anesthesie Anesthesie

Alguns dizem que a primeira tatuagem oficial de Niall Horan foi desenhada por uma garota loira e desconcertada no litoral da Irlanda, outros dizem que nada aconteceu realmente. Afinal quem acreditaria numa noite cheia de aventuras que parecia mais um vídeo clipe do que a vida real?


Fanfiction Bandas/Cantores Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#songfic #musical #niall-horan #one-direction #Ed-Sheeran
Conto
0
971 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único

"Já pensou em encontrar o amor da sua vida ao virar a esquina? O amor está por toda parte se você se permitir e-"

— Besteira!

Chris desligou a TV e nós todas rimos.

— Que grande merda! — Lisa declarou e entregou meu casaco. — Nós não precisamos ouvir isso, não hoje! — Ela revirou os olhos castanhos e vestiu o sobretudo rosa felpudo.

Chris fez uma expressão assustada, mas eu sabia o que ela queria dizer.

— Ela terminou com a Jay de novo — expliquei e Chris foi até ela, numa tentativa de confortar a mais nova.

Bom, deixe-me explicar brevemente.

Somos três amigas: Lisa, Christina e eu. Nos conhecemos na faculdade.

Chris é a mais simpática e introvertida. Sempre dá os melhores conselhos, não tem ninguém que não goste dela, normalmente age como a mãezona.

Lisa é a autêntica do grupo: sempre tem em mente o que nós vamos vestir, e não tem medo de ousar nas escolhas. Tanto que ano passado eu fui com ela em um salão e assisti a cabeleireira raspar, repito, raspar todo o cabelo dela.

— Vamos, Nora! Temos que aproveitar muito a noite... — Falando nela.

— Ok ok, já estou indo! — respondi e dei uma última olhada no espelho, ajeitando os cabelos novamente.

Nós saímos do meu apartamento e no elevador, Christina avisou que o Uber já nos esperava.

E agora, voltando a explicação, tem eu. Nora.

A mais “anormal” eu diria. Cabelo loiro e um metro e setenta e dois de sarcasmo. Quer dizer, de altura.

Vivo fugindo dos padrões, sou apaixonada pela minha terra natal e é isso que nos traz a Galway hoje. Após meses morando em Londres finalmente estava de volta à santa terra para visitar a família, e festejar é claro.

— Uau! Eu acho que chegamos — Lisa exclamou descendo do carro e nós fomos logo atrás. — Débito automático! — Ela disse ao motorista antes de entrelaçar um braço no meu e o outro em Chris. Realmente a noite estava maravilhosa e eu não poderia ter escolhido um melhor lugar para apresentar a elas.

— Bem-vindas a Grafton Street, o melhor lugar da Irlanda! — exclamei soltando o braço delas e dando um giro no meio da rua de paralelepípedos. Tudo ali era tão antigo, mas tão moderno ao mesmo tempo, e tinha um cheiro maravilhoso de…

— Ai meu Deus, boxty! — Corri em direção ao primeiro carrinho que vi, louca para provar as famosas panquecas de batata que eu tanto senti falta. As meninas me seguiram confusas.

— Cruzes Nora, o que é isso gorduroso que você vai comer? — Christina perguntou torcendo o nariz e eu entrei na fila.

— A melhor coisa que eu já comi na minha vida, panqueca de batata com bacon e

— Ok, entendi. Eu e Lisa vamos dar uma volta naquelas lojas mais à frente enquanto você espera na fila — falou e eu concordei sem dar muita importância, só precisava de um pouco de gordura no meu organismo.

As duas saíram e eu continuei na fila por mais alguns minutos, até finalmente colocar minhas mãos em um boxty fresquinho.

— Hey Nora, mande lembranças a sua mãe por mim! — Ouvi alguém gritar e quando me virei tomei um susto ao ver meu irmão.

— Kyle! — Ele vestia algo idêntico a mim: jeans, uma camiseta branca, uma blusa xadrez de flanela nos ombros e a famosa jaqueta de couro. Atrás dele havia mais dois rapazes muito atraentes, todos carregando seus instrumentos.

Abracei meu irmão de lado e ele me contou sobre sua nova banda, apresentando um por um dos garotos.

Joe era negro e alto, nos cumprimentamos rapidamente pela quantidade de cases que ele carregava.

Lewis era ruivo e o mais baixo de todos, ele me cumprimentou com um beijo na bochecha desajeitado e eu me segurei para não rir de sua timidez. Supus que ele era o baixista.

— Prazer em conhecê-los, meninos! — Fui simpática.

— Inclusive, estamos a caminho de uma apresentação no Grimm's, por que não vai nos ver?

Até que não seria uma má ideia, posso ligar para as meninas e avisar.

— Tudo bem! Já encontro vocês, vou ligar para as minhas amigas — expliquei e Kyle concordou seguindo seu caminho até o pub mais a frente.

