Novo app: Inkspired Writer! Escreva, publique e gerencie suas histórias no seu celular!!. Leia mais.
north_king Silva

Antes da aurora dos tempos e estações, tudo que existia era o caos. Do início do mundo à guerra que definiu o Olimpo.


Conto Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#zeuspaidetodos
Conto
3
3.7mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Entre Deuses e Titãs


As constelações adornavam o profundo azul enquanto a cintilante lua cheia alumiava a escuridão. Ponderou que Artémis ficaria orgulhosa pelo corpo celeste que encantava crianças, abençoava as mulheres e guiava os homens. As noites sempre lhe foram contemplativas embora não somente os astros noturnos enchessem seus olhos.
A brisa embalava seus cabelos negros numa dança suave. O constante crepitar das calorosas chamas de Héstia realçava o brio em seu olhar castanho diante da fogueira. Ali, Anne ouvia atenta e radiante as histórias do velho Bill.
Cabelos longos e brancos lhe cobriam a cabeça bem como uma espessa barba sobre o rosto marcado com algumas rugas do tempo. O velho se dizia um antigo marinheiro vindo da longínqua Creta na Grécia.
Também revelou que havia velejado por todos os oceanos e até conhecera o próprio Poseidon durante suas viagens. Muitos duvidavam de suas histórias. Até mesmo Anne pensava que ele devia exagerar nas aventuras como todo bom marinheiro, no entanto, ela sempre gostou de ouvi-lo. Bem apessoado e simples, suas mãos calejadas agora executavam o ofício da carpintaria. Estas mesmas mãos também iam de um lado para o outro, para cima e para baixo com suas fervorosas narrações. Anne conhecia as histórias mais famosas. Os deuses do Olimpo, o senhor do Tártaro, o vasto bestiário e bem como Zeus e seus filhos valorosos. Quem não se encantaria com os feitos de Perseu, Hércules, Aquiles e tantos outros? Todavia, havia algo que Anne desejava saber.
— Me conte Bill, como tudo isso começou? De onde vieram os deuses e seus poderes? — Bill ouviu a pertinente indagação com um sorriso e levou o olhar para o céu estrelado pouco antes de contar-lhe a história.
— Na aurora dos tempos e estações, antes de todo bem e todo mal, e mesmo antes dos deuses do Olimpo reinarem em exultante glória... Tudo que existia era o Caos. Um ser primordial que deu origem à Gaia, a Mãe-Terra. A deusa criou Urano, o deus dos céus. Ao unirem-se, Gaia concebeu a dezoito filhos. Os doze primeiros foram chamados de Titãs. Seis meninos e seis meninas de grande beleza e poder. Além destes, seus outros seis irmãos eram de espécies distintas. Gaia gerou três gigantes que possuíam apenas um grande olho em suas faces, estes eram os ciclopes. O outro trio era formado por hecatonquiros, seres monstruosos que tinham cem braços e cinquenta cabeças.
No entanto, Urano temia que seus filhos se tornassem mais poderosos e viessem a tomar seu lugar como soberano do Universo. Assim que Gaia dava a luz, o deus dos céus os devolvia ao útero. Nas profundezas da Mãe-Terra imperava uma dor terrível, aquele lugar foi chamado de Tártaro. Farta de seu sofrimento, Gaia tramou uma vingança contra Urano através de seu filho mais novo, o titã Cronos, o deus do tempo.
Este recebeu dela uma grande e afiada foice. Com a arma em mãos, Cronos decepou os testículos de Urano, cujo sangue foi derramado por toda a Terra. Assim começou a era dos Titãs e o domínio de Cronos. Além do próprio, seus irmãos eram: Oceano, o titã que gerou rios e mares. Crio, o titã do inverno. Ceos, o titã da inteligência. Hipérion e Téia, titãs da luz solar que tiveram três filhos: Hélio, o sol, Selene, a lua, e Éos, a aurora.
Jápeto, pai de Atlas e Prometeu. Febe, a titânide da luz lunar que gerou Leto, mãe de Artémis e Apolo.
Tétis, a titânide da fertilidade, Têmis, a da sabedoria, Mnemosine, a da memória, e Réia, que se tornou esposa de Cronos.
No entanto, após tempos de paz e prosperidade, Cronos tornou-se o reflexo de seu pai: um tirano. O titã vitorioso recebeu uma profecia de seu pai assassinado. Assim como um dos filhos rebelou-se contra Urano, o mesmo aconteceria com Cronos. Temendo tal profecia, sem hesitação o titã engolia os próprios filhos ao nascerem. Réia estava grávida novamente e sabia do cruel destino que aguardava a criança. Concebeu um menino e para livrá-lo, entregou-o aos cuidados das ninfas. Réia levou até Cronos rochas envoltas num tecido, como se fosse um bebê. O poderoso titã engoliu as pedras de uma vez pensando ter se livrado de seu filho recém nascido. Aquele menino recebeu um nome: Zeus.

