euphjjkria kami

[EM ANDAMENTO] Jeon Jeongguk é um garoto normal de dezoito anos, que ama cactos e tem um diário, onde ele escreve sobre tudo o que acontece consigo em seu último ano de ensino escolar, esperando que esse, seja o melhor de todos. E como a maioria das pessoas, Jeongguk também tem alguém de quem gosta, esse, que se chama Park Jimin. O capitão loirinho e bonito do time de futebol, que nem ao menos sabe o seu nome, o que deixa o Jeon com pouquíssimas esperanças de que algo possa rolar entre eles. Classificando o seu amor como um amor platônico. Aquele que seria impossível de acontecer... E além de ser virgem, também nunca beijou na vida, e se sente extremamente frustrado por nunca ter tido uma oportunidade de ter uma relação romântica com alguém, como nos livros e filmes que via por aí, e o fato ser tímido e "estranho" aos olhos da maioria das pessoas em sua escola, torna tudo ainda mais difícil, e mesmo dizendo para os seus amigos que não se importa tanto com isso, Kim Taehyung e Kim Seokjin, resolvem tentar ajudar o mais novo do grupo a conquistar o seu grande amor e ter o melhor ano de sua vida. Será que vai dar certo? [JIKOOK | +18 | Jungkookbottom! | Jimin!top] @diaryjgguk e @diarypjimin no twitter © euphjjkria


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas. © euphjjkria

#bts #boyxboy #amor #lgbtqia #gay #romance #jimintop #jungkookbottom #jmtop #jkbottom #jimin #jungkook #kookmin # #Jikook
5
1.9mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

0.1: Olá, pessoas!

#DiariodoGoogie🌵


Capítulo 1.


Olá, pessoas que estão a ler isso...


Primeiramente, sejam muito bem vindos ao meu diário! O diário de um garoto virgem, sim gente, virgem! E aqui, a partir de hoje e nesse exato momento, vocês irão saber de tudo o que acontece na minha vida.


Tio gguk, algumas situações constrangedoras estão inclusas?


Mas é claro que sim! Porque Jeon Jeongguk sem passar vergonha não é Jeon Jeongguk! Certo? Certo!


Ah! Aliás, eu tenho que me apresentar, não é mesmo? Puxa, que bobo eu sou!


Meu nome é Jeon Jeongguk, como vocês já puderam perceber e eu tenho 18 anos, um metro e setenta e oito de altura, uma paixão enorme por cactos e uma belíssima entrada lacradinha e prontinha para ser anh… como posso dizer? hm… arrombad- não! Com certeza não. Céus... Que tal… invadida? Não, também é péssimo! Ah céus, que seja! Eu sou um pobre jovem virgem e quero muito perder o meu precioso lacre. Não importa se seja o da frente ou o de trás!


O da frente, porque o de trás deve doer para um santo caralhinho!


Mas desde que fosse com alguém especial e que me amasse reciprocamente, eu não me importaria nem um pouco de dar o meu popozinho! Mas assim, se pudesse de preferência, ser um garoto da minha escola, sabe? Um loirinho, bonito, gostoso, que tem uma bunda extremamente apetit- err hm, certo. Me distrai um pouquinho, amigos e amigas, mas se vocês pudessem ver o tamanho daquilo, me entenderiam bem melhor! Vocês babariam cer-te-za! Igual como acontece comigo toda vez que eu o vejo e praticamente fico de quatro e só falto latir feito um cachorrinho por ele...


Au au au


Tio gguk, tio gguk! Podemos saber quem é essa pessoa? Nós estamos taaaooo curiosos!


Ah, claro! Meus queridos amigos e amigas, se preparem!


O meu garoto é, ninguém mais e ninguém menos que park jim-


— Mas que porra é essa, cara? — ouvi a voz grave bem de pertinho do meu ouvido, me fazendo pular e ficar de pé sobre o chão do meu quarto, arregalando os olhos e ajustando melhor os meus óculos sobre o rosto, vendo meu melhor amigo com um sorriso maior do que aquele gatinho assustador do filme da Alice. — Você tem um diário, cara? Isso é sério?!


— An? E-eu? Diário? C-claro que não, Taehyung! É somente um anh… um caderno de anotações, sabe como é, né? Pra anotar as coisas e tals… — sorri nervoso, enquanto ele gargalhava batendo palmas e se jogando pela minha cama recém arrumada com tanto carinho e amor, por mim…


— Corta essa, cara. Eu sei bem o que eu vi aí!


— E-e o que foi que você viu? — arregalo os olhos, ajeitando os óculos que nem sequer estavam de fora do lugar, em um gesto nervoso, vendo-o apontar o dedo para o meu diário hm, quero dizer, caderno de anotações! Ou para mim, que sou o dono realmente, seria diário? Minha nossa, até eu estou começando a ficar confuso aaahahahh.


— A palavra DI-Á-RIO nesse seu ãhn… diário?


— Pois saiba que está com problemas de visão porque não tem nenhuma palavra diário no meu diário! Quero dizer, caderno de anotações!


— Ahá! Você falou que é um diário, viu só?


— Eu me confundi, tá legal? É um caderno de anotações, ano-ta-ções! Apenas isso! — gritei com o rosto quente, jogando o diário para dentro da minha mochila da forma mais apressada possível, sobre o olhar felino de Taehyung, que saltou pela cama e abraçou-me pela cintura, deixando um beijinho em minha bochecha, fazendo com que as mesmas começassem a queimar ainda mais, quase que no mesmo segundo.


— Iti, que bebê. Não fica com raivinha não, tá bom? Agora passa isso pra cá! — puxou o diário de dentro de minha mochila e o abriu, lendo um pouco de tudo o que eu havia acabado de escrever ali, soltando pulinhos por cada canto do meu quarto, enquanto eu tentava miseravelmente o pegar, quase morrendo sem ar por ser um puta de um sedentário e ainda por cima sofrer de asma, o que me fez cair estirado com chão, tentando recuperar o ar e conseguindo depois de alguns segundos, sugando da minha bombinha, observando Taehyung sem nem um pingo de preocupação, lendo descaradamente as minhas anotações e logo em seguida, tapando a boca com uma das mãos e me olhando com um sorriso.


