riwsaa Riwsaa Lawrence

Com uma explosão uma energia entrou na atmosfera e se espalhou pelo globo, agora existem dentro de cada ser vivo e estão ligados à sua estrutura molecular. Normalmente, a vibração da energia é completamente inofensiva. Entretanto, quando a pessoa ao morrer, eles multam a biologia de seus hospedeiros que se transformavam em calamidades. Além de desencadear transformações físicas, a energia que eles vibram também podem afetar a mente, transformando a maioria das calamidades em criaturas sem consciência como os obsessores, ou Bestiais. Jack Phelip Cross é um garoto de 18 anos que consegue ver sombras desde seus 5 anos, quando criança foi atacado por uma calamidade causando uma lesão em suas cordas vocais causando mudez. Um dia ao ser abordado por uma calamidade levado para outro mundo, ele para salvar sua vida ele consegue usar o cristal com energia eminente. Desse modo, começa a jornada heroica do garoto de uma mundo desconhecido que consegui controlar o poderoso cristal, mas para voltar para o seu mundo com a ajuda da organização Abatedouro. "O homem deve trabalhar ele mesmo para crescer."


Fantasia Fantasia urbana Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#jack #energia #cristais #Matadouro #Calamidade
2
10.0mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Introdução

É 19 horas, praça estava cheia e está o Agente Fernandes, a espera do Camaleão, um integrante do abatedouro que iria começar a cooperar com o FBI.

Sentado no banco da praça, havia um jornal em suas mãos para passar o tempo, lá estava as notícias da semana.

“Após outros dois casos de pessoas mortas-vivas, são mortas por policiais em Granford, um de 18 anos que foi baleado no Sul em Etriland , e outro de 43 anos estrangulado em Netrock. ”

“Atentado em Costër, bombas foram implantadas em monumentos históricos da cidade. Houve 13 mortes, 36 pessoas foram presas. Os policiais estavam lutando com balas de borrachas e escudos contra os protestantes mascarados.”

-Desculpe a demora- disse o camaleão.

Agente Fernantes levantou seu olhar e lá estava ele, para comentar como foi a sua semana. Ele era um homem normal, nem parecia um integrante da máfia.

-Não há problema- digo em outra língua- vamos andar- me levantou dobrando o jornal e guardando entre meu braço direito.

Ele apenas balançou a cabeça.

Seu único favor era que queria sair da máfia vivo, então sua única opção era cooperar com informação e ser um agente infiltrado.

-Então, o que você sabe.- Pergunto.

-Estava submetido a está em um local com caçadores de calamidades, não saberia bem o motivo, mas como qualquer lugar afastado havia calamidades e uma em específica falava.

-Falava?- perguntei andando em direção a uma barraca de churros.

-Eu sei que isso é algo surpreendente, mas além de falar havia um cristal, algo que nunca tínhamos visto.

-Cristal? Como ele era?- digo parando em frente da barraca de churros do Jorge- Boa noite Jorge, o pedido de sempre.

-Boa noite, é pra já.- disse Jorge, com o seu bigode pontudo.

-Continue- falei.

-Azul claro e estava no pescoço da calamidade, por ser muito pequeno o queixo cobria ele, mas brilhava muito.

Eu apenas fiquei quieto, minha expressão que estava em meu rosto era possível perceber como aquilo era extremamente um absurdo.

-Isso é um absurdo- disse- como posso saber se isso é real?

-Eu não sei, mas havia também um garoto.

-Garoto?

-Sim, ele estava no local, foi levado para ser interrogado e concluíram que ele era de outro mundo.

-Isso é loucura- disse o agente.

-Não é, e por incrível que pareça ele não é daqui.

-Ele poderia ido lá de pé ou poderia ter sido capturado.

-Um lugar, onde a viagem de carro dura 4 horas?- falou o camaleão colocando as mãos em cima da mesa e imediatamente Jorge trouxe, dois cafés e um prato com 3 churros, por um momento o lugar ficou quieto.

Jorge havia saído.

-Continue- disse o agente tomando um gale de café e levando um churro para a boca.

-Ele foi capturado pela calamidade de um mundo para outro e esse cristal esta envolvido.

-Teletransporte ou portal para outro mundo?- perguntou.

-É bem possível, pessoas soltam poderes pelas mãos, qual a diferença de teletransporte ou portal para outro mundo?

-Sim é verdade. - levou outro churro para a boca.

-Ocorreu um interrogatório ele foi totalmente aberto, mesmo sendo mudo, já que seria executado.

-Mudo?- Mostrou um cara de surpresa comendo mais um churro.

-Sim, parece uma piada, tem por volta de 19 pra 18 anos e os seus olhos eram amarelos.

-Isso já está fora do normal.

-Então fizeram um acordo com ele.

-Sabe qual é?

-Não.

-Mas deve ter algum motivo de querer ele para o Abatedouro.

-Ele manipulou sombras, sem nenhum círculo.

-Sombra é composto por qual elemento da tabela periódica?

-Eu não sei, nem sei o nome dele.

-Eu vou ser sincero, isso está indo para outro patamar em que o FBI possa ir- diz o agente- CSP é o único no qual pode te ajudar, ele está se envolvendo com calamidades e esses poderzinhos que vocês estão acostumados, vou lhe indicar para um amigo, ele saberá o que fazer.

-Tudo bem.



16 de Maio de 2021 às 20:04 3 Denunciar Insira Seguir história
4
Leia o próximo capítulo Capítulo 1 - O dia de aula

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 31 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Era de desequilírio e escuridão: Terra, Lialles.
Era de desequilírio e escuridão: Terra, Lialles.

Com uma explosão uma energia entrou na atmosfera e se espalhou pelo globo, agora existem dentro de cada ser vivo e estão ligados à sua estrutura molecular. Normalmente, a vibração da energia é completamente inofensiva. Entretanto, quando a pessoa ao morrer, eles multam a biologia de seus hospedeiros que se transformavam em calamidades. Além de desencadear transformações físicas, a energia que eles vibram também podem afetar a mente, transformando a maioria das calamidades em criaturas sem consciência como os obsessores, ou Bestiais. Leia mais sobre Era de desequilírio e escuridão: Terra, Lialles..