Terminei de comer e liguei pra Lisa já andando rumo ao bar até esbarrar em um rapaz.

— Jesus, mil perdões eu estava — parei de falar ao encontrar seu rosto. Ele parecia tão familiar, mas ao mesmo tempo era um estranho. Cabelos castanhos claros penteados perfeitamente. Olhos claros que brilhavam com as luzes da cidade, instigando-me a descobrir sua verdadeira cor e é claro que eu dei uma olhada no corpo dele. — Uau, eu te conheço? — perguntei nem um pouco discreta e o rapaz riu fraco.

— Eu estou um pouco surpreso que não, mas não te culpo — brincou.

Forcei minha cabeça a lembrar, eu realmente ficaria menos ansiosa se lembrasse de onde o conheço, porém sem sucesso.

— Eu sou Niall — disse me estendendo a mão e eu aceitei.

— Nora. Enora, mas eu prefiro Nora. — Droga, por que eu fui falar?

— Prazer, Nora! — Sorri em resposta.

Nos encaramos por um tempo até eu voltar a andar.

— Bem, tenho que ir!

Acenei para o rapaz, porém fui chamada antes de poder virar.

— Ei, Nora! Você parece conhecer bem Galway, tem uma sugestão para mim? — perguntou e eu automaticamente sorri, pronta para levá-lo comigo ao Grimm's.

*

— Dublin?! Mas que caralhos! — exclamei colocando meu copo de cerveja na mesa.

— É, estou bem longe de casa, Galway girl— explicou bebendo mais um pouco. — Ah, e minha família é de Mullingar — completou. Nós já tínhamos jogado dardos, sinuca e agora estávamos há horas conversando e ouvindo meu irmão e a banda dele tocar. Mal percebi que já era tarde quando Kyle anunciou o fim do show.

— Mas já? Boo! — Vaiei exageradamente e vi Niall segurar um riso.

— Certo, tocamos mais uma se você fizer a dança, Nora!

Ouvi risadas por todo o local e neguei rapidamente.

— Qual é, Nora! — Meu irmão voltou a me chamar e incentivou o bar inteiro a fazer o mesmo.

—Nora! Nora! Nora!

Niall começou a gritar também e abri a boca chocada com a traição. Tá certo que mal nos conhecíamos, mas na Irlanda se uma pessoa bebeu com você então vocês são amigos — talvez eu tenha inventado isso.

— Ok, ok! Eu faço! — aceitei o desafio e virei o resto da minha Guinness antes de me levantar e me aproximar do palco improvisado.

Eles começaram a tocar e eu comecei a dançar a famosa dança irlandesa trocando os pés rapidamente. Em segundos já havia uma roda ao meu redor, todos dançando juntos.

Ah, como senti falta do acolhimento de Galway!

Ainda pulava e cantava quando olhei para o balcão e vi Niall me encarando com um sorriso nos lábios. Eu ainda possuía a sensação de conhecê-lo de algum lugar, mas foi só quando minhas amigas entraram no local que eu percebi: ele era cantor! Ele abriu um desfile da Victoria Secrets!

— Palmas para minha querida irmã, Nora McCoughlan! — Kyle gritou e todos aplaudiram.

Saí de lá ofegante e me aproximei das duas que tiravam fotos com o loiro.

— Céus, por que não me disse! É claro que eu te conheço, você é uma celebridade! — fui despejando tudo no rapaz. Lisa e Chris me olharam confusas.

— Espera, você estava tomando uma cerveja com Niall Horan e não sabia quem ele era? — Lisa perguntou boquiaberta.

— Ei, eu estou aqui — interrompeu Niall indignado por estar sendo ignorado. — E sim, eu sou um cantor.

— Poxa Nora, que vergonha… — Chris murmurou e ficamos os quatro em silêncio.

— Bem, nós viemos aqui te avisar que estamos voltando pra sua casa, estamos muito cansadas do vôo. — Lisa quebrou o gelo e eu concordei.

— Certo, então vamos… — falei procurando em minha bolsa as chaves quando ouvi Niall limpar a garganta.

Christina me olhou com cumplicidade e eu também pensei melhor. Não seria prudente deixar Niall, um garoto de Dublin sozinho em Galway assim…

— Na verdade, vou ficar mais um pouco — declarei entregando a chave para Lisa e elas se despediram saindo do bar, sem antes, é claro, me mandar um sorriso malicioso.

Sentei-me novamente pedindo mais uma rodada de cerveja para nós dois e conversamos sobre nossas músicas favoritas até acabar com mais uma garrafa.

— Ok, estou entediada. — Levantei abruptamente e percebi a cerveja começando a fazer efeito.

— O que tem em mente, Galway girl? — Ele também se levantou deixando dinheiro no balcão.

— Venha, você vai gostar! — Puxei sua mão e saímos do pub.