Me levantei de forma ágil e peguei o caderno de suas mãos, antes que ele terminasse de ler todo o resto, guardando o mesmo em minha mochila mais uma vez e a fechando, a apertando contra meu peito, como se fosse a coisa mais preciosa do mundo.


E talvez realmente seja...


— Você é virgem? AMIGAAAAA! Eu tô passada, chocada? eu não sabia. Céus… por que não me disse antes? — cobri o rosto com as mãos, ouvindo as milhões de perguntas sendo jogadas sobre mim. — Certo, eu já imaginava, já que você nunca teve nenhum caso com ninguém. Que eu não saiba pelo menos, né? Vai lá saber. Mas assim... você é um pitel e tudo mais-


— Vamos pra escola, por favor… — choraminguei, tapando os ouvidos, vendo ele mexer a matraca velha que não parava um segundo sequer quieta.


Recolhi minha mochila e abri a porta do quarto, atravessando o corredor e indo rapidamente em direção ao banheiro, e ainda que de costas para Taehyung, continuei a ouvi-lo tagarelar sobre virgindade, minhas coxas fofinhas e mais outras coisas que eu nem sequer me dei ao trabalho de ouvir.


Logo depois de lavar as minhas mãos e secar com uma toalha, voltei a tapar os ouvidos, enquanto descia as escadas com ele ainda atrás, passando pela porta da frente e a trancando com a chave, parando de frente para o quintal, respirando fundo e contando até dez, vendo de pouco a pouco, ele parar de falar, me fazendo sorrir sem mostrar os dentes, aliviado.


Taehyung colocou o rosto na frente do meu, me encarando.


— Tá, desculpa te encher de perguntas e falar sobre um monte de coisas, mas puta merda Jeongguk, VOCÊ É VIRGEM MESMO?! Até da piroquinha? Jeonggukie... — puxei o capuz grande e preto que cobria boa parte do meu rosto e olhei para os meus pés, com o rosto quente me sentindo observado pelas diversas pessoas que passavam por nós pela calçada no caminho até a escola. — A gente realmente precisa arrumar alguém pra você urgentemente! Sério, cara, você não pode morrer virgem, né? Não que seja um problema. Mas você tem que sentir a maravilhosa sensação de dar o cu que não é tão maravilhosa assim no começo, mas depois fica maravilhoso e você pode se sentir voar entre as nuvens de tão bom que é, e eu como seu amigo, digo que você precisa experimentar disso urgentemente!


Não sei onde eu estava com a cabeça quando decidi ser amigo desse cara, ainda posso me lembrar do dia em que nós nos conhecemos, foi bem quando eu me mudei para minha casa atual aqui em Busan. Digamos que Taehyung tem alguns parafusos a menos desde pequeno...


— Ei, meu filho, olha só. Nós temos vizinhos! — olhei para o garoto que corria pelado pelo gramado com apenas uma capa preta presa ao pescoço. — Vai brincar com ele, meu filho, vai! — me empurrou até lá e eu neguei rapidamente, agarrando a perna de minha mãe e correndo para ficar atrás de seu corpo.


Não, não, não. MIL VEZES, NÃO!


— Mamãe, ele é doido. O pipi dele tá pelo lado de fora. Papai! — gritei e assim, chamei a atenção do outro moreno orelhudo que me encarou com um boneco do Batman nas mãos.


— Vizinhos novos! — e foi nessa hora que ele correu até mim e eu tentei correr para dentro da minha nova casa, mas mamãe me impediu.


Será que ela não notou que tem um garoto pelado andando normalmente pela rua?!


— Ei, narigudo, vamos brincar?! — neguei várias vezes e ele apenas me puxou pelo braço, ignorando a minha negação afobada. — Vamos, eu sou o Batman e você o Superman yaahhhhhh! — tentou me dar uma voadora, tentando me matar e eu caí pelo chão, tentando correr dali.


— Papai, o menino pelado é louco aaahhh!


Ah... Velhos tempos...


Mas enfim, voltando novamente ao assunto sobre dar o… hm, bem… vocês sabem. Meu bumbunzinho, né? Acho que a palavra bumbunzinho é melhor e mais educada do que aquela palavrinha, não acham? Eu acho, então vai ser isso mesmo!


Meu diário, minhas regras! Q-quero dizer, caderno de anotações...


— E quem te disse que sou eu quem vai dar o bumbum, hein? — Fiz um biquinho, cruzando os braços sobre um peito e o vendo sorrir para mim, erguendo as sobrancelhas de forma sugestiva.


— Amigo… convenhamos! Você tem uma carinha de gay passivo e manhoso sim, vai. Admita! — me olhei de cima a baixo e ele assentiu, me deixando ainda mais envergonhado do que eu já estava.


— I-Isso não é verdade! Eu tenho muito cara de um macho alfa que mete bem gostosão, viu! — Mexi de forma desengonçada o meu quadril e ele cobriu a boca com uma das mãos igual a moça de um meme que eu havia visto no twitter.


— Jeongguk, e macho alfa metedor não se encaixam na mesma frase e você sabe disso. Porque, olha… admito que você tem sim, um corpinho que engana muita gente, mas, cara! A sua personalidade é tão… não que seja ruim, mas é que, você é único, me entende? Você é só um bebezinho, Goo! Nhonhonho, neném. Quem é que vai quicar em piroquinha? Quem é? É você... é você sim! — respirei fundo, olhando em volta e sorrindo para a velhinha que nos encarou com certo desdém.


