m0rangosenpa1 Felicia Moreno

Sinopse - Eu não estou mentindo - ele também voltou a se aproximar, estávamos a dois passos longe um do outro - Snape eu te amo 


Fanfiction Filmes Para maiores de 18 apenas.

#narcisa×Hermione #magia #mpreg #pósguerra #darkharry #snarry
0
591 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 10 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Unidos Pela Magia

Eu havia acabado de derrotar Voldemort, não estava ferido mas estava cansado, muitos dos meus colegas haviam morrido mas nada importava. Minha magia estava pulsando loucamente em minhas veias, meu autocontrole estava por um fio, eu estava tentando me controlar para não machucar ninguém mas eu só queria estar ao lado dele, saber se Hermione havia conseguido aparatar em St. Mungus e salvá-lo, eu precisava saber.


Por isso não liguei para comemoração da derrota de Voldemort e aparatei diretamente em St. Mungus dando de frente com Hermione que andava de um lado para o outro mas parou quando me viu.


— Levaram ele mas até agora não falaram nada - ela disse e veio me abraçar — Se você tá aqui quer dizer que conseguiu. Harry acabou e eu tenho certeza que o professor vai ficar bem - eu fiquei em silêncio ela me colocou sentado ao lado dela e ficava falando palavras de apoio.


Mas eu não ouvia nada, só queria gritar até alguém vim e dizer que ele estava bem, meu coração batia dolorido, eu dizia a mim mesmo que estava tudo bem e que logo eu o veria, eu repetia isso como um mantra na tentativa de me manter sobre controle, eu precisava manter firmes minhas barreiras de oclumência pois sabia que caso as derrubasse um massacre poderia acontecer e eu não queria ferir ninguém.


Eu nunca fui religioso mas naquele momento na minha mente eu rezava a todos os deuses existentes no mundo para que ele estivesse bem, ele era o amor da minha vida, o único homem que amei e amarei para sempre e mesmo que ele não me correspondesse eu não suportaria a idéia de viver em um mundo em que ele não existe mais. Depois de algumas horas sem nenhuma resposta conhecidos começaram a chegar, entre eles Rony e sua família, todos diziam que ficaram preocupados mas eu nada dizia apenas olhava o corredor que eu sabia que levaria ao quarto dele, Hermione falou o necessário por mim e depois de um tempo de questionamentos eles finalmente ficaram em silêncio, até que um medibruxo apareceu e eu fui o primeiro a levantar.


— Eu sinto muito mais não trago boas noticias - senti Hermione ao meu lado, minhas barreiras tremeram — O paciente está em coma - Mione segurou minha mão, travei meu maxilar e senti as barreiras trincando — Fizemos tudo que estava ao nosso alcance mas o veneno penetrou muito no sangue e a magia dele não está ajudando a combater o efeito eu realmente sinto muito mas...- o medibruxo respirou fundo — Eu vou dar minha opinião sincera - meus olhos se embaçaram por conta das lágrimas — Ele não passa dessa noite...


Meus joelhos cederam, minhas mãos indo ao chão tentando apoiar meu corpo, as barreiras racharam lentamente, todas as luzes do hospital tremeram antes de estourarem uma a uma gerando varios gritos e uma onda de escuridão, debaixo de mim o chão também tremeu balança a estrutura de S.t Mungus.


— Harry por favor! - Hermione gritou ao meu lado — Não quebra agora por favor, você não pode perder o controle agora e nem aqui, tem pessoas inocentes por todo lugar! - fechei minhas mãos em punhos tentando voltar ao controle e consertar as rachaduras nas minhas barreiras.


— Estamos sendo atacados! - alguém gritou.


— Merlin tenha piedade!


As paredes rangeram o que causou mais barulho em volta, os bruxos e bruxas do local tentavam iluminar com suas varinhas afim de ver o que ocorria.


— Harry por favor, você vai derrubar St. Mungus - Rony sussurrou no meu ouvido — E se fizer isso você vai matá-lo, é o que você quer? Você que ser o responsável por matar ele?


— Rony tem razão Harry, talvez ele fique bem mas assim você pode machucar ele - Hermione tinha a voz embargada.


Machucar ele? Não! Eu nunca machucaria ele! Snape é meu amado e eu amo do fundo do meu coração. Fechei os olhos com força tentando com mais afinco voltar ao controle, senti Hermione me abraçar de um lado e Rony de outro, a pressão no ar fez uma pressão na minha cabeça e logo senti um líquido espesso descer por meu nariz e em seguida pingar de meu queixo, eu sabia o que era.


— E-Eu não consigo, vocês preci-cisam me suprimir - os dois me abraçaram mais apertado e usaram suas magias para tentar oprimir a minha, foi difícil e eu consegui sentir seus corpos tensos.


Com esforço depois de um período de tempo que para mim foi muito longo eu finalmente voltei ao controle antes de desabar nos braços dos dois, antes de desmaiar o lugar se iluminou mostrando as gotas de sangue no chão quase formando uma pequena poça.


