jigguklgbt anna ♥︎

Após descobrir uma traição e sentir-se frustrado por causa do trabalho, Park Jimin decide deixar tudo para trás em Seul e vai passar um tempo na casa de sua mãe em Busan, sua cidade natal. Por conta de alguns maus entendidos do passado, Park não visitava a sua progenitora à um ano e meio, então ele nem imaginava que agora ela estava hospedando um intercambista francês. Jeon Jungkook, um jovem de vinte e dois anos, estudante de marketing. No começo os dois são como cão e gato, e Park sempre dizia com todas as letras que não gostava de Jeon, mas é claro que era tudo mentira, pois ele havia caído nos encantos do moreno desde a primeira vez em que o viu. [jikook • +18 • jungkook!top • jimin!bottom] © All Rights Reserved


Fanfiction Bandas/Cantores Todo o público.

#fanfic #bts #boyxboy #boyslove # #bangtanboys #bangtan #amor
8
1.5mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 2 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

01. laisser derrière

P A R K J I M I N


Eu estava exausto.

Já fazia algum tempo que eu não me sentia confortável com o meu trabalho e com a minha vida pessoal, e isso vem me incomodando ao passar dos dias.

Há três anos trabalho como autor de webcomics sobrenaturais e me mudei para Seul pra ficar mais perto da empresa que faz a publicação das minhas histórias, mais perto dos meus amigos autores e do meu namorado. Tenho uma série de terror que começou a ficar bem famosa em sua segunda temporada, e agora estou tentando escrever a quarta e última temporada.

Isso mesmo, estou tentando, porque já fazem cinco meses que estou com um bloqueio criativo desgraçado que não me permite fazer nada.

E para piorar ainda mais a minha vida, estou evitando o meu namorado.

Sei que isso não é a coisa mais certa a se fazer e com certeza ele não está feliz com essa situação toda, mas eu preciso pelo menos tentar me dedicar ao meu trabalho. Todas as vezes que ele dizia que iria vir ao meu apartamento, eu inventava milhões de desculpas para que ele não viesse e bom... sempre funcionava.

Eu me sentia muito mal por não fazer a pessoa que eu amo feliz, mas ao mesmo tempo, meu trabalho também é muito importante para mim.

Suspirei enquanto olhava fixamente para o meu equipamento de trabalho.

Já faziam duas horas que eu estava parado ali, segurando a caneta, tentando desenhar pelo menos uma cena pequena, mas não conseguia fazer nada.

Me levantei e fui até a cozinha preparar um café sem açúcar.

Era assim todos os dias, eu já estava tão cansado dessa rotina.

Só queria que tudo voltasse ao normal.

Assim que coloquei o café na xícara e sai da cozinha, ouvi o telefone tocando. Caminhei rapidamente para atender, logo ouvindo a voz do senhor Lee da portaria.

Bom dia, senhor Park.

— Bom dia, senhor Lee.

O senhor Seo Youngho está exigindo subir.

Johnny...

Meu namorado.

De repente comecei a sentir algo ruim.

— A porta vai estar aberta. — Respondi antes de desligar.

Me sentei no sofá, colocando a xícara na mesinha de centro e cruzei os meus braços enquanto o esperava.

Se ele exigiu entrar, então com certeza vai me falar algo muito sério.

Será que ele encontrou outra pessoa?

Ele me traiu?

Se bem que... ele tem um bom motivo para fazer isso.

Quando a porta foi aberta, vi Johnny entrando em meu apartamento, usando as suas roupas caras de sempre, com uma expressão séria em seu rosto.

Com certeza algo ruim está por vir.

— Oi amor, quer café? — Perguntei.

Eu sou péssimo.

— Não, o que eu tenho pra falar é rápido. — Ele se sentou ao meu lado. — Logo logo vou embora.

— Certo.

— Vamos direto ao assunto. — Me encarou. — Eu estou aqui para terminar com você.

Terminar... eu meio que já imaginava isso.

Mas eu gostava tanto dele.

Não tinha como contornar essa situação?