Ah, e mais um fato que acho que eu não precisaria nem mesmo dizer já que está bem na cara né? Mas pro caso de ainda houver dúvidas, eu vou dizer. Eu sou gay! :D


Sim, isso mesmo, amigos e amigas. Gay! E assumidíssimo, viu? Meus pais sabem sobre a minha sexualidade e aceitam isso muito bem, só o meu pai que ficou com um pé atrás no começo, mas depois, aceitou numa boa porque, afinal, o que ele poderia fazer sobre isso? É a minha vida, não é mesmo? Eu escolho quem quero amar e isso é maravilhoso! Ah, e a minha mãe, minha nossa… ela surtou, mas não foi tipo, de um jeito ruim. Ela ficou muito feliz! Feliz por eu ter confiado neles para me assumir e também, porque ela já desconfiava que, bom, eu gostasse de menininhos...


Eles super me apoiaram nisso e eu fiquei bastante feliz por ser aceito do jeito que sou pela minha família, porque afinal, isso é muito importante também.


Meus pais são legais, além de muito liberais e modernos… vocês realmente deveriam conhecê-los, mas vamos deixar isso mais para frente e focar no agora, certo? Certo!


Me empurraram pelo ombro e eu ergui a cabeça, vendo meu outro melhor amigo aparecer no meu campo de vista.


— Amigo. Amigo! Você não sabe da nova — Taehyung começou, sem nem o cumprimentar direito, soltando um gritinho histérico perto do meu ouvido.


— Hyung, não… — o olhei com súplica nos olhos e ele piscou, me mandando um beijinho sobre o ombro.


— Nós somos amigos, o que tem de mais em contar sobre isso? — revirei os olhos e dei de ombros, soltando um suspiro.


— Tudo bem...


— E aí, qual a fofoca da vez? Conta tudo! — ajustou a alça de sua mochila em um dos lados do ombro e eu cobri meu rosto, ouvindo o grito ensurdecedor de Taehyung bem ao meu lado.


— Foca no babado. Nosso piquitucho é virgem!


— Hyung! Fale mais baixo e- Minha nossa, você vai me matar…


— Tá bom, mas cadê a novidade nisso?


— Espera, você sabia? Você contou pra ele e não pra mim?! Seu falsoooo! Eu pensei que fossemos amigos inseparáveis que contavam tudo um para o outro e agora você me trai com essa tripa escorrida, cosplay de Golem do Minecraft?!


— Ele não me disse nada e- Espera aí?! GOLEM DO MINECRAFT, mas que porra?! Olha aqui, você me respeita que pra eu dar uma voadora na sua cabeça é daqui pra li tá, meu querido? JÁ TÔ POR AQUI COM ESSES SEUS APELIDINHOS!


Meu deus…


Às vezes eu me pergunto...


Por que, hein, Jeongguk? Por que logo ELES?


— CALMA, VAGABUNDA SURTADA! eu só tô brincando, passivo agressivo de merda, mas voltando ao caso. Como assim ele não te disse nada?! Então como é que você já sabia?


— Taehyung, olha bem pra cara do Jeongguk. — e ele me olhou, e eu com estranheza, franzi o cenho, olhando para Seokjin, tentando entender onde é que ele queria chegar. — Você por acaso já viu ele com alguém que não seja nós dois? Ainda mais romanticamente? Pra dar uns amassos, apalpada na bunda e dedo no cu e gritaria?


— É, eu também pensei nisso. Você tem razão, né? Já era de se imaginar mesmo.


Isso! só esfreguem na minha cara o quanto antissocial e "cheio" de amigos eu sou hahaha.


Que belos amigos…


E mais uma vez, eu fico me perguntando...


POR QUÊ?


— Mas a questão é que, amigo! Você não pode morrer virgem, ok? Tem que conhecer pessoas e mostrar esse lindo rostinho escondido por debaixo desse capuz feioso! — abaixou meu capuz lindinho e eu o coloquei de volta, logo tendo o meu moletom quentinho sendo arrancado de mim sem dó nem piedade, fazendo eu me sentir praticamente pelado e com muito frio, já que naquela manhã o clima estava mais frio do que o normal ali em busan que ontem mesmo já estava dando para poder se fritar ovos no asfalto e hoje já está a -525236 graus, tá, eu posso estar sendo um pouquinho exagerado demais, mas a questão é que:


TÁ MUITO FRIO.


— Me dê isso agora! Eu estou congelando, hyung! Isso é maldade, sabia? Os hyungs deveriam cuidar dos mais novos, e não fazer o que você faz comigo! — resmunguei, tentando pegar meu moletom de volta e o vendo por a língua entre os dentes, com uma caretinha indignada.


— Mas eu cuido de você! Seu dramáticozinho de merda, ora essa… Eu vou te esquentar na base do soco se falar que eu te maltrato mais uma vez!


— Aí, tá vendo só? — ele parou de falar e revirou os olhos, me devolvendo meu moletom que em frações de segundos, eu já estava dentro, quentinho, confortável e com um sorrisinho no canto dos lábios, que logo se desmancharam ao ver de longe, os portões da escola.


O portal para o inferno.


Destruidor de psicológicos e de cuecas novas…


Sabe, desde o meu primeiro dia no ensino médio, eu aprendi que eu não deveria nunca e em hipótese alguma, usar as minhas cuecas preciosas do homem de ferro, entre outros personagens que gosto, para ir á escola, porque elas poderiam sair sujas, ou esticadas pelos cuecões que eu levo de vez em quando.


Sim, isso é muita merda.


Senti o friozinho de sempre na barriga e suspirei, passando por ali e vendo até mesmo a cara de cuzinho murcho do porteiro que encarava cada aluno que passava com certo desdém.


— Não gosto desse porteiro, prefiro mil vezes as tias da cantina do que esse cara, pelo menos elas dão bom dia e não nos olham como se quisessem nos matar. Olha, até me arrepiei todinho — Seokjin disse, apontando para o braço e eu neguei, dando um simples aceno para o porteiro.