Quando tornou-se homem, Zeus estava determinado a libertar seus irmãos e vingar-se de Cronos. Pediu ajuda ao titã Oceano que lhe concedeu uma poção. Disfarçou-se de serviçal e ofereceu a poção ao seu pai dizendo ser um saboroso néctar. Quando Cronos bebeu a poção, vomitou todos os filhos do seu ventre. Poseidon, Hades, Héstia e Démeter.
Ao libertar seus poderosos irmãos, o confronto entre Zeus e Cronos era inevitável. Deu-se início à Guerra dos Titãs, a Titanomaquia.

Tal como o Céu era longe da Terra, assim era o Tártaro para Zeus. A morada dos mortos e condenados, um lugar nefasto que exalava dor e tormento. O último filho de Cronos passou pelos portões da longa muralha de bronze a qual ninguém podia escalar. Morte e enxofre adentraram em suas narinas. Seu cabelo alvo e seu manto de linho contrastavam com as trevas ao redor. A escuridão cobriria tudo se não fosse pelo denso rio de fogo que corria o submundo: o rio Flegetonte.

— As bestas dos oceanos me parecem mais convidativas. — Zeus ouviu uma voz familiar e sorriu antes de virar-se. De pé, um homem de armadura prateada cruzou os braços. Olhos azuis e profundos como o mar adornavam a barba dourada sobre seu rosto. Poseidon atendera seu chamado.

— Nossa vinda até aqui não será em vão. Calma irmão, Cronos terá o que realmente merece. — Zeus levou uma mão até o ombro direito de Poseidon, que anuiu com a cabeça. Os dois seguiram caminhando por entre o solo rochoso e a fumaça da lava que borbulhava como um grande caldeirão. Pouco depois, viram um trono de ossos rodeado de mortos. Sobre ele estava assentado um homem. Não havia barba em seu rosto. Trajava uma longa capa, um manto e um capuz. Tais vestes eram negras como a noite de Nix, e ele abriu um sorriso ao vê-los enquanto segurava uma caveira em sua destra.

— Hades… — Zeus reconheceu seu outro irmão e concluiu surpreso: — Achei que não viria.

— Refleti um pouco e me pareceu uma ótima ideia. Além do mais, o lugar é um tanto… — Hades largou o crânio no chão e concluiu: — Aconchegante. — Juntos, os três irmãos caminharam até os três ciclopes que Cronos havia aprisionado. Gigantes colossais condenados eternamente ao jugo de dolorosas correntes.
Os filhos de Cronos uniram forças e desferiram golpes únicos que fragmentaram os grilhões como se fossem vidro. Gratos por sua liberdade, os ciclopes lutariam ao lado dos deuses irmãos contra o seu pai tirano. Das mãos dos ciclopes Zeus recebeu o Raio que ressoaria no Olimpo, Poseidon o Tridente que comandaria os oceanos e Hades o Elmo do Terror que lhe concederia o poder da morte e da invisibilidade.
E assim começou uma guerra avassaladora entre os titãs liderados por Cronos e os deuses sob o comando de Zeus.
Olhos em ardentes em brasa, cabelos escarlates e mãos elevadas ao céu. No fronte dos deuses, uma mulher de manto carmesim lançou o primeiro ataque. As labaredas correram pelo campo de batalha como se trouxessem o próprio Tártaro para os Titãs. Mas mesmo as poderosas chamas de Héstia não seriam suficientes para deter Cronos. Por entre as chamas, Hades surgiu com seu elmo negro, trazendo a morte no ápice de sua lança. Hecatonquiros perdiam braços e cabeças diante da força do deus do submundo. Os Titãs lançavam montanhas inteiras contra os deuses. Torrentes furiosas emergiram quando Poseidon ergueu seu tridente, levando alguns para as profundezas. E naquele momento, a terra estremeceu e no céu enegrecido uma luz resplandeceu. A eletricidade azulada marcava seus olhos. Por entre trovões e relâmpagos, ele voou até o campo de batalha lançando contra Cronos um estrondoso golpe. Aquele raio azulado definiria o mundo dos deuses e dos homens para sempre, pois ele, era o raio de Zeus.