— Johnny, meu amor, eu sei que ultimamente eu estou ausente na sua vida, mas é tudo por causa do meu trabalho. — Segurei a sua mão. — Me dê mais uma chance, por favor, eu vou tentar ser melhor com você, eu juro.

— Não dá, Jimin. — Ele afastou a sua mão. — Esse relacionamento não está dando certo à tempos, eu não estou feliz com você.

— Eu entendo, mas...

— Por que continuar um relacionamento que não está indo para lugar algum? — Ele suspirou.

Ele tinha razão, por que continuar com aquilo?

Eu só iria machucá-lo ainda mais.

Como eu deixei as coisas chegarem aquele ponto?

— Você está certo, sinto muito.

— Tenho que ser sincero, conheci alguém e quero começar uma vida nova com ele, mas não tem como isso acontecer se eu continuar com você. Eu quero ser feliz.

Ele conheceu alguém, eu também já imaginava isso.

Mas doía tanto.

— Posso fazer uma pergunta, Johnny?

— Pode.

— Houve traição?

Eu sei que a resposta para essa pergunta poderia me machucar ainda mais, só que eu precisava saber.

— Sim Jimin, houve traição, sinto muito.

— Tudo bem.

Depois disso, ficamos em silêncio.

Eu não parava de pensar em tudo aquilo, já ele acho que só não tinha mais o que dizer mesmo.

Olhei para a xícara de café na mesinha de centro e em seguida para uma foto nossa pendurada na parede ao lado da TV.

Eu estava me sentindo tão mal.

Ele se levantou do sofá e caminhou até a porta.

— Eu estou indo, não posso me atrasar para o trabalho. — Disse. — E não deixe o seu trabalho te consumir Jimin, isso vai acabar com você.

E então ele saiu, sem esperar nenhuma resposta.

Fiquei algum tempo ali na sala, pensando em tudo o que Johnny havia dito.

"Eu não estou feliz com você."

"Conheci alguém e quero começar uma vida nova com ele, mas não tem como isso acontecer se eu continuar com você."

"Houve traição, sinto muito."

Já era o terceiro namorado que me traía.

Me levantei e fui para o meu quarto, pegando o meu celular embaixo do travesseiro e mandando uma mensagem para Taehyung, meu editor e melhor amigo.

Eu:
Oi, pode vir pra cá? |
Não estou me sentindo bem. |


TaeTae 💜🐯
| o que houve, minnie?

Eu:
Te falo quando você chegar. |


TaeTae 💜🐯
| está doente?
| preciso levar remédio?

Eu:
Eu só preciso da sua companhia, Tae. |
A porta vai estar aberta. |


Enquanto esperava o meu amigo chegar, me deitei na cama e me cobri dos pés à cabeça.

E então eu me permiti chorar.

Não só pela situação com o Johnny, mas por tudo.

Eu estava me sentindo péssimo.

Não lembro quanto tempo faz desde a última vez que eu chorei tanto assim. Eu sempre fazia de tudo para parecer forte, nunca deixava ninguém me ver chorando e até fingia estar bem mesmo nos piores momentos, Taehyung até se assustou ao me ver naquele estado.

Ele se deitou ao meu lado e me abraçou enquanto eu chorava.

— Minnie, por favor, me fala o que aconteceu. — Ele pediu, acho que pela quarta vez.

Eu funguei e em meio aos soluços, disse:

— O-O Johnny t-terminou c-comigo. — Tentei limpar as lágrimas, mas foi em vão. — E-Ele me t-traiu.

— O quê? — Tae arregalou os olhos. — Aquele bastardo!

— E-E n-não é só i-isso.

— Me diga tudo.

— E-Eu não consigo trabalhar e isso me deixa louco, o bloqueio já tem cinco meses, eu não sei o que fazer.

Meu melhor amigo me encarava enquanto eu continuava chorando sem parar, ele fez carinho em meus cabelos e ficou com uma cara pensativa.

Acho que ele não tinha nada para dizer.

Tae pediu almoço, mas sinceramente, eu não sentia fome.