— Vocês que são um bando de mal educados! Olhem só como se faz! Bom dia, seu Jorge! — Acenei mais uma vez, sorrindo um pouco e ele ajustou os óculos em seu rosto e respondeu grosseiramente com uma voz grave:


— O que há de bom. — Desci devagar a mão que ainda acenava e desmanchei meu sorriso, ouvindo Taehyung rir da minha cara.


Quem arrepiou agora fui eu, puta que pariu, hein seu Jorge…


— Talvez ele esteja tendo um dia ruim — Disse para mim mesmo, tentando me convencer disso e os outros dois reviraram os olhos.


— Claro… ah, Jin, eu já te falei que o Jeongguk tem um diário? — Soltou do nada e eu revirei os olhos e suspirei, passando a mão pelo rosto.


E mais uma vez (eu sei que vocês já estão se enjoando, mas) POR QUE?!


Eles tiraram o dia para falar sobre a minha vida, porque olha...


— Não é um diário, eu já disse, tá legal? É um caderno de anotaçõ- — parei de falar ao ver o rostinho de anjo passeando pelos corredores da escola enquanto todos abriam passagem para que ele pudesse passar.


Eu juro que pude ver os arredores de seu corpo se iluminarem, como se ele fosse um anjo, que é o que ele é…


Os cabelos loiros, os olhos pequenos e bonitos, o sorriso malditamente lindo no canto dos lábios, a boquinha volumosa e hidratada que parecia ser tão macia e…


Por Deus... Eu não quero me passar de um tremendo pervertido para vocês logo no meu primeiro capítulo mas…


Puts… imagina aquela boquinha no meu pa…


— Migo relaxa, limpa a baba rápido que tá escorrendo! — Taehyung sussurrou para mim e eu o olhei confuso, passando a mão pela boca enquanto ele caia na gargalhada junto a Seokjin e eu ficava ainda mais confuso.


— O que foi?


— Você babando pelo loirinho! — Minhas bochechas esquentaram ao olhar para o lado e notar os olhos pequenos sobre mim, me analisando silenciosamente.


Será que a minha roupa tá feia ou… eu estou fedido? Meu Deus… O ZÍPER DA MINHA CALÇA, SERÁ QUE EU FECHEI?!


— Eu ouvi "loirinho"? Por acaso estão falando de mim, Kim's? — empaquei no lugar ao sentir a mão em meu ombro, começando a suar frio só de ouvir aquela voz perto do meu cangote


Puta que pariu…


— Qual é, Yoongi. Não tem só você de "loirinho" aqui na escola, sabia?


— Eu posso até não ser o único, mas confessem, eu sou o mais gostoso — Piscou mordendo o canto da boca e meus dois amigos reviraram os olhos trocando olhares entre si para então, caírem na risada.


— COITADOOOO! Ele se acha o gostosão! Amigo, você conta ou eu contou?


— Taehyung, Seokjin… — resmunguei, os chamando e olhando para baixo, sendo totalmente ignorado pelos dois que já lançavam provocações para cima de Min Yoongi, um dos maiores valentões e populares da escola, sendo também um dos mais importantes do time de futebol, junto a seus amigos e colegas de time.


Jung Hoseok e Park Jimin.


Park Jimin ele é- ah…


Lembra do meu crush lá do comecinho? Loiro, gostoso e tudo mais? Então, amigos… eu vos apresento, Park Jimin!


E vamos de citações sobre ele, não é mesmo? Só uma apresentação basiquinha mesmo, não é nada de mais! É somente para… conhecemos ele melhor, sim?


Park Jimin; 19 anos de pura gostosura na terra, au au au, crush lindo e maravilhoso, homem dos meus sonhos, miss bumbum da escola (e eu não estou nem brincando), um fofo, MEU CRUSH, e capitão do time de futebol.


E lógico, meu crush também! :D


Ah, e mais uma coisinha que eu já aí me esquecendo.


Há boatos na escola de que ele seja bissexual, o que é pelo menos um pontinho para euzinho aqui, não acham? Só de pensar que eu ainda tenho um pinguinho de chances de ter algo com Park Jimin, já faz o meu estômago borbulhar, porque puxa vida… ele é um sonho! Tipo, sério! Ele é tão… surreal e magnífico! E- meus deus, eu vou parar por aqui antes que isso fique meloso demais e vocês acabem pulando essa parte ou até mesmo desistindo de tudo o que ainda tem pra rolar neste ano!


Mas, enfim! Vamos voltar para as citações?


Agora vamos de Min Yoongi! Ele é o mais chatinho! Gosto de nomeá-lo como zangado, porque ele tem uma personalidade meio… difícil? Mas às vezes, tipo raramente, ele é legal com alguém.


Min Yoongi; 19 anos de idade, é um fofo aos olhos de muitas pessoas, além de ser um dos maiores galinhas da escola, também dá uma de hétero, o que para mim, é historinha pra boi dormir, já que eu posso sentir muito bem a tensão sexual que ele tem com o Hoseok bonitão.


Sério, amigos e amigas! O jeito que eles se olham é- Eu sinto a química se exalando deles! E sabe de uma coisa? O meu gaydar não falha! Quando chego perto dos dois, ele automaticamente apita "Bi" "Bi" "Bi"!


E sabem o que isso significa? BISSEXUALIDADE À SOLTA! ou talvez, pan… MAS ELES NÃO ME ENGANAM!


Certo, agora vamos de Hoseok, antes que eu prolongue isso aqui por tempo demais.


Ah, e antes também que eles me acham mais estranho do que já acham, já que eu estou encarando o nada enquanto falo sobre isso aqui comigo mesmo e- meu deus isso é tão estranho


Eu estou falando sozinho comigo mesmo como se estivesse realmente pessoas lendo o que eu digo, dá pra entender o quão estranho isso é? Mas, ENFIM! foco, Jeongguk.