26 de Novembro de 2020 às 02:49 15 Denunciar Insira Seguir história
7
Fim

Conheça o autor

Silva Alguém que escreve para escapar das garras do tédio.

Comente algo

Publique!
Emilly Correa Emilly Correa
Sem diferencial na mitologia dos deuses olimpianos, mas é legal rever ela e um pouquinho da visão deles na batalha. A escrita é boa, mas acho que poderia ser bem melhor, na minha opinião. E aliás, você esqueceu da Hera kkkkk Nos vemos por aí

  •  Silva Silva
    Hera sempre esquecida no churrasco kkkkk Esqueci do Atlas também. Terminei esse texto para o concurso meio que de última hora, mas obrigado. :v 1 week ago
CC C Clark Carbonera
Hahahaha li no comentário abaixo a resposta de uma pergunta que eu tinha quando terminei o conto: "uhhh será que esse Bill aí não é o Zeus não?" XD mas o próprio autor fundamentou que planejava essa "possível" revelação. Sei que você acabou concorrendo no Desafio muito tarde, mas você agora pode fazer a revisão e a alteração do conto sem problema algum, justamente acrescentando o Atlas e a hipótese de Bill ser Zeus (ou até deixar esse último elemento em aberto e os leitores ficarem só a imaginar "Será que...?")
November 27, 2020, 15:06

  •  Silva Silva
    É uma ótima ideia. Kkkk Muito obrigado por ler o conto <2 November 27, 2020, 15:14
Estella Monteiro Estella Monteiro
Boa noite! Eu devo dizer que essa historia é uma obra de arte. A narrativa é fluida, com vocabulário rico e bem empregado. O começo é sutil e vai nos envolvendo e é ainda mais interessante e criativo o fato de ser uma história dentro da história. Eu consigo entender o porquê de Anne ser tão encantada com as histórias de Bill, verdade ou não, ele é bem talentoso e me fez querer estar lá o ouvindo contar. Outra coisa que também me seduziu foram as descrições, eu pude ver cada personagem descrito, cada cena e, a aparição de Hades roubou meu coração, assim como a cena da batalha e o raio final, foi eletrizante e fez um calafrio me correr pela espinha. Obrigada por dar a sua versão de um mito que se utiliza de personagens que sempre mexem muito comigo. Os deuses e titãs parecem celebridades e políticos, estão sempre em guerra se devorando e nós, meros mortais pegamos rebarba dos conflitos hahaha Parabéns, nos vemos por aqui!
November 26, 2020, 22:39

  •  Silva Silva
    Fico muito feliz em receber um elogio desse de uma autora tão incrível. Como eu já disse para os leitores anteriores, Cronos não estava bem a meu favor ontem e teriam algumas coisas que eu gostaria de acrescentar como o titã Atlas e uma possível revelação de que Bill era Zeus "disfarçado" mas vejo que a versão que saiu foi satisfatória e eu só posso agradecer. Muito obrigado Estella. :') November 26, 2020, 22:58
Inkspired Brasil Inkspired Brasil
Olá, Silva! Gostaríamos, primeiramente, de te agradecer por ter abraçado um de nossos desafios. Fizemos o #ZeusPaiDeTodos com muito carinho, pensando especialmente em vocês, e receber esse retorno com contos magníficos como o seu nos motiva cada vez mais. Quando entramos no perfil de O Raio de Zeus e lemos a sinopse do conto, o nome Caos inevitavelmente nos chama atenção. Sabemos que podemos esperar várias coisas da narrativa, porém o que você trouxe conseguiu superar nossas expectativas. Admitimos que, de certa forma, esperávamos uma introdução à criação segundo a mitologia grega, mas somos surpreendidos com um elemento que faz de sua história única. Mitos são histórias majoritariamente contadas através da oralidade, e contar com essa característica em sua narrativa, onde o personagem Bill discorre sobre o início dos tempos e os conflitos entre os deuses para a curiosa Anne, foi uma escolha ótima! Conseguimos nos imaginar sob o céu estrelado, ouvindo as histórias desse senhor; que apesar de sua fama com os exageros, não deixa de ser um exímio narrador. Grande parte dos contos do desafio trouxeram os deuses — ou mesmo homens — como personagens principais e ativos nas narrativas, e, como mencionado anteriormente, contamos com Bill para assumir esse papel em uma roupagem totalmente distinta. Como se não fosse o suficiente, a apresentação dele é instigante demais: um velho marinheiro vindo de Creta e que, fisicamente falando, remete a um deus muito conhecido na mitologia, Zeus. No entanto, nada foi dito na narrativa para confirmar nossas suspeitas, ainda assim ver a forma como a história foi por ele contada só fomentou a ideia e nos deixou bolando mil e uma teorias. A história escolhida por Bill para mostrar à protagonista como tudo se iniciou não poderia ter sido melhor: a Titanomaquia. Além disso, o fato de não termos apenas “ouvido” um mito através das palavras de um senhor, mas, em vez disso, termos presenciado os acontecimentos como se houvéssemos sido transportados para aquela época passada, fez com que a narrativa se tornasse ainda mais especial. Fomos capazes de imaginar Bill contando a história e até mesmo fazendo as vozes dos deuses. Isso dá o tom exato para a escolha que você fez de introduzir um segundo narrador em seu conto. Nossos parabéns! Em relação à gramática e ortografia, gostaríamos de parabenizá-lo pelo ótimo trabalho e pela escolha rebuscada de palavras, bem-utilizadas dentro do texto. Sabemos o quanto uma revisão pode ser complicada, então nada mais justo do que evidenciar seu trabalho, que nos permitiu emergir na história sem interrupções. Ficamos muito contentes com sua participação e por termos tido a oportunidade de ler sua obra. Esperamos vê-lo em outros desafios. No mais, os resultados estarão disponíveis nas mídias sociais oficiais do Inkspired Brasil logo mais, dia 26/11. Fique de olho e boa sorte! 🤍
November 26, 2020, 19:48

