Novo app: Inkspired Writer! Escreva, publique e gerencie suas histórias no seu celular!!. Leia mais.
misael-farias1603628525 Misael Farias

Tudo é novo na vida de Rafael, exceto pela sua paixão pelo futebol que se demonstra atemporal. Com o objetivo de se tornar o melhor jogador do mundo, antes ele tem de provar no Ensino Médio que tem capacidade para isso no torneio de futsal escolar. Junto de companheiros e novos amigos, ele tem de enfrentar diversas equipes e alunos, em especial o "mano".



Ficção adolescente Todo o público. © Creative Commons

#Humor #original #258 #adolescentes #colégio #futebol
0
1.2mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 10 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

CAPÍTULO 1

Quase todo menino brasileiro sonha em se tornar um jogador de futebol ou futsal e faço parte desta maioria, desde pequeno sonho em torna-se o melhor do mundo, mas ainda havia um ensino médio para terminar e assim poder tentar a sorte na quadra ou no campo. Para minha sorte, meu pai havia sido transferido para a capital e em metrópoles é mais fácil consegui realizar este sonho. Naquela manhã estava super empolgado para ir à escola e me preparei com animação, antes de ir, me despedir de meus tios com quem morava – Pois, meus pais ainda não estavam totalmente transferidos. – E corri até o ponto de ônibus, eu sempre gostava de chegar cedo e ainda mais nesta situação. Se passaram 15 minutos e eu estava na entrada da EEEM Raul Pila, uma das melhores do bairro vizinho, eu sentia que de lá ocorreriam coisas inesquecíveis, esperava fazer amigos, pois tive de deixar velhos amigos em minha cidade, foi triste não poder coloca-los na mala.

Eu entrava na escola que tinha um portão alto com o logotipo da escola, diversos alunos entravam naquela escola uniformizado e o clima estava razoavelmente agradável, mesmo sendo verão, a recepção foi feita por professores que dançavam e cumprimentavam os alunos, aquela energia era bacana, a entrada consistia em um corredor que dava acesso ao maior pátio da escola, que era um dos quatro pátios da escola. Procurei me informar sobre minha sala, mas nada adiantava, teria de procurar sala por sala naquela escola grande, pois, cada série tinha no mínimo duas turmas. Depois de dois minutos procurando, enfim a sala foi encontrada, entrei e procurei sentar no meio, mas já estava preenchido de lá para trás, me restava agora as duas linhas da frente. Me sentei na segunda linha de mesas e algo era novidade para mim, aquela mesa não era apenas para mim e sim para ser dividida em dupla, famoso "Cosme e Damião". Esperei algo se sentar ao meu lado, mas todos pareciam ter seus amigos e me ignoravam, só não era ignorado pelos cochichos dos alunos sobre mim, ninguém tivera coragem para falar comigo e terminar com tudo isso. Sentia uma pequena raiva da tamanha empolgação que tive para ter o fim de ficar sozinho, mas esta raiva foi lançada fora quando uma menina parou na minha frente, ela tinha um cabelo curto para as meninas e olhos verdes e parecia meio tímida pela sua postura.

— Por acaso... Há alguém... Sentado ao seu lado? — Perguntava quase gaguejando e isso fez Rafael ficar meio confuso daquilo, mas sentiu-se feliz também.
— Não, pode sentar-se ao meu lado. — Falei afastando um livro que estaria no espaço daquela menina. — Pronto, seu lugar está apropriado agora. — Falei sorrindo.
— Muito obrigada. — Falou e sentou-se.

Aquela menina era realmente tímida, certamente ela também era uma novata naquela escola que, tirando os professores, não houvera ninguém receptivo. Então depois de alguns minutos lendo meu livro, a diretora entra na sala e toda conversa existente naquela sala encerra temporariamente.

— Bom dia a todos vocês, para quem não me conhece deixe me apresentar. — Falou alegremente. — Sou Shirley, a diretora desta escola e como alguns já sabem, sou uma pessoa muito legal, mas também sou bastante rígida. Este ano vocês estão no segundo ano do Ensino Médio e este é o mais complicado em questão de assuntos do Ensino Médio, então peço a todos que sejam excepcionais estudantes para que passem por este ano de forma menos turbulenta. Então sejam bem-vindos ao segundo ano do ensino médio da Raul Pilla. — Ela falou e alguns aplaudiram e outros apenas olharam com desgosto, também há o caso da menina ao meu lado que simplesmente olhou para trás e ficou pensativa.

A diretora foi substituída então pelo professor de história, ele chamava-se Antônio e era professor recém contratado pela escola, parecia que até mesmo algum professor iria "sofrer" comigo nesta jornada para descobrir mais sobre a escola. Depois de se apresentar, ele pediu para que os(as) alunos(as) fizessem o mesmo, teriam de falar seu nome, o que gostavam, o que não gostavam e como havia sido às férias. Começou então pelo fundão que conversava muito, então o professor entendeu que aqueles gostavam muito de interagir e os deixou começar, pela forma que era as apresentações, eu e a menina, ao meu lado, seriamos um dos últimos. Todos se apresentavam, alguns eram meio tímidos e outros eram extrovertidos demais, com destaque para Manu que era o centro das atenções das garotas, depois foi e outro se apresentando e então chegou a minha vez.

— Me chamo Rafael, tenho 16 anos. — Falei e aqueles olhares me deixaram vermelho de vergonha, mas tinha de seguir. — Gosto de animes, ler livros e principalmente de futebol, pois meu sonho é se tornar o melhor do mundo. Não gosto de gente falsa, esperar demais e de matemática. Minhas férias foram meio complicadas, pois sou novo na cidade e estava resolvendo minha mudança e matrículas, sem falar que deixei de ter amigos por perto, mas espero fazer amigos legais por aqui. — Falei esta última parte com certo desgosto.

- Legal Rafael, temos muito a aprender sobre esta escola.

Então chegou a vez da menina falar, confesso que estava muito curioso e tinha medo dela não gostar daquela curiosidade minha, então torci muito para haver apresentações. Ela se levantou e olhava para baixo, o professor pediu para ela levantar a cabeça e falar mais alto para que ele pudesse entendê-la.

— Meu nome é Jéssica, tenho 17 anos. — Falou e depois puder ouvir algumas risadas baixas. — Gosto de escutar música e não gosto muito de romance, para mim, é muita mentira em um fato só. – Falou e bufou. – Minhas férias não foram legais.

O professor ficou meio decepcionado, pois esperava um ânimo melhor e mais informações, pelo menos eu sabia de algo agora. Jessica, 17 anos, cabelo relativamente curto, gosta de música e odeia romance. Então depois de todas aquelas apresentações, o professor começou a explicar um pouco como seriam as aulas durante o ano e depois começou um dos assuntos daquele bimestre, iluminismo. Algo que eu sabia, pois, durantes as férias, decidi estudar para não ficar atrasado, porque minha antiga escola não era tão avançada quanto a sua atual escola. Foi se passando às horas e o sinal tocava, seria aula de Educação Física e ficava a questão: aula teórica ou prática? O recado chega pela caixa de som na sala, o professor avisa para que todos vão para ginásio e todos obedecem de forma entusiasmada, não sei o motivo, mas isto me anima. Parto da sala em direção da quadra até que percebo a ausência da minha garrafa, tenho de voltar aquele longo caminho em prol do meu corpo que não aguentaria ficar sem sede por dez minutos. Mas o que eu não sabia era que aquela pequena decisão iria me causar problemas durante o ano.

25 de Outubro de 2020 às 12:31 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Continua… Novo capítulo A cada 10 dias.

Conheça o autor

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~