frente me vendo bagunçar a cama inteira com os pulinhos de animação.-Você pode pensar nisso amanhã,mas acho que agora e hora de dormir.


-Mas..!-Eu pulo sentado na cama.-Eu posso ser um super-herói!


-Super heróis também dormem.-Ela vem e me cobre novamente,empurrando o cobertor para minhas costas.-Boa noite,meu amor.-Ela me dá um beijo na minha testa e sai do quarto,fechando a porta lentamente.


-Um super-herói…-Eu falava comigo mesmo olhando para o teto cheio de estrelas fosforescentes.


Eu não dormi naquela noite.


Marco

Dias de hoje


O cheiro da fumaça que saia do carro estava começando a me deixando enjoado então eu apressado de dentro dele e já fui abrindo a porta da frente para a minha tia poder sair.


-Que cavalheiro.-Ela fala em tom de piada e me olha sorrindo.


-Madame.-Eu entro em sua brincadeira e faço uma referência enquanto ela sai do carro.


-Vamos,pegue o resto das coisas no carro para que o moço possa ir embora.-Eu a obedeço e pego as grandes sacolas de papelão que estavam na parte baixa do banco,fecho a porta com o pé e vejo o uber indo embora,sumindo entre as vastas árvores que haviam ali.

Eu volto a olhar para frente e um vento repentino me pega de surpresa me obrigando a fechar os olhos e me fazendo sentir cheiro de chuva. Eu inspiro aquele ar fortemente sentindo meus pulmões se encherem de ar e meu coração de alegria.

Eu me sentia em casa.

Eu expiro e olho ao redor,e uma casa isolada no meio de muitas árvores grandes e verdes e tão silencioso que o sons dos pássaros ficam mais evidentes, dá para escutar o barulho do fluxo da água no lago que tem no meio daquela floresta. O céu estava tão limpo e tudo tão lindo que eu poderia morrer aqui mesmo.


-Você não vai entrar?-A voz da minha tia me desperta do transe. Sorriu e começou a andar para dentro da velha e aconchegante casa. Colocou as sacolas no balcão de mármore na cozinha,as paredes eram em tons de amarelo e tinha uma mesa de madeira longa,Eu passo a mão por ela sem se importar se vou ficar coberto de poeira.


Eu passei minha infância aqui,e o melhor lugar de todos. Deve ser o único lugar onde eu tenho boas lembranças,junto com minha Tia que não é tão velha assim e a mulher que devo tudo a ela.


-Querido,você vai me ajudar a passar um paninho nisso tudo,não é?-Ela passa o dedo na mesa e olha o mesmo.-Isso é um lixão. Eu devia ter vindo mês passado para limpá-lo,não sabia que viriam para cá assim de repente.


-Aaaah,eu queria dar uma volta lá fora.-Eu faço uma carinha de cachorro molhado e ela faz o bico que ela sempre faz quando sabe oque eu iria dizer.


-Você não tá tentando fugir,né?-Ela pega a colher de pau no balcão e tenta me ameaçar com ela,eu levanto os braços.


-Jamais.-Eu dou uma risada pelo nariz,ela apoia a colher nos ombros e com a outra mão coloca na cintura.-Pois bem,você tem 30 minutos. Você já tem 16,não seja irresponsável.


-Volto antes,não se preocupe!-Eu falo,correndo para fora,sentindo a emoção tomar conta de mim. Quando abro a porta o vento sacode meus cabelos e eu dou um grande sorriso.


Comecei a entrar entre as árvores que bloqueavam a luz do sol e deixavam um clima confortável, eu toco em seus troncos e sinto a grama roçar no lado dos meus pés. Olhando para cima dava para ver os passarinhos voarem de uma para outra rapidamente e seu canto parecia mais alto agora.

Eu ouvi algo estranho. Minha mente ficou em alerta,parecia a voz de uma pessoa se juntando com a voz dos pássaros.


Eu poderia estar me arriscando,mas era uma voz tão bonita que minha curiosidade foi maior. Eu ando lentamente seguindo o som e a pessoa misteriosa parecia estar perto do rio,eu conseguia escutar o barulho da água.

Eu me aproximei e me escondi atrás de uma das grandes árvores e vi.


Era um garoto,ele estava sentado em uma rocha enorme e contava de costas para mim. Ele tinha cabelos ruivos bem fortes,e sua voz era frágil,como se ele estivesse prestes a chorar.


Eu estava tão concentrado em sua música que nem percebi ele me olhando,eu senti meu coração quase saindo da boca mas antes que eu pudesse falar algo,ele caiu no chão e não tentou se levantar.







15 de Maio de 2021 às 17:50 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo 《Novo Mundo》

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 34 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!