♡♡♡


Depois disso tudo ficou escuro e quieto, eu tentei abrir os olhos duas vezes a primeira tinha muita luz então os fechei rapidamente, na segunda vez estava muito escuro então fechei os olhos novamente, quando finalmente consegui manter os olhos abertos estava em um quarto com luz média, reconheci como um dos quartos hospitalar de St. Mungus, minha visão estava desfocada mas consegui ver uma pessoa ou melhor um ser muito parecido com um dementador em frente a minha cama, por alguma razão que desconheço não tive medo.


— Sabe quem sou? - perguntou o ser, a voz dele me fez arrepiar pois era um pouco amedrontadora, eu neguei—- Sou seu servo mestre - eu fiquei sem entender e a criatura logo explicou — Você conseguiu reunir minhas relíquias e se tornou meu mestre - eu arregalei meus olhos quando me dei conta da situação — Já sabe quem sou?


— Sim - assenti ainda em choque mas a curiosidade me invadiu — Desculpe mas o que faz aqui?


— Vim ajudá-lo - e de novo fiquei sem entender — Quando se tornou meu mestre ganhou alguns presentes e entre eles uma ligação direta comigo então eu sei a dor que está sentindo de perder aquele que ama, por isso vim ajudá-lo - eu me sentei rápido sentindo tontura mas não me importei


— Pode salvá-lo?


— Só depende de você.


— O que eu preciso fazer? Faço qualquer coisa para tê-lo vivo, qualquer coisa.


— Eu sei mestre - Morte fez surgir uma passagem na parede — Consigo sentir toda a extensão desse sentimento - Morte me fitou por alguns segundos — Venha antes que ele atravesse.


Eu deveria fazer mais perguntas mas eu preciso garantir que ele esteja bem e se para isso preciso confiar na morte, confiarei.


Passei pela sombra/passagem logo atrás da morte um frio horroroso passou por meu corpo mas passou rápido e quando saímos estávamos no quarto de Snape, corri para seu lado o olhando com atenção, ele estava pálido e as mordidas de Nagini estavam roxas e amareladas em volta, toquei sua mão e ele estava gelado e respiração fraca, eu nem me dei conta quando comecei a chorar mas fui chamado pela Morte.


— Precisamos ser rápidos - eu assenti enxugando as lágrimas e me virando para a criatura.


— O que vai fazer exatamente?

- Irei unir duas almas solitárias, unindo sua magia a dele é único jeito de salvá-o agora - ela me estendeu sua mão que nada mais era do que a mão de um esqueleto, não tive medo tudo o que importava era Snape, segurei a mão dela e era fria demais parecia que estava congelando minha pele mas nada disse — Segure a dele também - segurei a mão de Snape estava gelada mas não como a da Morte.


Uma luz dourada começou a sair de mim e de Snape mas a dele era verde e fraca, ambas as luzes se entrelaçaram de maneira que acabavam se fundido uma a outra, a de Snape parecia ganhar vida novamente as marcas das mordidas desapareciam e eu sentia a temperatura de sua mão voltar ao normal, quando finalmente acabou seja lá o que foi aquilo me senti fraco e me apoiei na cama do professor.


— Se sentirá assim no começo até a magia dele se recuperar o suficiente mas ficará bem e ele também - assenti — Está cansado, descanse e quando quiser falar comigo e só chamar por mim.


Uma brisa gélida passou por mim rapidamente e a Morte havia ido embora, voltei meus olhos para Snape que parecia estar dormindo tranquilamente, subi em cima da cama deitando a cabeça em seu peito ouvindo seu coração que batia de forma calma, ouvindo aquele som que para mim era a sinfonia mais linda do mundo adormeci sentindo não só o coração mas também nossas magias nós envolverem em um abraço quente novamente.


HARRY OFF




Hermione e Molly estavam sentadas na recepção esperando mais notícias de Harry e Snape.


— Acha que ele vai suportar? - Hermione perguntou quase em um sussurro, ela ainda se sentia fraca, Molly suspirou.


— Ele suportou perder Sirius não?


— Mas agora é diferente, Harry durante esses anos tirou força desse sentimento e mesmo não sendo correspondido ele ainda o nutri pelo simples fato do professor existir mas...- lágrimas já desciam por suas bochechas e Molly também não fez questão de segurar as próprias — Meu Merlin! - não impediu os soluços — Eu nã-não vou con-conseguir vê-lo devastado.


Molly a abraçou, ambas tentando se consolar enquanto Rony ouvia de longe em silêncio.





Continua...




Felicia Moreno

Betagem por @Nahtty-chan

17 de Outubro de 2020 às 02:31 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Continua… Novo capítulo A cada 10 dias.

Conheça o autor

Felicia Moreno Navegadores antigos tinham uma frase gloriosa: "Navegar é preciso; viver não é preciso". Quero para mim o espírito [d]esta frase, transformada a forma para a casar como eu sou: Viver não é necessário; o que é necessário é criar. Não conto gozar a minha vida; nem em gozá-la penso. Só quero torná-la grande, ainda que para isso tenha de ser o meu corpo e a (minha alma) a lenha desse fogo. Só quero torná-la de toda a humanidade; ainda que para isso tenha de a perder como minha. Que esse poema seja capaz de demonstrar meu eu de forma mais clara possível...💋

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~