Jung Hoseok; também tem 19 anos, é o gostosão da escola, e também um super dançarino de hip-hop (sério, eu vi um vídeo dele dançando no twitter e puta que pariu, ELE MANJA DOS PARANAUÊ, CARA!) Além de ser um pitel, que eu lógico, se ele me quisesse, abriria as pernas na maior facilidade


Eu falo isso, mas na realidade, eu fico com as bochechas quentes até de eu próprio me olhar no espelho, imagina outra pessoa me olhando? Deus! Eu iria ter um infarto com certeza. Não, ou pior, imagina só? Você está pelado com um cara, prestes a fazer o tralala e DO NADA, ele infartar! Puxa vida, seria bastante tenso… imagina o climão?


Vai ver que por pensar em coisas desse tipo, eu ainda sou virgem e solteiro...


Ah! E mais uma coisa sobre o Hoseok.


A gente meio que já foi amiguinho no prezinho, sabe? Ou pelo menos, eu acho que fomos, ou pode ter sido apenas coisa da minha cabeça, um surto ou sei lá, já que eu lembro de nós dois brincando com massinhas de modelar e ele enfiando todas elas na boca, além de também comer os meus giz de cera e enfiar um de cor vermelha no nariz.


Tá vendo? Eu me lembro até da cor!


Então depois disso a minha mãe e a mãe dele começaram a se atacar na frente da escola, mas eu não soube muito bem o porquê.


A mãe dele ficava gritando que eu tinha feito o filho dela comer massinha e que eu era uma má influência, enquanto que mamãe do outro lado, descia o salto caro dela na cabeça da mãe do Hoseok, enquanto gritava: "O MEU ANJINHO NÃO É MÁ INFLUÊNCIA PORRA NENHUMA, O SEU FILHO QUE É BURRO".


Ah, a minha mamãe é tão… fantástica, vocês não acham?


Enfim, voltando pra realidade.


E… espera, como eu vim parar dentro de um armário?


— EU VOU ARREBENTAR A CARA DE CADA UM DE VOCÊS, SEUS MERDINHAS METIDOS A BESTA E CUZÕES! ESTÃO ME OUVINDO?! — ouvi Taehyung tagarelar no armário ao lado, enquanto eu enxergava pelas frestas o meu outro melhor amigo tentando abrir os nossos armários.


Era o namu, meu outro amiguinho!


— Taehyung, dá pra ficar quieto um pouquinho? Estão todos olhando — resmungou do outro lado, conseguindo abrir o seu armário e por último, o meu, me deixando livre.


— Obrigado, hyung — ele sorriu pequeno, deixando à mostra suas covinhas fofas.


O Namjoon hyung é um verdadeiro fofo! Além de um ótimo amigo e também, conselheiro nas horas vagas.


Será que eu preciso também fazer um resumo basiquinho sobre ele? Por favooor! Juro que não vai ser tão longo como os outros! Ah, eu vou fazer mesmo de qualquer maneira!


Kim Namjoon; Também tem 19 anos, é um tremendo de um fofo e o meu maior hyung! — por favor, não mostrem isso para o Taehyung ou para o Seokjin, eles são realmente ciumentos e eu não quero ter que aguentar o drama excessivo daquelas dois, sério, é insuportável!


Ah, e ele também escreve versinhos bem lindinhos sobre o amor, sobre se amar além de outras coisinhas também. É bem legal, eu já vi alguns no seu caderno de anotações… ele não mostra muito para as pessoas por ser um pouco tímido em relação a isso, mas é bom de verdade!


Quando eu crescer mais um pouquinho, eu quero ser igual a ele! O Namjoon hyung é bem legal mesmo e me serve muito como inspiração, porque ele é uma ótima pessoa!


— ONDE ESTÃO ELES, EU VOU ARRANCAR O PINTO MURCHO DO MEIO DAS PERNAS DELES! PRINCIPALMENTE DAQUELE TAL DE JIMIN! — opa opa opa… eu ouvi MEU CRUSH?


— O que tem o Jimin? — perguntei passando a mão por minhas roupas, enquanto ajeitava os meus óculos e olhava em volta, tentando encontrar a minha mochila que logo foi localizada perto da lixeira.


Como ela veio parar aqui? Céus, acho que eu me desliguei de mais do mundo aqui de fora.


Eu preciso parar com isso de ficar pensando em um milhão de coisas comigo mesmo e… carambolas! Olha eu fazendo de novo!


— Aquele loirinho que você tava babando é um peste! Só porque eu chamei ele de cuzão, anão oxigenado e bunda de tanajura, ele me jogou pra dentro do armário sem nenhuma delicadeza! Óbvio que eu o dei uns belos tapões na fuça mas isso não vai ficar assim! Quem ele pensa que é? Pra sair empurrando pessoas para dentro de armários? Eu tenho cara de quê? EU VOU FAZER UM BARRACO NESSA ESCOLA E…


— Hyung, por favor. Não faça outro escândalo, sim? — Namjoon suspirou, sorrindo nervoso enquanto olhava para os lados — É melhor irmos para a sala antes que a coordenadora veja a gente aqui, é sério. Eu não quero ter que ir para a sala do diretor pela quinta vez no mês desde que começaram as aulas, isso sujaria o meu currículo de líder do conselho estudantil.


— Mas Namjoon, eles…! Ah, certo. Vamos logo de uma vez, mas eu ainda vou espremer o saco pequenininho do tal do Park. Ele que me aguarde junto com aqueles outros dois porque eu não estou pra brincadeiras!


— A vontade que eu tenho de pegar o Min e arrastar aquela cara branquela dele no asfalto é tão grande, que se eu ver ele andando na rua, eu taco ele dentro de um bueiro ou debaixo de um carro, estou falando sério! — engoli em seco, permanecendo calado até então, ajeitando os meus óculos e apertando os livros que havia tirado do armário contra o meu peito, andando ao lado dos outros três até a nossa sala, depois de quase todo mundo, com mais de dez minutos de atraso.


Se a minha mãe ou o meu pai SONHAM que eu estou entrando em sala atrasado, eles riem da minha cara, porque são desses. Talvez só uma bronquinha de leve...


Minha mãe gosta muito de usar uma frase super motivacional comigo… vejam: "se não quiser se esforçar, que não se esforce, querido. O fracassado vai ser você, e não eu. Se quiser ser como sua mamis aqui, estude, já que eu tive um futuro e hoje, eu sou rica, gostosa e bem resolvida da minha vida, beijinhos!"


Papai também é do mesmo jeito, só que um pouco mais carinhoso.


Mas agora, voltando a conversa de jogar pessoas em armários...


— Quem me colocou dentro do armário? Eu nem fiz nada pra ninguém!


— Foi aquela bicha encubada do Hoseok!


Puxa, Hoseok… EU TE DEIXEI COMER AS MINHAS MASSINHAS, CARA!


Será que ele ainda guarda rancor pelo o que aconteceu com as nossas mães? Se sim, uma pena, porque eu não estou nem aí.


— Onde é que os senhores estavam? Sabem que estão a mais de 10 minutos atrasados?! Eu poderia não deixar nenhum de vocês entrar, mas como eu estou de bom humor hoje, andem logo! Antes que eu mude de ideia e leve todos para a sala do diretor! — entramos rapidamente, sobre os olhares curiosos e julgadores de todos os meus outros colegas, o que me deixava extremamente sem jeito, indo para o fundo da sala por não haver mais carteiras disponíveis na fileira da frente, ficando junto aos valentões no fundão.


Minha nossa…


Na sala de vocês já teve ou tem aquele pessoal que não faz nada nas aulas e ainda por cima, ficam com uma porcaria de caixa de som tocando música e atrapalhando toda a aula? Pois na minha sim e essas pessoas estão aqui do meu lado, me olhando como se eu fosse uma aberração e no meio delas, está Jimin, que olha tediosamente para a minha e a cara dos meus outros amigos, desviando o olhar de forma despreocupada, olhando para as suas unhas.


O que será que ele pensa sobre mim e até mesmo sobre os meus amigos?


Com certeza deve ser "caralho, aquele guri narigudinho ali é o maior gatão, hein."


Céus, é tão bom sonhar...


·


·


·



— Eu odeio eles, senhor divino, me ajude a suportar esses demônios, porque se o senhor não me ajudar, eu taco uma faca na jugular de cada um, senhor. Por favor, ouça o meu pedido antes que seja tarde demais. — ouvia os resmungos de Taehyung bem ao meu lado, enquanto eu brincava com a minha comida, vendo de canto de olho, o Jung mais velho atrás da nossa mesa, acertando bolinhas de papel em Taehyung, que tentava a todo tempo se controlar para não pular no pescoço do moreno ou fazer um escândalo ali mesmo. — Me dê forças, pai… — rezou mais um pouco, enquanto eu, Namjoon e Jin observamos a cena, já esperando a tragédia acontecer. — JÁ CHEGA! EU NÃO AGUENTO MAIS! — se levantou de supetão, quase derrubando a nossa mesa, chamando a atenção de todos no refeitório, até mesmo das tias da cantina, que pararam tudo o que faziam, apenas para observar a cena como um bando de curiosos em uma cidade de interior. — Se você jogar mais uma papelzinho que seja desses aí cheios de saliva com herpes em mim mais uma vez, eu juro Jung, que eu vou fazer da sua vida o próprio inferno!


Ameaçou apontando o dedo e eu engoli em seco, me sentindo observado demais, encarando Hoseok mais a frente e vendo um sorriso cínico brotar em seus lábios.


E eu achando que ele era o mais legalzinho deles...


— Ah é, Tetê? E se eu fizer… isso? — jogou mais um papel molhado de saliva e eu vi o rosto de Taehyung ficando vermelho, enquanto ele tentava puxar o ar com força, e eu via o papel banhado de saliva bem no meio de sua testa, deslizando por seu rosto até cair no chão. — O que vai fazer, hein?


Meu Deus, é melhor eu sair daqui antes que sobre pra mim! Sério, vocês não vão querer ver o Taehyung bravo. Não quero nem estar no meio disso quando as mesas começarem a voar e os cabelos se soltarem da cabeça.


E então, o que aconteceu em seguida foi:


Taehyung jogando uma linda e suculenta pêra bem no meio da cabeça de Min Yoongi, que parou de sorrir junto aos amigos para olhar para o meu amigo mais do que incrédulo.


— EU NÃO ACREDITO QUE VOCÊ FEZ ISSO KIM! — E então, ele se levantou, fulo da vida, enquanto eu vi a marca avermelhada em sua testa e a risada excessiva de todos no refeitório e até eu, gargalhei um pouco, com as mãos na frente dos lábios. — EU VOU ACABAR COM VOCÊ, KIM!


E então, a correria começou, junto a gritaria de todos os alunos.


Meu amigo então, para se defender, pegou sua própria bandeja sobre a mesa e tacou no Min, que ficou ensopado da gororoba gosmenta que serviam no refeitório, causando ainda mais alvoroço e logo, uma guerra de comida começou, enquanto Taehyung já corria pra bem longe com o Min atrás, soltando fogo pelas ventas.


E eu? Bom, eu fugi para o banheiro, por debaixo das mesas, junto a Namjoon hyung, que puxou Seokjin também, mesmo que a contragosto do mais velho, já que ele queria mesmo era ficar ali, jogando comida na fuça dos valentões.


Eu não gosto dessas coisas, sabe? Além de sujar todo o refeitório que depois vai sobrar para as tias legais da cantina limparem, também desperdiça muita comida, que poderia ser usada para alimentar muita gente que passa por dificuldades, mas acho que eles não estão pensando muito nisso, puxa vida...


Pode dizer vai, me chamem de fado sensato, eu deixo!


