way_borges229 Way Borges

Thor acordou de repente, tentando recuperar o fôlego enquanto seu coração batia forte contra as costelas. Sua camisa encharcada de suor grudou em sua pele. Quando seus olhos se ajustaram à escuridão, ele examinou a sala, mas nada parecia fora do lugar ou suspeito, nem mesmo o espelho antigo. #Thorki (+18) (Capítulo Único) (Tentativa de escrever um Terror)


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas. © Os personagens não me pertencem, porém a história é inteirinha minha. Capa editada por mim - créditos da imagem ao(s) autor(es).

#oneshort #marvel #thor #terror #loki #thorki
Conto
0
551 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único

Notas Iniciais

Olá meus xuxus, como ocês estão???

Então, sei que viram o nome Terror na sinopse, mas não acho que esteja tão apavorante assim, ou eu sou tão acostumada com o gênero que nem me assusto mais, não sei - espero que não sejam medrosos.

Mesmo assim, eu espero que gostem dessa one Thorki.


****


O som de batidas tirou Thor de um sono profundo. Ele inicialmente pensou que era parte do sonho que estava tendo, mas o som continuou mesmo depois que abriu os olhos, e olhou para o teto escuro. Então, pensou que fosse algo batendo na janela – galhos ou chuva forte –, mas uma espiada pelas persianas confirmou que era uma noite tranquila e sem lua.

A batida continuou.

Um arrepio percorreu sua espinha quando jogou os cobertores para trás e saiu da cama, tomando cuidado para não incomodar Loki, que, até então, estava dormido pesadamente. O homem podia dormir durante a explosão de uma bomba do lado de fora de sua janela, Thor tinha certeza disso.

O piso de madeira estava frio sob os pés, mais frio do que se lembrava de ter estado antes. Thor lembrava-se de ter verificado o termostato um pouco antes de irem dormir. Ele e Loki gostavam de manter a casa fresca à noite, mas isso era um pouco demais. E o que foi àquela maldita batida?

O assoalho rangeu quando ele contornou a cama. Pela visão periférica, viu que sua ação se refletiu no espelho no canto. O grande espelho repousava em uma moldura ornamentada inclinada, uma antiguidade deixada pelos antigos proprietários da casa, que afirmaram terem comprado em uma venda de garagem. Se dependesse dele, a coisa espalhafatosa teria sido jogado no meio-fio para os lixeiros, ou algum transeunte levá-lo embora, mas Loki gostou, então ele ficou.

As batidas aceleraram, junto com seus batimentos cardíacos. Um calafrio fez os pelos da nuca de Thor se arrepiarem, sentindo-se constrangido. Ele era um homem adulto, mas estava tremendo, parecendo ter visto um fantasma. Ridículo. Não havia fantasmas, bicho-papão ou monstros debaixo da cama. O som vinha de uma das muitas coisas do lado de fora, que precisavam de conserto, ou do rangido das fundações de uma casa velha, ou do zumbido constante em seus ouvidos que o atormentava desde que deixou o Corpo de Exército.

Thor se virou para voltar para a cama, mas um lampejo de movimento no canto do olho chamou sua atenção de volta para o espelho, assim podendo notar a expressão de medo em seu rosto, emoldurado pelos cabelos loiros que estavam soltos, e caíam pelas laterais como uma cascata de ouro líquido. E então o reflexo levantou a mão e a pressionou contra o outro lado do vidro, como se fosse uma janela os separando.

O loiro cerrou os punhos ao lado do corpo. De jeito nenhum ele tocaria naquele vidro, tinha visto filmes de terror o suficiente para saber que essa era uma boa maneira de se tornar uma vítima. As palavras "ajude-me" ecoaram em sua mente enquanto a boca do reflexo se movia, implorando a ele. Sua mão se moveu por conta própria, seus pés enraizados no chão para que ele não pudesse recuar, não importando o quanto quisesse.

O vidro estava frio e líquido sob a ponta dos dedos. Ondulações irradiadas pela superfície espelhada, distorcendo a imagem. Thor desejou puxar a mão, mas seu corpo se recusou a cooperar. Dedos gelados envolveram seu pulso. Em pânico, ele se jogou para trás e tentou arrancar o pulso do reflexo, mas a mão agarrou com mais força. Mostrando os dentes como um animal, o reflexo sorriu enquanto o puxava para frente.

Tremores sacudiram o corpo de Thor ao agarrar o vidro do lado errado, observando com horror enquanto seu reflexo – ou que quer que fosse realmente – ocupava seu lugar na cama.

– Tudo certo? – Loki questionou, rolando na cama, sua voz estava áspera e sonolenta, o que fez o coração de Thor doer. Ele podia ouvir e ver tudo tão claramente, como se estivesse assistindo a um programa de TV, mas tinha certeza que seu amado não o via.

– Sim, pensei ter ouvido algo – o reflexo avisou, escondendo-se sob os cobertores entre os braços de Loki.

– Esse som de batida?

– Apenas os galhos contra a janela – mentiu, soltando uma risada. Como era a voz de Thor, não havia razão para Loki fazer mais questionamentos.

Batendo os punhos no vidro, Thor gritou, o mais alto que conseguiu, por seu amado na esperança de que ele o notasse. Não é?

O loiro se virou, mas não havia mais nada para ver, por enquanto, e ele não tinha certeza de quanto mais seu coração poderia suportar de qualquer maneira. Thor sentiu seu corpo ser puxado e de repente se viu no meio de uma floresta escura, envolto em uma névoa densa. Foi uma mudança de cenário nada promissora.

