-pedromilagres-efi Sertidão do Cer

Me veio na mente criar algumas máximas, mas só me vieram amebas. É isso mesmo, vou chamá-las de Máximas!


Não-ficção Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#máximas
Conto
0
871 VISUALIZAÇÕES
Em progresso
tempo de leitura
AA Compartilhar

Nada disso é ficção

1.

Qual foi a última vez que eu estive sóbrio? Eu não me recordo em qual parte da história da existência em que algum ser humano se permitiu estar em sobriedade.


2.

Cada dia me encanto mais com a nossa resistência. De ver o quanto lutamos e resistimos até aqui, e de ver a força dos nossos. Eu vejo muito caos, muito caos sim! Pilhas e pilhas de ruinas, dor e sangue, e lágrimas. Lágrimas de navalhas que arranham nossos peitos. Mas, aquele infimíssimo sorriso de canto que conseguimos enxergar, me encanta. Me dá o desejo de viver!


3.

Eu estive pensando estes dias sobre a morte, inclusive, agora a pouco. Me questionei o porquê a morte brinca tanto com a nossa vida. Desde cedo começamos a avistar os abismos e temê-los, mas, ultimamente, passei a admirar a sua ginga. Eu já sinto por você, minha querida avó!


4.

Por que carrego tanta dor no peito? Eu sempre sinto uma dor que me aperta, e esta dor me acompanha por toda a vida. E descobri, com tudo isso, que existe uma brechinha de boa euforia quando suspiramos: “Amor fati”.


5.

Caralho, quanta informação lixo! São só baboseiras atrás de baboseiras, e a cada segundo estão morrendo vários dos nossos. Benjamin, me pergunto: “será que em algum momento poderemos voltar a tecer?”

31 de Janeiro de 2021 às 23:25 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Continua…

Conheça o autor

Sertidão do Cer "Querido diário...." Sou um mero vagante curioso pelo mundo que não se contentou apenas em pesquisar. Vim de um lugar, no interiorzinho de Minas Gerais, onde várias forças confluiram para que eu não chegasse onde estou, mas cheguei! Então, aqui nada mais é que uma fuga do ringue (ou será uma extensão dele?). Aparentemente, cada texto é uma inquietação do meu eu tentando se achar em meio ao carretel interno de sentimentos, formalismos e rebeldias, e tentando deixar pegadas pelo mundo.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~