— Anda Jiminnie, eu não vou te deixar ficar sem comer.

— Eu não quero.

— Foda-se, você não tem escolha. — Colocou a colher perto da minha boca. — Pelo menos coma algumas colheradas.

Suspirei e abri a boca, logo sentindo o gosto do arroz na minha boca, mastiguei tudo e engoli.

— Por favor Tae, tira isso de perto de mim. — Pedi. — Eu não estou com fome, prometo que vou comer tudo mais tarde.

— Tá bom, tá bom. — Ele fechou a tampa e colocou a comida de lado. — Sabe, eu acho que você tem é que se distanciar, deixar tudo isso para trás.

— Como assim?

— Vai pra Busan, passa um tempo com a sua mãe e só volte quando estiver se sentindo cem por cento melhor. — Tae pegou o seu celular. — Eu vejo o valor das passagens pra você e me encarrego de publicar um anúncio oficial de hiatus.

Hiatus...

Eu nunca pensei que algum dia fosse fazer isso, mas naquele momento era o que eu precisava.

— Você está certo, Tae.

— Ok, então vamos ver a passagem.

(♡)


"Olá, aqui é Kim Taehyung, editor do seu autor favorito, Park Jimin.


Vim por meio desse aviso informar que o lançamento de "The Maze of Horror IV" será adiado por tempo indeterminado pois Park Jimin entrará em hiatus por motivos pessoais.


Espero que todos vocês continuem dando amor e apoio para a história, assim como energias positivas para o nosso querido autor.


Nos vemos em breve!"


Taehyung publicou o anúncio do hiatus assim que eu entrei no trem.

A viagem iria durar 2 horas e 45 minutos, não avisei nada sobre estar voltando para a minha mãe, decidi fazer uma surpresa.

Passei a maior parte da viagem dormindo e ouvindo música já que eu não tinha muito o que fazer.

Era um pouco estranho voltar para casa depois de tanto tempo, fazia um ano e meio que eu havia parado de visitar a minha mãe desde que ela havia descoberto sobre a minha sexualidade. A gente trocava algumas mensagens ou fazíamos umas ligações curtas, mas não passava disso.

Ela havia ficado estranha comigo e eu não sabia o que fazer em relação à isso, então eu fugi, como um covarde.

Eu sempre fujo e odeio isso em mim.

E agora eu vou ter que encarar ela novamente.

Quando o trem parou na "Busan Station", logo procurei por um táxi e fiquei aliviado por ter achado um bem rápido. Eu observava as ruas da cidade enquanto o homem dirigia até a minha casa, foi então que eu notei o quanto estava com saudades daqui.

Eu também estava com muita saudade da minha casa e da minha mamãe.

Paguei a corrida assim que o carro estacionou em frente a minha residência e caminhei até o portão, arrastando a minha mala. Depois de alguns minutos parado ali, finalmente toquei a campainha.

Minha mãe arregalou os olhos assim que abriu o portão automático e me viu parado ali, então me abraçou. Eu retribui, é claro, acariciando os cabelos dela.

— Meu deus, filho, você está aqui. — Ela disse. — Eu estava com tanta saudade.

— Eu também estava, me desculpa por nunca mais ter vindo.

— Não precisa se desculpar, você está aqui agora.

Poxa, como eu fui tão idiota a ponto de passar um ano e meio sem ver a minha mãe? Eu sou uma decepção mesmo.

— Como você está? — Perguntei assim que entramos.

— Muito bem meu filho, e você?

— Não muito bem, eu... dei uma pausa no trabalho por tempo indeterminado.

— Por que?

— Bloqueio criativo.

— E aquele seu namorado? — Ela perguntou.

— Terminamos.

— Ah, sinto muito. — Ela me abraçou. — Vai ficar tudo bem, mamãe vai cuidar de você.

Amor materno, era tudo o que eu estava precisando.

— O meu quarto na casinha dos fundos, ainda está arrumado?

— E-Está, mas...

Por que eu tinha a sensação de que ela estava escondendo alguma coisa?