  •  Silva Silva
    Nossa em não sei nem o que dizer em resposta 😅 Não tinha certeza se conseguiria postar a tempo como vocês sabem, mas fiquei feliz pela participação e muito honrado por um elogio divino vindo diretamente do Olimpo aqui do Ink :v No mais, muito obrigado. :') November 26, 2020, 21:04
Joalison Silva Joalison Silva
Eu já conhecia a história dos Deuses Gregos, a genesis deles, por assim dizer, mas esse final realmente me pegou. Foi breve e não ficou perdendo tempo explicando o que não precisa ser explicar. Simplesmente, épico! Parabéns e até a próxima
November 26, 2020, 19:00

  •  Silva Silva
    Eu queria ter dar um pouco mais de detalhes na batalha, mas eu postei a história literalmente no último minuto, não deu nem pra revisar o texto direito :v Fico feliz que tenha gostado. Muito obrigado! November 26, 2020, 19:05
amy ੭ amy ੭
Olá, Silva! Tudo bem? Muito obrigada por sua participação no desafio #ZeusPaiDeTodos. Conseguiu nos 45 do segundo tempo, hein? hahah Bom, mais tarde você irá receber um comentário mais detalhado feito através do perfil oficial da Embaixada Brasileira, e enquanto ele não chega venho aqui pra deixar minhas impressões individuais. Amei o tom da tua história: os mitos sendo contados pelos mortais, perpetuando a tradição da oralidade. Você tem uma escrita sensacional e faz um jogo de palavras ótimo, meus parabéns! ♡ No mais, nos vemos novamente em breve. Um abraço e boa sorte. :)
November 26, 2020, 16:09

  •  Silva Silva
    Nossa :') Fico honrado só de participar porque li obras incríveis por aqui. Muito obrigado pelos elogios e que Zeus esteja com todos os participantes. November 26, 2020, 19:03
Karimy Lubarino Karimy Lubarino
Oie! A Guerra dos Deuses é uma história muito bacana e também complexa e eu acho que você conseguiu sintezar bem tudo o que aconteceu com poucas palavras. Em relação ao Bill, eu gostei bastante da descrição dele: pela forma descrita, pela maneira como ele conta o mito - como se o tivesse vivido - não consigo parar de pensar na possibilidade de ele ser um deus (na minha opinião, Zeus). Também adorei o final. A última frase fechou o conto com chave de ouro!
November 26, 2020, 10:33

  •  Silva Silva
    Olá, fico muito feliz que tenha gostado. Eu não faço ideia se a história conseguiu entrar para o desafio de escrita porque foi só terminei no último minuto. E claro, faltaram algumas figuras na guerra aqui e ali, (Eu sei Atlas, eu sei...) mas com o tempo que eu tinha acho que foi o melhor que eu consegui. Mas seu comentário já fez valer a tentativa, obrigado! November 26, 2020, 11:21
  • Karimy Lubarino Karimy Lubarino
    Ah, sim! Seu conto conseguiu entrar e, realmente, nos últimos segundos do segundo tempo hahhaahah Os desafios são muito especiais pra nossa escrita. Fico feliz que tenha conseguido entrar <3 November 26, 2020, 11:29
~