·


·


·



— Ah, cara! Ele rasgou a minha revistinha do Homem-Aranha… — Taehyung resmungou choroso, com os pedaços de papel picado sobre suas coxas. — Aquele Min eu… eu vou rasgar a cara dele todinha!


— Você pelo menos fez alguma coisa com ele também? Porque, olha… se um cara estragasse alguma revistinha minha, eu arrancaria a pele no soco! — Jin disse enquanto segurava o seu celular, talvez navegando em suas redes sociais.


— Eu dei um chute no saco dele e depois de muita perseguição, eu taquei ele na piscina de natação enquanto as meninas treinavam, o que gerou uma grande baderna, mas acho que não foi tão ruim pra ele, já que aquele desgraçado é um sedutorzinho de merda e saiu com todas as meninas para o vestiário, enquanto que elas: "Ah yoonie, você se machucou?", "yoonie, é melhor se secar antes que pegue um resfriado! Vamos, pode pegar a minha toalha", "o yoonie fica tão lindinho molhado!" YOONIE É A PORRA DO MEU CÚ! Ódio, ódio, ódio... Queria arrancar fio por fio daquele cabelo desidratado dele, argh! Insuportável do caralho.


Suspirei, indo até a janela, vendo meus cactozinhos todos enfileirados bem ali.


Fechei a janela do quarto, depois de um bom tempo deixando elas curtindo um bom solzinho que apareceu naquele dia frio e, que já nem existia mais, tendo a lua tomando o seu lugar.


Namjoon hyung não estava conosco, já que teve de ficar na escola por conta de uma reunião dos líderes de sala e aquela coisa toda de escola e depois da reunião, ele ainda teria de ir pra sua aula de ukulele com a sua prima, dá pra imaginar? O namu tocando ukulele desse ser muito fofo! Ainda mais com aquelas mãozonas enormes, segurando o ukulele.


Fofo fofo!


— Tudo bem, caras. Já está na minha hora. Tô cagado de fome e o meu miojinho cheio de sódio e gordura esperam por mim! Agora levantem essas bundas brancas e chulas da cama e venham já me levar pra casa! — Jin se levantou, dando batidinhas em nossos bumbuns e pegando sua mochila, nos arrastando para fora do quarto e logo, para fora de casa.


Acho que vocês devem estar se perguntando:


Tio gguk, onde é que estão os seus pais? Você mora sozinho ou algo do tipo? :O


Não, meus amigos e minhas amigas, não!


Eu não moro sozinho, até porque, eu não sou independente nem nada do tipo, mas sim porque a minha mãe e o meu pai viajam a beça e me deixam sozinho às vezes, mas não é por querer ou nem por me amar, é o trabalho deles e eles me dão sim, muita atenção e sempre fazem questão de deixar bem claro o quanto me amam e eu sei disso.


Antigamente, quando mais novo, eu ficava com a minha babá, a Dorinha, mas hoje em dia eles me deixam na casa da minha vovó por parte de mãe, e às vezes também na por parte de pai, mas eu gosto mesmo é de ficar sozinho, já me acostumei a ser assim e também, é muito bom andar pelado em casa às vezes, você se sente verdadeiramente livre, já experimentam? Eu recomendo, sério! Sentir a brisinha batendo no bumbum é muito bom…


Vocês devem me achar muito estranho, né?


Mas tudo bem! Vocês não são os únicos…


— A lua está tão bonita hoje. — eu disse meio baixo, interrompendo o diálogo de fofocas dos dois mais velhos à minha frente, esfregando os meus braços cobertos pelo moletom, e mesmo assim, ainda sentindo um pouco de frio.


— Ah, é. Nós ficamos de falar sobre a sua vida amorosa, Goo! — encarei os dois com o cenho franzido, passando a mão no rosto e fazendo uma caretinha ao senti-la tão gelada.


Céus, não...


— Me deixem em paz, tá legal? Eu não preciso de ninguém. — cruzei os braços, meio emburrado, sentindo os dois me abraçarem um de cada lado com um sorrisinho de canto.


— Nem o anãozinho oxigenado? — engoli em seco, encarando a calçada, passando a caminhar até mais devagar.


— N-não…


— Se gaguejou, perdeu o argumento. Então você quer! Tá ouvindo, Seokjin? o nosso bebê está crescendo. Que orgulho! — Forçaram um choro falso e eu fiquei ali no meio, me perguntando pela milésima vez naquele dia.


Por que?!


— Tudo bem que o loirinho não preste, mas se você gosta dele, o que podemos fazer- e MEU DEUS! FOCA FOCA! — aumentou um pouco o tom e apontou para frente, nos empurrando para de trás de uma árvore ali perto.


— Mas o que é isso? Ficou maluco? — Praguejei o olhando e ele apontou mais uma vez, sem dizer nada e eu acompanhei, junto a Seokjin, e assim, encaramos a cena chocados.


Minha nossa.


Minha nossa.


MINHA NOSSA!!


— EU SABIA! — gritei, dando pulinhos e os outros dois me deram um cascudo duplo, tapando a minha boca.


— Calado. Eles vão nos ouvir! — Olhei mais uma vez, assistindo de camarote a pegação trevosa do casalzinho no banco da frente no carro de Min Yoongi, junto de Jung Hoseok.


ISSO MESMO QUE VOCÊ LEU!


— Que babado fortíssimo! Eu preciso registrar isso, bichas! — Taehyung puxou o celular do bolso, junto a Seokjin, que com o maior sorriso no rosto, apontou a câmera para os dois.


— O que vocês estão fazendo? Por que estão tirando foto disso e-


— CARALHO TAEHYUNG, DESLIGA A PORRA DO FLASH, SEU ESTRUME DE VACA!