— Mãe...

— Filho, eu tenho que te contar uma coisa.

— Desembucha. — Semicerrei os olhos.

— Eu cedi um dos quartos da casinha do fundo para um estudante de intercâmbio.

(♡)


Jeon Jungkook, vinte e dois anos, filho adotivo de franceses, estudante de Marketing na Dongseo University. Garoto inteligente e educado, gosta de pintar quadros no jardim de inverno, às vezes ajuda a minha mãe na confeitaria.

Foram essas as informações que a minha mãe me passou sobre o intercambista.

— Ele está usando o meu quarto? — Perguntei.

— Não, está usando o outro.

— Você deveria ter me avisado sobre esse rapaz.

— Desculpa filho, tem razão, eu deveria mesmo.

— Onde ele está?

— Na faculdade, ele estuda no período da tarde, costuma chegar às cinco horas.

— Tudo bem. — Me levantei e peguei a mala. — Eu vou ir pra lá guardar as minhas coisas e tomar um banho.

— Você deve estar cansado da viagem, não é?

— Estou.

— Enquanto isso vou no mercado comprar algumas coisas diferentes para fazer um jantar delicioso para você.

— Obrigado. — Sorri. — Te amo.

— Também te amo. — Ela respondeu. — E... Jimin?

— Sim?

— Ele é muito bonito e é gay, quem sabe vocês dois... — Ela deu um sorrisinho.

— Mãe, ele é novo demais!

— Você fala como se fosse um idoso.

— Eu sou mais interessado em rapazes maduros!

— Mas o Jungkook é muito maduro.

— Ainda sim é novo demais. — Falei. — Vou ir tomar o meu banho.

Minha mãe estava falando sobre rapazes comigo, de certa forma isso me deixou... feliz?

Mas sem chances de eu ter algo com esse tal de Jeon Jungkook, ele é muito novo.

Caminhei pelo quintal carregando a minha mala até a casinha dos fundos, ela não era muito grande, mas ainda sim era espaçosa. Comecei a morar nela quando estava escrevendo a minha primeira webcomic.

A casinha era composta por uma sala e cozinha compartilhados, um banheiro, dois quartos e um jardim de inverno compartilhado. Entrei em meu quarto e vi que estava tudo do mesmo jeitinho que eu havia deixado, coloquei a minha mala em um cantinho e abri a porta que dava para o jardim de inverno, vendo que lá ainda estava do mesmo jeitinho, porém as plantas estavam bem saudáveis e havia um cavalete grande em frente a porta do outro quarto.

Caminhei até lá e dei uma olhada pela porta de vidro.

— Hm, até que ele é organizado.

Peguei o meu celular e digitei uma mensagem para Taehyung.

Eu:
Cheguei! |


TaeTae 💜🐯
| como foi a viagem?

Eu:
Boa. |


TaeTae 💜🐯
| agora esquece um pouco de seul e aproveite o tempo em busan
| mas não se esqueça de falar comigo todos os dias
| sou seu melhor amigo

Eu:
Não vou esquecer. |


TaeTae 💜🐯
| 😚😚😚😚😚😚

Conectei o meu celular ao carregador e coloquei a mala em cima da cama, começando a guardar todas as minhas coisas dentro do armário. Assim que terminei, peguei uma toalha limpa e algumas roupas e fui tomar um banho.

O banheiro também estava bem organizado, mas haviam produtos que eu não conhecia ali. Lavei os meus cabelos com o shampoo do cara mesmo.

Era um shampoo de bebê com cheiro de morango.

Cheiroso, confesso.

Passei uns 25 minutos no banho, assim que terminei, me enxuguei, vesti as minhas roupas e voltei para o quarto pra tirar um cochilo.

Eu ainda não parava de pensar em tudo o que havia acontecido em Seul.

E foi pensando demais nessas coisas que eu acabei pegando no sono.

9 de Maio de 2021 às 13:56 0 Denunciar Insira Seguir história
2
Leia o próximo capítulo 02. ennuyeux

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 13 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas