E
Emmadelle


"Eu não acredito nesses códigos, eu acredito no meu amor por você" "Discreto, secreto, eterno e nosso"


Fanfiction Livros Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#sadfic #jikook #yaoi #storylover #m√°fia
0
708 VISUALIZA√á√ēES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo (1)

Quando crian√ßas queremos um amor com clich√™s, flores e chocolates. N√≥s tivemos um amor com armas, fogo e √°cido sulf√ļrico, agora depois de 50 anos guardado esses segredos sobre as desculpas de um c√≥digo de honra idiota, eu vejo o quanto mesmo com tanta dor, sofrimento e mortes a nossa volta, fomos felizes pelo tempo que nos foi proporcionado.

Era agosto de 1970 e eu estava nervoso com meu primeiro dia de aula em um colégio de Nova Jersey, um garoto novo de 17 anos que havia se mudado de Delawere.

N√£o havia motivo para este ano ser diferente dos outros, ele deveria ser como todos os outros.

Mas esse ano tinha algo de diferente, este ano tinha ele, Jimin Roggiero t√£o belo com suas roupas de grife e seus cabelos tingidos de loiro. Nunca em meus 17 anos um amor plat√īnico havia me dado tanta dor de cabe√ßa, mas l√° estava ele, na aula de matem√°tica, a poucos cent√≠metros de mim, exalando seu cheiro de l√≠rio.

Com os cálculos de seu caderno já feitos, Jimin não tirava seus olhos do bloco de notas em que escrevia, o professor percebendo esse desvio de atenção tentou chamar por seu nome, mas sem resposta. Enquanto Jimin estava distraído o professor sem paciência se levantou de sua mesa irritado, caminhando em direção ao belo aluno em minha frente.

Um cutuc√£o, foi o primeiro contato que tive com Jimin Roggiero, e um cutuc√£o foi o suficiente para que ele despertasse de seus devaneios a tempo.

‚ÄĒ Senhor Jimin Roggiero!

Todos me olhavam apavorados, como se o meu ato tivesse sido mais interessante do que a clara discuss√£o entre aluno e professor bem no meio da sala de aula.

‚ÄĒ Em que posso ajudar, Senhor Willians? ‚ÄĒ Jimin diz de forma serena.

‚ÄĒ Senhor Roggiero pode me dizer o que tanto lhe distrai da minha aula? ‚ÄĒ O professor questionou, limpando as lentes dos seus √≥culos de grau.

‚ÄĒ Sinto muito professor, n√£o s√£o assuntos de sua al√ßada.

‚ÄĒ Est√° me desacatando frente √† turma, Senhor Roggiero? ‚ÄĒ Senhor Willians inquiriu.

‚ÄĒ Pelo contr√°rio professor, estou ajudando-o a n√£o ter problemas comigo. ‚ÄĒ Ditou Jimin.

‚ÄĒ Entregue o bloco de notas. ‚ÄĒ Willians ordenou.

‚ÄĒ N√£o.

‚ÄĒ Como √©? ‚ÄĒ O professor perguntou irritado.

‚ÄĒ N√£o. Senhor Willians. ‚ÄĒ Jimin repetiu.

A raiva estava estampada no rosto naquele miserável professor de matemática, ser desacatado por um aluno daquela forma descarada não faria com que ele fosse muito popular com outros professores, mas sua ação seguinte o deixou praticamente com o pé na cova.

‚ÄĒ Jimin Roggiero, para a diretoria agora.

Jimin riu.

Ele olhou para o fundo da alma do professor idiota e riu, Jimin n√£o gostava de chamar aten√ß√£o, e escandalosos como Jonathan Willians, que adoram um showzinho para afirmar suas posi√ß√Ķes superiores sobre os outros, chamam muita aten√ß√£o.

‚ÄĒ N√£o se preocupe professor, n√£o dar√° mais aulas na minha presen√ßa. ‚ÄĒ Jimin comunicou calmo e frio.

‚ÄĒ Para a diretoria agora! ‚ÄĒ Willians disse com o tom de voz mais grosso.

Jimin levantou se de sua carteira devagar, fechou seu caderno, colocou suas canetas no estojo e guardou seus materiais na mochila, no entanto o bloco de notas foi guardado de volta para o bolso interno de sua jaqueta de couro, onde era seu lugar.

Ele saiu calmo da sala de aula e n√£o retornou mais naquele dia, talvez n√£o tenha sequer ido para a diretoria, nunca o questionei sobre, n√£o era como se devesse explica√ß√Ķes, viver pela pr√≥pria vontade sempre foi do seu feitio.

No dia seguinte a discussão, Jimin não foi para o colégio, naquele dia o professor Jonathan também faltou por estar doente. Os boatos que percorriam no instituto eram de que ele havia sido demitido, deportado ou até mesmo na pior das hipóteses de um bando de adolescentes com nada mais para fazer, morto, pois ele não retornou mais para o colégio.

Algumas semanas se passaram e meu interesse por Jimin só aumentava, não me orgulho disto, mas confesso, me tornei a própria sombra de Roggiero no colégio, e talvez seja por este motivo que nossa historia tenha começado, não é todo dia que se esbarra no estacionamento com Jimin Roggiero.

‚ÄĒ Me perdoe...Eu sinto muito...Eu n√£o fiz por mal ‚ÄĒ O meu desespero era t√£o n√≠tido ao ter sido burro e esbarrado em Jimin. Sempre achei que sua primeira impress√£o sobre mim foi de pena. Ao inv√©s de me repreender, Jimin agiu da forma mais perfeita que j√° pude presenciar, ele sorriu pela primeira vez para mim.

‚ÄĒ Est√° tudo bem, eu n√£o me machuquei. Ei, eu conhe√ßo voc√™? ‚ÄĒ Ele pergunta quase com tom de afirma√ß√£o.

‚ÄĒ Ah...Eu estou em algumas aulas com voc√™. ‚ÄĒ Digo sentindo o rubor em minhas ma√ßas do rosto.

‚ÄĒ J√° sei! Voc√™ √© o cara que me deu um cutuc√£o na aula de matem√°tica. ‚ÄĒ Sua constata√ß√£o foi seguida de um sorriso largo, mas minha √ļnica a√ß√£o foi abaixar a cabe√ßa completamente envergonhado.

‚ÄĒ Eu sinto muito, eu s√≥ estava tentando avisar sobre o professor. ‚ÄĒ Ele colocou a m√£o sobre meu ombro chamando minha aten√ß√£o para si.

‚ÄĒ T√° tudo bem, obrigado por me avisar, mas acho que deveria ter feito isso pelo professor, ele sim n√£o ficou bem depois.

‚ÄĒ Acha que ele morreu como alguns dizem? ‚ÄĒ Pergunto sussurrando como quem conta um segredo.

‚ÄĒ Acho que ele aprendeu com o erro dele, seja l√° o que aconteceu. ‚ÄĒ Jimin disse simplesmente.

‚ÄĒ Tem gente dizendo que voc√™ tem algo haver com o sumi√ßo do professor. ‚ÄĒ Eu disse sem pensar e me desesperei novamente, Jimin ent√£o riu acalmando a turbul√™ncia criada.

‚ÄĒ Voc√™ √© engra√ßado, mas n√£o se preocupe, eu n√£o tive nada haver.

‚ÄĒ Que bom. N√£o quero que nada de ruim aconte√ßa com voc√™, quer dizer, com ningu√©m, n√£o quero que nada de ruim aconte√ßa com ningu√©m, e isso inclui voc√™... ‚ÄĒ Eu n√£o consigo ser uma pessoa normal por um segundo.

‚ÄĒ Meu pai cuida desse departamento. ‚ÄĒ Ele aponta para um Pontiac GTO 1965 preto, com um homem grande ao lado da porta. ‚ÄĒ Ele √© assustador, mas √© legal.

‚ÄĒ Ele √© seu seguran√ßa? ‚ÄĒ Pergunto de forma inocente.

‚ÄĒ De certa forma. Est√° mais para chofer nas horas vagas, ele me leva aonde eu preciso estar. ‚ÄĒ Jimin responde de maneira educada e divertida.

‚ÄĒ Parece um cara cheio de afazeres. ‚ÄĒ Digo complacente.

‚ÄĒ Meu pai gosta de me manter por perto.

‚ÄĒ Achei que fosse mais reservado quanto a sua vida pessoal. ‚ÄĒ Digo me lembrando das v√°rias coisas que me disseram sobre Jimin quando percebiam minha estranha curiosidade.

‚ÄĒ Existem as exce√ß√Ķes, confio em voc√™. ‚ÄĒ Ele completa, deixando um sorriso obl√≠quo surgir.

Foi como faísca, uma centelha de seu olhar indo direto para o meu. E com aquele piscar de olhos sincronizado eu sabia, tinha certeza, eu havia me apaixonado.

‚ÄĒ Patr√£o precisamos ir, seu pai est√° esperando ‚ÄĒ O "chofer" de Jimin se aproximou de onde est√°vamos, e me analisou dos p√©s a cabe√ßa como se fosse capaz de me matar friamente se precisasse, n√£o que ele n√£o fosse.

‚ÄĒ Certo. Eu preciso ir Jungkook, at√© uma pr√≥xima. ‚ÄĒ Naquela √©poca eu nem prestei aten√ß√£o no fato dele saber meu nome, eu s√≥ pensei na poss√≠vel pr√≥xima vez.

‚ÄĒ At√©... ‚ÄĒ Ele acenou de longe, sorrindo uma ultima vez naquele dia para mim.

E partiu, em toda a sua glória e vida que iluminava meu dia, sempre que aparecia.


31 de Maio de 2021 às 10:54 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo Capítulo (2)

Comente algo

Publique!
Nenhum coment√°rio ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, fa√ßa login ou cadastre-se. √Č gr√°tis!

Fazer login com Facebook Fazer login com Twitter

ou utilize a forma regular de registro