Caminhamos pela Grafton até chegar no meu local favorito: a danceteria da tia Dotty. Tinha uma pequena fila do lado de fora, mas ignorei completamente passando pelos seguranças que já me conheciam.

Ainda com as mãos entrelaçadas, arrastei Niall até o bar, comprando mais duas garrafas da tradicional cerveja irlandesa e fui em direção aos fundos do local.

— Isso é permitido?

— Cale a boca Dublin boy, vai fazer com que sejamos pegos! — sussurrei passando pela porta estreita. — Cuidado onde pisa — avisei.

Subimos três lances de escada até chegar no telhado.

— Uau… — exclamou e eu soltei nossas mãos puxando alguns bancos que estavam em um canto, prontos para mim desde que me conheço por gente.

De lá de cima, a cidade era ainda mais impressionante, todas aquelas luzes e os bares que nunca dormem… Era de tirar o fôlego.

— Agora sim — falei abrindo as garrafas com o anel e entreguei uma a ele. Niall estava com os olhos brilhando, como se aquela fosse a melhor noite da vida dele. — Bem vindo a Galway, Dublin boy. — sussurrei enquanto brindamos lentamente.

Tive vontade de me aproximar ainda mais, ou talvez era a cerveja em meu sistema e então o beijei com força.

O rapaz levou uma mão até minha nuca puxando os fios do meu cabelo com delicadeza.

O beijo continuou lento e delicioso até o ar faltar.

— Acho que nunca mais volto para Dublin. — comentou e eu ri o beijando mais uma vez.

Ficamos um tempo ali até um funcionário do bar nos achar e nós sairmos de lá correndo pelas ruas.

Ríamos e cantávamos como amigos de longa data, tomamos várias cervejas juntos.

— O que acha de fazer uma tatuagem? — perguntei andando de costas.

— Tá falando sério? — Niall levantou uma sobrancelha me puxando pela mão para mais perto.

— Mas é claro, vem eu conheço um tatuador… Não precisa ser de verdade se não quiser, ele também faz aquelas que saem com sabão! — segurei seu braço e o olhei como uma criança pedindo doces.

— Nora, eu não sei…

— Vamos, essa é a nossa única noite juntos, precisamos fazer algo inesquecível! — Voltei a pedir.

Niall continuou com a desconfiança por mais algum tempo até abrir um pequeno sorriso.

— Tudo bem, vamos fazer isso. — finalmente concordou e eu o beijei rapidamente. Levei Niall até o melhor tatuador de Galway e assim como o restante da cidade, ele ainda estava aberto.

— Ei, Jake! — cumprimentei o ruivo assim que entramos. — Esse é Niall, e queremos umas tatuagens de mentirinha para finalizar a noite.

— Nora! Senta aí, vou pegar meu material — disse depois de nos cumprimentar e percebi que o loiro ao meu lado estava calado. Parecia nervoso.

— Já sabem o que vão fazer? — Jake perguntou colocando as tintas ao lado da mesa em que estávamos sentados. Pensei por um instante e então tive uma ideia brilhante, para a felicidade de Niall.

Jake me emprestou uma caneta e eu rabisquei no pulso do loiro, bem pequenininho: "Galway Girl".

Niall fez o mesmo no meu, só que com "Dublin Boy" é claro. Segurei sua mão enquanto o tatuador trabalhava e vice-versa.

Não demorou muito para estarmos na Grafton Street de novo, só que com desenhos nos pulsos.

— Ei, e se sentarmos aqui? — chamou minha atenção.

— Aqui onde? — questionei confusa e ele parou de andar me puxando pro chão. — Niall! — soltei uma risada ao ver que a ideia dele era sentar exatamente no meio da rua.

— Qual o problema? — Ele se ajeitou, deitando nas pedras. Dei de ombros e fiz o mesmo, encostando minha cabeça em seu ombro.

Talvez amanhã apareceríamos no jornal como dois loucos com fetiche pela rua.

Talvez apareceríamos em algum site de fofoca de famosos, como o “encontro perfeito com Niall Horan”, eu não sabia o que poderia acontecer, mas aproveitei ao máximo o fim da noite.

Nós assistimos o Sol nascer ali juntos depois de uma noite perfeita nas ruas de Galway, antes de seguirmos cada um por seu caminho.

Alguns dizem que a primeira tatuagem oficial de Niall Horan foi desenhada por uma garota loira e desconcertada no litoral da Irlanda, outros dizem que nada aconteceu realmente. Afinal quem acreditaria numa noite cheia de aventuras que parecia mais um vídeo clipe do que a vida real?


"Juro que vou te colocar em uma canção que eu escrever
Sobre uma garota de Galway e uma noite perfeita"
—Galway Girl, Ed Sheeran.
29 de Março de 2021 às 01:05 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Anesthesie 🍂 em busca de uma anestesia para a mente

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~