Seokjin o socou na cabeça, quando por um descuido, o meu amigo se esqueceu de desligar o flash da câmera, iluminado o carro e assustando os outros dois indivíduos que olharam em nossa direção com os olhos arregalados e então, foi nessa hora que Taehyung gritou um:


— PERNAS PRA QUE TE QUERO MEU AMOR, CORRE. CORRE NÃO, VOAAA! — gritou, me puxando, enquanto eu podia ouvir o som do motor do carro se ligando e logo já estávamos bem longe dali, suados, fedidos mas…! Com um sorriso no rosto por termos conseguido algo tão… espera um pouqui… nho que eu… preciso… respirar…


Agora, chegou a hora do meu surto.


EU SABIA.


EU SABIAAAAA.


O MEU GAYDAR NUNCA FALHA, MON AMOUR!


— Quem diria não é mesmo? Min yoongi e Jung Hoseok de pegação no meio de uma rua deserta. QUEM DIRIA, NÃO É MESMO?


— Eu sempre soube que rolava uma química entre aqueles dois! — ajeitei os meus óculos, dando soquinhos no ar em sinal de felicidade.


— Sabe o que eu tô pensando agora? — Seokjin sorriu com o celular em mãos, um sorriso macabro e cheio de más intenções, me deixando até com medo, já que estávamos no meio de um beco escuro, do lado de um latão de lixo.


— Será que é o mesmo que eu? — Taehyung completou, deixando que o sorriso macabro também brotasse em seus lábios.


Meu Deus, se eles continuarem com esse papo e com essas caras aí, eu vou ter que precisar trocar urgentemente de cueca, porque do jeito que eu sou cagado pra essas coisas, eu vou me borrar todinho…


— Eu tenho um plano! — disseram os dois ao mesmo tempo, me deixando super iper mega cagadinho.


Minha nossa, eles estão falando juntos, se olhando desse jeito estranho, senhor. Coisa boa que não é.


— Com isso em mãos...


— Nós vamos ter aqueles dois beijando os nossos pés, já que creio que eles não vão querer…


— Estragar a reputação de héteros pegadores e comedores de pepeka! — um completou a frase do outro e eu engoli em seco, já começando a andar para trás.


— Certo, eu vou embora. Vocês já estão começando a me assustar com esse papo aí!


— Nananinanão, meu caro Jeon! Fique paradinho aí mesmo. Nós vamos comer o cu daqueles dois…


— Sério? T-tipo, de verdade? — Arregalei os olhos e eles fizeram careta, se entreolhando.


— Claro que não, garoto! É só um modo de falar tipo… nós vamos foder com a vida deles, entendeu?


— Ah, bem... e o que vocês têm em mente?


— O que acha da gente imprimir um montão de fotos dessas e fazer uma chantagenzinha com aqueles dois filhos da puta, hein?


— Que tipo de chantagem?


— Ainda estou pensando nisso. Propõe algo?


— Isso é meio errado, hyung. Eu não…


— Errado é o que eles fazem com a gente, Jeongguk! Aqueles filhos da puta vão aprender uma lição! — e agora foi a vez de Seokjin dizer.


— Isso mesmo!


— Certo… — suspirei. — Tudo bem, eu só quero ir pra casa. Então podem ficar discutindo sobre esses seus planos infalíveis aí, cebolinhas! O cascão aqui está cansado e vai se mandar! E eu ainda preciso comer e mimir.


— Já está na minha hora também, então a gente combina tudo por mensagem e nos encontramos amanhã de manhã e- nossa, eu não sei se vou aguentar ficar calado até lá! Eu preciso urgentemente contar pra galera!


— Bicha, se acalma, tá?! Controla essa matraca aí, meu bem, que se eu souber que você estragou o nosso plano, eu te caço com a minha peixeira afiadinha pra te fazer picadinho de poc fofoqueira. Estamos entendidos, Kim Seokjin?!


— Eu poderia te tacar o tapão na fuça-


— ESTAMOS ENTENDIDOS KIM SEOKJIN?!


— ESTAMOS KIM TAEHYUNG!


E os dois se empurraram, começando uma briga boba.


— VOCÊ NÃO ME EMPURRA NÃO, HEIN!


— E SE EU EMPURRAR, O QUE VOCÊ VAI FAZER, HEIN?! HEIN?!


— ORA SEU-


— Parem de brigaaaar! — gritei também, puxando Taehyung pelo ombro. — Você vai embora. E você vem comigo, e sem reclamar!


— Você não manda em mim — resmungou emburrado e eu revirei os olhos.


— Vici ni mindi im mim nanana.


— Vou dormir na sua casa.


— E quem te convidou? — ajeitei os meus óculos, olhando-o da cabeça aos pés.


— Eu me auto convidei, meu amor! — mexeu no cabelo, o jogando para trás e eu ri baixo, bobinho. — Tem todos os bagulho pra fazer um miojo?


— Mas é claro, hyung? Eu sou o mestre cuca dos miojos gourmets!


E aqui, vocês podem perceber que eu e os meus amigos somos extremamente saudáveis, aqueles tipos de pessoas que não vão passar dos trinta anos de tanto que se empanturram de miojo…


Enfim, meus queridos amigos e amigas, acho que tenho que encerrar o meu dia por aqui, não é mesmo?


Espero ver vocês mais uma vez amanhã, ou em um outro dia, contando mais sobre a minha rotina na escola, em meu último ano de ensino médio, falando sobre os meus amigos meio maluquinhos, sobre o meu crush e também mais um pouco sobre a minha vida amorosa, que eu um dia, ainda espero ter com alguém que me ame muito e- Ah! E também sobre os meus cactozinhos, claro! Eles são tão fofos!


Então, adeus, querido diário, queridos amigos e amigas e até o próximo capítulo da minha vida!


Assinado: Jeon Jeongguk.


— Continua...

9 de Maio de 2021 às 12:49 0 Denunciar Insira Seguir história
2
Continua… Novo capítulo A cada 30 dias.

Conheça o autor

kami escrevo uma paradas aí e amo gatinhos☁️

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~