A parte realmente assustadora, porém, era a falta de detalhes sensoriais: nenhuma brisa ou grilos cantando, nenhum farfalhar de folhas ou o cheiro metálico de terra fresca. O céu estava preto – não porque a lua estivesse escondida por grossas nuvens como ele esperava, mas porque não havia nada lá. Ele estava preso em algum tipo de vácuo. Sozinho.

Ou ele não estava?

Mais perguntas surgiram em sua mente. O que era aquilo que lhe puxou para dentro do espelho? Que lugar era esse que estava? Havia uma saída? O que estava acontecendo com Loki? Por que ele? Sua cabeça começou a latejar. Ele não iria chegar mais perto das respostas – caso houvesse alguma – se continuasse parado no mesmo lugar.

Mantendo-se em linha reta, para que pudesse encontrar facilmente o caminho de volta ao espelho, Thor dirigiu-se à borda da floresta, onde as árvores desapareciam na névoa. Além desse ponto, poderia haver algo. Ou mais nada.

Ele parou no meio do caminho, para ter uma noção de quão longe estava do espelho. Para sua surpresa, estava bem atrás dele, como se nunca tivesse se movido. Piscando em confusão, ele balançou a cabeça, sem humor para outro jogo mental necessário para dar algum sentido a este pesadelo. O vidro escuro brilhou sob seu toque.

No quarto deles, Loki estava ocupado colocando lençóis novos na cama, como sempre faziam nas noites de sábado, para que pudessem passar os domingos preguiçosos na cama. Foi uma tarefa que eles sempre fizeram juntos, para a arrumação ser mais rápida, mas Loki se movia para frente e para trás, fora da vista do espelho, fazendo Thor perceber que seu amado estava fazendo isso sozinho, desta vez. E a luz do sol entrava pelas janelas. Estranho, mas não era incomum eles perderem um dia de vez em quando, sempre que a vida ficava muito ocupada.

Sem nenhum sinal de seu doppelganger na sala, Thor bateu os nós dos dedos contra o vidro, fazendo com que Loki congelasse no lugar. Ele bateu de novo, até que seu amado estava em frente ao espelho, com as sobrancelhas franzidas. Círculos escuros sob seus olhos contrastavam com a palidez de sua pele. Olhos verdes, sem vida, o olharam fixamente. Havia muitos fios brancos em sua cabeça, mais do que Thor se lembrava, fazendo-o parecer anos mais velho. Porém, só se passaram uma ou duas horas para ele – não havia como isso ter acontecido. Quanto tempo se passou?

– O que aquela coisa fez com você? – Thor questionou, com um nó na garganta e as mãos pressionadas no vidro

Seus joelhos cederam, fazendo-os se dobrarem. Ele tentou ignorar a queimação em seus ombros. Thor sabia que não podia deixar ser levado novamente, pois, tinha a certeza que isso mataria um pedaço de sua alma. Ou talvez... Talvez ele já estivesse morto.

A exaustão de repente o consumiu, o loiro forçou os olhos a abrirem, mas a cada minuto que passava tornava suas pálpebras mais pesadas. Thor se encostou no vidro. Ele não desistiria.

Lágrimas escorreram de seus olhos enquanto a consciência se desvanecia. Ele não iria...

O espelho escorregou.


~X~


Thor acordou de repente, tentando recuperar o fôlego enquanto seu coração batia forte contra as costelas. Sua camisa encharcada de suor grudou em sua pele. Quando seus olhos se ajustaram à escuridão, ele examinou a sala, mas nada parecia fora do lugar ou suspeito, nem mesmo o espelho antigo. Tudo estava quieto também, exceto pela respiração suave de Loki. Apenas um pesadelo, Thor disse a si mesmo, está tudo bem.

Tremendo, ele se deitou, aconchegando-se ao lado de seu amado, derretendo sob o toque dele enquanto esfregava círculos entre os ombros de Thor. Ele quase caiu no sono quando o som de batidas começou.

Pegando a pesada vela, da jarra de sua mesa de cabeceira, Thor a atirou no espelho. A luz da mesinha de cabeceira de Loki acendeu, mas Thor a ignorou enquanto rastejava até o final da cama para olhar os restos do espelho. Dezenas de reflexos de si mesmo brilharam de volta, rostos contorcidos de raiva com as bocas bem abertas, gritando, antes de desaparecerem na escuridão.


****


Notas Finais

E ai meus xuxus, ocês não deu medo, né? Comentem para sua autora querida.

Quero agradecer [email protected] por me ajudar com o capítulo, mesmo sendo medrosa, ela me deu uma força e tanto, vão lá no perfil dela e deem biscoito a essa rainha.

Lembrem-se de votar no capítulo, ok?

Bjus

21 de Outubro de 2020 às 23:42 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Way Borges Nome: Waynne Borges Idade: depende da ocasião Sou um universo em constante expansão, sempre aprendendo coisas novas e aberta a novas experiências. Tímida no primeiro contato, mas depois o difícil vai ser me fazer parar de falar. Sou gentil, atenciosa e educada com todos e espero a mesma cortesia, entretanto, isso não significa que eu não saiba ser grossa quando necessário. Adoro chocolate, séries, filmes e desenhos. Cachorros e gatos sãos meu ponto fraco, fico toda derretida.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~